“ O  MISTÉRIO  DAS  COISAS” Fernando Pessoa
O   mistério das cousas, onde está ele?
Onde está ele que não aparece? Pelo menos a mostrar-nos que é mistério?
Que sabe o rio disso e que sabe a árvore? E eu, que não sou mais do que eles, que sei disso?
Sempre que olho para as cousas e penso no que os homens pensam delas, Rio como um regato que soa fresco numa pedra.
Porque o único sentido oculto das cousas É elas não terem sentido oculto nenhum,
É mais estranho do que todas as estranhezas E do que os sonhos de todos os poetas E os pensamentos de todos os filósofos, ...
E não haja nada que compreender. Sim, eis o que os meus sentidos aprenderam sozinhos: As cousas não têm significação: têm ...
Imagens:  Fotocommunity  Música:  “Nocturne n.2” Chopin Formatação:  Christina Meirelles Neves
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fernando Pessoa o mistério das coisas

1.114 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor, Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.114
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
304
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fernando Pessoa o mistério das coisas

  1. 1. “ O MISTÉRIO DAS COISAS” Fernando Pessoa
  2. 2. O mistério das cousas, onde está ele?
  3. 3. Onde está ele que não aparece? Pelo menos a mostrar-nos que é mistério?
  4. 4. Que sabe o rio disso e que sabe a árvore? E eu, que não sou mais do que eles, que sei disso?
  5. 5. Sempre que olho para as cousas e penso no que os homens pensam delas, Rio como um regato que soa fresco numa pedra.
  6. 6. Porque o único sentido oculto das cousas É elas não terem sentido oculto nenhum,
  7. 7. É mais estranho do que todas as estranhezas E do que os sonhos de todos os poetas E os pensamentos de todos os filósofos, Que as cousas sejam realmente o que parecem ser
  8. 8. E não haja nada que compreender. Sim, eis o que os meus sentidos aprenderam sozinhos: As cousas não têm significação: têm existência. As cousas são o único sentido oculto das cousas. Fernando Pessoa
  9. 9. Imagens: Fotocommunity Música: “Nocturne n.2” Chopin Formatação: Christina Meirelles Neves

×