LITERATURA INFANTO-     JUVENIL OU   SIMPLESMENTE     LITERATURA
LITERATURAA arte de criar e recriar textos, de comporou      estudar      escritos      artísticos;O exercício da eloquênc...
LITERATURAA palavra literatura é intransitiva e,independente do adjetivo que receba, é artee deleite.
LITERATURAA FUNÇÃO SOCIAL É FACILITAR AOHOMEM   COMPREENDER      –  OSDOGMAS QUE A SOCIEDADE LHE           IMPÕE.
INFANTILEsta    modalidade      literária    sejaconsiderada                      "menor“a evolução do maravilhoso ser que...
INFANTILA AUTÊNTICA LITERATURA INFANTILNÃO      DEVE     SER     FEITAESSENCIALMENTE COM INTENÇÃOPEDAGÓGICA, DIDÁTICA OU P...
INFANTILO TERMO INFANTIL ASSOCIADO ÀLITERATURA NÃO SIGNIFICA QUEELA    TENHA    SIDO    FEITANECESSARIAMENTE         PARA ...
INFANTILA LITERATURA INFANTIL ACABASENDO       AQUELA       QUECORRESPONDE,     DE   ALGUMAFORMA, AOS ANSEIOS DO LEITORE Q...
INFANTILÉ UMA FORMA DE PODER DECATIVAR ESSE PÚBLICO TÃOEXIGENTE    E    IMPORTANTE          APARECE.O    GRANDE    SEGREDO...
O    DISCURSO    LITERÁRIO    INFANTILAPRESENTA-SE EM UMA LINGUAGEMCARREGADA         DE       IDEOLOGIA.O   USO   SOCIAL D...
FUNÇÃO SOCIAL DA LITERATURA INFANTILFUNÇÃO     SOCIAL     DA     LEITURAFUNÇÃO     SOCIAL    DA    BIBLIOTECAESCOLAR COMO ...
O MOVIMENTO DA LITERATURA INFANTILCONTEMPORÂNEA, AO OFERECER UMACONCEPÇÃO DE TEXTO ESCRITO ABERTOA MÚLTIPLAS LEITURAS, TRA...
AUTORESRUTH ROCHAZIRALDOMONTEIRO LOBATOMARIA CLARA MACHADO
JUVENILFALTA DEFINIÇÃO DA LITERATURAINFANTO-JUVENIL, DECORRENTE DADIVERSIDADE DE ESTILOS E DECONTEÚDOS QUE A COMPÕEM, BEMC...
JUVENILESTE   GÊNERO    LITERÁRIO   -         IMPORTÂNCIADIMINUÍDO, MUITAS VEZES, PELOUNIVERSO           ACADÊMICO.
MONTEIRO LOBATO, EM 1921TRAZIA EM SUA PRIMEIRAOBRA AS DIRETRIZES DE UMALITERATURA INFANTO-JUVENIL.SÍTIO                  D...
APELO À IMAGINAÇÃO,    O ENREDO, ALINGUAGEM VISUAL CONCRETA, A GRAÇA NAEXPRESSÃO – TODA UMA SOMA DE VALORESTEMÁTICOS      ...
AS TERRAS DE DONA BENTA DESEMPENHAMFUNÇÃO DE UMA ESCOLA, SENDO A              PROPRIETÁRIAA PROFESSORA IDEAL E OS ALUNOS, ...
AS   TERRAS    DE    DONA    BENTADESEMPENHAM FUNÇÃO DE UMA ESCOLA,SENDO        A        PROPRIETÁRIAA PROFESSORA IDEAL E ...
TRATA   DE   SUBSTITUÍ-LAS    DANDO-LHEARRANJO     DIFERENTE,     AO    MESMOTEMPO ANTIGO E MODERNO. ANTIGO, PORQUEO MODEL...
ESPAÇO PREDETERMINADO, FIXO DEANTEMÃO E CLASSIFICADO COMO SALA DEAULA.                               OESPAÇO DESSA ESCOLA ...
INCENTIVO   À  PESQUISA EM LITERATURA             INFANTO-JUVENILDEVE-SE PRINCIPALMENTE À “VOLATILIDADE DOOBJETO    EM    ...
INCENTIVO   À  PESQUISA EM LITERATURA             INFANTO-JUVENILDEVE-SE PRINCIPALMENTE À “VOLATILIDADE DOOBJETO    EM    ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palestra de rolim de moura literatura infanto-juvenil ou simplesmente literatura

2.166 visualizações

Publicada em

Slide apresentado na palestra da Professora Mestre,Maria Enísia Soares de Souza no Seminário Vozes Literárias

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.166
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
173
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra de rolim de moura literatura infanto-juvenil ou simplesmente literatura

  1. 1. LITERATURA INFANTO- JUVENIL OU SIMPLESMENTE LITERATURA
  2. 2. LITERATURAA arte de criar e recriar textos, de comporou estudar escritos artísticos;O exercício da eloquência e da poesia;.
  3. 3. LITERATURAA palavra literatura é intransitiva e,independente do adjetivo que receba, é artee deleite.
  4. 4. LITERATURAA FUNÇÃO SOCIAL É FACILITAR AOHOMEM COMPREENDER – OSDOGMAS QUE A SOCIEDADE LHE IMPÕE.
  5. 5. INFANTILEsta modalidade literária sejaconsiderada "menor“a evolução do maravilhoso ser que éa criança.O contato com textos recheados deencantamento faz-nos perceber quãoimportante e cheia deresponsabilidade é toda forma de literatura.
  6. 6. INFANTILA AUTÊNTICA LITERATURA INFANTILNÃO DEVE SER FEITAESSENCIALMENTE COM INTENÇÃOPEDAGÓGICA, DIDÁTICA OU PARAINCENTIVAR HÁBITO DE LEITURA.ESTE TIPO DE TEXTO DEVE SER LIDOPELA CRIANÇA QUE HÁ EM CADA UMDE NÓS.
  7. 7. INFANTILO TERMO INFANTIL ASSOCIADO ÀLITERATURA NÃO SIGNIFICA QUEELA TENHA SIDO FEITANECESSARIAMENTE PARA CRIANÇAS.
  8. 8. INFANTILA LITERATURA INFANTIL ACABASENDO AQUELA QUECORRESPONDE, DE ALGUMAFORMA, AOS ANSEIOS DO LEITORE QUE SE IDENTIFIQUE COM ELE.
  9. 9. INFANTILÉ UMA FORMA DE PODER DECATIVAR ESSE PÚBLICO TÃOEXIGENTE E IMPORTANTE APARECE.O GRANDE SEGREDO ÉTRABALHAR O IMAGINÁRIO E AFANTASIA.
  10. 10. O DISCURSO LITERÁRIO INFANTILAPRESENTA-SE EM UMA LINGUAGEMCARREGADA DE IDEOLOGIA.O USO SOCIAL DESSE REFORÇO,AESTRUTURA VIGENTE CABE ÀLITERATURA, PREPARA A CRIANÇA PARAREFLETIR SOBRE OS VALORES DA SOCIEDADE.
  11. 11. FUNÇÃO SOCIAL DA LITERATURA INFANTILFUNÇÃO SOCIAL DA LEITURAFUNÇÃO SOCIAL DA BIBLIOTECAESCOLAR COMO DISSEMINADORA DELEITURA DA LITERATURA INFANTIL.
  12. 12. O MOVIMENTO DA LITERATURA INFANTILCONTEMPORÂNEA, AO OFERECER UMACONCEPÇÃO DE TEXTO ESCRITO ABERTOA MÚLTIPLAS LEITURAS, TRANSFORMA ALITERATURA PARA CRIANÇAS EM SUPORTEDO MUNDO.
  13. 13. AUTORESRUTH ROCHAZIRALDOMONTEIRO LOBATOMARIA CLARA MACHADO
  14. 14. JUVENILFALTA DEFINIÇÃO DA LITERATURAINFANTO-JUVENIL, DECORRENTE DADIVERSIDADE DE ESTILOS E DECONTEÚDOS QUE A COMPÕEM, BEMCOMO SEU TIPO DE PÚBLICO, “ESCORREGADIO”.
  15. 15. JUVENILESTE GÊNERO LITERÁRIO - IMPORTÂNCIADIMINUÍDO, MUITAS VEZES, PELOUNIVERSO ACADÊMICO.
  16. 16. MONTEIRO LOBATO, EM 1921TRAZIA EM SUA PRIMEIRAOBRA AS DIRETRIZES DE UMALITERATURA INFANTO-JUVENIL.SÍTIO DOPICA-PAU AMARELO.
  17. 17. APELO À IMAGINAÇÃO, O ENREDO, ALINGUAGEM VISUAL CONCRETA, A GRAÇA NAEXPRESSÃO – TODA UMA SOMA DE VALORESTEMÁTICOS E LINGUÍSTICOS.RENOVAÇÃO DO CONCEITO DE LITERATURAINFANTIL, NO BRASIL, AINDA PRESO A CERTOSCÂNONES PEDAGÓGICOS DECORRENTES DAENORME FASEDA LITERATURA ESCOLAR. (ARROYO 1968: 198).
  18. 18. AS TERRAS DE DONA BENTA DESEMPENHAMFUNÇÃO DE UMA ESCOLA, SENDO A PROPRIETÁRIAA PROFESSORA IDEAL E OS ALUNOS, OSMORADORES DO SÍTIO:O SÍTIO METAMORFOSEIA-SE NUMA ESCOLAPARALELA, REFORÇANDO A AVERSÃO DO ESCRITORPELA INSTITUIÇÃO TRADICIONAL DE ENSINO,CUJAS DISPOSIÇÕES FÍSICA E PSICOLÓGICAO DEGRADAVAM.
  19. 19. AS TERRAS DE DONA BENTADESEMPENHAM FUNÇÃO DE UMA ESCOLA,SENDO A PROPRIETÁRIAA PROFESSORA IDEAL E OS ALUNOS, OSMORADORES DO SÍTIO.
  20. 20. TRATA DE SUBSTITUÍ-LAS DANDO-LHEARRANJO DIFERENTE, AO MESMOTEMPO ANTIGO E MODERNO. ANTIGO, PORQUEO MODELO É A ESCOLA GREGA (...): UMSISTEMA DE ENSINO QUE EVOLUIU ATRAVÉSDO DIÁLOGO, SEM CONCLUSÕES PRÉ- FABRICADASOU CONCLUSÕES PREVISTAS POR ANTECIPAÇÃO.
  21. 21. ESPAÇO PREDETERMINADO, FIXO DEANTEMÃO E CLASSIFICADO COMO SALA DEAULA. OESPAÇO DESSA ESCOLA LOBATEANA MUDASEGUNDO AS CONVENIÊNCIAS, PODENDO SERTANTO A SALA PRINCIPAL DA SEDE DOSÍTIO (...), OU A PAISAGEM. (LAJOLO & ZILBERMAN1998, P. 76).
  22. 22. INCENTIVO À PESQUISA EM LITERATURA INFANTO-JUVENILDEVE-SE PRINCIPALMENTE À “VOLATILIDADE DOOBJETO EM CAUSA, RESISTENTE AO ENQUADRAMENTOEM DEFINIÇÕES PRECISAS E À CLARADELIMITAÇÃO E DEFINIÇÃO, SITUANDO-SE NUMAESPÉCIE DE LIMBOACADÊMICO, QUE O TRANSFORMA, POR VEZES,EM PROPRIEDADE DE TODOS E, AO MESMOTEMPO, DENINGUÉM.”
  23. 23. INCENTIVO À PESQUISA EM LITERATURA INFANTO-JUVENILDEVE-SE PRINCIPALMENTE À “VOLATILIDADE DOOBJETO EM CAUSA, RESISTENTE AO ENQUADRAMENTOEM DEFINIÇÕES PRECISAS E À CLARADELIMITAÇÃO E DEFINIÇÃO, SITUANDO-SE NUMAESPÉCIE DE LIMBOACADÊMICO, QUE O TRANSFORMA, POR VEZES,EM PROPRIEDADE DE TODOS E, AO MESMOTEMPO, DENINGUÉM.”

×