Programa de Educação Continuada em Saúde
Noções de Cardiologia Pediátrica para
Não Especialistas
HISTÓRIA, EXAME FÍSICO E ...
Etapas da Avaliação Cardiológica
na Criança
I - Avaliação Pediátrica Inicial
II - Exame físico do aparelho
cardiovascular
...
I - Avaliação pediátrica inicial
ETAPAS
P Quando suspeitar de uma
cardiopatia?
R SOPRO
CIANOSE
ICC
I - Avaliação pediátrica inicial
ETAPAS
P Qual o tipo da cianose?
R Periférica
Central - - -
Teste de hiperóxia
• GasimetriaGasimetria
• 02 a 100% por 5-10 min02 a 100% por 5-10 min
• GasimetriaGasimetria
• PO2 inalterado = CCC hipofl...
I - Avaliação pediátrica inicial
ETAPAS
P Há sinais de ICC?
R Taquidispnéia
Taquicardia
Ritmo de galope
Hepatomegalia
Card...
I - Avaliação pediátrica inicial
ETAPAS
P Existem intercorrências que
possam estar agravando o quadro?
R Hipoglicemia
Dist...
I - Avaliação pediátrica inicial
ETAPAS
P Podemos melhorar o paciente antes
do estabelecimento do
diagnóstico?
R Na maiori...
II - Exame Físico do ACV
ETAPAS
Qual o tipo de Sopro?
• OBRIGATÓRIO
• DEPENDENTE
• SISTÓLICO
• DIASTÓLICO
• CONTÏNUO
SOPRO OBRIGATÓRIO
ORIGINA-SE NUM LOCAL ONDE AS PRESSÕES SÃO
SEMPRE DIFERENTES
Ex. EAo, EP.
ESTAS CARDIOPATIAS “SOPRAM” DES...
SOPRO DEPENDENTE
AQUELE QUE APARECE OU “DESAPARECE” DEPENDENTE DE
UM DIFERENCIAL DE PRESSÃO ENTRE AS CIRCULAÇÕES
SISTÊMICA...
SOPRO SISTÓLICO
AQUELE QUE ACONTECE DURANTE A
SÍSTOLE VENTRICULAR, PODENDO SER
EJETIVO (EAo, EP) OU
REGURGITANTE ( CIV, IM...
SOPRO DIASTÓLICO
AQUELE QUE ACONTECE DURANTE
A DIÁSTOLE VENTRICULAR
( IAo , IP, EM, ET)
SOPRO CONTÍNUO
AQUELE QUE ACONTECE DURANTE
TODO O CICLO CARDÍACO
( PCA, FÍSTULA ATERIOVENOSA)
2a BULHA CARDÍACA
B2 = fechamento da A2 e P2
B2 normal = desdobramento variável
Desdobramento fixo de B2
B2 única
B2 hiper...
Pulsos Periféricos
Palpáveis nos 4 membros
Femorais diminuídos ou ausentes
Radiais diminuídos
Pulsos amplos
III - Diagnóstico Diferencial das
Cardiopatias na Criança
Apresentação clínica = 4 possibilidades
CIANOSE
ICC
AMBOS
NENHUM...
Possibilidade A
CIANOSE como principal
apresentação clínica
Se hipofluxo pulmonar, pensar em:
CARDIOPATIAS COM OBSTRUÇÃO À...
Possibilidade B
ICC como principal
apresentação clínica
Se normofluxo pulmonar, pensar em:
CARDIOPATIAS COM OBSTRUÇÃO À CI...
Possibilidade C
Cianose + ICC como principal
apresentação clínica
Pensar em:
CARDIOPATIAS COMPLEXAS
DE MISTURA COMUM
Possibilidade D
Sopro em menor assintomático como
principal apresentação clínica
Pensar em:
CARDIOPATIAS OBSTRUTIVAS LEVES...
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DAS
CARDIOPATIAS NA INFÂNCIA
Exame pediátrico geral
Exame do aparelho cardiovascular
Raios X do tóra...
SEQUÊNCIA DA ANÁLISE SEGMENTAR DO
DIAGNÓSTICO DAS CARDIOPATIAS NA INFÂNCIA
1. Avaliação Pediátrica Inicial
1. Quando suspe...
Apresentação
principal Pensar em Cardiopatia mais provável
Cianose Circulação em paralelo Transp. dos grandes vasos
Obstru...
Apresentação
principal Pensar em Cardiopatia mais provável
Cianose + ICC Cardiopatias com mistura completa Truncus arterio...
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS
CARDIOPATIAS NA INFÂNCIA
Apresentação
principal Pensar em Cardiopatia mais provável
Sopro sem ...
Modulo 2 história, ex. físico
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Modulo 2 história, ex. físico

182 visualizações

Publicada em

Material Disponibilizado pela Dra. Sandra Mattos

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
182
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modulo 2 história, ex. físico

  1. 1. Programa de Educação Continuada em Saúde Noções de Cardiologia Pediátrica para Não Especialistas HISTÓRIA, EXAME FÍSICO E DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL MÓDULO 2 – AULA 1
  2. 2. Etapas da Avaliação Cardiológica na Criança I - Avaliação Pediátrica Inicial II - Exame físico do aparelho cardiovascular III - Diagnóstico diferencial
  3. 3. I - Avaliação pediátrica inicial ETAPAS P Quando suspeitar de uma cardiopatia? R SOPRO CIANOSE ICC
  4. 4. I - Avaliação pediátrica inicial ETAPAS P Qual o tipo da cianose? R Periférica Central - - - Teste de hiperóxia
  5. 5. • GasimetriaGasimetria • 02 a 100% por 5-10 min02 a 100% por 5-10 min • GasimetriaGasimetria • PO2 inalterado = CCC hipofluxo ouPO2 inalterado = CCC hipofluxo ou circulação em paralelocirculação em paralelo • PO2 75-150 = CCC com misturaPO2 75-150 = CCC com mistura comum - hiperfluxocomum - hiperfluxo • PO2 > 150mmHg - CCC improvávelPO2 > 150mmHg - CCC improvável Teste de Hiperóxia
  6. 6. I - Avaliação pediátrica inicial ETAPAS P Há sinais de ICC? R Taquidispnéia Taquicardia Ritmo de galope Hepatomegalia Cardiomegalia
  7. 7. I - Avaliação pediátrica inicial ETAPAS P Existem intercorrências que possam estar agravando o quadro? R Hipoglicemia Distúrbio hidro-eletrolítico Distúrbio ácido-básico Infecção respiratória Hipo ou hipertermia Anemia
  8. 8. I - Avaliação pediátrica inicial ETAPAS P Podemos melhorar o paciente antes do estabelecimento do diagnóstico? R Na maioria das vezes, SIM ICC - 02, decúbito elevado, restrição hídrica, digital e diurético Cianose (após o período neonatal) - 02
  9. 9. II - Exame Físico do ACV ETAPAS Qual o tipo de Sopro? • OBRIGATÓRIO • DEPENDENTE • SISTÓLICO • DIASTÓLICO • CONTÏNUO
  10. 10. SOPRO OBRIGATÓRIO ORIGINA-SE NUM LOCAL ONDE AS PRESSÕES SÃO SEMPRE DIFERENTES Ex. EAo, EP. ESTAS CARDIOPATIAS “SOPRAM” DESDE INTRA-ÚTERO E CONSEQUENTEMENTE SE APRESENTAM NO EXAME FÍSICO DA SALA DE PARTO
  11. 11. SOPRO DEPENDENTE AQUELE QUE APARECE OU “DESAPARECE” DEPENDENTE DE UM DIFERENCIAL DE PRESSÃO ENTRE AS CIRCULAÇÕES SISTÊMICA E PULMONAR Ex. CIV - NÃO É AUSCULTADO NA SALA DE PARTO POIS AS PRESSÕES ENTRE A CIRCULAÇÃO PULMONAR E A SISTÊMICA SÃO SEMELHANTES. APARECE ALGUNS DIAS DEPOIS COM A QUEDA DA CIRCULAÇÃO PULMONAR
  12. 12. SOPRO SISTÓLICO AQUELE QUE ACONTECE DURANTE A SÍSTOLE VENTRICULAR, PODENDO SER EJETIVO (EAo, EP) OU REGURGITANTE ( CIV, IM, IT)
  13. 13. SOPRO DIASTÓLICO AQUELE QUE ACONTECE DURANTE A DIÁSTOLE VENTRICULAR ( IAo , IP, EM, ET)
  14. 14. SOPRO CONTÍNUO AQUELE QUE ACONTECE DURANTE TODO O CICLO CARDÍACO ( PCA, FÍSTULA ATERIOVENOSA)
  15. 15. 2a BULHA CARDÍACA B2 = fechamento da A2 e P2 B2 normal = desdobramento variável Desdobramento fixo de B2 B2 única B2 hiperfonética
  16. 16. Pulsos Periféricos Palpáveis nos 4 membros Femorais diminuídos ou ausentes Radiais diminuídos Pulsos amplos
  17. 17. III - Diagnóstico Diferencial das Cardiopatias na Criança Apresentação clínica = 4 possibilidades CIANOSE ICC AMBOS NENHUM (apenas SOPRO)
  18. 18. Possibilidade A CIANOSE como principal apresentação clínica Se hipofluxo pulmonar, pensar em: CARDIOPATIAS COM OBSTRUÇÃO À CIRCULAÇÃO PULMONAR (funcionais ou estruturais) Se normo ou hiperfluxo pulmonar, pensar em: CARDIOPATIAS COM CIRCULAÇÃO EM PARALELO
  19. 19. Possibilidade B ICC como principal apresentação clínica Se normofluxo pulmonar, pensar em: CARDIOPATIAS COM OBSTRUÇÃO À CIRCULAÇÃO SISTÊMICA (funcionais ou estruturais) ou Disfunção miocárdica MIOCARDITES Se hiperfluxo pulmonar, pensar em: CARDIOPATIAS COM HIPERFLUXO PULMONAR
  20. 20. Possibilidade C Cianose + ICC como principal apresentação clínica Pensar em: CARDIOPATIAS COMPLEXAS DE MISTURA COMUM
  21. 21. Possibilidade D Sopro em menor assintomático como principal apresentação clínica Pensar em: CARDIOPATIAS OBSTRUTIVAS LEVES PEQUENOS SHUNTS E-D
  22. 22. AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DAS CARDIOPATIAS NA INFÂNCIA Exame pediátrico geral Exame do aparelho cardiovascular Raios X do tórax Eletrocardiograma Ecocardiograma Cateterismo cardíaco
  23. 23. SEQUÊNCIA DA ANÁLISE SEGMENTAR DO DIAGNÓSTICO DAS CARDIOPATIAS NA INFÂNCIA 1. Avaliação Pediátrica Inicial 1. Quando suspeitar de cardiopatia? 2. Há sinais de hipóxia? 3. Há sinais de ICC? 4. Existem intercorrências que agravam o quadro? 5. Posso melhorar o paciente antes do diagnóstico? 2. Dados básicos do Diagnóstico Cardiovascular 1. Sopros 2. 2a bulha 3. Pulsos 4. RxT 5. Eletrocardiograma 3. Avaliação Cardiológica 1. Quando a cianose é o principal achado. 2. Quando a insuficiência cardíaca congestiva prepondera. 3. Em situações com cianose e ICC. 4. Na presença de sopro, sem cianose ou ICC evidente
  24. 24. Apresentação principal Pensar em Cardiopatia mais provável Cianose Circulação em paralelo Transp. dos grandes vasos Obstrução mecânica ao fluxo pulmonar Tetralogia de Fallot Estenose pulmonar com CIV Atresia pulmonar Obstrução funcional ao fluxo pulmonar Persistência do padrão fetal ICC Obstrução mecânica ao fluxo sistêmico Coarctação da aorta Interrupção do arco aórtico Estenose valvar aórtica Hipoplasia do cor.o esquerdo Hiperfluxo pulmonar Canal arterial persistente Disfunção miocárdica Miocardites DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS CARDIOPATIAS NA INFÂNCIA
  25. 25. Apresentação principal Pensar em Cardiopatia mais provável Cianose + ICC Cardiopatias com mistura completa Truncus arteriosus Atresia tricúspide, anomalia de Ebstein, displasia tricúspide Atresia mitral Drenagem anômala total das veias pulmonares Dupla via de entrada de um ventrículo Outras cardiopatias complexas com mistura completa DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS CARDIOPATIAS NA INFÂNCIA
  26. 26. DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS CARDIOPATIAS NA INFÂNCIA Apresentação principal Pensar em Cardiopatia mais provável Sopro sem Hiperfluxo pulmonar Comunicação interventricular cianose ou ICC Defeito do septo atrioventricular Canal arterial patente Obstrução à circulação sistêmica Estenose aórtica Obstrução à circulação pulmonar Estenose pulmonar Tetralogia de Fallot

×