Devocionais sobre o
nascimento de Jesus
Aefe Noronha
http://
aefenoronha
.blogspot.com.br/
1
O nascimento de Jesus
Os reis ignorados
Leia Lc.2.1-7
?Naqueles dias César Augusto publicou um decreto ordenando
o recen...
demais a este mundo. Ao invés de receber o Cristo prometido,
Herodes foi aquele que caçou a criança quando soube de seu
na...
2
O nascimento de Jesus
Os sábios confundidos
Leia Mt.2.1-12
?Eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém (...) e,
ven...
sábios se perderam no caminho. Começaram a perguntar pela
cidade até serem dirigidos ao palácio de Herodes, onde seria o
l...
3
O nascimento de Jesus
O dragão enfurecido
Leia Ap.12.1-17
?O dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à
...
do dragão quando os magos do Oriente espalham a notícia
pela cidade de Jerusalém (Mt.2.2). O dragão, então, fica
perturbad...
4
O nascimento de Jesus
Os anjos celebrando
Leia Lc.2.8-14
?E, subitamente, apareceu com o anjo uma multidão da milícia
ce...
tudo era uma preparação para este momento. Os anjos estão
exultantes!
São os anjos que avisam José, em sonho, sobre a grav...
5
O nascimento de Jesus
Os pobres convidados
Leia Lc.2.15-20
?Voltaram, então, os pastores glorificando e louvando a Deus
...
Quanto aos visitantes, Deus já havia chamado sábios do
Oriente, mas eles se perderam no caminho e chegaram dias
depois (Mt...
6
O nascimento de Jesus
A família agraciada
Leia Lc.1.39-79
?A minha alma engrandece ao Senhor (...) porque contemplou a
h...
nascimento?(Lc.1.13-14). Isabel e Zacarias eram
bem-aventurados do Senhor: João Batista será o primo de
Jesus e o legítimo...
7
O nascimento de Jesus
Os piedosos descansam
Leia Lc.2.21-38
?Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a...
Ana era uma profetisa da tribo de Aser, que sofreu muito na
vida. Ficou viúva muito cedo e a vida das viúvas em Israel era...
8
O nascimento de Jesus
O Verbo encarnado
Leia Jo.1.1-14
?E o verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e
de ...
estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim sobre o trono
de Davi e sobre o seu reino?(Is.96-7); Ele é ?um Renovo justo
...
O autor
Aefe Noronha é casado com Sara Costa
Noronha, formado em Letras pela
Universidade Presbiteriana Mackenzie,
estudan...
[Ebook] devocionais sobre o nascimento de cristo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

[Ebook] devocionais sobre o nascimento de cristo

550 visualizações

Publicada em

8 devocionais sobre o nascimento de Jesus

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
550
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[Ebook] devocionais sobre o nascimento de cristo

  1. 1. Devocionais sobre o nascimento de Jesus Aefe Noronha http:// aefenoronha .blogspot.com.br/
  2. 2. 1 O nascimento de Jesus Os reis ignorados Leia Lc.2.1-7 ?Naqueles dias César Augusto publicou um decreto ordenando o recenseamento de todo o império romano. Este foi o primeiro recenseamento feito quando Quirino era governador da Síria.? - Lc. 2.1-2 O nascimento de Jesus Cristo é o cume de uma série de promessas sobre um rei eterno que remonta ao princípio da humanidade. Ele seria o Rei dos reis e assumiria o comando do universo. Onde e quando nasceria um rei assim? Que berço, que família, que nação teria a honra para receber tão grande rei? Será que Jesus nasceria do templo, entre os religiosos do povo? O Sumo Sacerdote era Anás e ministrava em um templo construído por Herodes. Curiosamente, o templo e o Sumo Sacerdote não são sequer citados nas narrativas do nascimento. Será então que nasceria no palácio, no berço do rei Herodes? Foi isso o que pensaram os sábios que vieram do Oriente. Mas se enganaram. O rei Herodes foi ignorado por Deus. O sacerdócio e o reinado da Judeia estavam amarrados
  3. 3. demais a este mundo. Ao invés de receber o Cristo prometido, Herodes foi aquele que caçou a criança quando soube de seu nascimento, e Anás foi aquele que crucificou o homem, quando chegou a hora. Quem sabe, então, no palácio de César Augusto? Ele era rei sobre todo o mundo conhecido. Como César, era comandante de todo o exército, e como Augusto, ele foi o primeiro rei divino sob Roma, além de ser considerado filho de Deus. Foi sob César Augusto que se estabeleceu um período de paz mundial conquistada pela derrota dos inimigos. Será que este era digno de receber, em seus aposentos, o Rei dos reis? O sumo sacerdote Anás foi ignorado. O rei regional Herodes foi ignorado. Até César Augusto, o Imperador do mundo, foi ignorado. Quem foi Anás? Quem foi Herodes? Quem foi César Augusto? Hoje, são meros figurantes da história deste menino Jesus, que não nasceria nos berços reais de seu tempo, mas ignorou tudo isso para nascer de um útero e numa manjedoura suficientemente humildes para recebê-lo, para nos ensinar que o seu reino é de outra espécie. O seu nascimento foi ignorado pelos jornais, pelos poderosos, pelos religiosos, pela grande mídia, mas foi conhecido dos céus, e até hoje é proclamado entre as nações. Ele ignorou os reis da terra para nos ensinar a viver não sob expectativa terrena, mas sob a expectativa celeste. Os poderosos, os reinos e o glamour deste mundo, tudo isso passará! Somente os humildes receberão a terra por herança (Mt.5.5). Sugestão de oração: ?Senhor, que meu coração seja suficientemente humilde para receber o Seu Filho. Que as minhas expectativas sejam as expectativas do céu, e me guarde de amar o mundo. Que eu possa ser humilde e não me encantar com as riquezas deste mundo, para viver da maneira como Seu filho nos ensinou, Amém?
  4. 4. 2 O nascimento de Jesus Os sábios confundidos Leia Mt.2.1-12 ?Eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém (...) e, vendo eles a estrela, alegraram-se com grande e intenso júbilo? - Mt.2.1;10. O Salvador mundo estava nascendo. Ele não seria apenas o rei dos judeus, mas o Rei dos reis. Sendo assim, Deus convocou estrangeiros do oriente para adorá-lo. Os magos eram uma casta especial da Pérsia, e eram uma mistura sacerdotes, cientistas e sábios. Conheciam a filosofia, medicina e as ciências naturais. No entanto, não sabemos como eles conheciam sobre o nascimento de Cristo. Há alguns registros de historiadores do oriente sobre profecias de um rei vindo dos judeus, e outros que defendem que estes sábios reconheceram o messias através das profecias de Daniel. Mas tudo não passa de especulação. O que podemos afirmar com mais segurança é que estes sábios receberam uma revelação especial de Deus que os fez identificar aquela estrela com o nascimento de Cristo. O fato é que Deus convidou estrangeiros para saudarem seu filho. Aquele rei era, de fato, o Rei dos reis. No entanto, enquanto eram guiados por Deus até o menino, os
  5. 5. sábios se perderam no caminho. Começaram a perguntar pela cidade até serem dirigidos ao palácio de Herodes, onde seria o lugar óbvio do nascimento do rei. Os sábios se perderam ao deixarem de ser guiados pela estrela e se confundirem com seus próprios entendimentos. Este breve episódio, que causa grande confusão, nos faz lembrar o que o próprio Cristo disse: ?escondestes estas coisas dos sábios e cultos, e as revelastes aos pequeninos?(Mt.11.25). Assim que Herodes ficou sabendo da notícia, consultou os sacerdotes e escribas (os sábios entre os judeus) e eles até que responderam o que as Escrituras diziam a respeito do menino, mas eles mesmos não deram a mínima para o rumor do nascimento do rei. Eles já não acreditavam mais naqueles rumores. Estavam também confundidos pelos seus próprios entendimentos. Não estavam mais na expectativa do Messias. Os sábios só puderam reencontrar o menino quando a estrela apareceu novamente, e então ?alegraram-se com grande e intenso júbilo?. Encontraram-se com Maria finalmente, e puderam presentar Jesus. Paulo já nos advertia que a sabedoria deste mundo é loucura, e que o evangelho é loucura para os sábios. Devemos evitar ser confundidos por nossa própria sabedoria, mas, ao contrário, nos voltarmos para a verdadeira Revelação, a Palavra de Deus, que nos leva a reverenciar o único digno de louvor: aquele menino que nasceu em uma manjedoura. Sugestão de oração: ?Pai, ajude-nos a não tirar os olhos da verdadeira estrela que nos guia ao Seu filho, a tua Palavra. Ajude-nos a aprender e ser transformado cada dia mais por ela, para que possamos, cada dia mais, adorar ao Teu filho Jesus, amém ?
  6. 6. 3 O nascimento de Jesus O dragão enfurecido Leia Ap.12.1-17 ?O dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse?- Ap.12.4. O livro de Apocalipse é o evangelho de um ponto de vista celeste. Sem o livro de Apocalipse, nossa visão do que ocorreu a Cristo seria incompleta. No capítulo 12, o livro nos dá uma imagem muito expressiva para mostrar do ponto de vista celesta o que estava ocorrendo nestes dias do nascimento de Cristo. É também um resumo de todo o Antigo Testamento: Israel é uma mulher grávida do messias, a guardiã da semente de Judá, e o dragão busca frustrar os planos do nascimento do messias. Efésios 3.10 aponta que é a Igreja que anuncia o mistério de Deus aos principados e potestades. Satanás ainda não sabia que o messias nasceria de Maria. Tudo acontecia na surdina. O dragão dominava o Império, dominava a Palestina, dominava inclusive o templo, mas Deus apresenta seu filho na calada da noite. O plano do nascimento do Filho, no entanto, é conhecido
  7. 7. do dragão quando os magos do Oriente espalham a notícia pela cidade de Jerusalém (Mt.2.2). O dragão, então, fica perturbado. Ele vem tentando frustrar aquele nascimento em todas as Eras, e agora ele percebe que está na iminência de acontecer. Com pressa, ele mobiliza Herodes, que desesperadamente busca encontrar o menino, por meio de um engano aos magos (Mt.2.8). Mas é aí que Deus, através de seus anjos, assim como havia feito em todas as eras, protege o seu herdeiro. Revela-se através de sonhos aos magos (Mt. 2.12), e através de um anjo, leva a família, com o menino, para o Egito (Mt. 2.13). Mas isso, no entanto, não impede que o dragão promova sangrenta matança, num período tão especial: ?enfureceu-se Herodes grandemente e mandou matar todos os meninos de Belém?- Mt.2.16. A fúria do dragão não para aí. No período da vida de Jesus, coisas terríveis acontecem. Os demônios se manifestam diabolicamente entre os pobres, e entre os grandes, se manifesta arquitetando a morte do messias. O dragão, enfim, consegue infiltrar-se entre os próximos de Jesus, em Judas Escariotes, que o entrega a cruz. O que a Antiga Serpente não sabia, é que estava sendo serva do Altíssimo, e preparando o caminho para que aquele bebê pisasse, finalmente, a sua cabeça. Estes acontecimentos estão aí para nos ensinar que, mesmo que Deus esteja no controle de todas as coisas, e que tenha preparado uma linda história para o seu povo, o dragão continua enfurecido, pronto a nos devorar, e devemos estar sempre vigilantes aos ataques do falso leão. Sugestão de oração: ?Pai, guarda-me da fúria do dragão, protege-me com seus anjos, e agasalha-me com sua bondade e providência. Ajuda-me a estar sempre vigilante, amém ?
  8. 8. 4 O nascimento de Jesus Os anjos celebrando Leia Lc.2.8-14 ?E, subitamente, apareceu com o anjo uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus?? Lc.2.13. Nos últimos anos, apareceram diversos filmes e livros que sugeriam uma certa rebelião entre os anjos que não haviam caído com Satanás. As histórias sugerem que estes anjos sentiram inveja da humanidade e que estão em desacordo com os planos de Deus. Nada mais longe da realidade bíblica. O livro de Apocalipse, o livro em que mais vemos a perspectiva celeste, é o livro em que há mais cânticos. Lá, os anjos estão exultando diante da vitória do Cordeiro. Por toda a Escritura, os anjos estão totalmente engajados nos planos de Deus. Mas, de modo especial, os anjos aparecem com mais frequência nas vésperas do nascimento de Cristo. Este é um grande momento para os anjos. Até ali, eles vêm anunciando nascimentos, auxiliando em batalhas e protegendo Israel. Mas
  9. 9. tudo era uma preparação para este momento. Os anjos estão exultantes! São os anjos que avisam José, em sonho, sobre a gravidez de Maria (Mt.1.20); que advertem José a fugir para o Egito (Mt.2.13) e para voltar do Egito (Mt.2.19). São eles que confortam Zacarias, anunciando o nascimento de João Batista (Lc.1.11), e é o anjo Gabriel que avisa Maria de sua gravidez (Lc.1.26-38). Veja a alegria do anjo ao saudar Maria: ?Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo?(Lc.1.28). Os anjos estão torcendo. Eles trabalham com alegria e cânticos ao Senhor! Em seguida, são os anjos que vão convidar os pastores para estarem presentes no nascimento do rei. Observe o quanto eles estão felizes: ?Eis que vos trago boa nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor!?(Lc.2.10). Mas não foi apenas isso. Os anjos estavam preparando uma grande apresentação aos homens, para celebrar o nascimento do rei. Após este anúncio aos pastores, apareceu ?uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus, dizendo: Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem?? Lc.2.13-14. Os anjos são grandes e satisfeitos servos de Cristo, e fazem o seu trabalho com grande amor aos homens. Eles vibram com o nascimento, não apenas pela glória de Deus, mas também pela ?paz na terra?. Os anjos estão celebrando. Eles estão totalmente engajados na obra de Deus, e envolvidos na alegria dos homens. Não precisamos temer os anjos, eles querem a nossa alegria, e amam ao seu Senhor! Sugestão de oração: ?Pai, obrigado pois os céus celebram o nascimento e a vitória do teu Filho, assim como nós. Que eu possa aprender com os anjos a celebrar o nascimento do teu Filho, e a sempre servir com alegria, amém ?
  10. 10. 5 O nascimento de Jesus Os pobres convidados Leia Lc.2.15-20 ?Voltaram, então, os pastores glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes fora anunciado? - Lc.2.20. No tempo de Jesus, no nascimento de uma criança, apenas os familiares mais próximos é que estavam presentes. A decisão do Pai quanto ao nascimento de seu filho Jesus tem muito a nos ensinar. O Pai não quis que seu filho nascesse nos palácios de Roma, nem nos palácios da Judéia, sequer no templo, cercado dos sacerdotes, escribas e fariseus. Deus estava preparando outro tipo de festa. No momento do nascimento, diz o texto, ?não havia lugar para eles na hospedaria?(Lc.2.7), e todo o trabalho de parto foi entre os animais, no meio da sujeira deles, e Jesus nasceu no prato em que comiam os burros e cavalos. Maria e José, na agitação da cidade de Belém, por causa do recenseamento, tiveram seu bebê naquele lugar sujo, afastado, longe de seus familiares e sozinhos. E Jesus tornou aquele lugar o mais precioso da Terra.
  11. 11. Quanto aos visitantes, Deus já havia chamado sábios do Oriente, mas eles se perderam no caminho e chegaram dias depois (Mt.2.11). Os convidados ilustres para o nascimento de Jesus estavam ?naquela mesma região?, nos campos ali próximos. A profissão de pastor de ovelhas era muito desfavorecida. Não tinha nenhum prestígio. Os pastores sequer poderiam ser tidos como testemunhas em um julgamento. Mas foram estes os convidados para o nascimento. Os anjos e a milícia celestial convocou aqueles pastores. Maria e José ouviram os primeiros parabéns daqueles pastores. Quando Jesus suspirou pela primeira vez, os pastores estavam lá. Jesus estava nascendo por causa daqueles pastores! Os pastores eram como a estrebaria: a única coisa preciosa neles era Jesus. Eles ?acharam Maria e José a a criança deitada na manjedoura? (Lc.2.16) e mais ninguém. Eles foram as primeiras testemunhas do nascimento de Cristo. E após aquele momento, tornaram-se também os primeiros pregadores do evangelho. Diz o texto que, quando eles pregavam, ?todos os que ouviram se admiraram das coisas referidas pelos pastores?(Lc.2.18). Agora, os pastores eram testemunhas do maior evento da humanidade, e as pessoas acreditavam neles! Os pobres, os cansados e sobrecarregados, os doentes, são estes os convidados para o nascimento de Jesus. Jesus nasceu para aqueles cuja única coisa preciosa é o Evangelho. Se você também foi convidado para o nascimento de Jesus, então você também estará entre os convidados para as suas bodas, naquele dia glorioso que virá! Aleluia! Sugestão de oração: ?Pai, obrigado porque o Senhor enviou o Seu Filho para os cansados e sobrecarregados, para nos dar descanso. Que eu sempre possa descansar no Senhor, amém ?
  12. 12. 6 O nascimento de Jesus A família agraciada Leia Lc.1.39-79 ?A minha alma engrandece ao Senhor (...) porque contemplou a humildade da sua serva (...) Pois, de agora em diante, todas as geração me considerarão bem-aventurada?- Lc.1.46;48. Quando Jesus entra na família, Ele transforma as lágrimas em alegria e cântico. A família que Deus escolheu para receber seu Filho passou por grande tristeza e apreensão, que se transformaram em duas lindas canções. Duas foram as famílias benditas que O receberam: a família de José, da linhagem real de Davi, para cumprir a promessa; e a família de Maria e Isabel, da linhagem sumo-sacerdotal de Levi e de Arão. Isabel era estéril, e já tinham perdido as esperanças de ter filhos, pois ela e Zacarias, seu marido, eram ?avançados em dias?(Lc.1.7). Mas seu marido continuava a orar a Deus, e Deus escutou suas orações. Um anjo o visitou e disse: ?não temas, porque a tua oração foi ouvida; e Isabel, tua mulher, te dará a luz um luz filho, a quem darás o nome João. Em ti haverá prazer e alegria, e muitos se regozijarão com o seu
  13. 13. nascimento?(Lc.1.13-14). Isabel e Zacarias eram bem-aventurados do Senhor: João Batista será o primo de Jesus e o legítimo sacerdote que o antecederá e o batizará. Sobre isso, Isabel falo: ?Assim me fez o Senhor, contemplando-me, para anular o meu opróbrio perante os homens?(Lc.1.25), e Zacarias compôs uma canção, que ficou conhecida como Benedictus: ?Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo?(Lc.1.68). Jesus trouxe alegria àquela família. Maria foi agraciada, muito favorecida, bendita entre as mulheres. Mas este presente de Deus trouxe grande aflição. Ela ficou grávida antes de seu casamento e José, ?sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente?. Mesmo assim, não estava tranquila sua alma. Por isso, ?enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo?(Mt.1.20). Então, aquela leve e momentânea aflição na família, se tornou motivo de grande alegria. Maria também escreveu uma canção, que ficou conhecida como Magnificat: ?A minha alma engradece ao Senhor?(Lc.1.46). O choro e a aflição foram transformados nos mais belos cânticos do cristianismo. Quando Maria foi se encontrar com Isabel, ?a criança lhe estremeceu no ventre; então, Isabel ficou possuída do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre!?(Lc.1.41-42). Eram famílias em festa, porque Jesus derramou graça sobre elas. Sugestão de oração: ?Pai, derrama graça sobre as nossas famílias, faça Jesus presente em nós, e transforma nossas lágrimas em canções, amém?.
  14. 14. 7 O nascimento de Jesus Os piedosos descansam Leia Lc.2.21-38 ?Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra; porque os meus olhos já viram a tua salvação, a qual preparaste diante de todos os povos: luz para revelação aos gentios, e para a glória de todo o povo de Israel?- Lc.2.29-32. Quem espera pelas promessas de Deus nunca se decepciona. Muito se fala sobre os judeus do tempo de Jesus, que haviam se desviado dos caminhos de Deus e que haviam se tornado legalistas e hipócritas. No entanto, no capítulo 2 de Lucas, o evangelista nos mostra que havia pelo menos dois remanescentes, ?que esperavam a redenção de Jerusalém? (Lc.2.38). Eram Simeão e Ana. Simeão foi descrito como ?justo e piedoso que esperava a consolação de Israel?. Era um homem que colocou suas esperanças em Deus. Era um homem que intercedia por sua nação. Simeão viveu em um tempo de opressão para Israel, viu levantes revolucionários, viu sacerdotes e reis corruptos, e viveu em uma geração sem esperança. Era fiel entre infiéis, piedoso entre hipócritas, esperava por Deus entre desesperados.
  15. 15. Ana era uma profetisa da tribo de Aser, que sofreu muito na vida. Ficou viúva muito cedo e a vida das viúvas em Israel era muito sofrida. Mas Ana esperou pelo Senhor. Ela já estava avançada em idade, tinha 84 anos, mas ainda esperava pelo Senhor. Não desanimou com o tempo, mas ?adorava noite e dia em jejuns e orações?- Lc.2.37. O Senhor ouviu às orações de ambos e Simeão e Ana foram convidados pelo Senhor para conhecerem o menino. Muito provavelmente não viveram para ver seu ministério, mas Deus os convidou para apreciar a ?redenção de Jerusalém?. Simeão foi levado ao templo e profetizou com uma canção, a Maria e a José, um resumo de todo o ministério de Jesus. Esta linda canção de Simeão entrou para a história com o nome de Nunc Dimitis. Ana também foi levada ao templo quando Jesus fora levado ainda criança, e espalhou a notícia de que, enfim, o Senhor cumpriu as suas promessas. Quem espera pelo Senhor não se decepciona. Simeão e Ana são um descanso para aqueles que oram por sua família, oram por seu povo, e, enfim, por aqueles que aguardam ansiosamente pelo encontro com o Messias. A canção de Simeão é a canção dos que permanecem fiéis entre infiéis, e cheios de esperança, entre os desesperados. Nós já vimos a salvação preparada, e veremos, em glória, aquele menino voltar, agora como o Rei dos reis. Sugestão de oração: ?Pai, esperamos confiantemente pelo Senhor e pelo cumprimento de suas promessas. Aguardamos ansiosos que nossa família e todos os povos vejam a luz do Teu Filho, e aguardamos, finalmente, nos encontrarmos com ele, na Glória, amém?.
  16. 16. 8 O nascimento de Jesus O Verbo encarnado Leia Jo.1.1-14 ?E o verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai?- Jo.1.14. Este bebê em uma manjedoura, representado em cartões e presépios pelo mundo inteiro, ?todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez? (Jo.1.3). Este bebê estava ?no princípio?(Gn.1.1; Jo.1.1), quando ?criou Deus os céus e a terra?(Gn.1.1), e ?o mundo foi feito por intermédio dele?(Jo.1.10). Não se engane, ele é mais do que parece. Este bebê é o descendente prometido a Eva, aquele que pisaria a cabeça da serpente (Gn.3.15). Ele é aquele esperado de Judá, rei de quem o cetro não se apartará, e a quem obedecerão todos os povos (Gn.49.10); Ele é aquele a quem foi constituído por aquele que habita nos céus e a quem foi dada as nações por herança (Sl.2.6;8); aquele cujo trono ?é para todo o sempre?(Sl.45.6); este singelo bebê é aquele cujo ?governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado maravilhoso conselheiro, Deus poderoso, Pai eterno, príncipe da Paz. Ele
  17. 17. estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino?(Is.96-7); Ele é ?um Renovo justo da linhagem de Davi; ele fará o que é justo e certo na terra? (Jr.33.15). É também aquele ?sol da justiça [que] se levantará trazendo cura em suas asas?(Ml.4.2). Este bebê, na manjedoura, ?estava no princípio com Deus? (Jo.1.2); mas também encontrou-se com Hagar, junto a uma fonte de água no deserto, prometendo a ela uma descendência (Gn.16.7); E era aquele que segurou a mão de Abraão, para que seu filho não fosse sacrificado, e que preparou o carneiro para o holocausto (Gn.22.13); e aquele que anunciou o nascimento de Sansão (Jz.13.22); e salvou aqueles três homens na fornalha (Dn.3.25). Este bebê era ?o filho do Deus vivo?(Mt.16.16); o ?salvador do mundo?(Jo.4.42), o ?Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo?(Jo.1.29), ?sem mancha e sem defeito?(1a Pe.1.19) que ?foi sacrificado?(1a Co.5.7), e de cujo sangue nossas vestes são purificadas (Ap. 7.14); é também o ?Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi [que] venceu?(Ap.5.5). Este bebê é o Cristo, o Messias esperado, a Segunda Pessoa da trindade, que veio fazer morada com os homens ?e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai?(Jo. 1.14). Não se engane. Este bebê: ele é o Rei da Glória! Sugestão de oração: ?Pai, obrigado pelo grande amor para conosco a ponto de enviar Seu Filho para morrer em nosso lugar. Perdoa os nossos pecados, e nos purifique com o sangue de Cristo. Venha o Teu Reino, e que Cristo seja o nosso Rei eternamente, amém?.
  18. 18. O autor Aefe Noronha é casado com Sara Costa Noronha, formado em Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, estudante no Seminário Teológico Presbiteriano Rev. Jose Manoel da Conceição e candidato a missionário pela Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT) para povos indígenas. Atualmente trabalha na Igreja Presbiteriana de Higienópolis. http:// aefenoronha .blogspot.com.br/

×