Manual de Utilização da ferramenta IPTraf
Laboratório de Redes de Alta Velocidade – COPPE / UFRJ
versão 1.0
Introdução
O portal IpTraf
Um dos maiores desafios no gerenciamento de “backbones IP” é identificar qual
tráfego passa pel...
A Rede Rio de Computadores
A Rede Rio é uma rede de computadores integrada por universidades e centros
de pesquisa localiz...
Note que os parâmetros geram estatísticas individuais no gráfico. Na figura
abaixo, podemos ver os parâmetros utilizados n...
9. AS – Número do Sistema Autônomo
Apresenta estatísticas sobre o tráfego de entrada ou saída gerado pelo
grupo de redes p...
Ilustração 5 - Estatísticas de tráfego da rede UFRJ
Se quisermos obter estatísticas sobre um serviço específico, por exemp...
O gráfico gerado pode ser visualizado abaixo. As cores azul e vermelha indicam
respectivamente os tráfego fonte e de desti...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Manual Iptraf

286 visualizações

Publicada em

Manual iptraf

Publicada em: Internet
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
286
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual Iptraf

  1. 1. Manual de Utilização da ferramenta IPTraf Laboratório de Redes de Alta Velocidade – COPPE / UFRJ versão 1.0
  2. 2. Introdução O portal IpTraf Um dos maiores desafios no gerenciamento de “backbones IP” é identificar qual tráfego passa pela rede, aonde o tráfego se inicia, qual é o seu destino e quais são as aplicações mais utilizadas. Outro grande problema encontrado é que as informações obtidas não são compartilhadas, dificultando a caracterização do tráfego de uma forma geral e abrangente. A análise dessas medidas poderia ser útil para diversos propósitos, por exemplo, para verificação de garantia de serviço, para cobranças, gerenciamento de recursos, engenharia de tráfego e planejamento de rede. O portal IPTraf tem como objetivo principal disponibilizar através de uma interface web amigável, dados e estatísticas sobre tráfego de dados referentes à Rede Rio de Computadores, além de divulgar documentos e hiperlinks relacionados à caracterização de tais tráfegos, tornando-se portanto, uma poderosa fonte de consulta para a comunidade científica e para as empresas que utilizam “backbones IP”. Ilustração 1 - Portal IpTraf Manual de utilização – IPTraf / RAVEL 2
  3. 3. A Rede Rio de Computadores A Rede Rio é uma rede de computadores integrada por universidades e centros de pesquisa localizados no Estado do Rio de Janeiro, financiada e coordenada pela FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro. A ferramenta IpTraf Acessando a ferramenta Na página inicial do IpTraf há um hiperlink que leva à ferramenta de visualização de tráfego. Através dessa ferramenta é possível visualizar dados e estatísticas de tráfego da Rede Rio de Computadores, de acordo com os parâmetros fornecidos pelo usuário. Ilustração 2 - Acessando a ferramenta Manual de utilização – IPTraf / RAVEL 3
  4. 4. Note que os parâmetros geram estatísticas individuais no gráfico. Na figura abaixo, podemos ver os parâmetros utilizados na geração dos gráficos além de um texto explicativo de cada item. Ilustração 3 - Ferramenta IpTraf Parâmetros da ferramenta: 1. Tipo de relatório Indica o modo em que os dados serão exibidos, podendo ser bits, fluxos ou pacotes. 2. Período Indica o período do tempo de observação, podendo variar de um dia a um mês. 3. Tipo de Imagem Indica o formato em que o gráfico será gerado. Pode ser “png” ou “gif”. 4. Largura Indica a largura em pixels que o gráfico será gerado. 5. Altura Indica a altura em pixels que o gráfico será gerado. 6. Protocolo Apresenta estatísticas sobre o tráfego gerado pelo protocolo especificado. 7. Serviços Apresenta estatísticas sobre o tráfego de entrada ou saída gerado pelo serviço especificado. 8. TOS – Tipo de Serviço Apresenta estatísticas sobre o tráfego de acordo com a “flag” de TOS especificada. Manual de utilização – IPTraf / RAVEL 4
  5. 5. 9. AS – Número do Sistema Autônomo Apresenta estatísticas sobre o tráfego de entrada ou saída gerado pelo grupo de redes pertencentes ao sistema autônomo especificado. 10.Rede Apresenta estatísticas sobre os bytes, pacotes, ou fluxos de entrada e saída do grupo de endereços IP pertencentes à rede. Note que como resultado teremos o tráfego total gerado pela rede. 11.Gerar Gráfico Envia as informações coletas à ferramenta IpTraf, para que o gráfico seja gerado. Exemplos de utilização Se desejarmos obter estatísticas sobre o tráfego de entrada e saída da rede da UFRJ, basta escolhermos a rede da UFRJ e clicarmos em gerar gráfico. Ilustração 4 – Estatísticas de tráfego da rede UFRJ O gráfico gerado pode ser visualizado abaixo. A parte acima do eixo indica o tráfego de entrada e a parte abaixo indica o tráfego de saída. Manual de utilização – IPTraf / RAVEL 5
  6. 6. Ilustração 5 - Estatísticas de tráfego da rede UFRJ Se quisermos obter estatísticas sobre um serviço específico, por exemplo, tráfego P2P, basta escolher o serviço e gerar o gráfico. Ilustração 6 – Estatísticas de tráfego P2P Manual de utilização – IPTraf / RAVEL 6
  7. 7. O gráfico gerado pode ser visualizado abaixo. As cores azul e vermelha indicam respectivamente os tráfego fonte e de destino. Temos também a informação de que esse tipo de serviço corresponde a apenas 2,7% do tráfego de entrada e 1,1% do tráfego de saída. Ilustração 7 - Estatísticas de tráfego P2P Manual de utilização – IPTraf / RAVEL 7

×