Psicologia do desenvolvimento

7.808 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.808
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
118
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia do desenvolvimento

  1. 1. PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO MARIA APARECIDA CÓRIA-SABINI
  2. 2. • O estudo do desenvolvimento infantil tomou impulso na primeira metade do nosso século. Os primeiros estudos limitaram-se à observação das atividades de bebês em seus primeiros anos de vida. • A aprendizagem seria responsável pelas mudanças que ocorrem ao longo da vida de uma pessoa, modelando, assim, sua conduta social, seus pensamentos e seus valores.
  3. 3. • Para Piaget, a inteligência é uma estrutura biológica e, como as demais, tem a função de adaptar o organismo às exigências do meio. Essa adaptação se fez por meio de dois processos complementares: assimilação e As propostas de Piaget para o desenvolvimento • Piaget conduziu uma série de investigações sobre o desenvolvimento, abrangendo o período compreendido desde o nascimento até a adolescência.
  4. 4. • A assimilação é o processo de incorporação dos desafios e informações do meio aos esquemas mentais existentes. • A acomodação é o processo de criação ou mudança de esquemas mentais em conseqüência da necessidade de assimilar os desafios ou informações do meio.
  5. 5. • Ao nascer o bebê parece desamparado e muitos dos seus atos dão a impressão de não ter objetivo. • À medida que o tempo passa, ele tomará consciência de si mesmo, dos seus sentimentos e das pessoas que o cercam.• Por volta dos dois anos de idade, estará apto a falar, como um ser social, e com o passar do tempo, seus horizontes e seu mundo irão expandir-se de maneira notável.
  6. 6. • A partir dos dois anos de idade a criança torna-se mais ativa. Com a aquisição da consciência de si mesma, há uma ampliação do universo social e individual. • O mundo do “faz-de-conta” domina todas as suas atividades e a criança aprende a conviver com o mundo e as pessoas de maneira divertida e agradável.
  7. 7. • O raciocínio da criança desta fase, é muito influenciado por suas próprias vontades e desejos. Suas percepções e explicações refletem apenas um ponto de vista, ou seja, o seu. Por isso seus julgamentos são sempre absolutos e ela é insensível aos argumentos contrários às suas afirmações.
  8. 8. • Por volta dos cinco anos de idade, a criança começa a conter seus impulsos ou exigências para agradar aos outros ou evitar punições. Ela se esforça por criar condições para ser reconhecida e elogiada.
  9. 9. • Em casos normais, a transição do período pré-escolar da infância para o estágio subseqüente do desenvolvimento da vida psíquica ocorre em conexão com a presença da criança na escola. • É difícil exagerar a significação deste fato na vida infantil. Todo sistema de suas relações é reorganizado. É claro que o ponto essencial não consiste no fato de o escolar, em geral, ser obrigado a fazer alguma coisa; mesmo antes de entrar na escola a criança já tem obrigações. O ponto essencial é que agora não existem apenas deveres para com os pais e professores, mas que há, objetivamente, obrigações para com a sociedade.
  10. 10. http://www.youtube.com/watch?v=K0BIVJsCW20&feature=BF&list=QL&index=5

×