PROJETO SEXTA CULTURAL
IV SEXTA CULTURAL <ul><li>Este Projeto visa a interdisciplinaridade e é trabalhado com o 2ºano A e 3ºano A do Ensino Médio...
Professores: Maria Ângela (Química e Física) Cristiane(Biologia) José Gomes(Filosofia e Sociologia) Osney(STE) Nilza (Secr...
Folclore   A palavra folclore vem do inglês folk lore. Folk quer dizer povo e lore, estudo, conhecimento. Portanto, folclo...
No Brasil, podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Mu...
Algumas lendas e mitos do folclore brasileiro:
BOITATÁ <ul><li>Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e mat...
BOTO <ul><li>Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bon...
CURUPIRA <ul><li>Assim como o boitatá, o curupira também é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado po...
LOBISOMEM <ul><li>Este mito aparece em várias regiões do mundo. Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite...
IARA (MÃE D'ÁDUA) <ul><li>Encontramos na mitologia universal um personagem muito parecido com a mãe-d'água : a sereia. Est...
MULA - SEM - CABEÇA <ul><li>A Mula-sem-cabeça é uma antiga lenda dos povos da Península Ibérica, que foi trazida para a Am...
Segundo esta lenda, toda a mulher que mantivesse estreitas ligações amorosas com um padre, em castigo ao seu pecado (aos c...
SACI - PERERÊ <ul><li>A Lenda do Saci data do fim do século XVIII. Durante a escravidão, as amas-secas e os caboclos-velho...
É uma criança, um negrinho de uma perna só que fuma um cachimbo e usa na cabeça uma carapuça vermelha que lhe dá poderes m...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sexta cultural

1.401 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.401
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sexta cultural

  1. 1. PROJETO SEXTA CULTURAL
  2. 2. IV SEXTA CULTURAL <ul><li>Este Projeto visa a interdisciplinaridade e é trabalhado com o 2ºano A e 3ºano A do Ensino Médio - Noturno da EEJAQ em uma sexta-feira de cada mês, onde comemoramos uma data festiva. </li></ul>
  3. 3. Professores: Maria Ângela (Química e Física) Cristiane(Biologia) José Gomes(Filosofia e Sociologia) Osney(STE) Nilza (Secretaria) Venildo Batista(Direção) Edith(Cozinha)
  4. 4. Folclore A palavra folclore vem do inglês folk lore. Folk quer dizer povo e lore, estudo, conhecimento. Portanto, folclore é o estudo dos costumes e tradições de um povo. Esse termo foi criado pelo arqueólogo inglês William John Thoms (1803-1885), pesquisador da cultura popular européia. Em 22 de agosto de 1846, ele publicou um artigo com o título &quot;Folk-lore&quot;, na revista The Athenaeum, propondo a criação do termo. Com isso, o dia 22 de agosto tornou-se data de referência do surgimento do termo folclore, que gradativamente foi incorporada a todas as línguas dos povos considerados civilizados.
  5. 5. No Brasil, podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. O folclore pode ser dividido em lendas e mitos. As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. As lendas procuravam dar explicações a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais.
  6. 6. Algumas lendas e mitos do folclore brasileiro:
  7. 7. BOITATÁ <ul><li>Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar aqueles que desrespeitam a natureza. Acredita-se que este mito é de origem indígena e que seja um dos primeiros do folclore brasileiro. Foram encontrados relatos do boitatá em cartas do padre jesuíta José de Anchieta, em 1560. Na região nordeste, o boitatá é conhecido como fogo que corre. </li></ul>
  8. 8. BOTO <ul><li>Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista, leva as jovens para a beira de um rio e as engravida. Antes de a madrugada chegar, ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto </li></ul>
  9. 9. CURUPIRA <ul><li>Assim como o boitatá, o curupira também é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado por um anão de cabelos compridos e com os pés virados para trás. Persegue e mata todos que desrespeitam a natureza. Quando alguém desaparece nas matas, muitos habitantes do interior acreditam que é obra do curupira. </li></ul>
  10. 10. LOBISOMEM <ul><li>Este mito aparece em várias regiões do mundo. Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite de lua cheia e não morreu, porém desenvolveu a capacidade de transforma-se em lobo nas noites de lua cheia. Nestas noites, o lobisomem ataca todos aqueles que encontra pela frente. Somente um tiro de bala de prata em seu coração seria capaz de matá-lo. </li></ul>
  11. 11. IARA (MÃE D'ÁDUA) <ul><li>Encontramos na mitologia universal um personagem muito parecido com a mãe-d'água : a sereia. Este personagem tem o corpo metade de mulher e metade de peixe. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá-los para o fundo das águas. </li></ul>
  12. 12. MULA - SEM - CABEÇA <ul><li>A Mula-sem-cabeça é uma antiga lenda dos povos da Península Ibérica, que foi trazida para a América pelos espanhóis e portugueses. Esta história também faz parte do folclore mexicano (conhecida como &quot;Malora&quot;) e argentino (com o nome de Mula Anima). Pressupõem-se que este mito tenha nascido no século XII, época em que as mulas serviam de transporte para os padres. </li></ul><ul><li>No Brasil, a lenda disseminou-se por toda a região canavieira do Nordeste e em todo o interior do Sudeste. A Mula-sem-cabeça, representa uma espécie de lobisomem feminino, que assombra povoados onde existam casas rodeando uma igreja. </li></ul>
  13. 13. Segundo esta lenda, toda a mulher que mantivesse estreitas ligações amorosas com um padre, em castigo ao seu pecado (aos costumes e princípios da Igreja Católica), tornar-se-ia uma Mula-sem-cabeça. Esta história tem cunho moral religioso, ou seja, é uma repreensão sutil ao envolvimento amoroso com sacerdotes e também com compadres. Os compadres, eram tidos como pessoas da família, e qualquer tipo de relação mantida entre eles, era considerada incestuosa. A metamorfose ocorreria na noite de quinta para sexta-feira, quando a mulher, em corpo de mula-sem-cabeça, corre veloz e desenfreadamente até o terceiro cantar do galo, quando, encontrando-se exaurida e, algumas vezes ferida, retorna a sua normalidade. Homens ou animais que ficarem em seu trajeto seriam despedaçados pelas violentas patas. Ao visualizar a Mula-sem-cabeça, deve-se deitar de bruços no chão e esconde-se &quot;unhas e dentes&quot; para não ser atacado. Dizem também, que se alguém passar correndo diante de uma cruz à meia-noite, ela aparece. A mula-sem-cabeça também é conhecida como a burrinha-do-padre, ou simplesmente burrinha.Segundo relatos,felizmente existem maneiras de acabar com o encantamento que fez a mulher virar Mula-Sem-Cabeça, uma delas consiste em uma pessoa arrancar o cabresto que ela possui, outra forma é... Bem fica você vai saber o que fazer!
  14. 14. SACI - PERERÊ <ul><li>A Lenda do Saci data do fim do século XVIII. Durante a escravidão, as amas-secas e os caboclos-velhos assustavam as crianças com os relatos das travessuras dele. Seu nome no Brasil é origem Tupi Guarani. Em muitas regiões do Brasil, o Saci é considerado um ser brincalhão enquanto que em outros lugares ele é visto como um ser maligno. </li></ul>
  15. 15. É uma criança, um negrinho de uma perna só que fuma um cachimbo e usa na cabeça uma carapuça vermelha que lhe dá poderes mágicos, como o de desaparecer e aparecer onde quiser. Existem 3 tipos de Sacis: O Pererê, que é pretinho, O Trique, moreno e brincalhão e o Saçurá, que tem olhos vermelhos. Ele também se transforma numa ave chamada Matiaperê cujo assobio melancólico dificílmente se sabe de onde vem. Ele adora fazer pequenas travessuras, como esconder brinquedos, soltar animais dos currais, derramar sal nas cozinhas, fazer tranças nas crinas dos cavalos, etc. Diz a crença popular que dentro de todo redemoinho de vento existe um Saci. Ele não atravessa córregos nem riachos. Alguém perseguido por ele, deve jogar cordas com nós em seu caminho que ele vai parar para desatar os nós, deixando que a pessoa fuja. Diz a lenda que, se alguém jogar dentro do redemoinho um rosário de mato bento ou uma peneira, pode capturá-lo, e se conseguir sua carapuça, será recompensado com a realização de um desejo

×