O RomânicoDesagregação das estruturas clássicas - Idade MédiaEmbate entre o romano (em decadência) e o barbaro germano (em...
que professando a fé crista (...) ??????????Apartir do ano mil, passam a existir um conjunto de circunstancias favoraveis ...
-529, em Montecassino, escre a sua regra (ou regulamento da vida comunitária) escrita emlatim,teve como fontes a sagrada e...
Organizacao espácio-funcional do mosteiro reflecte tamgém as hierarquias da corte celestial,embora se inspire nas villa ro...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O romanico

256 visualizações

Publicada em

hhg

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
256
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O romanico

  1. 1. O RomânicoDesagregação das estruturas clássicas - Idade MédiaEmbate entre o romano (em decadência) e o barbaro germano (em ascendência) trouxeimportantes alterações: 1- Enfraqueceu a economia mercantil, desorganizada pelas guerras e insegurança dascomunicações;2-Provocou o declínio e redução dos centros urbanos alvos dos ataques dos exércitos e pela ;político-económica que possuíam;3-Desorganizou a administração publica, enfraqueceu o aparelho do estado e do exército;4-Depressão demográfica, declínio da vida económica e material das populações,pelas guerras epelo clima de medo, instabilidade e inseguranla que estas geraram;Este acentuar da ruralização na vida económico-cultural e a permanente instablidade einsegurança explicam o surgimento do feudalismo (sec. x-xI) . A sociedade torna-sesimultaneamente guerreira e ural, rudde e cavaleiresca. Neste mundo feudal, violento, arcaico ,apenas uma unica força se manteve em crescimento - O CRISTIANISMO- O elemento aglutinadordesta europa dividade e decadenteInicialmente :O INICIO DA IGREJAA religião cristã era perseguida e considerada clandestina, mas a apartir do momento em que oEstado de Roma no tratado de mileto a torna uma religião oficial e única, deixa de o ser.Objectivos : UNIVERSALIDADE; PACIFISMO E CENTRALIZAÇÃOEsta religião aproveitou estruturas administrativas centrais e locais, usaram o poder dessasinstituições para congregarem e organizarem as comunidades de fieís. Apartir destas, também foicriada uma intensa campanha de cristianização e baptismo entre os bárbaros.ACÇÃO DA IGREJA:- Obrigações religiosas, pastorais, doutrinais e simultaneamente um imporatente papelcivilizacional (ao nivel das tecnicas agricolas, da suavização dos costumes e da conservação edesenvolvimento das arte e das letras) que teve como focos difusores os mosteiros.cultura medievel - caracter religioso e doutrinal.Foi este papel civalizacional da igreja que criou a CRISTANDADE- comunidade de povos e nações,
  2. 2. que professando a fé crista (...) ??????????Apartir do ano mil, passam a existir um conjunto de circunstancias favoraveis permitindo ainversao deste quadro depressivo. Houve um regresso á paz, que proporcionou maior estabilidadee segurança - condições favoraveis para o desenvolvimento de praticas agricolas e da economia,acelarando o crescimento demográfico e o renacer do commércio.Por sua vez a vida urbana começa a aparecer, surgindo as primeiras cidades medievais.- feiras; mercados mais prósperos, igrejas,Clima de renovação e exapansão foi aproveitado pela igreja para uma reestruturação teológica-doutrinal, reforçando o sentido pastoral junto dos fiéis.Lançamentp da trégua e da paz de deus ???????? - incentivando a construição e reconstruição deigrejas, peregrinações aos lugares santos organizou as cruzadas.Foi então neste ambiente de reabertura economica e renovação cultural que surgiu o românico, oprimeiro movimento artistico da idade média considerado UM ESTILO.O MOSTEIROO manoquismo nasceu no século VI e VII que surge no oriente (egipto, síria, ásia menor). Nasceligado ao desejo de isolamento, de evasão do mundo profano (fuga mundi) para uma entrega maisdirecta a deus, através da meditação, da contemplação. Os primeiro impulsos foram dadosindividualmente, mas rapidamente formaram-se grupos de díscipulos, seguindo o modelo domestre. Criaram-se então comundidades.Século VI e VII surgiram os primeiros legisladores da vida religiosa comunitária como são bento deNúrsia.S. Bento Núrsia:- Filho de ricos proprietários rurais;- Estudos realizados em Roma;-Abondona Roma, para se juntar a uma comundidade asceta em Enfide;- Ser de caracter rigoroso, disciplina;- necessidade de isolamento;-forma uma comunidade de discipulos distribuida por doze mosteiros;
  3. 3. -529, em Montecassino, escre a sua regra (ou regulamento da vida comunitária) escrita emlatim,teve como fontes a sagrada escritura e escrituras de santos como leão magno, jerónimo,agostinho e sobretudo, João cassiano, cuja doutrina fomentou o monaquismo ocidental.-A rebra de S.bento tornou-se numa acção civilizacional da sua congregação- a ordem beneditina.OU SEJA:A regra beneditina serviu de modelo para a organização da vida religiosa comunitária na maiorparte dos mosteiros medievais.Definição da regra beneditina:O mosteiro era uma escola ao serviço do senhor, onde o abade era o pai e mestre dos irmãos, ecuja comunidade tinha por principios básicos os da : obediência, silêncio e humildade na ordem dedeus.A primeira obrigação dos monges- oficio divino (culto divino) á qual nada de deve antepor.Oração; trabalho (ora et labora) no scriptorium; oficinas; campos; em horarios rigorasamenteestipulados.O regulamente beneditino, definia os cargos e tarefas sempre escrupulosamente hierarquizados einclusive um código penal para os faltosos e os nao cumpridores, onde ás sanções incluiamflagelamento, o isolamento, ou a exclusao temporaria da comunidade, o jejum, a abstinencia e ameditação.Segundo o ideal ascético da fuga mundi, os mosteiros medievais estavam instalados em zonasisoladas, no alto das montanhas, ou em vales e clareiras das florestas, embora alguns nos seio dascidadees.Pequenos mundos autónomos e auto-suficientes, virados para interior e fechados ao exterior pormuralhas e portas, rigorosamente vigiadas e regulamentadas por cargos próprias cuja entrada erafranquada á comunidade segundo horários e hierarquias estipuladas.Cléricos seculares- tratamento mais intimoNobres- tratamento de privilégio; alojamentos proprios e acesso ao abadeOs outros nao passavam da hospedaria, nao tinham acesso á vida comunitaria, nem por vezescontacto com os monges, execpto autorizados a tal.Plano arquitectonico do mosteiro cristã- pensado por S.Bento. Este plano teorico pretendiacorresponder ao das “harmonias universais”, construídas sobre “os eixos do mundo”, em perfeitoequilibrio geometrico e em perfeita correspondencia matemática.
  4. 4. Organizacao espácio-funcional do mosteiro reflecte tamgém as hierarquias da corte celestial,embora se inspire nas villa romana. - No coração do complexo arquitectónico- o lugar de deus- A IGREJA, ponto de junção entre a terra e o céu. Planta basilical em cruz latina como o corpo de cristo. - A sul, o claustrum, um pateo fechado pelos edificios mais importantes do mosteiro cujo acesso é reservado, meditação - Ala nascente, junto á cabeceira da igreja, destina-se ás funçoes espirituais – capitulio, escolca, escritriorio, e residencia da irmandade. - Ala a sul, dependencias mais funcionais, refeitorio, cozinha, despensas,adegas, banhos, etc. Ortas, etc. - A oeste, cemiterio- simbolo da ressureição Neste espaço sagrada. Materialização do paraiso na terra.

×