OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM                      ...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM         ANTES DE COME...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM                      ...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM           Objetivo do...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM                     K...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM      TRIO FUNDADOR   ...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM      OS TRÊS TEXTOS Q...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM      CONTRIBUIÇÕES, P...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM      CONTRIBUIÇÕES, P...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM      CONTRIBUIÇÕES, P...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM   Stuart Hall        ...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM   CONCLUSÃO SOBRE OS ...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM        OS ESTUDOS DO ...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM        OS ESTUDOS DO ...
OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM                      ...
Estudo da Audiência
au.di.ên.cia sf (lat audientia)         1 Atenção que se presta a quem fala. 2 Recepção dada por qualquer autoridade a pes...
Comunicação de Massa
• A comunicação de massa é a comunicação feita  de forma industrial, ou seja, em série para  atingir um grande número de p...
Televisão
• A televisão é um dos mais fortes meios de  Comunicação de Massa em nosso país, apesar  de diversidades culturais, sociai...
Televisão na educação• Acumulando 22 anos de  experiência na matéria — prover  conhecimento baseado no  currículo do ensin...
Ibope   •   O Instituto Brasileiro de Opinião       Pública e Estatística (mais       conhecido como IBOPE) é uma       da...
Ponto de Audiência         •   O princípio é igual ao de qualquer             outro tipo de pesquisa: os institutos de    ...
Os estudos da recepção
Os estudos da recepção paraa crítica da comunicação
Comunicação versustransmissão de informações
Democratização dos meios  Mas podemos questionar de fato  empresas poderosas, como a Rede  Globo ou a Folha de S. Paulo?
Comunicação Popular
• O nosso país possui uma  ampla rede de  comunicadores populares,  colaboradores de  movimentos e entidades,  que se expr...
• A comunicação popular  possui grande potencial  transformador e  democratizante. O setor mais  desenvolvido nesse  segme...
• as rádios cojmunitárias  são vítimas de ataques  por parte das grandes  empresas de  radiodifusão, que  contam com o apo...
• Outro setor que  vem surtindo  grande efeito  tanto comercial,  como informativo,  sao os jornais  chamados “De  bairro ...
• Outros meios de  comunicação  popular bastante  conhecidos e de  fácil acesso, são as  revistas e os  cartazes.
• Concluímos que a necessidade deestimular a competência comunicativa efomentar redes de comunicação é umponto decisivo no...
Stuart HallKingston, 3 de fevereiro de 1932
Contribuiu com obras chave para os estudos da  cultura e dos meios de comunicação.1951Trabalhou na Universidade de Birming...
• O trabalho de Hall é centrado principalmente  nas questões de hegemonia e de estudos  culturais• Hall e a teoria da rece...
• modelo de codificação/decodificação  O significado de um texto situa-se em algum  lugar entre o produtor e o leitor.
Os objetos de estudo e o encontroentre o feminismo e EstudoCulturais.
• A variedade de objetos de investigação também  caracteriza os Estudos Culturais.Isso resulta na  certeza que é impossíve...
• Pode-se identificar alguns momentos bem diferenciados  numa tentativa de reconstituir uma narrativa histórica sobre  os ...
• Já o estudo dos meios de comunicação caracteriza-se  pelo foco na analise da estrutura ideológica,  principalmente da co...
• Entretanto ainda nos anos 70,o trabalho em torno  das diferenças de gênero ,através do feminismo que  irrompe em cena,e ...
a preocupação original desse coletivo era ver como a categoria "genero!"estrutura e é ela propria estruturada        nas f...
• Argumentavam que a sociedade deveria ser  compreendida, em sua constituição , através  da articulação sexo/gênero e embo...
• De forma geral, esse trabalho serviu para  demarcar uma área de atuação com  especificidade dentro do campo acadêmico
• Nos anos 90 o leque de investigações sobre a  audiência procura ainda mais enfaticamente  capturar a experiência , a cap...
• conclusão:• os estudos dos anos 90 revelam alguns dos  objetivos que com diferentes ênfases,  continuarão sendo persegui...
• Aqui enfatizamos essa orientação de analise  dos meios de comunicação em massa• a finalidade é refletir sobre a comunica...
6.Estudos_Culturais
6.Estudos_Culturais
6.Estudos_Culturais
6.Estudos_Culturais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

6.Estudos_Culturais

1.168 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.168
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6.Estudos_Culturais

  1. 1. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM SEMINÁRIO Principais correntes/teorias: Estudos Culturais DISCIPLINA Teoria da comunicação e semiótica 2º semestre de 2012 André Bonotto - Mestre NOMES: Caio Roberto Emerson Schmidt Marina Lodi Wilson Tânia Antonia de Oliveira Rodrigo Mendes de Almeida Werighton Gustavo Fernandes Moraes Bruno Henrique Alberto Fidelis Felipe Rocha Matheus Ravanini Leandro Rossanelli de Oliveira Por Leandro Rossanelli
  2. 2. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM ANTES DE COMEÇAR Este trabalho tem por objetivo apresentar a tradição dos ESTUDOS CULTURAIS em especial ao estudo das teorias da comunicação, priviligiando as conexões com as mass media e a cultura popular Esta apresentação é apenas introdutoria e nelas estão indicadas referencias bibliograficas fundamentais sobre os estudos culturais Por Leandro Rossanelli
  3. 3. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM No pós-guerra houve alteração dos valores tradicionais da classe operária da Inglaterra 1957 Richard Hoggart publicou uma pesquisa intitulada: ‘As utilizações da Cultura: aspectos da vida cultural da classe trabalhador’ (CCCS) E é a partir desta obra que em 1964, Richard Hoggart funda o Centro de Estudos (Centre for Contemporary Cultural Studies, CCCS), ligado ao setor de Pós-Graduação da Universidade de Birmingham Por Leandro Rossanelli
  4. 4. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM Objetivo do CCCS: Pesquisar as relações entre cultura contemporânea e a sociedade, sob o olhar marxista: -As formas culturais -As instituições e as práticas culturais -Assim como suas relações com a sociedade e as mudanças sociais Por Leandro Rossanelli
  5. 5. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM Karl Marx* A perspectiva marxista contribui para os Estudos Culturais no sentido de compreender a cultura em sua autonomia relativa, ela não depende das relações econômicas nem do reflexo, tem apenas influência e sofre consequências das relações político-econômicas. A econômica a política e o social competem-se e conflitam-se entre si, compondo a complexa unidade que é a sociedade. *Karl Heinrich Marx (Tréveris, 5 de maio de 1818 — Londres, 14 de março de 1883) Por Leandro Rossanelli
  6. 6. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM TRIO FUNDADOR Centro de Estudos Herbert Richard Hoggart (nascido em 24 de setembro de 1918) é um acadêmico britânico cuja carreira abrangeu as áreas de sociologia, literatura Inglês e estudos culturais, com ênfase na cultura popular britânica. Raymond Williams (31 Agosto 1921 - 26 Janeiro 1988) foi um acadêmico, crítico e novelista Galês. Seus escritos em política, cultura, literatura e cultura de massas refletiram seu pensamento marxista. Edward Palmer Thompson (Oxford, 3 de fevereiro de 1924 — Worcester, 28 de agosto de 1993) foi um historiador britânico da concepção teórica marxista e é considerado por muitos como o maior historiador inglês do século XX. (Substituto Herbert Richard Hoggart de 1968 a 1979) Stuart Hall (Kingston, 3 de fevereiro de 1932) é um teórico cultural jamaicano que trabalha no Reino Unido. Ele contribuiu com obras chave para os estudos da cultura e dos meios de comunicação, assim como para o debate político. Por Leandro Rossanelli
  7. 7. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM OS TRÊS TEXTOS QUE COMPÕEM AS FONTES E O ALICERCE DOS ESTUDOS CULTURAIS: Richard Hoggart (fundador CCCP) Texto: As utilizações da Cultura (1957) Raymond Williams Texto: Cultura e Sociedade (1958 ) E. P. Thompson Texto: A formação da classe operária inglesa (1963) Por Leandro Rossanelli
  8. 8. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM CONTRIBUIÇÕES, PREOCUPAÇÕES, OBJETO E FOCO DE ESTUDO DOS AUTORES DOS 3 TEXTOS: Richard Hoggart (fundador CCCP) Texto: As utilizações da Cultura (1957) Objeto de estudos: cultura Preocupações: as relações entre cultura, história e sociedade. Foco: trata da vida cultural da classe trabalhadora. Contribuições: Materiais culturais, antes desprezados, da cultura popular e dos meios de comunicação de massa através de metodologia qualitativa são analisados. Hoggart conclui que no âmbito popular há submissão, mas há também muita resistência, o que mais tarde, será recuperado pelos estudos de audiência dos meios massivos. Por Leandro Rossanelli
  9. 9. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM CONTRIBUIÇÕES, PREOCUPAÇÕES, OBJETO E FOCO DE ESTUDO DOS AUTORES DOS 3 TEXTOS: Raymond Williams Texto: Cultura e Sociedade (1958 ) Objeto de estudos: cultura Preocupações: as relações entre cultura, história e sociedade. Foco: Impacto cultural dos meios massivos Contribuições: Através de um olhar diferenciado sobre a história literária, o autor mostra que cultura é uma categoria- chave que conecta a análise literária com a investigação social. Por Leandro Rossanelli
  10. 10. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM CONTRIBUIÇÕES, PREOCUPAÇÕES, OBJETO E FOCO DE ESTUDO DOS AUTORES DOS 3 TEXTOS: E. P. Thompson Texto: A formação da classe operária inglesa (1963) Objeto de estudos: cultura Preocupações: as relações entre cultura, história e sociedade. Foco: cultura no desenvolvimento histórico dentro da tradição marxista Contribuições: A cultura é uma rede vivida de práticas e relações que constituíam a vida cotidiana, dentro da qual o papel do indivíduo estava em primeiro plano. Thompson resistia no entendimento da cultura como forma de vida global. Entendia cultura enquanto enfrentamento entre modos de vida diferentes. Por Leandro Rossanelli
  11. 11. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM Stuart Hall Em 1968, Stuart Hall substitui Hoggart na direção do Centro de Estudos Culturais (CCCP). identificando seu papel central na direção da sociedade. incentiva o desenvolvimento da investigação de práticas de resistência de subculturas e de análises dos meios massivos, Exerceu uma funçao de ‘aglutinador’ em momentos de imensas distensões teóricas e, sobretudo, destravou debates teoricos-políticos, tornando-se um ‘catalisador’ de inúmeros projetos coletivos Por Leandro Rossanelli
  12. 12. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM CONCLUSÃO SOBRE OS TEXTOS Esses são os estudos que alicerçaram o nascimento do Centro de Pesquisa Inglês sobre a cultura. Outros nomes se pronunciam fora e dentro do trio Hoggart, Williams e Thompson, e que estudam a cultura em diversos aspectos, inclusive, globalizada e em rede. A versão britânica dos estudos sobre a cultura não representa uma posição teórica unificada, mas também não é tão distinta que não apresente unidades. Os Estudos Culturais da Escola Inglesa é, um movimento que ressalta os nexos existentes entre investigação e formações sociais onde se desenrola a própria pesquisa. Para Stuart Hall (1996), “esses textos eram focalizados pelas pressões imediatas do tempo e da sociedade na qual foram escritos, organizados através delas além de serem elementos constituintes de respostas a essas pressões”. Por Leandro Rossanelli
  13. 13. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM OS ESTUDOS DO CCCS RESULTAM ALGUNS CONCEITOS • A cultura não é uma identidade monolítica e homogênea, pois se manifesta de maneira diferenciada em qualquer formação social ou época histórica; • A cultura não significa (simplesmente) sabedoria recebida ou experiência passiva, mas grande número de intervenções ativas, expressas notavelmente através do discurso e da representação que podem tanto mudar a história como transmitir o passado; • A perspectiva dos estudos culturais britânicos pode relacionar a produção, a distribuição e a recepção culturais a práticas econômicas que estão intimamente relacionadas à constituição do sentido cultural; • As práticas culturais são formas materiais e simbólicas. Acredita-se que a criação cultural situa-se num espaço social e econômico dentro do qual a atividade criativa é condicionada; Por Leandro Rossanelli
  14. 14. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM OS ESTUDOS DO CCCS RESULTAM ALGUNS CONCEITOS • A operacionalização do conceito de cultura, que inclui as formas nas quais os rituais da vida cotidiana, as instituições e as práticas, rompem com um passado em que identificava cultural (de textos e representações de práticas vividas e suas implicações na rígida divisão entre níveis culturais distintos) propiciou considerar em foco toda produção de sentido. Ao enfatizar a noção de cultura como prática, se dá o relevo ao sentido de ação, de agência na cultura; • Os cultural studies evidenciam formas de expressão culturais não- tradicionais e, com isso, descentraliza a legitimidade cultural, transformando-se em lugar de atividade crítica e de intervenção. Desse modo, os Estudos Culturais construíram numa tendência da crítica cultural que questiona o estabelecimento de hierarquias entre as formas e práticas culturais, estabelecidas a partir de oposições: baixa/alta; superior/inferior e outras binariedades. Por Leandro Rossanelli
  15. 15. OS ESTUDOS CULTURAISCONSIDERAÇÕES ‐ ORIGENS ‐ OBJETIVOS ‐ MARX ‐ MEMBROS ‐ FONTES ‐ RESULTADOS ‐ FIM FIM OBRIGADO! FONTES: -HOHLFELDT, Antônio (Org.). Teorias da Comunicação. Rio de Janeiro, Petrópolis: Vozes, 2008. Por Leandro Rossanelli
  16. 16. Estudo da Audiência
  17. 17. au.di.ên.cia sf (lat audientia) 1 Atenção que se presta a quem fala. 2 Recepção dada por qualquer autoridade a pessoas que lhe desejam falar. 3 Número de pessoas que assistem a determinado programa de rádio ou de televisão. 4 Dir. Sessão do tribunal, em que o juiz interroga aspartes, ouve os advogados e pronuncia o julgamento.
  18. 18. Comunicação de Massa
  19. 19. • A comunicação de massa é a comunicação feita de forma industrial, ou seja, em série para atingir um grande número de pessoas, a sociedade de massa.• Podemos dizer que a comunicação de massa é uma característica fundamental da sociedade de massa.• Ela surgiu no séc. XIX, com o jornal diário, mas se firmou no séc. XX com o rádio, o cinema e o meio de comunicação de massa com maior eficiência, a TV.
  20. 20. Televisão
  21. 21. • A televisão é um dos mais fortes meios de Comunicação de Massa em nosso país, apesar de diversidades culturais, sociais e econômicas. As tele novelas são a mania nacional e são responsáveis pelo comportamento de milhões de pessoas, dizendo de forma indireta o que elas devem fazer consumir e pensar.
  22. 22. Televisão na educação• Acumulando 22 anos de experiência na matéria — prover conhecimento baseado no currículo do ensino fundamental e médio por meio da televisão• uma pesquisa feita com o público do Telecurso 2000 revelou que 7 milhões de brasileiros assistem • Dessa significativa audiência, cerca semanalmente ao programa. de 400 mil pessoas têm o objetivo de conseguir o diploma de 1º e 2º graus.
  23. 23. Ibope • O Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (mais conhecido como IBOPE) é uma das maiores empresas de pesquisa de mercado da América Latina • A empresa fornece um amplo conjunto de informações e estudos sobre mídia, opinião pública, intenção de voto, consumo, marca comportamento e mercado, no Brasil e em mais 14 países.
  24. 24. Ponto de Audiência • O princípio é igual ao de qualquer outro tipo de pesquisa: os institutos de medição registram as preferências de uma quantidade bem pequena de pessoas. • Na Grande SP, um ponto equivale a 60000 mil domicílios com a tv ligada no canal. No RJ, são 42000 mil televisores pra um ponto de audiência, em BH 25 mil TVs ligadas, e o numero varia pelo tamanho das capitais e regiões metropolitanas, sempre onde eh medido as audiências
  25. 25. Os estudos da recepção
  26. 26. Os estudos da recepção paraa crítica da comunicação
  27. 27. Comunicação versustransmissão de informações
  28. 28. Democratização dos meios Mas podemos questionar de fato empresas poderosas, como a Rede Globo ou a Folha de S. Paulo?
  29. 29. Comunicação Popular
  30. 30. • O nosso país possui uma ampla rede de comunicadores populares, colaboradores de movimentos e entidades, que se expressam das mais diversas formas.
  31. 31. • A comunicação popular possui grande potencial transformador e democratizante. O setor mais desenvolvido nesse segmento, no Brasil, são as rádios comunitárias, que possuem legislação específica (9.612/1998) e milhares de emissoras em funcionamento.
  32. 32. • as rádios cojmunitárias são vítimas de ataques por parte das grandes empresas de radiodifusão, que contam com o apoio de políticos no Legislativo e Executivo nacional e local para taxá-las de piratas, clandestinas e outros adjetivos menos abonadores.
  33. 33. • Outro setor que vem surtindo grande efeito tanto comercial, como informativo, sao os jornais chamados “De bairro em bairro”, ou jornais comunitários.
  34. 34. • Outros meios de comunicação popular bastante conhecidos e de fácil acesso, são as revistas e os cartazes.
  35. 35. • Concluímos que a necessidade deestimular a competência comunicativa efomentar redes de comunicação é umponto decisivo nos esforços de educação paraa cidadania nas camadaspopulares.
  36. 36. Stuart HallKingston, 3 de fevereiro de 1932
  37. 37. Contribuiu com obras chave para os estudos da cultura e dos meios de comunicação.1951Trabalhou na Universidade de Birmingham e tornou-se o personagem principal do Birmingham Center for Cultural StudiesRichard Hoggart “The uses of literacy”Raymond Willians “Culture and Society”E. P. Thompson “The Making of the English working- class”.
  38. 38. • O trabalho de Hall é centrado principalmente nas questões de hegemonia e de estudos culturais• Hall e a teoria da recepção.
  39. 39. • modelo de codificação/decodificação O significado de um texto situa-se em algum lugar entre o produtor e o leitor.
  40. 40. Os objetos de estudo e o encontroentre o feminismo e EstudoCulturais.
  41. 41. • A variedade de objetos de investigação também caracteriza os Estudos Culturais.Isso resulta na certeza que é impossível separar a analise da cultura das relações de poder e das estratégias de mudança social. Devido a ausência de uma síntese completa o terreno de sua investigação limita-se aos temas vinculados às culturas populares e aos meios de comunicação de massa.Mas é necessário esperar até os anos 70,principalmente,com a implantação da publicação periódica dos working papers.
  42. 42. • Pode-se identificar alguns momentos bem diferenciados numa tentativa de reconstituir uma narrativa histórica sobre os interesses e temáticas que predominaram nesse campo de estudos. A partir da segunda metade da década de 70 , percebe-se a importância crescente dos meios de comunicação de massa. Nessa época os estudos das culturas populares pretendiam responder a indagação sobre a constituição de um sistema de valores e de um universo de sentido,sobre o problema de sua autonomia.
  43. 43. • Já o estudo dos meios de comunicação caracteriza-se pelo foco na analise da estrutura ideológica, principalmente da cobertura jornalística.• Depois de um período de preocupação com analises textuais dos meios massivos, tais estudos de audiência começaram a ser desenvolvido como uma tentativa de verificar empiricamente tanto as diversas leituras ideológicas construídas pelos próprios pesquisadores quanto as posições assumidas pelo receptor.
  44. 44. • Entretanto ainda nos anos 70,o trabalho em torno das diferenças de gênero ,através do feminismo que irrompe em cena,e os desenvolvimentos em torno da ideia de ‘’resistência ’’, também marcam o período.
  45. 45. a preocupação original desse coletivo era ver como a categoria "genero!"estrutura e é ela propria estruturada nas formaçoes sociais
  46. 46. • Argumentavam que a sociedade deveria ser compreendida, em sua constituição , através da articulação sexo/gênero e embora algumas feministas priorizassem a divisão sexual em suas analizes
  47. 47. • De forma geral, esse trabalho serviu para demarcar uma área de atuação com especificidade dentro do campo acadêmico
  48. 48. • Nos anos 90 o leque de investigações sobre a audiência procura ainda mais enfaticamente capturar a experiência , a capacidadede de ação dos mais diversos grupos sociais vistos, principalmente à luz das relações da identidade com o âmbito global, nacional, local e individual
  49. 49. • conclusão:• os estudos dos anos 90 revelam alguns dos objetivos que com diferentes ênfases, continuarão sendo perseguidos pela linha de investigação . Ainda é cedo para elaborar um balanço deste ultimo período; é possível apenas identificar as tendencias recem-citadas
  50. 50. • Aqui enfatizamos essa orientação de analise dos meios de comunicação em massa• a finalidade é refletir sobre a comunicação dentro do amplo espectro proposto pelos estudos culturais .

×