Valor 8,0/nota 8,0
                              Fundamentos da composição visual


Aline Rodrigues Totti, Semiótica, Docê...
estará ao lado do usuário quando ele for utilizar um programa em seu dia-a-dia. Por exemplo, nos
botões onde só há ícones ...
Figura 1 – Varredura do campo visual na área de trabalho do Windows




Figura 2 – Varredura do campo visual na área de tr...
contrário, quanto mais distante desta intersecção mais aguçado será este elemento. A partir destas
duas situações, nivelam...
Referência Bibliográfica:
      USABILIDOIDO. Disponível em: < http://usabilidoido.com.br/cat_semiotica.html >.
Acesso em:...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Semiotica fundamentos da composição visual (atv07)

1.513 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.513
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Semiotica fundamentos da composição visual (atv07)

  1. 1. Valor 8,0/nota 8,0 Fundamentos da composição visual Aline Rodrigues Totti, Semiótica, Docência no Ensino a Distância. Introdução "A visão global da página irá afetar mais intensamente o sujeito do que um texto longo que descreve as qualidades de algo." Ivone Ferreira Quando se pensa em comunicação visual logo se pensa em linguagens visuais fortemente associadas ao uso do computador ou da internet. Mas a linguagem visual está presente também em outdoors e outros tipos de anúncios publicitários de revistas ou jornais, panfletos ou folders, placas e sinalizações. Se antes tínhamos quadro e giz; cartazes, flip chart, folhetos, modelos e retro-projetor, sem dúvida hoje a vedete da comunicação visual é a internet. Logo, se justifica a preocupação e a necessidade de conhecer os fundamentos da composição e da sintaxe visual a fim de entender como os elementos visuais se oferecem ao sujeito e tirar o melhor proveito disso para uma comunicação bem sucedida. Como as diversas linguagens apresentam índices de composição Na televisão, ultimamente muito influenciada pela linguagem visual usada nos computadores e na internet, aparecem tarjas com informações complementares na parte inferior da tela. São utilizados pequenos anúncios de futuras atrações daquele canal no canto superior direito da tela, exatamente o oposto do que procura nosso olhar, para isso são usados signos atrativos, na maioria das vezes animados, que de alguma forma atraiam a atenção do telespectador para esta área da tela que normalmente não recebe nossa atenção. Nos sites, os menus em sua maioria estão no alto da tela ou do lado direito, locais privilegiados pela varredura do campo visual. Ao criar um site ou programa um designer se questiona, estuda e decide de maneira muito criteriosa sobre como dispor os elementos na tela: menus, campos de busca, ícones, palavras-chave, ilustrações, de acordo com o grau de importância daquele recurso ou quando se trata de um recurso muito utilizado. No caso mais preciso dos programas de computador, a linguagem não verbal tem que ser muito clara a ponto de substituir a verbal em muitos casos, pois o criador do programa ou site não
  2. 2. estará ao lado do usuário quando ele for utilizar um programa em seu dia-a-dia. Por exemplo, nos botões onde só há ícones e não há nenhum texto, este ícone tem que ser muito significativo, para que não haja dúvidas ou ambigüidade sobre a funcionalidade daquele botão fazendo uso de signos explícitos e se possível universais, que seja conhecido ou parecido com o de outros programas ou sites. Se nada disso for possível além de um ícone um botão poderá conter uma mensagem de texto acompanhando, ainda que seja apenas uma palavra (signo + texto = signo coadjuvante). A preferência pelo canto inferior esquerdo Dentre os fundamentos da composição visual vamos destacar primeiramente a preferência pelo canto inferior esquerdo de qualquer plano visual, seja de uma pintura, desenho, tela ou página. Isso acontece porque há uma tendência natural em fazermos primeiramente uma varredura vertical, de cima para baixo, e em seguida uma varredura horizontal, da esquerda para a direita. Este tipo de orientação do olhar favorece nossa atenção para o canto inferior esquerdo do campo visual. Um Web designer ou um Designer de interfaces pode se valer destes recursos de maneiras diversas. Pode reforçar esta tendência colocando itens importantes em locais certamente percorridos pela varredura ou pode criar, por exemplo, um equilíbrio: colocando elementos menos impactantes (equilibrados e nivelados) em locais favorecidos pela varredura do campo visual e elementos mais atrativos (tensionados e aguçados) ou com movimentos em áreas menos favorecidas, para fazer um contra ponto, levando a atenção do usuário para estas áreas desfavorecidas pela varredura. No uso dos computadores um exemplo clássico da preferência pelo canto inferior esquerdo da tela é botão iniciar do Windows, que em algumas versões vem representado apenas pela bandeira a Microsoft e sem nenhum texto do tipo “iniciar” ou “start”, pois se torna um signo cada vez menos particular e cada vez mais explícito. O uso desta região da tela para o botão que dá acesso aos demais programas do computador foi seguido por outros sistemas operacionais como no caso de algumas versões do Linux que adotaram o mesmo layout na disposição dos botões por uma questão de usabilidade.
  3. 3. Figura 1 – Varredura do campo visual na área de trabalho do Windows Figura 2 – Varredura do campo visual na área de trabalho do Metasys Aguçamento e nivelamento De acordo com este fundamento se considerarmos por exemplo uma tela de um computador como um plano retangular e traçarmos eixos imaginários, uma na vertical e outro na horizontal, temos que o objeto que se encontra na intersecção destas linhas está nivelado. Do
  4. 4. contrário, quanto mais distante desta intersecção mais aguçado será este elemento. A partir destas duas situações, nivelamento ou aguçamento, observamos dois extremos: os elementos nivelados estão dentro dos padrões visuais esperados e não geram grande impacto para o usuário do site ou programa, que é nosso exemplo, ao passo que quanto mais aguçados forem os objetos, mais despertariam nossa atenção pois estariam fora dos padrões esperados, gerando curiosidade e interesse. Elementos aguçados ou nivelados podem despertar maior ou menor interesse do usuário para determinadas áreas de sites ou tela de programas. Em muitos sites, no centro da tela, normalmente nivelado, temos o objeto principal: uma notícia, um vídeo, ou o resultado de uma busca, e a sua volta, mais ou menos aguçados, links para outros sites, manchetes de outras notícias, imagens menores, links para vídeos, menus que direcionam para outras partes do site. É importante ressaltar que a escolha pelo nivelamento ou aguçamento tem que ser clara e está relacionada ao objetivo da mensagem: este elemento deve chamar a atenção ou é um elemento secundário? O que não pode ocorrer é a perda do sentido original, por causa de ambigüidades geradas por situações intermediárias em que não se reconhece nem nivelamento nem aguçamento. Conclusão A criação de programas, sites de diversos tipos e sites de AVA devem respeitar os processos cognitivos dos usuários. Uma interface é um dispositivo que serve de limite comum a duas entidades comunicantes que se exprimem numa linguagem específica (sinal elétrico, movimento e língua natural). A interface homem-máquina trata de fazer a conexão entre a imagem externa do sistema e o sistema sensório-motor do homem. Nessas condições aquele que concebe um sistema interativo deve elaborar uma descrição mais precisa possível do problema e dos processos cognitivos do usuário. (Coutaz, 1990) Neste mesmo sentido Edla Maria Faust Ramos complementa: Uma boa roupagem e apresentação do sistema não é suficiente para torná-lo “fácil de aprender e utilizar”. Se as funções do sistema não são de natureza a completar as faculdades do usuário, se sua organização não corresponde à estrutura mental que o usuário tem para a resolução do problema, nenhum efeito de apresentação poderá ser bem sucedido. ( Ramos,1999) O sucesso de um site ou programa muitas vezes está associado ao seu sucesso visual, ao modo criterioso como os elementos foram dispostos, e como os diversos fundamentos da composição visual foram empregados, equilibrados e utilizados em conjunto para facilitar a compreensão do usuário e respeitar sua percepção visual para uma boa comunicação.
  5. 5. Referência Bibliográfica: USABILIDOIDO. Disponível em: < http://usabilidoido.com.br/cat_semiotica.html >. Acesso em: 17 Abr 2010 RAMOS, Edla Maria Faust. Apostila -Ergonomia de Software. Varginha – UNIS/MG, 2000.

×