[Gênesis 1]Gênesis 1
1. No princípio criou Deus os céus e a terra.
2. A terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre ...
26. E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança;
domine ele sobre os peixes do mar, sobre as...
livremente;
17. mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em
que dela comeres, certa...
14. Então o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isso, maldita serás tu dentre
todos os animais domésticos, e d...
11. Agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para da tua mão receber o
sangue de teu irmão.
12. Quando lavr...
11. Todos os dias de Enos foram novecentos e cinco anos; e morreu.
12. Quenã viveu setenta anos, e gerou a Maalalel.
13. V...
8. Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor.
9. Estas são as gerações de Noé. Era homem justo e perfeito em suas geraçõ...
romperam-se todas as fontes do grande abismo, e as janelas do céu se abriram,
12. e caiu chuva sobre a terra quarenta dias...
soube Noé que as águas tinham minguado de sobre a terra.
12. Então esperou ainda outros sete dias, e soltou a pomba; e est...
13. O meu arco tenho posto nas nuvens, e ele será por sinal de haver um pacto entre mim e
a terra.
14. E acontecerá que, q...
15. Canaã gerou a Sidom, seu primogênito, e Hete,
16. e ao jebuseu, o amorreu, o girgaseu,
17. o heveu, o arqueu, o sineu,...
12. Arfaxade viveu trinta e cinco anos, e gerou a Selá.
13. Viveu Arfaxade, depois que gerou a Selá, quatrocentos e três a...
nome do Senhor.
9. Depois continuou Abrão o seu caminho, seguindo ainda para o sul.
10. Ora, havia fome naquela terra; Abr...
apartaram um do outro.
12. Habitou Abrão na terra de Canaã, e Ló habitou nas cidades da planície, e foi armando as
suas te...
lhe ao encontro o rei de Sodoma, no vale de Savé (que é o vale do rei).
18. Ora, Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e...
17. Quando o sol já estava posto, e era escuro, eis um fogo fumegante e uma tocha de fogo,
que passaram por entre aquelas ...
2. e firmarei o meu pacto contigo, e sobremaneira te multiplicarei.
3. Ao que Abrão se prostrou com o rosto em terra, e De...
[Gênesis 18]Gênesis 18
1. Depois apareceu o Senhor a Abraão junto aos carvalhos de Manre, estando ele sentado à
porta da t...
causa dos cinqüenta justos que ali estão?
25. Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio, de modo que ...
tuas filhas, e todos quantos tens na cidade, tira-os para fora deste lugar;
13. porque nós vamos destruir este lugar, porq...
35. Tornaram, pois, a dar a seu pai vinho a beber também naquela noite; e, levantando-se a
menor, deitou-se com ele; e não...
18. porque o Senhor havia fechado totalmente todas as madres da casa de Abimeleque, por
causa de Sara, mulher de Abraão.
[...
24. Respondeu Abraão: Eu jurarei.
25. Abraão, porém, repreendeu a Abimeleque, por causa de um poço de água, que os servos
...
chifres no mato; e foi Abraão, tomou o carneiro e o ofereceu em holocausto em lugar de seu
filho.
14. Pelo que chamou Abra...
13. e falou a Efrom, aos ouvidos do povo da terra, dizendo: Se te agrada, peço-te que me
ouças. Darei o preço do campo; to...
designaste para o teu servo Isaque. Assim conhecerei que usaste de benevolência para com
o meu senhor.
15. Antes que ele a...
40. Ao que ele me disse: O Senhor, em cuja presença tenho andado, enviará o seu anjo
contigo, e prosperará o teu caminho; ...
Negebe.
63. Saíra Isaque ao campo à tarde, para meditar; e levantando os olhos, viu, e eis que
vinham camelos.
64. Rebeca ...
o Senhor ouviu as suas orações, e Rebeca, sua mulher, concebeu.
22. E os filhos lutavam no ventre dela; então ela disse: P...
11. E Abimeleque ordenou a todo o povo, dizendo: Qualquer que tocar neste homem ou em
sua mulher, certamente morrerá.
12. ...
1. Quando Isaque já estava velho, e se lhe enfraqueciam os olhos, de maneira que não podia
ver, chamou a Esaú, seu filho m...
27. E ele se aproximou e o beijou; e seu pai, sentindo-lhe o cheiro das vestes o abençoou, e
disse: Eis que o cheiro de me...
[Gênesis 28]Gênesis 28
1. Isaque, pois, chamou Jacó, e o abençoou, e ordenou-lhe, dizendo: Não tomes mulher
dentre as filh...
1. Então pôs-se Jacó a caminho e chegou à terra dos filhos do Oriente.
2. E olhando, viu ali um poço no campo, e três reba...
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
A torah
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×