Centro Universitário do Norte Paulista
São José do Rio Preto
SIN-SISTEMA INTERLIGADO
NACIONAL
TRABALHO DE ELETROTÉCNICA AP...
INTRODUÇÃO
A energiapercorre grandesdistâncias dasfontesgeradorasaté asnossasresidênciase para
issoprecisade um grande e c...
O Sistema Interligado Nacional (SIN) é um sistema de geração e transmissão de energia
elétrica,consideradoúnicoemâmbitomun...
Podemos ver nas imagens abaixo o crescimento do Sistema Interligado Nacional.
Mas mesmo com o sistema todo interligado ainda temos problemas com os Blackout`s
causados por acidentes causados geralment...
• Pessoasatingidas(nãocontabilizado);
• 11 estadosforamatingidos.
 2012
• Ocasionadoporum incêndionotransformadoremumasub...
BIBLIOGRAFIA
http://www.abradee.com.br/setor-eletrico/sistema-interligado
http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/atlas/aspecto...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sistema Internacional Interligado

290 visualizações

Publicada em

Sistema integrado nacional

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
290
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema Internacional Interligado

  1. 1. Centro Universitário do Norte Paulista São José do Rio Preto SIN-SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL TRABALHO DE ELETROTÉCNICA APLICADA Nome: Alvaro Alves Corrêa da Silva Prof: Sergio Alampi
  2. 2. INTRODUÇÃO A energiapercorre grandesdistâncias dasfontesgeradorasaté asnossasresidênciase para issoprecisade um grande e complexosistemaque consigasuprirasnecessidadesde consumo de energiade umpais grande emsua extensãonocasoo Brasil, falaremos umpoucosobre esse sistemaúnicodevidoaseutamanhoe suascaracterísticas. DA USINA ATÉ SUA CASA Usinas de energia geralmente são construídas longe de cidades e indústrias (centros consumidores) é por isso que a eletricidade produzida por geradores tem de viajar longas distâncias, em um complexo sistema de transmissão até os centros consumidores. A energia é transportada (transmitida) pela rede de transmissão através de cabos aéreos, revestidos por camadas isolantes e fixados em grandes torres de metal, além de elementos importantes como os isolantes de vidro e porcelana sustentando os cabos e impedindo descargas elétricas no trajeto. A eletricidade passaporsubestações,onde aumentam ou diminuem sua voltagem através de transformadores, alterando a tensão elétrica. Ao sair das usinas elevamos a tensão elétrica para evitar grandes perdas no caminho e ao chegar perto dos centros consumidores, as subestações diminuem a tensão elétrica. A partir dai forma as redes de distribuição. Apesar de a tensão estar baixa ainda não e adequada para o consumo imediato e por isso, transformadormenores sãoinstaladosnospostesde rua,reduzindo ainda mais a voltagem da energia que vai para as residências. O SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL Comoas usinashidrelétricassão construídasemespaçosonde melhorse podem aproveitar as afluências e desníveis dos rios, geralmente longe dos centros consumidores, foi necessário desenvolverumextensosistema de transmissão. A grande extensão territorial e as variações climáticase hidrológicastendemaocasionar excedente ou escassez de produção hidrelétrica em determinadas regiões e períodos do ano. A integração viabiliza a troca de energia entre regiões,permitindo assim obter benefícios da diversidade de regime dos rios das diferentes bacias hidrográficas brasileiras. Para o gerenciamento do déficit de energia, são também utilizadasusinas termelétricas, as quais não dependem de regimes sazonais para a produção de eletricidade. Desse modo, o despacho de uma usina termelétrica hoje pode ajudar a economizar água no futuro, o que, dentro de um cenário de escassez, pode resultar em menores riscos de déficit para o setor.
  3. 3. O Sistema Interligado Nacional (SIN) é um sistema de geração e transmissão de energia elétrica,consideradoúnicoemâmbitomundial devido as suas características e tamanho, com predomínio de usinas hidrelétricas englobando as cinco regiões do Brasil. Regulado e fiscalizado pela ANEEL, tem múltiplos proprietários e são operadas por empresas privadas, publicas e de sociedade mista, cabendo ao ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) sua coordenação e controle, de acordo com as disposições dos Procedimentos de Rede,que são documentos de caráter normativo que definem procedimentos e requisitos necessários à realizações das atividades de planejamento da operação eletroenergética, administração da transmissão, programação e operação em tempo real no âmbito do SIN. A Rede Básica do SIN, com aproximadamente 100.000 km de linhas de transmissão, com subestações e linhas de transmissão em tensões iguais ou superiores a 230 KV. O acesso ao sistema de transmissão e livre e garantido por lei, havendo o dever de compartilhar infraestrutura com os acessantes habilitados. O Sistema além da função transporte de energia permite o melhor uso da água e a minimizaçãoda geração térmica, por meio da exploração da complementaridade hidrológica das bacias, sendo considerada uma “usina virtual”. A Transmissão é fator importante para a melhoria da segurança elétrica e energética. Atualmente no Brasil existem instalações de transmissão de até 765 kV, com a perspectiva de chegar a 800 kV em breve. Mas 2,2% da produção de eletricidade do país ainda se encontra fora do SIN, em pequenos sistemas elétricos dimensionados apenas para o atendimento de necessidades localizadas, chamados de Sistemas Isolados. Os Sistemas isolados estão localizados principalmente nos estados da Região Norte, e distribuídospelointeriordessesestados.Onde se encontramumgrande numerode pequenas unidades geradoras a óleo diesel e pela grande dificuldade de logística de abastecimento. Atualmente os principais centros de consumo isolados encontram-se em processo de integração ao SIN, a integração destes sistemas vem ocorrendo ao longo do tempo. Em outubrode 2009, formaintegrados os estados de Acre e Rondônia, permitindo a transmissão de até 210 MW, garantindoo fornecimentode energiaelétricaconfiável e maior segurança no atendimento aos dois estados. Até 2013 está prevista a interligação de Sistemas do Amazonas e Amapá coma conclusão da linhade transmissãoTucurui-Macapá-Manaus.Em 2014 seráa vez do estado de Roraima, com a conclusão da linha Manaus-Boa Vista. Isso fará com que 99,9% do mercado brasileiro de energia elétrica estejam conectados a um só sistema.
  4. 4. Podemos ver nas imagens abaixo o crescimento do Sistema Interligado Nacional.
  5. 5. Mas mesmo com o sistema todo interligado ainda temos problemas com os Blackout`s causados por acidentes causados geralmente por raios, sobrecarga elétrica, falta de chuvas, queimas de transformadores, defeitos nas linhas de transmissões. Além de falta de planejamento e investimentos e geração de energia, aumento da demanda maior que a capacidade de produção de energia, sub ou sobrefrequência no sistema, ataque de hackers (crackers) Explosão de reatores, falha na chave seccionadora. A seguir um Histórico dos Blackout`s acontecidos no Brasil.  1985 • Problemacausadopelapequenarede de distribuiçãode energiadopaís; • Muitasvezesasusinasproduziammaisenergiadoque oscabos suportavam; • Primeirogrande apagãodahistóriadoBrasil; • 9 estadosbrasileirosatingidos(regiõesSul,Suldeste e Centro-Oeste); • O apagãodurou aproximadamente 3horas.  1999 • Apagãoocorridona subestaçãodaCESP, emBauru(SP),acionandoodesligamentodas turbinasemUsina de Itaipu; • Brasil e Paraguai afetados; • Aproximadamente76milhõesde pessoasafetadas; • 10 estadosbrasileirosatingidos,alémdodistritofederal (regiõesSul,Suldeste e Centro- Oeste).  2009 • ProblemanaUsinade Itaipu; • Brasil e Paraguai afetados; • Aproximadamente70minhõesde pessoasafetadas; • 18 estadosatingidos,alémdoDistritoFederal; • É consideradoomaiorapagão brasileiroe oquintomaiorà nível global.  2011 • Falhanas linhasde transmiçãoentre Sobradinho(BA) e Petrôlandia(PE),gerandoo desarmamentodaSubestaçãode LuizGonzaga; • Aproximadamente33milhõesde pessoasafetadas; • 7 estadosbrasileirosatingidos(regiãoNordeste). • Originadode umproblemanoreatorda linhade transmissãode 756 kv,entre Foz doIguaçu e Ivaiporã,noParaná; • Pessoasatingidas(nãocontabilizado); • 11 estadosforamatingidos.  2012 • Subestaçãode Imperatriz - Falhahumanae depoiserrode procedimentodaTransmissora Aliançade EnergiaElétrica(Taesa) foramasresponsáveis;
  6. 6. • Pessoasatingidas(nãocontabilizado); • 11 estadosforamatingidos.  2012 • Ocasionadoporum incêndionotransformadoremumasubestaçãode Furnas,emFozdo Iguaçu. • Resultounainterrupçãododespachode cercade 5.000 MW da Usina de Itaipu(600 hz) ao SistemaInterligadoNacio; • Pessoasatingidas(nãocontabilizado); • 12 estadosforamatingidos.  2012 • Falhana subestaçãode Colina,noTocantins; • A proteção haviasidodesligadanasemanaanteriorparaumamanutençãode rotinae não foi religada; • Ostestespadrõesnãoforamefetuadosapósa manunteçãodosistemasde proteção; • 11 estadosbrasileirosafetados(regiõesNorte e Nordeste); • Aproximadamente4horas de duração. Mas alémde todosessesproblemastemosgrandes investimentos em tecnologias para evitar esses tipos de problemas como as Redes inteligentes chamadas de Smart Grids, que monitoram as redes com medidores inteligentes evitando problemas de falta de energia, fraudes, interligando concessionárias a consumidores e com uma maior autonomia para administrar a oferta e demanda já que os dados são fornecidos em tempo real. CONCLUSÃO As vantagensé que o SIN permite que regiões com menor capacidade de geração e que estão enfrentandoproblemascomafaltade chuva recebamo fornecimento de energia utilizando a fonte que tiverastarifasmais baixas. Podendoligar usinas de reserva como as termoelétricas substituindo as hidrelétricas quando não puderem atuar no sistema. Uma desvantagem é que se não tiver uma conversação do sistema, ou seja, se não tiver uma manutençãonasusinashidrelétricasassimcomonassubestaçõese nasredesde transmissãoe distribuiçãoo sistema pode entrar em colapso se alguma peça fundamental falhar, causando assim as quedas de energia. Outra questão é a administração desse sistema que devido o seu tamanho territorial e seu tempoinstável emregiõesdistintas do pais é preciso uma boa administração para controlar o sistema levando em consideração essas variáveis. Estamosevoluindonesse campo com a construção das Redes Inteligentes as Smart Grids mas temos muito que evoluir em questão de manutenção e administração.
  7. 7. BIBLIOGRAFIA http://www.abradee.com.br/setor-eletrico/sistema-interligado http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/atlas/aspectos_institucionais/2_1_1.htm http://institucional.taesa.com.br/a-taesa/nosso-negocio/sistema-interligado-nacional-sin/ http://www.ons.org.br/conheca_sistema/resumo_operacao.aspx http://www.brasil.gov.br/infraestrutura/2011/12/sistema-interligado-nacional-atende-98-do- mercado-brasileiro http://www.brasil.gov.br/infraestrutura/2011/12/sistemas-isolados http://www.osetoreletrico.com.br/web/component/content/article/58-artigos-e-materias- relacionadas/175-painel-de-mercado-apagao.html

×