ECCC : Economia Circular, Compartilhada e Criativa

642 visualizações

Publicada em

Estabelece uma sistemática que assegura a rastreabilidade dos resíduos sólidos desde a sua geração até sua destinação final.

Atende toda a cadeia de resíduos sólidos, dando oportunidade de geração de emprego e renda, a eliminação e/ou mitigação de passivo ambiental, a possibilidade do cumprimento das obrigações legais em vigor e, principalmente, disponibiliza para os atores um mecanismo eficiente para que todos possam ser ativos na gestão integrada de resíduos sólidos, cumprindo com suas responsabilidade e aperfeiçoando seus negócios.

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
642
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ECCC : Economia Circular, Compartilhada e Criativa

  1. 1. A SUSTENTABILIDADE É O NOSSO NEGÓCIO
  2. 2. MANEJO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS Estabelece uma sistemática que assegura a integralidade e a rastreabilidade dos resíduos desde a sua geração até sua destinação final. Inovação lógica e física na gestão do resíduo sólido, integrando toda a cadeia, através de ferramentas e processos inovadores de alta tecnologia. O resíduo bem manejado oferecerá riscos controlados Apoiado no sistema de informação permitindo agilidade, eficiência nas operações em gestão integrada de resíduos e a capacidade de geração de informações para a tomada de decisões.
  3. 3. SUSTENTABILIDADE Segundo o Relatório de Brundtland (1987) e adotado pela BIOTERA, Sustentabilidade é: “atender as necessidades da geração presente sem afetar a possibilidade das gerações futuras de atender as suas". É o equilíbrio entre os recursos humanos (P-People), os recursos ambientais (P-Planet) e os recursos financeiros (P-Profit), tornando o 3P (triple P) que dará a nova ordem econômica e política. Planet People Profit
  4. 4. CONSTITUIÇÃO Art.1° - Fundamentos: II - a cidadania; III - a dignidade da pessoa humana; IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; Art.3° - Objetivos: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; II - garantir o desenvolvimento nacional; III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Art.170 - Princípios: VI - defesa do meio ambiente, inclusive mediante tratamento diferenciado conforme o impacto ambiental dos produtos e serviços e de seus processos de elaboração e prestação; VII - redução das desigualdades regionais e sociais; VIII - busca do pleno emprego; IX - tratamento favorecido para as empresas de pequeno porte constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sua sede e administração no País.
  5. 5. DECRETOS e LEIS LEI N°12.305 , DE 2 DE AGOSTO DE 2010 - POLÍTICA NACIONAL RESÍDUOS SÓLIDOS. • A cooperação entre as diferentes esferas do poder público, o setor empresarial e demais segmentos da sociedade; DECRETO Nº 7.602, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2011 - SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO. • A inclusão de todos trabalhadores brasileiros no sistema nacional de promoção e proteção da saúde; LEI Nº 12.187, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2009 - MUDANÇAS DO CLIMA. • A compatibilização do desenvolvimento econômico-social com a proteção do sistema climático • O apoio e o fomento às atividades que efetivamente reduzam as emissões ou promovam as remoções por sumidouros de gases de efeito estufa; DECRETO Nº 7.746, DE 5 DE JUNHO DE 2012 - DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. • Preferência para materiais, tecnologias e matérias-primas de origem local; • Maior geração de empregos, preferencialmente com mão de obra local; • O reconhecimento do resíduo sólido reutilizável e reciclável como um bem econômico e de valor social, gerador de trabalho e renda e promotor de cidadania; • Incentivo à indústria da reciclagem, tendo em vista fomentar o uso de matérias-primas e insumos derivados de materiais recicláveis e reciclados; • As metas para a eliminação e recuperação de lixões, associadas à inclusão social e à emancipação econômica de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis
  6. 6. AGORA É A HORA  DEVEMOS SER MAIS OUSADOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS;  O COMPORTAMENTO SOCIAL SERÁ O GRANDE DIFERENCIAL DO NÉGÓCIO. A POPULAÇÃO DEVERÁ TER UMA PARTICIPAÇÃO ATIVA E EM TEMPO REAL E DEVERÁ ESTAR INFORMADA E MUNICIADA;  OS RESÍDUOS SÃO CADA VEZ MAIS NOVOS E EM MAIOR VOLUME, ATÉ MESMO EM SUPER ESCALA;  SOMENTE A ENGENHARIA/TECNOLOGIA NÃO RESOLVERÁ TODOS OS PROBLEMAS;  MOVIMENTOS REGIONAIS E LOCAIS PARA DADOS TÉCNICOS CONFIÁVEIS;  A LOGÍSTICA, COMO É FEITO HOJE, NÃO MAIS FUNCIONARÁ.
  7. 7. PORTANTO RESÍDUO, A MATÉRIA PRIMA DO SÉCULO XXI Alcance Global, sem barreiras de entrada; Geração de emprego e renda em toda a pirâmide, com foco na base; Desperta para novas invenções e criações; Comunicação vindo da periferia para o centro e do centro para a periferia; Convergência do mundo real e virtual; Preservação ambiental; Resultados para todos.
  8. 8. Manejo Sustentável de Resíduos Estabelece uma sistemática que assegura a rastreabilidade dos resíduos sólidos desde a sua geração até sua destinação final. A gestão dos resíduos é a única alternativa para atender as exigências legais presentes e as futuras (processo contínuo), e depende exclusivamente do conhecimento e atualização da legislação. Atende toda a cadeia de resíduos sólidos, dando oportunidade de geração de emprego e renda, a eliminação e/ou mitigação de passivo ambiental, a possibilidade do cumprimento das obrigações legais em vigor e, principalmente, disponibiliza para os atores um mecanismo eficiente para que todos possam ser ativos na gestão integrada de resíduos sólidos, cumprindo com suas responsabilidade e aperfeiçoando seus negócios.
  9. 9. Manejo Sustentável de Resíduos ECCC : Economia Circular, Compartilhada e Criativa Economia: é uma ciência que estuda os processos de produção, distribuição, acumulação e consumo de bens materiais. Circular: movimento ordenado e contínuo de um corpo que descreve um trajeto circular com retorno ao ponto de partida ou algum outro ponto de uma rota. Compartilhada: tomar parte em ou de alguma coisa; Participar; Partilhar algo com alguém. Criativa: capacidade humana de grande valor universal, deve ser aplicada em qualquer área da vida. É na capacidade criativa que existe a chave da evolução da humanidade. Projeto de alcance global, basta ter uma fonte de geração de resíduo sólido seja uma pessoa física ou jurídica.
  10. 10. RESULTADOS SOCIAL: • Desenvolvimento humano e comunitário; • Geração de emprego e renda, através da inclusão social pelo trabalho; •Resgate da dignidade humana e qualidade de vida; • Educação Ambiental em alta escala; •Comércio justo; •Transformação social e coletivismo; • Voluntariado em toda a cadeia. AMBIENTAL: • Melhoria na qualidade da água e da poluição do ar; • Diminuição na emissão de Gases de Efeito Estufa; • Prolongamento da vida útil dos aterros sanitários; • Eliminação e/ou mitigação de passivo ambiental na cadeia do resíduo; •Eliminação de lixo nas ruas, praças e afins; • Evita poluição visual e enchentes. Melhora substancial na saúde da população
  11. 11. RESULTADOS ECONÔMICO: • O GERADOR terá seu Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos - PGRS - exigido por lei e em condições de elaborar seu plano de meta e melhoria em relação a geração de resíduos; • O GERADOR garantirá a rastreabilidade e integridade da cadeia do seu resíduo através do software MSR; • Atender a Logística Reversa – obrigatoriedade de alguns segmentos de mercado – como embalagens, pilhas, baterias, eletrônicos etc. ; • Indicadores socioambientais; • Atendimento aos requisitos legais e acordos firmado entre partes; • Otimização na logística de transporte de resíduos; • Oferta e demanda torna-se atrativo para todos os stakeholders envolvidos na cadeia de resíduos; • Melhoria no espaço físico do GERADOR;
  12. 12. SITUAÇÃO ATUAL DO MERCADO Extração e Matéria Prima Transformação e Produção Ponto de Venda Físico e Remoto Consumidor Final DESCARTE
  13. 13. NO PASSADO O GERADOR desconhecia quais eram os valores em cada fase da gestão do resíduo como a segregação, a coleta e transporte e o destino final. O GERADOR não tinha controle dos volumes de resíduos gerados, aplicada a uma logística interna ineficiente com perda de resíduo, de tempo e mão de obra não qualificada; O GERADOR não tinha convicção do destino do resíduo, se realmente o que sai de suas instalações é o que chega no destino final, colocando em risco seu negócio; O GERADOR desconhecia a potencialidade de seus resíduos, apesar de entender que a reciclagem pode favorecer o mercado de cooperativas; O GERADOR mantinha um custo elevado para a destinação final do resíduo, obrigando-se a manter contrato com vários ‘fornecedores’ de serviço para vários tipos diferentes de resíduos e seus destinos e tecnologias oferecido; O GERADOR tinha a ideia que poderia usar outras tecnologias – em toda a cadeia – mas o custo pela pesquisa, análise e implementação não faz parte de seu core business; O GERADOR não tinha uma gestão unificada e replicada nas filiais. Não conseguia medir o desempenho de suas filiais e acompanhar as ações e o resultado da operação de resíduo.
  14. 14. Com infinita possibilidade de replicação e muito além da coleta seletiva
  15. 15. Extração e Matéria Prima Transformação e Produção Ponto de Venda Físico e Remoto Consumidor Final INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO NA CADEIA DE RESÍDUO CDTR – CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO TRATAMENTO DE RESÍDUO COOPERATIVAS/ TRANSFORMAÇÃO COM O MSR TEMOS A ECONOMIA CIRCULAR
  16. 16. HOJE A BIOTERA criou e implantou o PGRS – Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – como exigência da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n°12.305/2010) em suas duas unidades situadas no Estado de São Paulo. No levantamento do MSR, surgiu a oportunidade de reestruturar a destinação dos uniformes do GERADOR, que são devolvidos pelos funcionários periodicamente. Assim a BIOTERA viabilizou a coleta e destinação dos mesmos, juntamente com cooperativas e associações de diversos setores. A BIOTERA apresentou algumas alternativas para que o GERADOR tomasse a decisão da implementação de tecnologias que ajudam na gestão do resíduo. As alternativas sempre acompanhadas de um fluxo de caixa com retorno do investimento. A BIOTERA consolidou um plano de treinamento para as pessoas diretamente ligadas na gestão de resíduos do GERADOR, melhorando o processo de coleta seletiva e acondicionamento interno. A BIOTERA integrou cooperativas e associações – na rede – para que o resíduo do GERADOR tenha um único destino, facilitando a gestão do GERADOR e redução de custos significativos. Cada integrante da rede tem seu papel definido, seus líderes sabem o que e quando irão receber, programação de trabalho e pessoas, qualidade, preço através do aplicativo MSR.
  17. 17. ATORES DO PROJETO Desenvolve Projetos de Incentivos Fiscais com impactos sociais e ambientais, Gestão de Ações Empresariais de RSE, Gestão de ONGs com BSC, ensino pela paz. Empresa de projetos e negócios Sustentáveis, com foco em Meio Ambiente e de Segurança das Pessoas, que atende as mudanças no cenário econômico. Empresa brasileira – líder em seu segmento - com 23.000 funcionários atuando em todo o território nacional com 15 filiais no Brasil. GERADOR
  18. 18. ATORES DO PROJETO Grupo de artesãs de Santo André/SP com 07 mulheres que são arrimo de família e desenvolve novos negócios com o resíduo têxtil. Rede de cooperativas de catadores de materiais recicláveis do ABC, com 07 instituições e aproximadamente 220 cooperados em 06 cidades do Grande ABC. Atende aproximadamente 525 jovens entre 15 e 17 anos por ano. Grupo de trabalho e arte que recebe usuários encaminhados pelos serviços de saúde mental. Aproximadamente 60 pessoas são atendidas. Promover a convivência e o resgate de vínculos familiares e comunitários contribuindo na construção do sentimento de pertencimento, da identidade, da individualidade e do convívio social.
  19. 19. GERADOR UNIDADE 1 - SP COOPCENT REDE DE COOPERATIVAS TRIAGEM/ ENFARDO MATÉRIA PRIMA Plástico, Papel, Madeira, vidros e outros recicláveis TRANSFORMAÇÃO COMERCIALIZAÇÃO Geração de emprego e renda Fluxo- RESÍDUOS SÓLIDOS GERADOR UNIDADE 2 - SP Outras cooperativas de transformação Compartilhamento de resíduo
  20. 20. UNIFORMES Os uniformes do GERADOR são classificados de duas formas: com logomarca e sem logomarca. Os uniformes com logomarca não podem sair da empresa caracterizado, então houve a necessidade de inclusão de mão de obra dentro do GERADOR, para a descaracterização destes. Os uniformes sem logo e os descaracterizados são enviados para o processo de lavagem, secagem, passagem da roupa e embalagem. Também são engraxados os sapatos. Peças que precisam de baixo reparo são feitos neste local. Os uniformes são encaminhados para duas associações que trabalham com reaproveitamento de resíduos têxteis, criando novos produtos para o mercado, inclusive para o próprio GERADOR, que adquire frequentemente novos produtos que são oriundos de seu próprio resíduo. Nesta transformação, o resíduo têxtil gerado é doado para empresa de trituração de tecido. Os uniformes transformados são trabalhados como um novo produto, buscando a introdução dos mesmos no mercado, através do apoio de pessoas envolvidas de forma voluntária. O GERADOR tem aproximadamente 1,5 toneladas de uniformes por mês, onde eram doados e incinerados, ambos sem a certeza do destino e da atividade fim executada. A BIOTERA integrou cooperativas e associações numa rede, para que esses uniformes fossem reaproveitados e possibilitasse uma destinação ambientalmente correta, aumentando a potencialidade de geração de emprego e renda em toda a cadeia de resíduos.
  21. 21. Fluxo - UNIFORMES GERADOR UNIDADE 1 - SP COOPCENT CLASA RETECE NUTRARTE BAZAR/ DOAÇÃO CUSTOMIZAÇÃO NOVOS PRODUTOS COMERCIALIZAÇÃO GERADOR UNIDADE 2 - SP (Recorte dos logos) Transformação, com geração de emprego e renda Transporte e lavagem dos uniformes, com geração de emprego e renda Geração de emprego e renda no trabalho de recorte dos logos Transformação, com geração de emprego e renda
  22. 22. GERADOR • O GERADOR deixa de enviar cerca de 12 toneladas por mês de resíduos sólidos para aterros sanitários; • Redução de custos em toda a cadeia da gestão de resíduo; • Os uniformes da empresa deixam de ser incinerados, e passam torna-se matéria prima; • Mitigação dos gases efeito estufa; • Responsabilidade Socioambiental; • Cumprimento das legislações ambientais; • Garantia da qualidade e quantidade do resíduo para entrar num outro processo de transformação; • O GERADOR utiliza o aplicativo MSR onde gerencia e rastreia remotamente todo e qualquer resíduo, e saberá exatamente qual a destinação do seu resíduo (fase piloto). • Indicadores de resíduos, mão de obra gerada, emissões de GEE; •Adoção de novas tecnologias viáveis nas quesitos financeiros e socioambientais.
  23. 23. • Aquisição de matéria prima de alta qualidade; • Geração e aumento da renda; • Inclusão de mão de obra em situação de vulnerabilidade social; • Contribuição para a preservação ambiental; • Educação ambiental para todos; • Criação de novos produtos para o mercado; • Brechó; • Feira de troca e doação; • Participação na nova economia: ECCC - Economia Circular, Compartilhada e Criativa; • Compartilhamento do conhecimento; • Integração entre Gerador, Gestor e Rede. A REDE
  24. 24. PRODUTOS
  25. 25. TRANFORME SEU RESÍDUO NA OPORTUNIDADE DE MUITOS Camisa polo de PET Sacola para compras de PET
  26. 26. Pessoas beneficiadas diretamente:  06 cooperados da COOPCENT ABC na coleta, transporte e triagem dos resíduos;  525 jovens frequentadores da CLASA na oficina têxtil;  07 senhoras que trabalham no Projeto RETECE na oficina têxtil;  03 atendidos pelo núcleo NUTRARTE que trabalham na lavagem dos uniformes;  02 cooperados da COOPCENT ABC que trabalham nas instalações do GERADOR. RESULTADOS E mais... de 737 pessoas envolvidas indiretamente no projeto sendo 200 cooperados na COOPCENT, 525 mães e/ou responsáveis pelos jovens da CLASA, marido das senhoras tecelãs que dedicam seu tempo de forma não exclusiva, 02 costureira atendidas pela NUTRARTE
  27. 27. • Renda per capta do projeto para cada cidadão envolvido: • R$ 4.134,00 pra COOPCENT R$ 689,00 • R$ 3.310,00 pra NUTRARTE R$ 1.103,00 • Quantidade de resíduos sólidos reciclados: • Toneladas: 5.6 a R$ 0,43 o quilo = R$ 2.422,00 • Quantidade de uniformes que deixaram de ser incinerados e são comercializados de forma direta: • Toneladas: 1.3(ou 500 peças) a R$ 50,00 a peça = R$ 25.000,00 • Mitigação dos gases de efeito estufa: • Toneladas de CO2eq: em desenvolvimento NÚMEROS CONSULTE- NOS www.biotera.com.br contato@biotera.com.br CONSULTE- NOS www.biotera.com.br contato@biotera.com.br CONSULTE- NOS www.biotera.com.br contato@biotera.com.br CONSULTE- NOS www.biotera.com.br contato@biotera.com.br
  28. 28. A BIOTERA Reunião com o APL Têxtil do ABC Projeto Cidade dos Meninos – educação ambiental Equipe de Pernambuco - composteira Formação de agentes socioambientais - SBC Escola Sustentável – Colégio Xingu Equipe de Sustentabilidade pela transformação do resíduo orgânico em adubo
  29. 29. Saiba + www.biotera.com.br contato@biotera.com.br 55 11 4901-6002

×