ReflexãO Individual Lptic---Ines

1.289 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.289
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ReflexãO Individual Lptic---Ines

  1. 1. 34290-90170Instituto Politécnico de Setúbal<br />Escola Superior de Educação<br />Reflexão Individual das aprendizagens realizadas na Unidade Curricular Língua Portuguesa e Tecnologias de Informação e Comunicação.<br />Unidade Curricular: Língua Portuguesa e Tecnologias da Informação e Comunicação<br />Docentes: Helena Camacho e Maria do Rosário Rodrigues<br />Ano Lectivo: 2009/2010<br />Curso: Licenciatura em Educação Básica<br />Ano: 3º ano <br />Turma: A<br />Discente:<br />Inês Graça, 070142065<br />17 de Janeiro de 2010<br /> As novas tecnologias estão cada vez mais em voga. As mesmas estão representadas em todos os sectores, quer sejam profissionais, quer sejam educacionais, passando pelas inúmeras aplicações que têm na vida pessoal de cada cidadão. Hoje em dia falar em TIC é falar num vasto conjunto de ferramentas que tornam a vida em sociedade mais fácil, permitindo-nos aproximar de áreas que, até então, eram específicas e que estão, hoje, à disposição de qualquer indivíduo, assim como nos permite a aproximação do mundo que nos rodeia e que foi em tempos longínquo, estando hoje á distância de um clique.<br />Esta emancipação das TIC resultou em sociedades tecnológicas que por sua vez deram origem a cidadãos tecnológicos, que cada vez dependem mais delas e das suas inúmeras aplicações, como é o caso dos jovens e do uso e abuso do telemóvel.<br />Como consequência deste tipo de cidadãos penso que os métodos tradicionais utilizados em sala de aula deixaram, por si só, de fazer sentido, face às necessidades e hábitos dos jovens. Assim é necessário criar novos estímulos, que estejam coerentes com os novos estilos de vida destes jovens, e novos desafios aquando as aprendizagens dos mesmos. No entanto, esta teoria resulta melhor enquanto teoria, do que enquanto prática, uma vez que esta mudança exige trabalho e formação, visto muitos professores continuarem presos às suas antigas metodologias de trabalho, assim como aos seus matérias de dinamização do mesmo. Recorrer às novas tecnologias, seria sem dúvida, tarefa árdua, uma vez que significa, praticamente, recomeçar do zero. <br />Uma das grandes barreiras impostas, em relação ao uso das TIC na sala de aula, é relativa à formação dada aos professores. Quero com isto dizer, que grande parte, senão a totalização, das formações dadas em Portugal no domínio das TIC, limitam-se a ensinar os professores a trabalhar nessas ferramentas sem darem importância ao tipo de materiais, e ao quão pertinentes serão, para as aprendizagens das crianças e jovens. Denoto que os usos que hoje se fazem das tecnologias em sala de aula direccionam-se à melhor apresentação dos materiais, em vez de se dirigirem no sentido de proporcionar à criança novos incentivos e formas de realizarem as suas aprendizagens. No fundo, e como pudemos abordar nesta UC, usam-se métodos antigos e tradicionais com novo aspecto.<br />A meu ver, as utilizações que se fazem das TIC em contexto de aula não são as pretendidas e objectivadas aquando a implementação e relevância destas ferramentas. Assim é extremamente urgente que se orientem os profissionais da educação nesta tarefa, que se façam formações de aplicação das TIC e não de utilização de uma determinada ferramenta. <br />Na sequência desta problemática existente, foi com muito agrado que recebi esta Unidade Curricular, pois considero que não possuo as competências necessárias para fazer uma aplicação correcta, pertinente e adequada das novas tecnologias em sala de aula. As expectativas em relação à UC eram variadas e grandes, no entanto houve aspectos que corresponderam e outros não. Em relação ao conhecimento de novos suportes úteis para o nosso futuro sinto que abri grandes portas às minhas aprendizagens, principalmente na partilha de ferramentas, tanto nas aulas, como nas imensas trocas que realizamos com o suporte Diigo, que é sem dúvida alguma, uma mais-valia para qualquer pessoa. Também a realização do Blogue permitiu realizar inúmeras novas aprendizagens, pois também nele podemos partilhar e experienciar com outros cibernautas.<br />Um dos aspectos que considero menos conseguidos segue no sentido da problemática acima falada, isto é, muitas das vezes senti-me perdida na realização de materiais, pois considero que o número de horas disponíveis para a prática desta UC é insuficiente, para que consigamos relacionar a teoria com a prática e criar materiais com a devida pertinência.<br />Relativamente ao Diigo e ao Blogue, considero que foram de extrema importância na minha formação, pois “obrigou-nos” a ir mais além e a realizar partilha, o que muitas vezes não acontece entre as estudantes cujo objectivo é ter melhor nota. O trabalho a pares desenvolvido foi, igualmente, muito importante e interessante uma vez que pudemos discutir mais vezes as nossas ideias e partilha-las de forma a conseguir um melhor resultado. Assim, considero que este trabalho é possível fazer na sala de aula e ir mais além da Língua Portuguesa, pois a sua realização veicula valores sociais e de vida em sociedade, permitindo assim uma aprendizagem transversal. Face isto, posso afirmar que além das aprendizagens realizadas tendo em vista o meu futuro enquanto profissional, pude crescer a nível pessoal, no sentido de fazer mais e melhor e no sentido de partilhar, pois um profissional não pode estar apenas restrito ás suas relações com as crianças mas também com todo o corpo docente, com todos os funcionários e com toda a comunidade que o rodeia. No sentido académico, enriqueceu-nos deveras muitos dos nossos trabalhos, uma vez que grande parte de nós já utilizou estas aprendizagens aquando a realização de trabalhos para outras UC’s, assim como para a Carteira de Competências ou até para actividades fora do âmbito escolar.<br />Em relação às temáticas abordadas considero que foram muito adequadas àquilo que pretendia desta UC. Pois é extremamente importante, para mim, ter a noção e conhecimento do mundo para além daquilo que se houve nas noticias e sem dúvida que esta UC me permitiu este conhecimento, nomeadamente na área das TIC, os seus benefícios, os seus “males”, entre outros. O facto de ser obrigada a pesquisar para realizar alguns trabalhos, abriu-me igualmente muitas portas e permitiu-me inúmeras aprendizagens autónomas face a este tema. <br />Quase na finalização desta reflexão, permito-me fazer algumas sugestões para o futuro desta UC, são elas: maior número de horas de contacto na prática, de modo a realizarmos uma aprendizagem mais profunda de cada tema para poder explorar as ferramentas em todos os seus domínios, pois muitas vezes apenas tivemos conhecimento da sua existência; apesar de considerar as temáticas tratadas nas aulas teóricas da UC de extrema importância, penso que será necessário haver uma maior ligação entre a prática e a teórica de modo a podermos aplicar conhecimentos aquando a realização de materiais; como futuro trabalho para esta UC penso que seria deveras interessante se pudéssemos ir para o terreno, de modo a percebermos e tomarmos consciência daquilo que se faz com as TIC na aula e, quem sabe, também nós poderíamos realizar alguns materiais, apresentá-los às crianças e ouvir as suas críticas em relação aos mesmos.<br />Finalizo a minha reflexão fazendo um balanço muito positivo de todo o trabalho desenvolvido ao longo da disciplina, pois, apesar de ter exigido muito de nós, permitiu-nos realizar inúmeras aprendizagens, nos mais variados contextos. E, apesar da minha relutância inicial em relação ás TIC, dou o braço a torcer, elas são, sem dúvida, uma enorme mais-valia que permite novos métodos de trabalho e permite proporcionar às crianças um ambiente que desafia à aprendizagem autónoma. <br />

×