O EnsinO dadEcifraçãO              Paula Inês Flambó/2008
Sumário temático: Algumas interrogações dos professores O que os professores precisam de saber sobre o processo de decif...
Algumas interrogações dos professores            Qual o melhor método para o ensino             da decifração?           ...
Alguns princípios orientadores A aprendizagem da linguagem escrita não é  natural; requer ensino sistematizado que  conte...
Alguns princípios orientadores              Ler é compreender um texto. Para               compreender é preciso ser capa...
O que é a decifraçãoDecifrar: identificar palavras escritasDecifrar: converter padrões visuais (letras / conjuntos de le...
Perante uma palavra escrita como se faz aidentificação? Palavra escrita / Sistema de análise visual / Busca no vocabulári...
Factores que condicionam a aprendizagemda linguagem escrita Competência linguística na língua de escolarização (riqueza l...
Factores que condicionam a aprendizagem  da linguagem escrita Experiência com a linguagem escrita               (manipula...
Para garantir o sucesso na                         aprendizagem da linguagem escrita Treino fonológico + leitura Reconhe...
Para garantir o sucesso na               aprendizagem da linguagem escrita Não separar as actividades de decifração do ve...
Para garantir o sucesso na                       aprendizagem da linguagem escrita Qualidade do material linguístico Qua...
Para garantir o sucesso na                     aprendizagem da linguagem escrita Qualidade do material linguístico Quant...
Competências gráficas,          ortográficas e de textualização Os resultados da investigação mostram que as crianças con...
Competência da EscritaA competência da escrita é uma actividadeneurobiológica complexa que exige:Formulação de ideias e a...
A Dimensão Gráfica da EscritaCompetência gráfica, ou seja, a competênciarelativa à capacidade de inscrever numsuporte mate...
A Dimensão Gráfica da EscritaCaracterísticas intrínsecas    Características extrínsecasAlfabeto dual ( maiúsculas e   quad...
A competência                          ortográfica A competência ortográfica, ou seja, a competência relativa às normas q...
Complexidade da ortografiaEsta complexidade inerente à ortografia portuguesa é aindacaracterizada pelo facto de na relação...
Conclusões dos estudos sobre                              o erro Os erros são instrumentos de trabalho, fonte de informaç...
Aprendizagem da ortografiaPara escreverem as palavras           Exemploscorrectamente os alunos devem teraprendido:Discrim...
Causas do erro                                O erro poderá ser um                                indicador   para    veri...
Como proporcionar o acesso à                          norma ortográfica: A acção do professor em enfatizar a presença de ...
Análise das incorrecções                                   ortográficasIncorrecções                             Exemplospo...
Tipologia de errosDesvios             Relação assistemática som/grafia; translineação;ortográficos        acentuação; uso ...
Correcção:               Dez Conselhos ao Professor                          ( Cassany,1993,                              ...
Considerações Finais Os      alunos têm de ser implicados na    aprendizagem da ortografia!   O ensino da ortografia tem...
Para garantir o sucesso naaprendizagem da linguagem escrita Não separar as actividades de decifração do verdadeiro sentid...
DESAFIOS DE  LEITURA
Desafios de Leitura Ler para desenhar Ler para colorir Ler para cumprir ordens Ler para descobrir diferenças Ler para...
Desafios de Leitura Ler para encontrar elementos piratas Ler para contar um segredo Ler para fazer corresponder imagens...
Desafios de Leitura Ler textos para completar com recurso à escolha entre duas palavras O João ______ à floresta       fo...
Desafios de Leitura Ler textos para completar Era uma vez uma menina muito _____________ O ____________ dela é Joaninha J...
Actividades de treinoDiscriminação visual rápidaIdentificação de palavrasApresentam-se objectos em cima da mesa, ou numabo...
Discriminação visual rápida e identificação               de palavras Mostrar um cartão com uma palavra. A seguir mostrar...
Discriminação visual rápida e identificação               de palavras  Descobrir uma palavra parasita numa lista       po...
Discriminação visual rápida e identificação               de palavras Reconhecer palavras entre formas parecidas  Mostrar...
Sistematização Trabalho sobre correspondências fonema – grafema que levantam problemas     - procurar palavras com o som ...
Sistematização Revisão dos grupos de palavras mais frequentes. Exemplos: No recreio podemos brincar        à bola        ...
Sistematização Podemos beber   uma chávena de leite                    um copo de água                    uma chávena de ...
Sistematização  Localização de informação no meio circundante:      no quadro      em cartazes      em listas      em tex...
Actividades de Escrita - Sugestões
Actividades de Escrita - Sugestões
Actividades de Escrita - Sugestões
Actividades de Escrita - Sugestões
Actividades de Escrita - Sugestões
Actividades de Escrita - Sugestões
Bibliografia AZEVEDO, Flora (2000). Ensinar e Aprender a Escrever – Através e  para além do erro. Porto: Porto Editora S...
Ensino deci .2
Ensino deci .2
Ensino deci .2
Ensino deci .2
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ensino deci .2

778 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ensino deci .2

  1. 1. O EnsinO dadEcifraçãO Paula Inês Flambó/2008
  2. 2. Sumário temático: Algumas interrogações dos professores O que os professores precisam de saber sobre o processo de decifração O que as crianças devem saber antes de aprenderem formalmente a decifrar Ensino da decifração
  3. 3. Algumas interrogações dos professores  Qual o melhor método para o ensino da decifração?  Qual a importância dos chamados pré- requisitos para a aprendizagem da leitura  O que faz com que algumas crianças aprendam a decifrar mais depressa do que outras?  Em que pilares deve assentar a decifração ( Sim-Sim, 2007)
  4. 4. Alguns princípios orientadores A aprendizagem da linguagem escrita não é natural; requer ensino sistematizado que contemple a consciência dos sons da língua e a aprendizagem da sua correspondência numa representação alfabética Ler é um acto perceptivo mas também cognitivo Na aprendizagem de qualquer habilidade existem três fases: - cognitiva - de domínio / treino - de automatização
  5. 5. Alguns princípios orientadores  Ler é compreender um texto. Para compreender é preciso ser capaz de descodificar  Os leitores recorrem a diferentes vias para decifrar: - via lexical (directa, global, rápida) - via sub-lexical (indirecta, perceptiva, ortográfica)
  6. 6. O que é a decifraçãoDecifrar: identificar palavras escritasDecifrar: converter padrões visuais (letras / conjuntos de letras) em padrões fonológicosReconhecimento automático, rápido eeficiente do significado das palavras (Sim-Sim, 2007)
  7. 7. Perante uma palavra escrita como se faz aidentificação? Palavra escrita / Sistema de análise visual / Busca no vocabulário visual / Formatação ortográfica / Activação semântica / Produção oral da palavra Palavra escrita / Sistema de análise visual / Conversão fonema-grafema / Formatação fonológica /activação semântica / Produção oral da frase
  8. 8. Factores que condicionam a aprendizagemda linguagem escrita Competência linguística na língua de escolarização (riqueza lexical, conhecimento de estruturas sintácticas com alguma complexidade) Conhecimento prévio dos princípios que regulam a linguagem escrita (organização, funcionamento e funcionalidade, princípio alfabético, relação oral / escrito)
  9. 9. Factores que condicionam a aprendizagem da linguagem escrita Experiência com a linguagem escrita (manipulação de materiais de leitura e escrita, concepções sobre leitura e escrita, comportamentos emergentes de leitura e escrita) Desenvolvimento das consciências:  Fonológica (sons, ritmos, reconstrução  Lexical (as palavras: significado dos constituintes, actividades de segmentação e reconstrução  Sintáctica (a frase: elementos fundamentais, expansões, concordância) Existência de rituais diários de leitura
  10. 10. Para garantir o sucesso na aprendizagem da linguagem escrita Treino fonológico + leitura Reconhecimento explícito da correspondência som/letra Estratégias de automatização Estratégias de antecipação/chaves contextuais (leitura de palavras em contexto) Explicitação da relação entre consciência fonémica e capacidade para ler palavras Exemplos de leitura de unidades ortográficas, indutoras da regra E…
  11. 11. Para garantir o sucesso na aprendizagem da linguagem escrita Não separar as actividades de decifração do verdadeiro sentido da leitura: Compreensão do texto (Sim-Sim, 2007)
  12. 12. Para garantir o sucesso na aprendizagem da linguagem escrita Qualidade do material linguístico Quantidade / diversidade Selecção e organização dos materiais de referência e de apoio Existência de espaços de leitura Ambiente rico em escrito Existência de rituais diários de leitura Bem falar para bem escrever Transformar as situações de leitura em situações significativas, desafiante, de descoberta e sistematização
  13. 13. Para garantir o sucesso na aprendizagem da linguagem escrita Qualidade do material linguístico Quantidade / diversidade Selecção e organização dos materiais de referência e de apoio Existência de espaços de leitura Ambiente rico em escrito Existência de rituais diários de leitura Bem falar para bem escrever Transformar as situações de leitura em situações significativas, desafiantes, de descoberta e sistematização
  14. 14. Competências gráficas, ortográficas e de textualização Os resultados da investigação mostram que as crianças constroem conhecimento sobre a leitura e escrita antes de serem formalmente ensinadas a ler e a escrever. Ao 1º ciclo, chegam as crianças com conhecimentos muito diferenciados. O professor tem de saber compreender a situação para diferenciar o processo de ensino de forma a poder atender todos os alunos.
  15. 15. Competência da EscritaA competência da escrita é uma actividadeneurobiológica complexa que exige:Formulação de ideias e a sua tradução numa linguagemvisível, fortemente convencional;Adequação aos objectivos do escritor e às necessidadesdo leitor distante no tempo e no espaço;Codificação de unidades de som em grafemasparticulares num contexto verbal ortográfico;A existência de uma imagem mental eficaz da sequênciagráfica a realizar pelo escrevente, de modo a actividaderealizar-se com segurança e de um controlo motor quepermita a execução de movimentos para escrever egestão do espaço gráfico;Utilização da pontuação.
  16. 16. A Dimensão Gráfica da EscritaCompetência gráfica, ou seja, a competênciarelativa à capacidade de inscrever numsuporte material os sinais em que assenta arepresentação escrita.A dimensão gráfica da escrita apresenta dois tipos decaracterísticas: as intrínsecas e as extrínsecas, as quais sãouma mais valia para a transmissão de conteúdos e substituir asmarcas da oralidade.
  17. 17. A Dimensão Gráfica da EscritaCaracterísticas intrínsecas Características extrínsecasAlfabeto dual ( maiúsculas e quadrosminúsculas)Estilos de letras ( negros, Configurações ramificadasitálicos)Formas de letra ( redonda, pontuaçãoinglesa)corLinha interrompidalista
  18. 18. A competência ortográfica A competência ortográfica, ou seja, a competência relativa às normas que estabelecem a representação escrita das palavras da língua. A ortografia dentro de uma comunidade linguística, assume uma função unificadora, do ponto vista social e político, ou seja há uma única maneira de escrever a palavra, face à existência de várias formas de pronunciar a palavra nas produções orais.
  19. 19. Complexidade da ortografiaEsta complexidade inerente à ortografia portuguesa é aindacaracterizada pelo facto de na relação entre grafemas efonemas haver:Nuns casos, uma regulação que é feita por regrasortográficas;Noutro, não haver quaisquer regras estabelecidas, sendoas formas escritas derivadas do uso, tradição evoluçãohistórica (Morais & Teberosky, 1994).
  20. 20. Conclusões dos estudos sobre o erro Os erros são instrumentos de trabalho, fonte de informação para o professor, que irá nortear a sua acção junto de cada aluno, para o ajudar a dominar a escrita (Salgado,1993;Perrenoud,1995; Reuter ,1996;Amor, 1997; Azevedo, 2000). O erro faz parte da aprendizagem. Fenómeno de integração de novos conhecimentos, é passagem obrigatória para o saber ( Azevedo,p.65).
  21. 21. Aprendizagem da ortografiaPara escreverem as palavras Exemploscorrectamente os alunos devem teraprendido:Discriminar os sons que integram as Gato ( se escrevem correctamentepalavras identificam os 4 sons de gato [gatu]: sabem que os sons podem ser transcritos; sabem que no final têm de escrever um “o” em vez de “u”Saber como esses sons podem ser campo ( o nº de sons são 4 e têm detranscritos representar em 5 letras, pois a vogal nasal escreve-se”am”Decidir a forma de representação de paço / passoacordo com a norma ortográfica Eu vou passear ao paço da rainha. Eu dou um passo com o meu pé.
  22. 22. Causas do erro O erro poderá ser um indicador para verificar aprendizagens que não foram alcançadas. Enumeração de causas dos erros ortográficos (Gomes, 1989, citado por Azevedo,2000,p.69):9 Causas psicológicas: memória, atenção, percepção, lateralidade;ã Causas derivadas dos métodos de leitura seguidos;l Causas relacionadas com o meio social do aluno: vocabulário, hábitos de leitura;r Causas relacionadas com um grande contacto com situações predominantemente orais: conversação, audiovisuais, banda desenhada;u Dificuldades da própria língua.
  23. 23. Como proporcionar o acesso à norma ortográfica: A acção do professor em enfatizar a presença de sons que nem sempre são ditos “exp`riência vs experiência”. Exercitar a separação das sílabas. A consciencialização da existência de palavras que habitualmente se pronunciam de forma muito diferente daquela como são escritas.
  24. 24. Análise das incorrecções ortográficasIncorrecções Exemplospor transcrição de formas de oralidade “ auga por água”correnteInobservância de regras ortográficas “omde por onde” moito por muito”de base fonológicaInobservância de regras ortográficas “fomus por fomos”; “gostão por gostam” ;de base morfológica “compru por compro”Quanto à forma ortográfica específica “ ospital por hospital”; caicha por caixa”das palavrasIncorrecção quanto à acentuação “amavel por amável” ; “hà por há”Inobservância da unidade gráfica da “de pois por depois” ; guarda chuva porpalavra guarda-chuva”Incorrecção quanto à translineação “ turi-stas por tu-ris-tas”
  25. 25. Tipologia de errosDesvios Relação assistemática som/grafia; translineação;ortográficos acentuação; uso de maiúsculas e minúscula e vice- versa;pontuaçãoDesvios fonéticos Inserção, omissão; inversão; substituiçãoDesvios Segmentação ou delimitação demorfológicos palavras;flexão;derivaçãoDesvios morfo- concordânciasintácticoDesvios sintácticos Alteração da ordem dos constituintesDesvios sintáctico- Subcategorização, restrições de selecção;omissão desemânticos constituintesDesvios semânticos Construção da referência nominal, construção da referência temporal e aspectual; conectores, semântica lexical
  26. 26. Correcção: Dez Conselhos ao Professor ( Cassany,1993, citado por Azevedo,2003)ð Corrige somente o que o aluno pode aprender.o Corrige no momento exacto do erro.t Se possível, corrige as versões prévias ao texto.r Não faças todo o trabalho de correcção. Dá instruções concretas e práticas.n Dá tempo para que os alunos possam ler e comentar as correcções.e Se puderes, fala individualmente com cada aluno. Dá instrumentos para que os alunos possam auto-corrigir-se.p Não tenhas pressa em corrigir tudo.a Utiliza a correcção como um recurso didáctico.
  27. 27. Considerações Finais Os alunos têm de ser implicados na aprendizagem da ortografia! O ensino da ortografia tem de ser sistemático e orientado. Tem de haver tempo no horário curricular para a aprendizagem da ortografia. Uma das vias para a aprendizagem da ortografia é a leitura, mas… Somente ler, não Chega!
  28. 28. Para garantir o sucesso naaprendizagem da linguagem escrita Não separar as actividades de decifração do verdadeiro sentido da leitura: Compreensão do texto
  29. 29. DESAFIOS DE LEITURA
  30. 30. Desafios de Leitura Ler para desenhar Ler para colorir Ler para cumprir ordens Ler para descobrir diferenças Ler para pôr em ordem (frases, textos) Ler para completar textos lacunados
  31. 31. Desafios de Leitura Ler para encontrar elementos piratas Ler para contar um segredo Ler para fazer corresponder imagens a legendas (palavras, frases, textos) Ler para…
  32. 32. Desafios de Leitura Ler textos para completar com recurso à escolha entre duas palavras O João ______ à floresta foi/está Lá, ele viu ____ árvore enorme um/uma Em cima da árvore estavam muitos ________ pássaros/pássaro
  33. 33. Desafios de Leitura Ler textos para completar Era uma vez uma menina muito _____________ O ____________ dela é Joaninha Joaninha tem _________ louro, olhos _______ e um sorriso ____________. Ela gosta muito de brincar com _________, etc.
  34. 34. Actividades de treinoDiscriminação visual rápidaIdentificação de palavrasApresentam-se objectos em cima da mesa, ou numaboca de cena de uma casinha de fantoches, ou no ecrãde uma televisão. Vão-se introduzindo alterações queas crianças devem descobrir. Dizer se um elementomudou, se o outro está a mais, se há um intruso.
  35. 35. Discriminação visual rápida e identificação de palavras Mostrar um cartão com uma palavra. A seguir mostrar um pequeno texto. As crianças devem dizer se a palavra está ou não no texto. A mesma coisa com um elemento de uma imagem. Encontrar uma palavra numa lista vertical numa lista horizontal num texto Descobrir quantas vezes uma palavra surge num texto
  36. 36. Discriminação visual rápida e identificação de palavras  Descobrir uma palavra parasita numa lista por temas por regularidades (letra, sílaba)  Fazer corresponder legendas a imagens  Identificar e memorizar palavras Mostra um cartão com uma palavra Dá-se uma ficha com várias palavras Circundar a palavra igual à do cartão
  37. 37. Discriminação visual rápida e identificação de palavras Reconhecer palavras entre formas parecidas Mostrar um cartão com a palavra e entre formas muito parecidas as crianças deverão encontrar o que é igual Exemplo: ruído / roído bola / bolha Reproduzir uma palavra de memória Descobrir palavras que, num texto, estão em letra diferente, cor diferente, tamanho diferente
  38. 38. Sistematização Trabalho sobre correspondências fonema – grafema que levantam problemas - procurar palavras com o som em causa - listagens - construção de frases - quadros silábicos - formulação de regras - afixação de regras com cartazes - exercícios de lacunas
  39. 39. Sistematização Revisão dos grupos de palavras mais frequentes. Exemplos: No recreio podemos brincar à bola ao pé coxinho ao pião à macaca ao berlinde
  40. 40. Sistematização Podemos beber uma chávena de leite um copo de água uma chávena de chocolate um sumoO João veste uma camisola azulA Maria umas calças pretasO… um blusão vermelhoA…
  41. 41. Sistematização  Localização de informação no meio circundante: no quadro em cartazes em listas em textos expostos o passeio descoberta
  42. 42. Actividades de Escrita - Sugestões
  43. 43. Actividades de Escrita - Sugestões
  44. 44. Actividades de Escrita - Sugestões
  45. 45. Actividades de Escrita - Sugestões
  46. 46. Actividades de Escrita - Sugestões
  47. 47. Actividades de Escrita - Sugestões
  48. 48. Bibliografia AZEVEDO, Flora (2000). Ensinar e Aprender a Escrever – Através e para além do erro. Porto: Porto Editora SILVA, M.E. . A escrita de textos da teoria à prática. In Sousa, O. & A. Cardoso (ed). Desenvolver competências em Língua Portuguesa. Lisboa:Cied;1-32 Sim-Sim, I. (1998).Lisboa: Universidade Aberta. BAPTISTA,A;Viana,L:Barbeiro,L. (2008). O Ensino da Escrita: Dimensões gráfica e ortográfica. Lisboa: Ministério da Educação (documento policopiado) 51

×