Estudo sobre a Reciclagem de
um Resíduo Sólido oriundo
da Cadeia Logística –
Pneus Inservíveis
O N L I N E
UNIGRANRIO
O N ...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
49
Olá, sej...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
OBJETIVOS
TÓPICOS
ABO...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
51
Disserta...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
52
	 Confor...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
53
Enquanto...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
54
Conforme...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
55
	 O trab...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
56
	 Segund...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
57
A Recicl...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
58
	 O proc...
Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido
UNIGRANRIO
O N L I N E
Tópicos Especiais em Logística
UNIDADE05
59
	 Nesta ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tópicos Especiais em Logística - 05

37 visualizações

Publicada em

Logística

Publicada em: Aperfeiçoamento pessoal
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
37
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tópicos Especiais em Logística - 05

  1. 1. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido oriundo da Cadeia Logística – Pneus Inservíveis O N L I N E UNIGRANRIO O N L I N E
  2. 2. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 49 Olá, seja bem-vindo (a) unidade 5. Hoje falaremos sobre: Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido oriundo da Cadeia Logística – Pneus Inservíveis. Vamos começar nossos estudos? Boa aula!
  3. 3. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística OBJETIVOS TÓPICOS ABORDADOS UNIDADE05 50 Apresentar um resíduo sólido de alto impacto ao meio ambiente, as razões pelas quais este resíduo é gerado, como são estruturadas as entidades e as empresas com o intuito de mitigar os efeitos deste resíduo no meio ambiente. I. O uso do modal rodoviário; II. Fluxo do processo de coleta e destinação de pneumáticos inservíveis; III. A cadeia de coleta e destinação de pneumáticos inservíveis; IV. Destinação adequada de pneumáticos inservíveis; V. E desenvolvimento de parceria com o poder público para conscientização da população. A logística dentro das organizações tem adquirido um papel imprescindível no posicionamento dentro de um mercado cada vez mais competitivo. Já não basta mais para estas organizações possuírem um fluxo adequado de distribuição dos seus produtos e de atendimento das necessidades dos clientes. O que fazer após a venda ou a utilização do produto passou a ser uma questão salutar para o desenvolvimento e posicionamento das empresas em relação aos consumidores, mercado, governo e sociedade em geral.
  4. 4. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 51 Dissertação Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido oriundo da Cadeia Logística – Pneus Inservíveis Diante deste ponto abordado na introdução desta unidade de estudo, o papel da logística reversa assume enorme importância no planejamento estratégico das organizações empresariais bem como no desenvolvimento da sociedade e do país, pois a correta destinação dos produtos não só impactam na: Preservação ambiental Fonte de recursos financeiros Mas como também podem ser fonte de recursos financeiros para as organizações que conseguem adequar o seu fluxo reverso de materiais e informações na cadeia logística. Mas, com o desenvolvimento da logística, surgem alguns impactos, principalmente causado pela má divisão da matriz de transporte no cenário nacional. Conforme dados do Ministérios de Transporte, cerca de 60% das cargas transportadas no país são feitas via modal rodoviário. Logo, um importante resíduo é gerado por este desnível: pneumáticos inservíveis. Esta unidade de estudo tem como objetivo mostrar o fluxo reverso de pneumáticos, que, quando não descartados corretamente, possuem enorme impacto em aspectos ambientais e em questões de saúde pública, e tornaram-se um problema de difícil solução em diversas partes do país, por estas localidades não possuírem processos capazes de destinar os pneus inservíveis a uma destinação adequada. Este problema se torna ainda mais grave, pois temos um consumo alto deste material, causado pela matriz de transporte brasileira, que privilegia o transporte rodoviário.
  5. 5. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 52 Conformeobservadonoestudodaeconomiaemgeral,osefeitosdainfraestruturaestão intimamente ligados à eficiência da economia. No Brasil, pode-se notar, principalmente desde 1994, conforme destacado por Bertaglia (2009), uma tendência do governo em melhorar as condições de infraestrutura do país (portos, estradas, aeroportos) na tentativa de acelerar o crescimento do país. Isto fica claro com a atitude dos governantes nacionais de destinar uma boa reserva de capital para um programa voltado a equacionar problemas de infraestrutura destinada ao escoamento da produção nacional. Isto tudo é muito importante, pois com infraestrutura adequada, ocorre um aumento da produtividade e diminuição do custo por unidade de insumo, conforme destacado por Kaplan & Cooper (1998). Com a produtividade mais elevada traz um aumento da remuneração de todos os envolvidos na cadeia de suprimento, estimulando os investimentos e o emprego. Além disto, boas condições de infraestrutura aumentam as possibilidades de investimentos externos. Os efeitos benéficos da infraestrutura, de acordo com Bowersox & Closs (2009) são: Disponibilidade de bens À extensão dos mercados À concorrência Aos custos de mercadorias À especialização geográfica À renda da terra
  6. 6. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 53 Enquanto tem-se o crescimento da economia, aumentam as responsabilidades dos transportes de cargas, sempre exigindo menor custo, maior confiabilidade e maior rapidez nos serviços prestados. Como os transportes permitem às sociedades acesso aos produtos fora de seus ambientes,osistemadetransporteassumeumpapeldedestaquenarupturademonopólios formados, provocados por possíveis isolamentos geográficos, tanto na produção como na comercialização de produtos. Diante disto, conforme destacado por Ballou (1993), um dos principais papéis que os transportes assume é na formação dos preços dos produtos. Quando há um mercado central que deriva sua oferta de diversas fontes e que distribui o produto a muitos consumidores estará menos sujeito a variações no preço. Portanto, a variação no preço das mercadorias é limitada pelas fontes alternativas de ofertas tornadas possíveis pela eficiência de transporte.
  7. 7. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 54 Conforme destacado por Valente (2008), o mais importante efeito de reduções nos custos de transporte está na redução de custos dos bens, seja na comercialização, seja na aquisição de insumos. Outro efeito causado pelo transporte, segundo Rodrigues (2007) é possibilitar a especialização regional da produção. Segundo Cavanha-Filho (2001), pode-se destacar também que a infraestrutura física, associado ao sistema de transporte eficiente, aproxima os interesses das comunidades e das empresas. Ela permite que as empresas possam produzir em sua máxima eficiência, resultando em produção com maior rentabilidade e destinado a mercados mais amplos. Para a comunidade, esta interação fica evidente no aumento da disponibilidade de emprego e sua maior prosperidade. Por este motivo, os investimentos constantes em transportes exercem papéis fundamentais para o alcance dos objetivos de desenvolvimento de um país. Quando estes investimentos são destinados a infraestrutura de uma cidade estagnada economicamente, pode-se observar o impacto positivo causado, através do aumento da disponibilidade de produtos e serviços naquela região. Portanto, conforme destacado por Cavanha-Filho (2001), há uma função clara do desenvolvimento do transporte, principalmente na atualidade, em que o crescimento econômico está diretamente ligado às possibilidades da abertura de novos mercados e novos centros econômicos. Diante de todos os aspectos apresentados anteriormente, o estudo sobre o fluxo reverso de pneumáticos se torna relevante para que a redução de custo nos transportes rodoviários possa alavancar as organizações empresariais e a economia dos países que se atentem para o uso da logística reversa de pneumáticos como fator de vantagem competitiva. Para entendermos como funciona a estruturação de um fluxo reverso de resíduos sólidos, neste caso especificamente,ofluxoreversodepneumáticosinservíveis (em geral, conforme descrito anteriormente, resultado da matriz de transporte nacional desbalanceada), tomaremos como exemplo o fluxo desenhado pela Reciclanip (Reciclagem Nacional de Indústrias de Pneumáticos). Esta entidade é considerada uma das iniciativas mais bem sucedidas da indústria brasileira no segmento de responsabilidade pós-consumo. Ela foi criada em 2007, numa ação conjunta dos fabricantes de pneus novos Bridgestone, Goodyear, Michelin e Pirelli. Em 2010, a empresa Continental se associou ao projeto.
  8. 8. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 55 O trabalho da entidade consiste na coleta e destinação de pneus inservíveis, partindo de fórmulas de sucesso no cenário nacional, tais como o processo de reciclagem de latas de alumínio e embalagens de defensivos agrícolas. De acordo com a Reciclanip (2013), o projeto teve seu início em 1999, com o Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus Inservíveis que foi elaborado pela ANIP (Associação Nacional da Indústria dos Pneumáticos). Com o passar dos anos, o programa foi se expandindo para outras regiões do país, o que acarretou na criação de uma entidade que estivesse diretamente voltada para a coleta e destinação de pneus inservíveis. As empresas produtoras de pneus resolveram criar a Reciclanip. O projeto para a implantação da Reciclanip teve como modelo de gestão empresas europeiascomgrandeexperiêncianacoletaedestinaçãodepneusinservíveis.Asprincipais empresas que serviram de base para o modelo da Reciclanip no cenário nacional foram: a Aliapur, na França; a Signus, na Espanha; e ValorPneu, que tem sede em Portugal. A principal diferença entre os modelos destas empresas europeias e a Reciclanip está relacionada com a remuneração paga pelos diversos agentes da cadeia de produção para garantir a destinação adequada dos pneus inservíveis. Estas empresas não foram criadas para gerar lucro, mas recebem recursos dos agentes para pagar as despesas operacionais. Na Reciclanip, ao contrário das empresas europeias, os produtores de pneus novos bancam todos os custos ao longo do processo de coleta e destinação de pneus inservíveis, como transporte, trituração e destinação. Piso industrial Pneu granulado Lascas de pneus Vasos de lascas de pneus Pedaços de pneus triturados Solado de calçado Tapetes para automóveis Concreto de pneu triturado
  9. 9. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 56 Segundo os dados da entidade, desde a criação do projeto de coleta e destinação de pneus inservíveis em 1999, mais de 1,3 milhão de toneladas de pneus inservíveis, o que equivale a 270 milhões de pneus de passeio. O projeto tem uma grande abrangência e as empresa produtoras já investiram, até 2010, mais de US$114.000.000,00 nos processos de coleta e destinação de pneus inservíveis. Fonte: www.pactoglobalcreapr.wordpress.com
  10. 10. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 57 A Reciclanip tem como objetivo os seguintes pontos: Auxiliar os estudos e pesquisas que trabalhem sobre o ciclo de vida do pneu e que, através de inovações tecnológicas, possam estimular diferentes e inovadoras formas de destinação final do pneu inservível, aquele que não possa mais ser usada para uso veicular. Estruturar, de maneira adequada, a cadeia de coleta e destinação de pneus inservíveis, contando com a participação da rede de revendedores e reformadores de pneus, do poder público e da sociedade, em todos os locais de venda e comercialização de pneus no país. Realizar a destinação adequada, do ponto de vista ambiental, dospneusinservíveisqueestejamdisponíveisnoterritóriobrasileiro. Desenvolver, em parceria com órgãos do poder público, programas e ações que conscientizem ambientalmente a população brasileira.
  11. 11. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 58 O processo de coleta e destinação de pneus inservíveis da Reciclanip está alicerçado, principalmente, nos pontos de coleta espalhados por todo o território nacional. Estes pontos são locais disponibilizados e administrados pelas prefeituras municipais conveniadas ao projeto. Os pneus que são coletados pelos respectivos serviços municipais de limpeza pública, ou que são levados pelos borracheiros, recapadores, descartados voluntariamente pela população comum, entre outras formas, devem ser destinados a estes depósitos. Por sua vez, estes locais devem obedecer a normas de segurança e higiene. Através desta parceria, a Reciclanip fica responsável por todo o gerenciamento da cadeia logística de retirada dos pneus inservíveis, desde o ponto de coleta até o local da destinação ambientalmente correta para este material, que, em geral, são empresas destinadoras licenciadas pelos órgãos ambientais competentes e homologadas pelo IBAMA. Fonte: Reciclanip Anualmente, o número de pontos de coleta vem crescendo, o que prova o sucesso do projeto e seu impacto nas questões ambientais nacionais. De 2004 até 2012, os pontos de coletas espalhados por todo o território nacional saltaram de 85 unidades de coleta e armazenagem para 743 unidades de coleta e armazenagem.
  12. 12. Estudo sobre a Reciclagem de um Resíduo Sólido UNIGRANRIO O N L I N E Tópicos Especiais em Logística UNIDADE05 59 Nesta unidade de estudo foram indicados quais os fatores que determinam a geração de resíduos sólidos ao longo dos processos industriais e das políticas governamentais. Foram expostos os motivos que tornam o Brasil um dos maios geradores mundiais de pneumáticos inservíveis, indicando as falhas empresariais e governamentais. Além disto, esta unidade mostra a estruturação inicial de um projeto que tem como incentivadora as organizações empresarias. Com o objetivo de reduzir os impactos de seus processos produtivos, estas organizações se unem para a identificação de um processo capaz de diminuir os impactos ambientais de seus produtos. Artigo – A cadeia de destinação dos pneus inservíveis – o papel da regulação e do desenvolvimento tecnológico. Motta, F.G. 2008. http://www.scielo.br/pdf/asoc/v11n1/11.pdf Artigo – Logística Reversa dos Pneus Usados no Brasil. Lagarinhos, C.A.F. e Tenório, J.A.S. 2013. http://www.scielo.br/pdf/po/v23n1/aop_0849.pdf Vídeo – Reciclanip – O ciclo sustentável do pneu https://www.youtube.com/watch?v=2zM1hqhYciI Vídeo – TVNBR – Pneus velhos viram combustível para indústrias de cimento https://www.youtube.com/watch?v=7w8oeH_WLQs DONATO, Vitório. Logística Verde: Uma abordagem sócio-ambiental. São Paulo. Ed. Ciência Moderna. 2008. LEITE, Paulo Roberto. Logística Reversa: Meio ambiente e competitividade. 2ª edição. São Paulo. Ed. Pearson. 2009. MOURA, Luiz Antônio Abdalla de. Qualidade e Gestão Ambiental: sugestão para implantação das normas ISO 14.000 nas empresas. 3ª edição. São Paulo. Ed. Juarez de Oliveira. 2002.

×