Ana Carolina Coelho
Mundo tornou-se digital. Revolução midiáticaprovocou profundas transformações na forma deproduzir, distribuir e consumir b...
Não existia a idéia de uma obra com um iniciomeio e fim, como algo fechado. O ato de contarhistórias era um processo colab...
Mito romântico do gênio criador.  Roland Barthes e Michel Foucalt. “A morte doautor” (1968) e “O que é o autor?” (1969):qu...
A digitalização da cultura põe em crise as leistradicionais de propriedade intelectual, aodissociar a sua relação com o su...
Ciberespaço: Espaço para democratização dacirculação da cultura.  Autor de conteúdos na rede é também produtor edistribuid...
Necessidade de a industria cultural propor queas práticas comuns da Internet ( remix ereprodução, por exemplo) entrem em s...
A cultura digital recupera algumas característicascomuns da cultura oral: processos de colaboração ecooperação.  Copyleft:...
Licenças Creative Commons. “Conhecimento é poder”: só pode ser verdade se esteconhecimento é compartilhado e posto em circ...
Vivemos desde sempre na cultura do copyleft.Múltiplas influências que sofremos ao longo da vida.Tudo faz parte de nossa id...
"Quem somos nós, quem é cada um de nós senão uma    combinatória de experiências, de informações, deleituras, de imaginaçõ...
Grata!                 anacarolinascoelho@gmail.comEste trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribui...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cultura oral cultura remix

250 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura oral cultura remix

  1. 1. Ana Carolina Coelho
  2. 2. Mundo tornou-se digital. Revolução midiáticaprovocou profundas transformações na forma deproduzir, distribuir e consumir bens culturais. Tradição oral: liberdade dos narradores paracriar e incorporar novos fragmentos narrativosàs histórias contadas.
  3. 3. Não existia a idéia de uma obra com um iniciomeio e fim, como algo fechado. O ato de contarhistórias era um processo colaborativo e emconstante transformação. Século XV: Invenção da imprensa por Gutenberg.A escrita passa a ser o meio cultural dedistribuição por excelência.
  4. 4. Mito romântico do gênio criador. Roland Barthes e Michel Foucalt. “A morte doautor” (1968) e “O que é o autor?” (1969):questionamento da idéia tradicional de autoria. Ambiguidade da aplicação de “propiedade” a umaidéia ou expressão. “As leis convertem ointangível em propiedade.” Lessig
  5. 5. A digitalização da cultura põe em crise as leistradicionais de propriedade intelectual, aodissociar a sua relação com o suporte físico. Web 2.0: liberação do pólo de emissão dasmensagens. Publicar: “tornar público”. Cultura upload / Cultura participativa : todospodemos ser produtores de conteúdos culturais.
  6. 6. Ciberespaço: Espaço para democratização dacirculação da cultura. Autor de conteúdos na rede é também produtor edistribuidor. Estas transformações alteram alógica do consumo de produtos culturais tal comoos conhecíamos até agora.
  7. 7. Necessidade de a industria cultural propor queas práticas comuns da Internet ( remix ereprodução, por exemplo) entrem em sintonia com osdireitos de autor e seus interesses. Pensar uma nova forma de negócio.
  8. 8. A cultura digital recupera algumas característicascomuns da cultura oral: processos de colaboração ecooperação. Copyleft: alternativa ao sistema convencional deproteção legal das obras. Mudança de paradigma nomodelo de acesso aos bens culturais e do sistemaeconômico. Do modelo clássico que promove “todos os direitosreservados” ao novo modelo que defende por “algunsdireitos reservados”.
  9. 9. Licenças Creative Commons. “Conhecimento é poder”: só pode ser verdade se esteconhecimento é compartilhado e posto em circulação. Poderíamos considerar Internet como um territóriorealmente livre se a distribuição dos conteúdos estáainda sujeita a licenças que criminalizam o ato decompartilhar livremente os conteudos culturais?
  10. 10. Vivemos desde sempre na cultura do copyleft.Múltiplas influências que sofremos ao longo da vida.Tudo faz parte de nossa identidade cultural e estaapropriação criativa sempre esteve presente em nossacultura. Leis antigas x novas circunstâncias. Ciência: exemplo de cultura copyleft. Nascimento lento de um novo tipo de ética social.Ato de compartilhar o conhecimento e a cultura em redeé considerado algo algo cada vez mais comum esocialmente bem valorizado.
  11. 11. "Quem somos nós, quem é cada um de nós senão uma combinatória de experiências, de informações, deleituras, de imaginações? Cada vida é uma enciclopédia, uma biblioteca, um inventário de objetos, umaamostragem de estilos, onde tudo pode ser completamenteremexido e reordenado de todas as maneiras possíveis." I Ítalo Calvino In: Seis propostas para o próximo milênio
  12. 12. Grata! anacarolinascoelho@gmail.comEste trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição- NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

×