Aula 5 perfil dos agentes comunitários de saúde

13.998 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.998
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
411
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 5 perfil dos agentes comunitários de saúde

  1. 1. PERFIL DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE ACS: Aline Braúna
  2. 2. COMO INICIOU O PROGRAMA DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE? • Já na década de 80 existiram várias experiências em algumas regiões do Brasil com agentes de saúde, mais na área rural (nordeste do Brasil, São Paulo).
  3. 3. Principais objetivos dos Agentes de Saúde na década de 80: • Proporcionar a extensão do atendimento aos problemas de saúde da população rural, por meio da aplicação de conhecimentos e execução de atividades específicas. • Adotar uma visão global do indivíduo e seu papel na comunidade. • Incorporar um componente de discussão desses problemas de saúde em função das condições gerais de vida da população. • Melhorar a capacidade da comunidade de cuidar da própria saúde. • Organizar a comunidade para lutar pela saúde. • Contribuir na redução da mortalidade infantil e materna. • Aumentar a proporção de mães que alimentam os filhos exclusivamente ao seio até 4 meses de vida.
  4. 4. Como eram selecionados os Agentes de Saúde: • Eram escolhidos por indicação e votação nas reuniões de moradores nos bairros, após discussão dos critérios e características do Agente de Saúde.
  5. 5. QUAIS CARACTERÍSTICAS DO AGENTE DE SAÚDE ERAM ESPERADAS ? (destaques de falas em reuniões de comunidade): • Não fazer distinção entre as pessoas (tratar todo mundo igual). • Saber ler e escrever. • Ser responsável. • Ser maior de idade. • Ter comprometimento com a comunidade. • Ter boa vontade. • Ter tempo.
  6. 6. CARACTERÍSTICAS ESPERADAS: • Ser educado, calmo, atencioso. • Ser decidido. • Não beber. • Ser morador do bairro. • Não ser idoso.
  7. 7. QUEM FOI ESCOLHIDO? • Pessoas que já eram conhecidas dos moradores por desempenharem uma função similar à esperada para o agente. • Pessoas que desenvolviam atividades comunitárias. • Pessoas que já eram habitualmente procuradas para prestar serviços como aplicação de injeção, orientações em geral, curativos, remédios e chás caseiros, etc.
  8. 8. RESULTADOS ALCANÇADOS: • Ampliação do acesso das pessoas; • Confiança depositada pela população; • Atitude e compromisso evidenciado no trabalho; • Melhoria de determinados indicadores (cobertura vacinal, controle do câncer cérvico- uterino, redução de doenças imunopreveníveis, queda da mortalidade infantil por diarréia.
  9. 9. PROGRAMA NACIONAL DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE • Iniciou em 1991 na região Nordeste. • Integrar o agente à equipe, não apenas como um elo entre o sistema de saúde e a população. • Capacidade de resolver ou evitar parte dos problemas que ocasionavam o congestionamento do sistema de assistência à saúde. • Impactos positivos em diversos locais • Contribuição dos agentes no combate à epidemia de cólera.
  10. 10. OBJETIVO GERAL • Transmitir informações e conhecimentos, aumentando assim a capacidade da população de cuidar da sua saúde. • Proporcionar a ligação entre a comunidade e os serviços de saúde locais. • Ampliar o acesso à informação sobre saúde na comunidade. • Cooperar com a organização comunitária, no trato com os problemas de saúde.
  11. 11. 1994 DOCUMENTO DE ORIENTAÇÃO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE • Contribuir na redução da mortalidade materno- infantil. • Provocar a discussão da organização e ou reorganização dos sistemas locais de saúde • Um aglutinador de forças sociais para viabilizar a criação e ou a implementação dos conselhos municipais de saúde. • Uma ponta de lança para mobilização e organização das comunidades.
  12. 12. Principais propostas de atribuição do ACS, desde 1991 • Estimular continuamente a organização comunitária; • Participar da vida da comunidade, principalmente através das organizações, estimulando a discussão das questões relativas à melhoria da qualidade de vida; • Fortalecer os elos de ligação entre a comunidade e os serviços de saúde; • Informar aos demais integrantes da equipe de saúde da disponibilidade, necessidade e dinâmica social da comunidade;
  13. 13. Principais propostas de atribuição do ACS, desde 1991 • Orientar a comunidade para utilização adequada dos serviços de saúde; • Registrar nascimentos, doenças de notificação compulsória e de vigilância epidemiológica e óbitos; • Cadastrar todas as famílias de sua área de abrangência;
  14. 14. Principais propostas de atribuição do ACS, desde 1991 • Identificar e registrar todas as gestantes e crianças de 0 a 6 anos, hipertensos, diabéticos, portadores de hanseníase, tuberculose (e em Florianópolis, serão incluídos os idosos), por meio de visitas domiciliares. • Promoção e ações de saneamento e melhoria do meio ambiente; • Promoção da educação em saúde.
  15. 15. IDENTIDADE DO AGENTE COMUNITÁRIO Não se pretende que os Agentes Comunitários de Saúde venham a substituir ou preencher o papel de outros profissionais de saúde que lutam no sentido de garantir uma melhor assistência à população. Acredita-se que por serem pessoas do povo não só se assemelham nas características e anseios deste povo como também preenchem lacunas, justamente por conhecerem as necessidades desta população.
  16. 16. IDENTIDADE DO AGENTE COMUNITÁRIO (depoimentos de ACS) • “Não substituir o papel de outros profissionais” • “Conhecem a necessidade do povo” • “É viver dia a dia a vida da comunidade” • “É passar pela rua, pela favela, pelo barraco, e sentir que o seu povo necessita do seu trabalho e com o seu trabalho ele pode ajudar a viver melhor.” • “É conhecer todas as famílias, e sentir em todas elas a sua família. É sentir que os filhos de todas as mães são um pouco seus filhos.”
  17. 17. ATUAÇÃO DO ACS NO PSF • Realizar mapeamento da sua área de atuação; • Visita domiciliar e acompanhamento mensal das famílias; • Participação no processo de planejamento e programação local, junto às equipes de Saúde da Família.
  18. 18. COMPETÊNCIA PROFISSIONAL DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE a) interagir com os indivíduos e seu grupo social, com coletividades e a população; b) respeitar valores, culturas e individualidades ao pensar e propor as práticas de saúde; c)buscar alternativas frente a situações adversas, com postura ativa; d) recorrer à equipe de trabalho para a solução ou encaminhamento de problemas identificados;
  19. 19. COMPETÊNCIA PROFISSIONAL DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE e)levar em conta pertinência, oportunidade e precisão das ações e procedimentos que realiza, medindo-se pelos indivíduos, grupos e populações a que refere sua prática profissional; f)colocar-se em equipe de trabalho em prol da organização e eficácia das práticas de saúde; g) pensar criticamente seus compromissos e responsabilidades como cidadão e trabalhador.

×