Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico

345 visualizações

Publicada em

Um resumo sobre a Revolução Francesa, até o Fim do Império Napoleônico, feito por alunos do Instituto Teresa Valsé.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
345
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico

  1. 1. Alunos: Heitor Temporim Ribeiro e Inácio Santos Instituto Teresa Valsé-2015
  2. 2. A revolução se dá na época em que a França passava por uma crise tanto meteorológica quanto econômica. Como o rei não conseguia resolver as crises, foi obrigado a convocar os três Estados Gerais (1º Estado: Clero, 2º Estado: Nobreza e 3º Estado: Trabalhadores, burguesia e baixo clero). Durante a assembleia houve diversos conflitos, entre o 1º e 2º Estado contra o 3º Estado. O 1º e 2º Estado desejava o aumento dos impostos do 3º estado, e este desejava a cobrança de impostos sobre o 1º e 2º Estado, e que o voto fosse realizado por cabeça, diferente dos outros estados que desejavam o voto por cada estado. Sem nenhuma conclusão, o 3º Estado se retira da Assembleia, e forma a sua própria, chamada de Assembleia Nacional Constituinte, Marcando início da Revolução Francesa.
  3. 3. A queda da Bastilha, é considerada o marco histórico da Revolução Francesa. Mas o início é marcada pela retirada do 3º Estado e formação da Assembleia Nacional Constituinte.
  4. 4. A Assembleia Nacional Constituinte foi a primeira fase da Revolução. Nela foi decretada a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Em 1791, foi promulgada a Constituição, dividindo o poder em: Executivo, o responsável era o rei, Judiciário, exercido por juízes eleitos, e o Legislativo, pela Assembleia. Após uma nova Assembleia Legislativa o rei foi acusado de traição, assim prendendo-o , e elegeu a Convenção Nacional, dando início à República.
  5. 5. A Convenção era dividida entre os revolucionários:  Girondinos: Sentavam-se na direita, representantes da alta burguesia, desejavam o privilégio da burguesia.  Planície: Se localizava no centro, representada pela alta burguesia e não tinham uma posição específica.  Jacobinos: Sentavam-se na esquerda, representantes da baixa e média burguesia, eram os mais radicais e liberais. Devido a ataques, revoltas e crises, a Convenção governou de forma ditatorial. Quando os Jacobinos governaram, foi chamado de século do Terror, pois perseguiam girondinos, nobres e aqueles que eram contra a Revolução. Após a morte de seus líderes os girondinos retornam ao poder e instalam o Diretório.
  6. 6. O Diretório era formado por 5 diretores, na qual tinham o poder Executivo. Mas devido a diversos fatores, a França entrou em crise. Obrigando os diretores procurarem ajuda, assim chamando Napoleão Bonaparte. Um general bem sucedido, que traria uma boa imagem. Napoleão decidiu tomar o poder para si, realizando o Golpe do 18 Brumário, marcando o fim da Revolução Francesa.
  7. 7. Napoleão Bonaparte, ao governar a França, iniciou várias campanhas para a dominação total do continente europeu, favorecendo movimentos liberais, e continuou a beneficiar a burguesia. Com o Golpe do 18 Brumário, foi criada uma nova constituição, instaurando o Consulado e dando início a Era Napoleônica.
  8. 8. O poder Executivo era exercido por três cônsules, já o legislativo, pelas assembleias. Napoleão era o primeiro-cônsul, este possuía diversos poderes. Nessa época, Napoleão elaborou o código Civil Napoleônico e reformou o ensino Frances. Apoiado pela burguesia, Napoleão fez um plebiscito e tornou se cônsul vitalício. Logo depois realizou um novo plebiscito, e se tornou imperador da França.
  9. 9. Ao se tornar Imperador, Napoleão institui um novo plano interno, incentivou a agricultura e a indústria, e no plano externo, disputou contra a Inglaterra a hegemonia política e econômica da Europa. Em uma tentativa de derrotar a Inglaterra, institui o Bloqueio Continental, impedindo todos os países europeus a comercializar com a Inglaterra, vencendo a economicamente. Aqueles países que não aderiram ao bloqueio, seriam intervindos por Napoleão e seus exércitos. Portugal recusou aceitar o bloqueio, Napoleão foi obrigado a invadir o território, mas a Corte portuguesa se instalou no Brasil. Napoleão era tão influente que dominava toda a Europa, exceto a Inglaterra.
  10. 10. Devido a diversos questionamentos sobre a política napoleônica e aos prejuízos do Bloqueio a Rússia rompeu o Bloqueio. Como forma de punição, Napoleão empreendeu uma campanha contra a Rússia, com mais de 600 mil homens. Mas foram derrotados devido ao frio. Com o fracasso da Campanha, diversos países se rebelaram contra o domínio francês, eles eram: Áustria, Prússia e Inglaterra. Napoleão é derrotado, e abdica do trono francês, é isolado em uma ilha, mas logo retorna com ajuda da burguesia. Esse período e conhecido como Governo de Cem Dias, mas logo é derrotado definitivamente na Batalha de Waterloo, na Bélgica.
  11. 11. Depois da primeira derrota, foi organizada na Europa um movimento conservador. Monarcas e ministros formaram o Congresso de Viena, com o objetivo de restabelecer o equilíbrio político europeu, anterior a Revolução Francesa, e reorganizar o mapa político.
  12. 12. Por proposta de governantes da Rússia, Áustria e Prússia formada a Santa Aliança. Tinha como objetivo defender as monarquias absolutistas baseada nos princípios cristãos. Segundo Matternich a Santa Aliança tinha o direito de intervir nos países onde houvesse tentativas revolucionárias. No entanto a Inglaterra não apoiava esse pensamento, pois desejava a independência da America Latina para conquistar novos mercados.

×