Port todos contra as drogas 7º

4.272 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Port todos contra as drogas 7º

  1. 1. Escola Municipal Elízio Ramirez Vieira PCTE: Ana Klicia Wronski Profª: Jaqueline Disciplina: Língua Portuguesa Ano: 7º C Turno: Vespertino Data: 08/06/2011 TYFANI GEOVANNA WESLEY 11 17 Alunos: Idade:
  2. 2. Noções e conceitos: - Leitura e interpretação de texto. - Conceitos sobre as drogas e seus e efeitos. Objetivos: - Incentivar a leitura; - Despertar a criticidade do aluno quanto as drogas, possibilitando-lhe o analisar a importância de se combater e prevenir o uso das mesmas. Situação didática: O aluno fará leitura de texto proposto sobre o tema droga e realizar interpretação de texto através de questionamentos propostos. Avaliação: Será analisado a coerência quanto a interpretação do tema proposto
  3. 3. Leia com atenção o texto a seguir do médico psiquiatra Flávio Gikovate sobre a face real da droga (cocaína) que se tornou um grand eproblema em nossa sociedade (Drogas: opção do perdedor, 2004).
  4. 4. “ Essa é a droga mais falada e mais usada pelos jovens, pelos artistas, que são seus ídolos [...]. É uma droga excitante como as anfetaminas. Ela é cheirada, na forma de pó, e absorvida pelos pulmões; isso quando não é diluída e injetada diretamente na veia. Provoca a destruição progressiva da mucosa do nariz, com prejuízo do olfato. Este é o seu primeiro efeito desagradável e o menos importante. A cocaína tem um efeito fugaz. A excitação, a sensação de que se é um gênio, com cérebro claro e brilhante – o que só a pessoa acha, pois quem convive com ela vê apenas uma pessoa inquieta e angustiada -, dura de 30 a 40 minutos, e logo vem uma tendência para a depressão. O que fazer quando vêm a depressão, a tristeza, a falta de energia? Ou se enfrenta tudo isso durante horas ou se cheira outra quantidade de cocaína. Assim, a pessoa repete a operação várias vezes durante a noite [...]. De manhã, ou pessoa sai para trabalhar no estado em que se encontra – deprimida, acabada - , ou então precisará tomar uma boa dose de tranquilizante para poder dormir e não passar pela dor a depressão, um pagamento inevitável por quelas horas de euforia. Isso é assim mesmo: nada na vida sai de graça. […] A lembrança dos bons momentos, mais que esse mal-estar, vai impulsioná-lo a voltar para a cocaína. Isto tem de ficar bem claro: as drogas excitantes sempre causam uma depressão posterior. Forma-se, assim, um círculo vicioso, que, se não é exatamente a dependência física, com tremores e alucinações visuais, é um tipo diferente de impulso que leva a pessoa de volta à droga.
  5. 5. A tendência da pessoa é para o uso crescente da droga – crescente na frequência e na quantidade inalada. Muita gente já morreu de overdose, inclusive alguns artistas, ídolos de toda uma juventude! Não conhecemos ainda todos os malefícios causados pelo uso prolongado da cocaína. Podemos, contudo, prever danos físicos parecidos com os ligados ao uso de anfetaminas: desgaste prematuro do organismo e depressões graves, às vezes seguidas de suicídio. Do ponto de vista humano, afetivo e social, a droga é um desastre [...]. com o passar do tempo, os malefícios aparecerão [...]. Se os amigos e a esposa – ou marido – não tiverem o mesmo estilo de vida, jamais poderão tolerar por muito tempo o convívio com uma pessoa como essa, que não dorme quando todo mundo está dormindo, fala desesperadamente e de modo irritante e inútil, nunca está sóbria, e desenvolve até mesmo certas inibições sexuais [...]. Ou seja, o cocainômano, como o alcoólatra, é um chato que só será suportado por pessoas que estejam na mesma condição que ele. Não há ascensão, só decadência prevista nessa rota.” GIKOVATE, Flávio. Drogas: opção de perdedor. São Paulo: Moderna, 2004. p. 60-61.
  6. 6. 1 – Qual é o primeiro efeito desagradável que o uso da cocaína causa? Por que o autor diz que esse efeito é menos importante? 2 – Segundo o autor, qual é a duração do efeito de excitação que a droga causa? 3 – Que efeitos ocorrem após os instantes de euforia? Depressão. Prejuízo do olfato, porque tem outros efeitos mais graves. 30 ou 40 minutos.
  7. 7. 4 – Por que as pessoas usam cocaína se viciam? 5 – Quais são as consequências do uso frequente de cocaína? 3 – Segundo o autor, qual é o destino de uma pessoa viciada? Porque lembram dos bons momentos e acabam usando mais e mais. Desentendimento com as esposas Sempre querer mais e mais drogas e acabar sozinho e doente.
  8. 8. 6 – De acordo com as informações lidas no texto e da sua interpretação, responda - que problemas o uso de drogas pode causar: a) – Para a vida social do usuário? b) – Para a saúde do usuário? c) – Para os familiares do usuário? A pessoa se perde no mundo, as pessoas acabam se afastando dela, não convive mais com os outros. desgaste prematuro do organismo e depressões graves, às vezes seguidas de suicídio. Vai ser difícil suportá-lo, os familiares vão ficar tristes.

×