História 37

                                       O Bem e o Mal
                   Parábola do Joio (baseada na cartilha...
uma raiz profunda e na ponta de cada raiz um bulbo
                                          que por sua vez se ramifica. ...
outro, está encarcerado nas trevas do cascalho
                                       contundente. Jesus é o lapidário do ...
É teu filhinho também.
      (Rita B de Melo)




 Não olvides que a criança
  No caminho vida afora
 Vai devolver-te mais...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

16917600 Espiritismo Infantil Historia 37

629 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
629
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

16917600 Espiritismo Infantil Historia 37

  1. 1. História 37 O Bem e o Mal Parábola do Joio (baseada na cartilha do Bem de Meimei) Esta parábola é a história do Bem e do Mal. Joio é a má relva. O reino do Céu é semelhante a um homem que semeou a boa semente em seu campo. Mas enquanto os homens dormiam veio o inimigo dele e semeou o joio no meio do trigo e retirou-se. Quando a erva cresceu e produziu frutos, apareceu também o joio, (má erva) ou a planta ruim. Então vindo os servos do dono da casa, lhes disseram: Senhor! Não semeaste boa semente no teu campo? Donde veio pois o joio? Ele porem lhes respondeu: Um inimigo fez isso. Mas os servos lhe perguntaram: Queres que vamos e arranquemos o joio? Não replicou ele, para que ao separar o joio, não arranqueis com ele o trigo. Deixe-os crescer juntos até a colheita e, no tempo da colheita direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio, atai-os em feixes para serem queimados, e o trigo, recolhei-o no meu celeiro. João e Maria. (Colaboração do espírito de Meimei) Os dois irmãos João e Maria, eram crianças que se queriam bem. brincavam estudavam e em casa gostavam muito do quintal e do jardim. Faziam brincadeiras com os dedinhos das mãos. Sempre atenciosos com os pais e os amigos e colegas de classe. No quintal brincavam e conversavam bastante sobre todos os assuntos que surgiam. Um dia idealizaram uma hortinha. Primeiro pediram licença para a mamãe, que prontamente concordou. Puseram-se ao trabalho. Primeiramente demarcaram os canteiros. Maria quis plantar flores. João verduras e legumes. Estercaram a terra, afofaram e no noutro dia semearam. Todos os dias iam aguar a terra da horta . Levou alguns dias para aparecer as pequeninas folhinhas verdes. Eram os brotinhos das plantinhas que surgiam. Cada dia estavam mais crescidos os brotos das verduras. Cada qual das crianças aguava seu canteiro. Eram tomateiros, couve, alface, cebolinha e salsa. No canteiro das flores apareceram margaridas, violetas e beijinhos coloridos. As crianças estavam radiantes. Acordavam bem cedo, para tratar das hortaliças e admira-la. Só que estranharam uma plantinha que começou a nascer, juntamente com as verduras e as flores. Era uma praga com o nome de tiririca. Venha mamãe disse João e Maria. Venha ver esta plantinha diferente que nós não plantamos. Como é que nasceu, Vamos arranca-la? Não, disse a mamãe. Deixe-a crescer, juntamente com a verdura, porque se vocês a tirarem agora, arrancaram também a couve e os tomateiros. Quando estiverem ambos crescidos, colheremos os legumes e as verduras e por último a tiririca que jogaremos fora. Mas João que era muito inteligente, continuava meditando sobre o acontecimento. Como nasceu essa planta! Que não serve para nada, e quem a plantou? A mamãe explicou: È uma plantinha teimosa. Possui 1
  2. 2. uma raiz profunda e na ponta de cada raiz um bulbo que por sua vez se ramifica. Por isso ela se esparrama na terra em muitos lugares (trazer para as crianças verem, uma plantinha de tiririca). Depois ela possui também flores em suas hastes, que o vento leva para outros quintais. Essa planta não produz nada. Não serve para nada. Só danifica a terra e as outras plantações. Assim são as pessoas. Todos são filhos de Deus. Todos são irmãos em Jesus Cristo nosso Mestre. Mas nem todos são agradecidos ao nosso Bom Pai muitos se desviam do Bom caminho e procuram atrapalhar a vida dos que c querem ser melhores. (Porque Deus dá liberdade de ação e cada qual escolhe o caminho a seguir.) Como exemplo, vemos mãos que trabalham para o mal e mãos que trabalham para o bem. Mãos que arrancam lágrimas, e multiplicam o infortúnio. Mãos que se entregam a miséria, e ao vicio. Paes de família que bebem e expulsão os familiares, pondo mãe e filhos na penúria. Paes estes, que muitas vezes vão presos, pois violentando a família são forçados a ficarem na cadeia. Muito deprimente para a toda a sociedade. Vemos mãos que violentam a natureza, aniquilando as plantas e os animais prestimosos. Pessoas que quebram galhos, que põem fogo nas pastagens, crianças que com estilingue matam pássaros benfeitores da natureza, pois são eles que comem os insetos que prejudicam as plantações. Já vemos outras mãos que acariciam. Braços de mães abençoadas e pais amigos. São pais que cuidam da família que estimam os filhos, que os educam para a vida. Mãos que levantam Templos e Lares, escolas e hospitais. Jardins e praças. Ruas e avenidas, Mãos que plantam flores e pomares. Mãos que na ciência produzem remédios e tecnologia para a humanidade. Mãos de obreiros da paz e da evolução, de enfermeiras abnegadas e de crianças generosas que asseguram na terra o serviço da luz. E Jesus veio ao mundo, para que nossas mãos aprendam a servir, edificando a nossa própria felicidade. Como as dele, que curou os doentes, socorreu os fracos e amparou os tristes. Limpou os leprosos restituiu a visão aos cegos, levantou os paralíticos, afagou os velhos e abençoou as criancinhas. Devemos orar e vigiar, para não cedermos as tentações dos que não querem ser bons. No entanto como as plantas boas e más estarão juntas até a consumação dos tempos, também na consumação dos tempos serão separados os maus dos bons Os maus irão para um lugar de pouca evolução (mundos primitivos) Os bons ficarão na Terra que será um planeta de regeneração no terceiro milênio, ou em um mundo melhor ao que fez por merecer. Sigamos os caminhos da luz, procurando a intimidade com os servidores do bem. Observem o brilhante lapidado e o brilhante bruto. Ambos são filhos da terra. Um deles, porém, refulge divino, retratando a beleza do céu, mas o 2
  3. 3. outro, está encarcerado nas trevas do cascalho contundente. Jesus é o lapidário do Céu a quem Deus Nosso Pai, nos confiou os corações. Obedeçamos a ele, Nosso Divino Mestre, buscando-lhe as lições e seguindo-lhe os exemplos e o Cristo nos fará construtores do reino de Deus no Mundo, conduzindo- nos para a gloria celestial. Muito bem, disseram João e Maria. Quer dizer que devemos Ter paciência com todos e reconhecer que somos todos filhos de Deus. Um dia eles se arrependerão de serem maus e vão procurar a todo custo, tornarem-se melhores. Então vamos ver a nossa horta como é que está? Como estão crescendo as hortaliças? Mas para que os passarinhos não comam as nossas sementes, vamos fazer um espantalho com as roupas velhas do vovô. Comida de passarinho deve ser as frutinhas do mato e não a nossa sementeira. Como cresceu a couve! Como estão bonitas as flores. E o sol como é bonito ao entardecer. As cigarras cantam, Deus seja conosco. Assim seja, disseram todos. Versos para serem recitados O mundo será feliz. quando a mulher sem receio. Abrir as portas da casa. Aos órfãos do lar alheio. (Irene Sousa Pinto) Mãe feliz aguça o ouvido Ante os que vão sem ninguém Cada pequeno esquecido 3
  4. 4. É teu filhinho também. (Rita B de Melo) Não olvides que a criança No caminho vida afora Vai devolver-te mais tarde O que lhe deres agora. (Casimiro Cunha) Mãezinha planta celeste Anjo que chora sorrindo Teu filho é a flor que puseste No ramo de um galho lindo. (Meimei) FIM 4

×