8.Pesquisa_Comunicacao_na_America_Latina

473 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
473
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

8.Pesquisa_Comunicacao_na_America_Latina

  1. 1. A Pesquisa em Comunicação na América Latina“Para Ler o Pato Donald” (Armand Mattelart e Ariel Dorfmann, 1973) “Extensão ou Comunicação” (Paulo Freire, 1969) FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Hugo Limeira - 09/2012
  2. 2. Comunicação na América Latina 1º Cap Para ler o pato donald Exemplo do Livro: “Margarida: Se você me ensina a patinar esta tarde, darei uma coisa que você sempre desejou. Donald: Quer dizer...? Margarida: Sim... A minha moeda de 1872. Sobrinho: Uau! Completaria nossa coleção de moedas, Tio Donald.”O Exemplo dado no livro do cap. 1 mostra que os desenhos daDisney, quase tudo sempre tem um interesse financeiro. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Hugo Limeira - 09/2012
  3. 3. Comunicação na América Latina Disney e as suas intenções A Disney implantou natureza no dia a dia de suas animações, as mesmas com as opções de mostrar toda a diversidade que mundo trás, através da natureza. Um ponto principal de suas intenções é aproximar a natureza na vida urbana, transformando seus personagens, e tratando-as como simples pessoas.Mas ela dá a sensação também de que os animais possa sempre, se aproximar depersonalidades fortes igual aos seres humanos seja ela nos atos ou não, como porexemplo a ambição e crueldade por assim dizer. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Semestre – Teoria da Comunicação e Semiótica Allan Campos Milani Limeira - 09/2012
  4. 4. Comunicação na América Latina Natureza vs. Metrópole A maioria dos personagens, vivem na vida urbana das cidades, muitas das histórias entram em conflito na cidade urbana, sempre mostrando e os estado catastrófico de uma vida urbana, apresentando como, ladrões, perseguições, poluição, sempre mos -trando o lado negro da população . FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Semestre – Teoria da Comunicação e Semiótica Allan Campos Milani Limeira - 09/2012
  5. 5. Comunicação na América Latina Personalidade Infantil. A Disney promove uma serie de personagens infantis, dentre ela crianças, mais porém, quase nunca elas tomam como papel a sua personalidade como criança, sempre estão criando planos, ou debatendo. O Fato é que por serem personagens crianças, encaram a vida como se fossem adultos normais. Ou seja, são crianças só na aparência FAAL Faculdade de Administração e Artes de LimeiraDSNG – 4º Semestre – Teoria da Comunicação e Semiótica Allan Campos Milani Limeira - 09/2012
  6. 6. Comunicação na América Latina 1º cap. Para ler o pato donald Denuncia de ausência de família “Normal”, sem a posição do sexo. Família sempre constituída de tios, tias, sobrinhos, avos... Etc.Dominação paternalista, e a ausência de união estável FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Allan Campos Limeira - 09/2012
  7. 7. Comunicação na América Latina ‘’(número especial D. 423): Donald parte para “Longínqua Congolia” porque lá o negócio de Tio Patinhas nada vendeu. O motivo: “O rei ordenou a seus súditos não fazer presentes de natal este ano. Deseja que todo o povo lhe entregue seu dinheiro.” Comentário de Donald: “Egoísta!”. E mãos à obra. Donald é convertido em rei, ao ser tomado como um grande mago que voa pelos ares. É destronado o antigo (“Não é homem sábio como você. Não nos permite comprar presentes”). ‘’‘’Donald aceita (com a intenção de partir tão logo a tenda fique vazia): “Minhaprimeira ordem como rei é... comprem presentes para suas famílias e nãoentreguem um centavo a seu rei!”. Mas, ao terminar as vendas, Donald devolvea coroa ao rei. Este desejava o dinheiro para ir embora do país e comer o quedesejava, pois os congolianos exigiam que seu rei comesse somente cabeças depescado. O rei: “Se tivesse outra oportunidade, governaria bem. E de algumamaneira me arranjaria para não comer iguaria intragável.”Donald (ao povo): “E asseguro que deixo o trono em boas mãos. Seu antigo reié um bom rei... e mais sábio que antes.”(O povo: “Hurra! Viva!”).’’ Limeira - 09/2012
  8. 8. Comunicação na América Latina Tio Patinhas (TR. 48) toma posse da lua de vinte e quatro quilates onde “o ouro é tão puro que se pode moldar como se fosse manteiga”. Aparece porém o dono legítimo, Mukale, um venusiano que possui o título da propriedade, e que está disposto a vendê-lo a Tio Patinhas por um punhado de terra. “Oh, é a maior pechincha que ouvi em minha vida!” - exclama o avaro, e faz o negócio. Mukale, contudo, é um “bom natural” e com um “conversor mágico” transforma a terra em um planeta, com continentes, oceanos, árvores, um universo natural: “Vivi muito pobre aqui, rodeado somente de átomos de ouro”.‘’Exilado de sua natureza inocente, desejando um pouco de chuva e vulcões,Mukale renega o ouro para poder voltar à terra de origem e conformar-secom os meios de subsistência mínimos: “Alfafa! Sinto-me renascer”. “Agoratenho um mundo próprio, com alimentos e bebidas”. Não somente TioPatinhas não lhe rouba o ouro, mas também, pelo contrário, faz o favor deextrair-lhe todo esse metal corrompido e facilitar o retorno à inocênciaprimitiva. “Ele conseguiu o que queria, e eu esta fabulosa lua. Oitocentosquilômetros de espessura de ouro puro. Apesar disso, creio que ele ficou coma melhor parte”. Deixa-se entregue ao pobre a celebração feliz da vidasimples. E o velho aforismo: os pobres não têm preocupações, a riqueza trazproblemas’’ Limeira - 09/2012
  9. 9. Comunicação na América Latina “Uma grande companhia de gás se encarregará de todos os trabalhos e pagará bem à tribo.” É a política imperialista mais descarada. Frente a surrupiadores pretéritos e presentes, que ficaram para cúmulo na etapa artesanal, está o grande Tio Companhia, que com justiça resolverá os problemas. Não é mau o que vem de fora, só o que não paga “justiceiramente” é perverso. A companhia é, pelo contrário, maravilhosa. Há mais ainda, entretanto. Inaugura-se um hotel e começam as excursões. Os índios permanecem em seu fundo natural com o objetivo de serem consumidos turisticamente. A condição de sua “riqueza” é de que não se mexam.Colocar o texto - Colocar o texto - Colocar o texto - Colocar otexto - Colocar o texto - Colocar o texto -Colocar o texto - Colocar o texto - Colocar o texto - Colocar otexto - Colocar o texto - Colocar o texto - FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Ícaro Tavares Limeira - 09/2012
  10. 10. Comunicação na América Latina O GRANDE PARAQUEDISTA Nas aventuras do tio patinhas e seus sobrinhos tudo que eles buscam incansavelmente é o ouro. Por que o ouro, que sempre foi fonte de discorda entre os homens é o centro das histórias desses aventureiros? RELAÇÃO DE QUEM FOI E QUEM SERÁ O OURO. NÃO HÁ ESFORÇO PARA MANUFATURAR O OURO. DEPOIS DE POSSUIR O OURO ELE NÃO TEM MAIS HISTÓRIA. A NATUREZA GERA O OURO ASSIM COMO UMA ARVORE GERA UM FRUTA. TUDO CHEGA DE PARAQUEDAS.Nem sequer a magia sobrehumana, por exemplo, a da MagaPatalógica, pode criar o ouro. Essa magia, tecnologiademoníaca desconcretizada, é parasitária da natureza. OHomem não pode senão falsificar a riqueza: esta tem que vir aele de outra origem encantada, a origem natural, em que elenão intervém, apenas merece. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Semestre – Teoria da Comunicação e Semiótica Ícaro Tavares Limeira - 09/2012
  11. 11. Comunicação na América Latina Produção e Trabalho É extremamente comum nos depararmos com sujeitos que passam a vida em busca de trabalho, mas ao mesmo tempo se lamentam pelo esforço humilhante que devem empreender; Esta busca é feita a fim de se obter um meio de se livrar de suas preocupações financeiras constantes; O trabalho torna-se supérfluo, pois não há dedicação; O sujeito torna-se então constantemente disponível, demonstrando assim sua ineficiência. FAAL Faculdade de Administração e Artes de LimeiraDSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Gislaine Ferreira Limeira - 09/2012
  12. 12. Comunicação na América Latina Ambiguidade do Ócio A “necessidade” do sujeito é ter sua tranquilidade em primeiro plano. Sua vontade é aproveitar seu tempo com coisas que lhe tragam momentos agradáveis, em contrapartida, a preocupação com suas responsabilidades financeiras vêm atormentar seus pensamentos, lembrando-o que o trabalho faz- se necessário e isso causa-lhe grande sofrimento. FAAL Faculdade de Administração e Artes de LimeiraDSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Limeira - 09/2012
  13. 13. Comunicação na América Latina Capitulo VII - Conclusões Um discurso totalmente revoltado com a Nos países em processo desituação que os aflige, chega a beirar as raias da revolução, a Disney faria parte de insanidade, desse tipo de livro não se tira nada uma invasão psicológica paraem especial alem de pilhas e pilhas de idiotices, "assassinar" a inocência daso capitulo de conclusão, ele é muito menos sutíl crianças. Assim, as crianças do que o livro todo, realmente é onde existem perderiam a inocência, se tornando comparações ridiculas, como que se Karl Marx burgueses perversos vendendo fosse o pai da infancia e um icone de suas mercadorias e serviços para os "inocência" enquanto Disney é totalmente o consumidores em vez de se contrário, inclusive de ter o poder de tirar a tornarem guerrilheiros inocentesinocência das crianças de forma sutil e leve com capazes de fuzilarem e plantarem os desenhos do Tio Patinhas, dando a entender explosivos.que quando essas crianças forem adultas a vida delas vao ser pautadas em consumismo, materialismo para o "Tio Sam", e as ideias sao colocadas totalmente de forma esquerdista e revolucionária, sempre contra o Imperialismo e o capitalismo de forma radical e absoluta. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Ramille Limeira - 09/2012
  14. 14. Comunicação na América LatinaExtenção e comunicação na America Latina Paulo Freire FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Jéssica Mateus Limeira - 09/2012
  15. 15. Comunicação na América LatinaColocar uma imagem •O problema da comunicação entre o técnico e o camponês FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Jéssica Mateus Limeira - 09/2012
  16. 16. Comunicação na América LatinaColocar uma imagem • Extensão ou Estenção ? • Transmitir o pensamento e o conhecimento • Estender a mão • Agrônomo e camponeses FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Jéssica Mateus Limeira - 09/2012
  17. 17. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural - Pensamento – linguagem (marca dos seres humanos) -Um ser pensante, um ser de decisões - Relação - Ação permanente com e sobre o mundo FAAL Faculdade de Administração e Artes de LimeiraDSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  18. 18. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural - A prática da Liberdade ( ao ser iluminada por uma teoria da qual o sujeito que atua se apropria lucidamente) -Teoria Dialógica e Antidialógica Diálogo: relação horizontal entre A e B ( Para existir diálogo tem de existir um Locutor e um Interlocutor ) Antidiálogo: Verbalismo (Tendência a dar mais importância às palavras do que às ideias. Transmissão exclusivamente oral de conhecimentos.)Categoria Antidialógica: Invasão cultural à que Paulo Freire aborda(Relação autoritária – “Isto é assim porque é”) FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  19. 19. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural - Ilusão da atuação O 1º Atua O 2°º Tem a ilusão de que atua -Conquistar mais para manter-se (Propaganda, slogans, mitos, são instrumentos usados para persuadir os invadidos) -Com a Conquista/Invasão a cultura fica descaracterizada. -Massificação FAAL Faculdade de Administração e Artes de LimeiraDSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  20. 20. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural -Ser dialógico É nãoÉ não manipularinvadir É vivenciar o diálogo FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  21. 21. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural -O dilema do agrônomo : SER LÚCIDO E CRÍTICO -Urgência do tempo FAAL Faculdade de Administração e Artes de LimeiraDSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  22. 22. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural - Consciências ocas = depositar conteúdos ((Equívoco) - Mais conhecimento haverá? -Descrença no homem simples: surge aí a preferência de transformá-lo em objeto do conhecimento (dícil). -Pois o ato de conhecer exige do homem uma postura indócil, impaciente, etc.-Para que os homens simples sejam todos comoabsolutamente ignorantes, é necessário que hajaquem os considere assim.- Há, portanto, uma sucessão constante do saber,de tal forma que todo novo saber, ao instalar-se,aponta para o que virá substituí-lo. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  23. 23. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural-Os Camponeses Chilenos- Auto Confiança-Falta de Auto Confiança: insegurança de sua própria capacidade O saber muito começa com o saber pouco FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  24. 24. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural -Tempo perdido, fundamental para a nação (AUMENTO DA PRODUÇÃO) - As coisas não se comunicam (o homem conquista sua condição de homem) Ele é atuante no mundo. -Diálogo, investimento: Problematizando, critica, criticando, insere o homem em sua realidade como verdadeiro sujeito da transformação FAAL Faculdade de Administração e Artes de LimeiraDSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  25. 25. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural - 4 x 4 = 16 - H²o = composição da água -Problematizar o fato (é necessário refletir sobre o porquê do fato, sobre suas conexões com outros fatos no contexto global em que se deu). FAAL Faculdade de Administração e Artes de LimeiraDSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  26. 26. Comunicação na América Latina Expressão e invasão cultural -Na medida em que ele dialoga com o educando, deve chamar aProblematizar atenção destes para um ou outro ponto menos claro, mais ingênuo,sempre problematizando-os sempre. -Por quê? - Como? - Será assim? - Que relação vê você entre suaIndagando afirmação feita agora e a de seu companheiro? - Haverá contradição entre elas? - Por quê? - Poder-se-á dizer, uma vez mais, que tudo isso requer tempo. QueNão perder não há tempo a perder, visto que existe um programa que deve sertempo cumprido. E, uma vez mais, em nome do tempo que não se devealienando perder, o que se faz é perder tempo, alienando-se a juventude com um tipo de pensamento formalista, com narrações quase sempre exclusivamente verbalistas. Narrações cujo conteúdo “dado” deve ser passivamente recebido e memorizado para depois ser repetido. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Sérgio Adão Martins Limeira - 09/2012
  27. 27. Comunicação na América Latina Pensamentos Quando o homem pensa não é sem uma interação de uma segunda pessoa por que só existe o Colocar uma imagem pensamos e não o pensa.O pensa é gerado pelo Pensamos em conjunto.Ou seja existe o Pensador o objeto e o segundo pensador oupessoa. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Luiz Limeira - 09/2012
  28. 28. Comunicação na América Latina Pensamentos Mesmo no pensarmos não estamos sozinhos ou praticando algo isolado e sim em conjunto. Colocar uma imagemE passamos esses pensamentos atraves da comunicaçãoporem não da mesma forma que pensamos e sim um poucodistorcida para fazer mais sentido. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Luiz Limeira - 09/2012
  29. 29. Comunicação na América Latina Pensamentos Ao comunicar não podemos simplesmente jogar essas ideias no comunicante e sim discutilasSenão não seria uma comunicação e sim um simples depositode pensamentos. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Luiz Limeira - 09/2012
  30. 30. Comunicação na América Latina Pensamentos Esta comunicação tem que ser feita por uma mesma forma linguística seja por palavras ou atos.O ato de busca de conhecimento só se da através dacomunicação e sem ela é impossível adquirir o mesmo. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Luiz Limeira - 09/2012
  31. 31. Comunicação na América Latina A EDUCAÇÂO COMO UMA SITUACÃO GNOSIOLÓGICA É errado dizer que a historia se da apenas a interação do homem em sua prioridadeComo também é errado dizer que essa transformação se dasem qualquer interferência do mesmo. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Luiz Limeira - 09/2012
  32. 32. Comunicação na América Latina A EDUCAÇÂO COMO UMA SITUACÃO GNOSIOLÓGICA Apartir disso podemos ver que a inter-relação homem-mundo que gera o desenvolvimento da historia e sua educação atraves de todas essas transformações.Essa inter-relação tem que ser mutua e por ela se da a historiacultural da comunicação em si. FAAL Faculdade de Administração e Artes de Limeira DSNG – 4º Seméstre – Teoria da Comunicação e Semiótica Luiz Limeira - 09/2012

×