Será pública a escola pública ppt

412 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
49
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Será pública a escola pública ppt

  1. 1. Docente: Lia Oliveira Discentes:Andreia Silva 64994Ângela Alves 68266Carla Gomes 68269UC: Tecnologia e ComunicaçãoEducacional II Universidade do MinhoInstituto de EducaçãoSerá pública a escola pública?Mariano Fernández Enguita
  2. 2. •Esta questão contém duas ambiguidades:1. Ao referir-se à escola pública (escola ao serviço da toda asociedade), o autor pretende fazer referência à escola estatal (escolaao serviço do estado e do governo) e não às geridas por fundospúblicos incluindo as concertadas.2. Ao levantar esta interrogação, tem como sentido questionar se os interesses públicos, interesses detoda a sociedade e os interesses do público, alunos e famílias, se sobrepõem aos interesses da classedocente e não docente.→ Será que a grande parte dos privilégios dos funcionários e a falta de controlo do seutrabalho se situa mais próximo dos interesses públicos ou dos interesses do público?Não se situa mais próximo do interesse público uma vez que a maioria do ensino privadoem Espanha se caracteriza por uma componente ideológica e uma vocação classicista.Dada a elevada mercadotecnia, a relação que se estabelece entre aluno e o professor nãopassa de uma troca de “mercadoria”, sendo os alunos vistos como a clientela.Discente: Andreia SilvaPor um lado,Por outro lado,
  3. 3. Sim!Será pública a escola pública?Se atendermos ao facto de esta ser financiada por fundos públicos. Neste caso, o seutitular são os poderes públicos e os seus funcionários são os funcionários públicos.O autor defende que não, uma vez que a lei e a titularidade estatal não bastam paragarantir que a denominada escola pública.Por outro lado,Perante esta situaçãoEstamos diante de umaapropriação por parte dos professoresrelativamente aos objetivos e os interessesdos alunos, da comunidade envolvente e dasociedade em geral.Discente: Vanessa Gomes
  4. 4. 1. Não ter havido uma única reforma de calendário ou horário escolar quenão tenha consistido em reduzi-los.Tem-se repetido até à exaustão que a denominada jornadacontínua seria do interesse dos alunos, tendo-se supostamente criadoatividades extracurriculares em prol dos mesmos.Algumas razões por detrás desta situação:TodaviaO que se vem a verificar é a conversão destas atividades, benéficas para o aluno, emfestividades que não constam no programa educativo, em férias e em dias de entrega de notas.RESULTADONumerosas famílias recorram á escola privada, com o intuito de encontrar horáriosmenos concentrados, serviços mais eficientes, atividades mais diversas e mecanismos derecuperação mais flexíveis. Discente: Andreia Silva
  5. 5. 2. A falha dos professores em não usarem parte do seu tempo disponível para dedicarem apreparação das aulas, a renovação dos programas ou até mesmo ao seu desenvolvimentoprofissional.A profissão de professor tem-se convertido num emprego atempo parcial, no entanto remunerado a tempo inteiro.3. Confrontado com ideias inovadoras que não envolva a sua turma e a suamaneira de leccionar, o professor fica desorientado, uma vez que a maior parteda classe docente continua apegada ao manual escolar como última fonte da suaorganização, e ideias dinamizadoras de dar aulas, ficam simplesmente em papel.4. O desinteresse do professor em participar de forma mais ativa nosproblemas da escola, deprecia a sua participação no ConselhoPedagógico, olha com descontentamento para a Associação de pais, entreoutras atitudes.Discente: Andreia SilvaRESULTADO
  6. 6. 5. Mariano constata que a Direção da escola como instituição tem-se desmoronado, uma vezque o professor tem conseguido converter-se em dono e senhor da sua turma, do seu grupo ouda sua aula, não respondendo senão a si próprio, não dando satisfações à Direção.As escolas são frequentemente organizações ineficazes, por vezes um resumo deprofessores e, para o aluno tudo depende da sorte de quem lhe surja nasala, principalmente como professor – tutor da escola básica.6. O clima vivido no interior da escola tem-se convertido num cenário sem incentivos, para osmelhores profissionais. É nos corredores e sala de professores que se denota uma falta de objetivospartilhados, uma falta de compromisso moral e um baixo nível profissional. O principal inimigo daescola pública não está no exterior mas sim no seu interior.RESULTADODiscente: Ângela Alves
  7. 7. RAZÕES DO ESTADO DE DECADÊNCIA DA ESCOLAPÚBLICA
  8. 8. 1ª RAZÃOFEMINIZAÇÃO Discente: Andreia Silva
  9. 9. 2ª RAZÃOVOCAÇÃODiscente: Andreia Silva
  10. 10. 3ª RAZÃODINÂMICA SINDICALDiscente: Andreia Silva
  11. 11. Leituras Individuais
  12. 12. PENSAR QUEER: sexualidade, cultura e educação. Transgressão e o corpo localizado:género, sexo e o professor homossexual.Eric RoffesA escolaridade e a exclusão social. In J. Paraskeva (org.). EDUCAÇÃO E PODER:Abordagens criticas e pósestruturais. Popkewitz, T,Política de identidade, resposta institucional e negociação cultural: significados deum gabinete homossexual e lésbico no campus.Susan Talburt
  13. 13. Fim da apresentaçãoObrigada pela vossa presença!

×