Vaticano ii perspetiva pastoral

456 visualizações

Publicada em

Perspetiva Pastoral - Vaticano II

Publicada em: Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
456
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vaticano ii perspetiva pastoral

  1. 1. Concílio Vaticano II convocado pelo Papa João XXIII; Celebrado sob o seu pontificado e pelo Papa Paulo VI; Concílio Ecuménico mais representativo dos 21 da história da Igreja;  Foi um concílio pastoral, isto é, não foi dedicado a condenar erros mas a procurar a atualização da doutrina da Igreja face à sociedade contemporânea (João XXIII). RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  2. 2. Constituição sobre a sagrada liturgia “Sacrosanctum Concilium” (SC), 4.12.1963 Constituição Dogmática sobre a Igreja “Lumen Gentium” (LG), 21.11.1964 Constituição dogmática sobre a revelação divina “ Dei Verbum” (DV), 18.11.1965 Constituição Pastoral sobre a Igreja no mundo atual “Gaudium et Spes” (GS); 7.12.1965 RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  3. 3. Atualização da pastoral da igreja, olhando a realidade social; numa conversão da mentalidade dos padres conciliares; num horizonte de comunhão corresponsável da igreja com a realidades terrestres, em diálogo com a cultura envolvente e com a globalidade da realidade, numa atenção particular aos «sinais dos tempos» GS 4.11 RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  4. 4. Apontar novos caminhos para a Igreja; Aggiormanento da Igreja; Recuperação dos Fundamentos Teológicos da Igreja enquanto Corpo Místico de Cristo (Escola de Tubinga) e povo de Deus; RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  5. 5. Documento pastoral do Concílio Ecuménico Vaticano II e é a constituição Pastoral sobre a Igreja no mundo contemporâneo. Não é compreensível sem uma fundamentação nas três constituições dogmáticas, onde se torna percetível o papel central da palavra de Deus e da tradição “ Dei Verbum”, da celebração da fé em comunidade visível e escatológica “Sacrosanctum Concilium” e da identidade do povo que caminha para Deus “Lumen Gentium”. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  6. 6. Estrutura-se em duas partes: • Reflete sobre a Igreja e vocação do homem; • Evoca alguns principais problemas, com os quais o ser humano se defronta na atualidade; Propondo novos caminhos de libertação Centralidade Histórica Visão de Fé RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  7. 7. Metodologia: Surge da Fenomenologia com um olhar de fé, segundo método indutivo. Das questões fundamentais da existência humana procura-se chegar a Jesus Cristo, enquanto chave de leitura fundamental de toda a realidade. A Igreja deve abrir caminhos de aproximação a Jesus Cristo, pois nem todas as pessoas estão no mesmo momento de evangelização. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  8. 8. Dificuldades: Com a proximidade com o método da Ação Católica: ver, julgar e agir Associação entre o espírito do concílio e a Teologia da libertação RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  9. 9. Há uma mudança de paradigma, uma viragem, novos modelos de compreensão da Igreja, “Lumen Gentium” (LG) e “Gaudium et spes” (GS), que apontam para novos horizontes. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  10. 10. Deste paralelismo com o mistério de Cristo que tinha sido desenvolvida na sua ontologia por “Lumen Gentium”; resposta da Igreja aos problemas e inquietudes humanas, não é uma resposta técnica mas eclesial, a resposta do sentido e da doutrina de Cristo. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  11. 11. A Igreja deve aprofundar a consciência de si mesma e deve renovar-se e deve dialogar com o mundo moderno. Método da Constituição Pastoral - A diferença entre a igreja e o mundo desde a raíz batismal do Cristão. Esta diferença não separa mas que envia para a missão e raíz de evangelização; - A revelação, como origem da Igreja, que sempre consistiu um diálogo entre Deus e o homem. Diálogo que é expressado pela oração e é narrado na história da salvação. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  12. 12. - Diálogo – revelador, gratuito, fruto do amor, gradual, oferecido em liberdade sem imposições; - Presença encarnada na Igreja por meio do mundo, a sua postura de diálogo é o serviço; - A sua mensagem é universal. Os conteúdos da Igreja são para todos, crentes e não crentes, cristãos e católicos; - A encíclica conclui falando de um diálogo interno, como sinal do mundo da possibilidade de criar comunhão e união com os homens; RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  13. 13. A constituição pastoral conseguiu que a situação concreta está na base da teologia e ação da Igreja. A teologia tem assim a capacidade de iluminar e interpretar a vida concreta do homem à luz da palavra de Deus. Cristocentrismo da constituição Tanto na sua temática, como construção, Cristo é o centro de toda a constituição pastoral. Manifesta-se o paralelismo entre a Lumen Gentium e Gaudium et Spes Cristocentrismo é o aspeto em que se unem profundamente todas as doutrinas. Constituição pastoral está estruturada em torno de Cristo RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  14. 14. Constituição pastoral mantem-se fiel à petição formulada por Paulo VI. Tema do tratado eclesial no concilio feita desde Cristo e desde o seu mistério. Doutrina eclesiológica está constituída sobre forte cristocentrismo. O que muda com a relação da constituição dogmática é o lugar deste cristocentrismo que está determinado pela dupla metodologia. Enquanto que Lumen Gentium é o ponto de partida para a reflexão conciliar e a Gaudium et Spes é o ponto de chegada. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  15. 15. Ideias da constituição Relação da Igreja com o mundo, é fundamental o diálogo, pois o diálogo é partilha de ideias e a discussão sobre elas, para encontrar mais luz. E este diálogo implica o respeito pela autonomia do mundo e pelas estruturas humanas e o compromisso com o mundo para construir a sua história. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  16. 16. O que a constituição propõe é o diálogo com a humanidade para converter a mente para soluções plenamente humanas. Neste sentido, sua missão é religiosa e não técnica, não serve para construir um mundo que se edifica desde as suas próprias mediações, mas para servir homem desde as respostas às suas perguntas fundamentadas propondo os seus valores com convicção que o Cristão é um autêntico humano. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  17. 17. O ser sacramental da Igreja no que diz respeito ao mundo tem origem na sacramentalidade de Cristo, na sua encarnação, que por meio do Espírito Santo é universalidade e interiorizada graças á ação do Espírito Santo na Igreja, a missão de Cristo se universaliza a todos os homens de todos os tempos e Cristo segue significando e sendo a salvação dos homens e do mundo. Esta missão conceptual sacramental da Igreja implica a missão de estar no mundo desde as categorias dos sacramentos, a Igreja é para mundo sinal do Reino e presença de Salvação. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  18. 18. O encontro da Igreja e do mundo na escatologia numa única comunhão, fruto da ação e redenção de Jesus Cristo e razão também para uma presença e uma ação de Igreja no mundo. Mas na Gaudium et Spes não somente aparece o verbo encarnado como referência passado mas sobretudo como esperança no futuro. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  19. 19. A Igreja também é vista como serviço à nova humanidade e espírito e novo corpo de Cristo como comunidade em que graças ao Espírito, a vida nova começa a ser realidade, anúncio e fermento para o mundo. Visão encarnação é bastante nova no magistério da Igreja e graças á distinção entre a Igreja e o reino. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  20. 20. A constituição pastoral passa a analisar concretamente problemas urgente da humanidade, como a família, a cultura, a vida económica-social, a comunidade política, a paz no mundo e todos os problemas que no principio não se viam como objeto de uma constituição conciliar. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.
  21. 21. A constituição pastoral passa a analisar concretamente problemas urgente da humanidade, como a família, a cultura, a vida económica-social, a comunidade política, a paz no mundo e todos os problemas que no principio não se viam como objeto de uma constituição conciliar. Embora tenham centrado a reflexão na constituição pastoral Gaudium et spes, todos os documentos do Vaticano II têm uma intenção pastoral. A partir deles toda a Igreja pastoral se pergunta a teologia da Igreja é pastoral para poder levar aos homens do nosso tempo a revelação de Deus de modo que seja compreensível para eles e encontrem nela a salvação. RAMOS, J.A., Teologia pastoral, ed. BAC, Madrd 2006, 55-100.

×