2013 Encontro de Pine Chemicals São Paulo

662 visualizações

Publicada em

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
662
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
56
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2013 Encontro de Pine Chemicals São Paulo

  1. 1. http://areldorado.com.ar/SHARE/2013-epcsp.pdf
  2. 2. Floresta de Pinus Resina Resinagem Madeira Corte de Madeira Papel Chips Processo Kraft Licor Negro Breu de Tall Oil TOR Sulfato de Terebintina Indústria (*) BreuTerebintina Indústria Resinas de Breu Resinas Politerpênicas Derivados da Terebintina Indústria Indústria Indústria “PINE CHEMICALS” “Pine Chemicals” APC – 18/JULHO/2013
  3. 3. • RESINAS TACKIFICANTES • MERCADO • RESINAGEM / NOVOS CAMINHOS • SUSTENTABILIDADE APC – 18/JULHO/2013
  4. 4. • RESINAS TACKIFICANTES • MERCADO • RESINAGEM / NOVOS CAMINHOS • SUSTENTABILIDADE APC – 18/JULHO/2013
  5. 5. Floresta de Pinus Resina Resinagem Processo Kraft Licor Negro Breu de Tall Oil Sulfato de Terebintina Indústria (*) Terebintina Indústria Resinas de Breu Resinas Politerpênicas Indústria Indústria Breu Petróleo Petroquímica Pygas (C5, C9, DCPD) Resinas Hidrocarbônicas C5 ou C9 (RHC) Indústria “Pine Chemicals” RESINAS DE BREU + RESINAS POLITERPÊNICAS + RESINAS HIDROCARBÔNICAS = RESINAS TACKIFICANTES APC – 18/JULHO/2013
  6. 6. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias. RESINAS TACKIFICANTES APC – 18/JULHO/2013
  7. 7. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon BREU = 1 310 RHC = 1 040T RESINAS POLITERPÊNICAS = 80 RESINAS TACKIFICANTES Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias.APC – 18/JULHO/2013
  8. 8. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon BREU = 1 310 RHC = 1 040T BREU (EX RESINAGEM) = 900 BREU DE TALL OIL = 390 RESINAS POLITERPÊNICAS= 80 WOOD ROSIN = 20 RESINAS TACKIFICANTES Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias.APC – 18/JULHO/2013
  9. 9. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon BREU = 1 310 RHC = 1 040T BREU (EX RESINAGEM) = 900TOR = 390 RESINAS POLITERPÊNICAS= 80 WOOD ROSIN = 20 115 785 Mais do 85% do BREU produzido vem de praticas de resinagem arcaicas, ineficientes e insustentáveis. Menos de 15% do BREU produzido vem de praticas de resinagem modernas, eficientes e sustentáveis. RESINAS TACKIFICANTES Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias.APC – 18/JULHO/2013
  10. 10. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon BREU = 1 310 RHC = 1 040T BREU (EX RESINAGEM) = 900BTO = 390 RESINAS POLITERPÊNICAS= 80 WOOD ROSIN = 20 115 785 RESINAS TACKIFICANTES 1/5 sustentável 4/5 não sustentável Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias.APC – 18/JULHO/2013
  11. 11. • RESINAS TACKIFICANTES • MERCADO • RESINAGEM / NOVOS CAMINHOS • SUSTENTABILIDADE APC – 18/JULHO/2013
  12. 12. APC – 18/JULHO/2013
  13. 13. APC – 18/JULHO/2013
  14. 14. APC – 18/JULHO/2013
  15. 15. 2007 2008 2009 2010 2011 2012 China 176.904 116.526 85.156 117.719 107.687 66.217 Brasil 11.389 15.549 22.028 20.855 13.689 36.140 Indonésia 24.777 15.006 14.860 13.495 10.844 15.368 Total 213.070 147.081 122.044 152.069 132.220 117.725 IMPORTAÇÕES DE BREU – UNIÃO EUROPEIA MT/ano Fonte: Pisters – CGRTC 2013.APC – 18/JULHO/2013
  16. 16. BREU CHINA – Importações vs. Exportações IMPORTAÇÕES EXPORTAÇÕES MT USD/MT MT USD/MT 2012 9.918 1.769 167.721 1.598 2013(Jan/Mai) 11.696 1.487 50.872 1.743 2013(Projetado) 28.071 122.092 Fonte: CNCIC (http://www.chem.cn/ ).APC – 18/JULHO/2013
  17. 17. Os derivados do breu vão dominar o mercado chinês. Zeng Guangjian (Jack) – KOMO Resins 2013 China Gum Rosin Trade Conference, Hangzhou, ZJ, China APC – 18/JULHO/2013
  18. 18. Os derivados do breu vão dominar o mercado chinês. Zeng Guangjian (Jack) – KOMO Resins 2013 China Gum Rosin Trade Conference, Hangzhou, ZJ, China “...China vai no caminho de posicionar-se como o maior fabricante global de resinas de breu, com breu de importação... “ APC – 18/JULHO/2013
  19. 19. • RESINAS TACKIFICANTES • MERCADO • RESINAGEM / NOVOS CAMINHOS • SUSTENTABILIDADE APC – 18/JULHO/2013
  20. 20. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon BREU = 1 310 RHC = 1 040T BREU (EX RESINAGEM) = 900TOR = 390 RESINAS POLITERPÊNICAS= 80 WOOD ROSIN = 20 115 785 Mais do 85% do BREU produzido vem de praticas de resinagem arcaicas, ineficientes e insustentáveis. Menos de 15% do BREU produzido vem de praticas de resinagem modernas, eficientes e sustentáveis. RESINAS TACKIFICANTES Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias.APC – 18/JULHO/2013
  21. 21. Menos de 15% do BREU produzido vem de praticas de resinagem modernas, eficientes e sustentáveis. modernas ... SIM ...si consideramos os 1920’s e 1930’s tempos modernos! APC – 18/JULHO/2013
  22. 22. COMO É PRODUZIDA A OLEORESINA DE PINUS? Alex CUNNINGHAM alexcunn@gmail.com Avaré – 26/Set/2008 1869> US Patent 87,219 R.J.Steel; Espinha de peixe + boxing. 1871> US Patent 111,743 B.I.Hazard; Espinha de peixe + taça.
  23. 23. Alex CUNNINGHAM alexcunn@gmail.com Avaré – 26/Set/2008 1921> Eloise Gerry, fisiologa vegetal do USDA Forest Service, explica como a planta produz a resina (não é seiva!), na sua tese de doutorado - Oleoresin Production: A Microscopic Study of the Effects Produced on Woody tissues of Southern Pines by Different Methods of Turpentining - USDA Bulletim 1064. COMO É PRODUZIDA A OLEORESINA DE PINUS? = SISTEMA “BRASILEIRO” OU AMERICANO DE BARK CHIPPING
  24. 24. 1974> O “Manual” de Ralph Clements faz a descrição completa do único sistema que podemos considerar “moderno”. • A estria não atinge o lenho da árvore. • É repetida cada 15 dias poupando mão de obra. • Utiliza a estimulação química em forma consistente. COMO É PRODUZIDA A OLEORESINA DE PINUS? = SISTEMA “BRASILEIRO” OU AMERICANO DE BARK CHIPPING Alex CUNNINGHAM alexcunn@gmail.com Avaré – 26/Set/2008
  25. 25. COMO É PRODUZIDA A OLEORESINA DE PINUS? Alex CUNNINGHAM alexcunn@gmail.com Avaré – 26/Set/2008 1911> US Patent 1,012,541 J.T. Gilmer, primeiro sistema fechado.
  26. 26. Menos de 15% do BREU produzido vem de praticas de resinagem modernas, eficientes e sustentáveis. modernas ... SIM ...si consideramos os 1920’s e 1930’s tiempos modernos! eficientes ... SIM si comparamos... um operário trabalhando para uma empresa de resinagem de pinus vs. um operário resinando por sua conta. APC – 18/JULHO/2013
  27. 27. RESINEIRO vs. EMPRESA DE RESINAGEM DUAS FORMAS DIFERENTES DE PRODUZIR RESINA NORTE SUL
  28. 28. Menos de 15% do BREU produzido vem de praticas de resinagem modernas, eficientes e sustentáveis. modernas ... SIM ...si consideramos os 1920’s e 1930’s tiempos modernos! eficientes ... SIM si comparamos... um operário trabalhando para uma empresa de resinagem de pinus vs. um operário resinando por sua conta. sustentáveis ... SIM si comparamos... florestas selecionadas para produção de madeira e resina vs. florestas naturais (de baixa densidade e crescimento lento). APC – 18/JULHO/2013
  29. 29. DUAS FORMAS DIFERENTES DE PRODUZIR RESINA EQUADOR TRÓPICO DE CÂNCER TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO NORTE SUL APC – 18/JULHO/2013
  30. 30. FLORESTA NATURAL vs. FLORESTA FORMADA DUAS FORMAS DIFERENTES DE PRODUZIR RESINA NORTE SUL
  31. 31. Menos de 15% do BREU produzido vem de praticas de resinagem modernas, eficientes e sustentáveis. modernas ... SIM ...si consideramos os 1920’s e 1930’s tiempos modernos! eficientes ... SIM si comparamos... um operário trabalhando para uma empresa de resinagem de pinus vs. um operário resinando por sua conta. sustentáveis ... SIM si comparamos... florestas selecionadas para produção de madeira e resina vs. florestas naturais (de baixa densidade e crescimento lento). APC – 18/JULHO/2013
  32. 32. • Aplicas os conhecimentos no processo de produção de resina (OLEORESINOSIS). • Estender o período entre estrias. • Mecanização. APC – 18/JULHO/2013
  33. 33. APC – 18/JULHO/2013
  34. 34. Pine Resin: Biology, Chemistry and Applications Editors: Arthur G. Fett-Neto and Kelly C. S. Rodrigues-Corrêa Pine resin tapping techniques used around the world Alejandro Cunningham Anatomical aspects of resin canals and oleoresin production in pine trees Angel T. Boschiero Ferreira and Mario Tomazello-Filho Physiological control of pine resin production Kelly Cristine da Silva Rodrigues-Corrêa and Arthur Germano Fett-Neto Inducible and constitutive defenses in pine: The ecological role of pine oil Michael A. Phillips Anatomical aspects of resin-based defences in pine Paal Krokene and Nina E. Nagy Genetics of oleoresin production with focus on Brazilian planted forests Ananda Virginia de Aguiar, Jarbas Yukio Shimizu, Valderês Aparecida de Sousa, Marcos Deon Vilela de Resende, Miguel Luiz Menezes Freitas, Mario Luiz Teixeira de Moraes and Alexandre Magno Sebbenn Pine terpene biotransformation Renata P. Limberger, Roselena S. Schuh and Amélia T. Henriques http://researchsignpost.info/UserBookDetail.aspx?bkid=1272&catid=269 APC – 18/JULHO/2013
  35. 35. • RESINAS TACKIFICANTES • MERCADO • RESINAGEM / NOVOS CAMINHOS • SUSTENTABILIDADE APC – 18/JULHO/2013
  36. 36. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon BREU = 1 310 RHC = 1 040T BREU (EX RESINAGEM) = 900BTO = 390 RESINAS POLITERPÊNICAS= 80 WOOD ROSIN = 20 115 785 RESINAS TACKIFICANTES 1/5 sustentável 4/5 não sustentável Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias.APC – 18/JULHO/2013
  37. 37. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon BREU = 1 310 RHC = 1 040T BREU (EX RESINAGEM) = 900BTO = 390 RESINAS POLITERPÊNICAS= 80 WOOD ROSIN = 20 115 785 RESINAS TACKIFICANTES 1/5 sustentável 4/5 não sustentável Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias. Podemos ler na literatura técnica que a pegada de carbono (carbon footprint) do BTO é ~10 vezes menor que a do BREU! APC – 18/JULHO/2013
  38. 38. PRODUÇÃO ANUAL DE RESINAS TACKIFICANTES = 2 430 kTon BREU = 1 310 RHC = 1 040T BREU (EX RESINAGEM) = 900BTO = 390 RESINAS POLITERPÊNICAS= 80 WOOD ROSIN = 20 115 785 RESINAS TACKIFICANTES 1/5 sustentável 4/5 não sustentável Fonte: Baumassy – PCA 2012; estimações próprias. Qual e a pegada de carbono (carbon footprint) do BTO comparado com o BREU “sustentável”? APC – 18/JULHO/2013
  39. 39. CALENDARIO 15 – 17 Setembro / 2013 2013 Pine Chemicals Association International Conference – Barcelona, Espanha. 30 Abril – 2 Maio / 2014 2014 Pine Chemicals Association Spring Meeting – SC, USA. 5 – 7 Julho / 2014 2014 China Gum Rosin Trade Conference, Kunming, YN, China. 8 – 10 Julho / 2014 2014 CHINAEASA, Kunming, YN, China. 7 Agosto /2014 2014 Encontro de Pine Chemicals São Paulo 21 – 23 Setembro / 2014 2014 Pine Chemicals Association International Conference – Seattle, WA, USA. APC – 18/JULHO/2013

×