Como o ser humano se tornou ser humano

1.503 visualizações

Publicada em

Apresentação pensada para Sociologia no 1ª Série do Ensino Médio, discutindo como a simbologia cultural nos possibilitou sermos humanos.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.503
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como o ser humano se tornou ser humano

  1. 1. Como o Ser Humano se Tornou Ser Humano?
  2. 2. Temas e Objetivo O TEMAS: ideia de cultura, distinção entre instinto e cultura, características da cultura. O OBJETIVO: Abordar aspectos importantes para compreensão de que o que diferencia os seres humanos são as culturas e que só nos tornamos humanos quando nos tornamos seres culturais.
  3. 3. Habilidades e Competências Na presente aula iremos desenvolver a seguintes habilidades: O compreender a ideia de cultura de um ponto de vista antropológico; O distinguir instinto de cultura; O reconhecer o papel da cultura e do instinto na vida dos seres humanos; O compreender que a humanidade só existe na diferença; O identificar as características da cultura; O reconhecer conteúdos simbólicos da vida humana; O desenvolver o espírito crítico dos alunos e sua capacidade de observação da sociedade; O desenvolver habilidades de leitura, produção de textos contínuos e expressão oral.
  4. 4. Por que Antropologia? Enquanto a Sociologia tem sua metodologia apropriada para abarcar questões relativas à sociedade industrial complexa, isso porque sua abordagem visa a compreensão e a transformação das bases materiais de produção social, a Antropologia possui recursos metodológicos destinados à compreensão da diversidade étnico-cultural em sociedade não-complexas.
  5. 5. Uma coisa é uma coisa... Responda a seguinte pergunta: O que você acha que o termo “cultura” pode significar? Cultura é uma palavra que vem do latim, “cultura”, e que significava, até o século XIII, cuidado com o campo. Depois, passou a significar não mais um estado da coisa cultivada, mas a ação de cultivar a terra. Já no século XVIII, ela passou a designar o cuidado de trabalhar algo. Logo, cultura seria tudo aquilo que as pessoas cultivam (CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. 2. ed. Bauru: EDUSC, 2002). É por isso que se pode falar em uma cultura de fungos, ou cultivo de fungos.
  6. 6. Outra coisa é outra coisa... Cultura pode significar um conhecimento diferenciado: no senso comum, muitas vezes associamos o termo “cultura” a uma série de conhecimentos que diferenciam as pessoas. E por isso é comum dizer “fulano tem cultura, ele leu muitos livros” ou “aquela é uma pessoa que não tem cultura, pois não sabe nada”, “fulano é culto”. Nesse sentido, cultura tem a ver com uma espécie de saber que algumas pessoas adquirem e outras não. Essa forma de entender a cultura está ligada à raiz da palavra cultura. cultura pode ser entendida como as manifestações artísticas de um povo: como quando se usa o termo “cultura” nas expressões: “teatro é cultura, cinema é cultura”. cultura também pode ser entendida como os hábitos e costumes de um povo: seria aquilo que as pessoas aprendem como membros de uma sociedade. Ou seja, as pessoas dizem, por exemplo, “os alemães comem salsicha, pois isso é uma característica de sua cultura”.
  7. 7. Em Suma Apesar dos múltiplos significados do termo e das inúmeras variações, podemos dizer, genericamente, que cultura, tanto para a Antropologia como para a Sociologia, significa tudo aquilo que o ser humano vivencia, realiza e transmite por meio da linguagem.
  8. 8. Semiótica A semiótica provém da raiz grega ‘semeion’, que denota signo. Assim, desta mesma fonte, temos ‘semeiotiké’, ‘a arte dos sinais’. Esta esfera do conhecimento existe há um longo tempo, e revela as formas como o indivíduo dá significado a tudo que o cerca. Ela é, portanto, a ciência que estuda os signos e todas as linguagens e acontecimentos culturais como se fossem fenômenos produtores de significado, neste sentido define a semiose.
  9. 9. O ser humano, o instinto e a cultura www.youtube.com/watch?v=qSAY6IWMq5k
  10. 10. Ser de Cultura Só o ser humano tem essa capacidade de se projetar em tudo o que faz. Ele projeta seus valores e suas ideias nos objetos que constrói, deixando vestígios de suas relações sociais nesses objetos. Ele não se adapta à natureza como os outros animais, mas a transforma e interage com ela. Só ele tem a capacidade de transformar a natureza. Os animais sempre se adaptam ao meio ou, então, morrem. À medida que cresce, o ser humano é cada vez menos conduzido pelos seus instintos e cada vez mais pela cultura. É claro que o ser humano é um ser biológico, que depende de uma série de funções vitais: todos os seres humanos comem, dormem, bebem etc. Entretanto, a maneira de satisfazer essas diferentes funções biológicas varia de uma cultura para outra. Assim, entende-se que o comportamento do ser humano é fruto da interação entre biologia e cultura.
  11. 11. o ser humano não tem instinto? Art. 25, CP - Entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem. Legítima Defesa
  12. 12. Características da Cultura O Simbólica O Social O dinâmica e estável O Seletiva O determinante e determinada
  13. 13. Assim... O A cultura, mais do que a herança genética, determina o comportamento do ser humano. O O ser humano age de acordo com seus padrões culturais, ou seja, ele é um ser parcialmente movido pelos instintos. No ser humano, o papel do instinto diminui conforme ele passa pelo processo de socialização. O O ser humano depende muito mais do aprendizado do que do instinto. O Como não só se adapta ao meio, mas também interage com ele, o ser humano é capaz de viver sob os mais diversos climas e situações. Assim, ele conseguiu transformar quase toda a Terra em seu habitat. O A cultura é um processo cumulativo resultante das sucessivas gerações, ou seja, a experiência vai sendo acumulada com o passar do tempo. Mas isso não quer dizer que a cultura não seja passível de mudança.
  14. 14. Aula para a 1ª Série do Ensino Médio Por Professor João Bidoia JB

×