Profº Dr. José Wagner Cavalcante Muniz
Profª. Msc. Thais Pompeu
Teoria da comunicação
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Sumário
1. Noção de Linguagem,língua e fala.
2. A teoria da comunicação
• Texto base:
•...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Antes de introduzirmos a teoria da
comunicação alguns conceitos precisam ser
pontuados....
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Linguagem:
Linguagem é o meio pelo qual o homem
comunica suas ideias e sentimentos, sej...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
A língua
A língua é um patrimônio social, tanto os signos
como as formas de combiná-los...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
• FALA:
Individualmente, cada pessoa pode utilizar a
língua de seu grupo social de uma ...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Motivos do estudo de língua portuguesa.
Estudar a língua portuguesa é tornar-se apto a
...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
O Ato da comunicação / teoria da comunicação
Esses são os elementos presentes na comuni...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
d) Canal da comunicação ou contato: é o meio pelo qual a
mensagem é transmitida( para q...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Quando você escreve um texto, exerce o papel
de emissor. O receptor é a pessoa ou o gru...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
As funções da linguagem
( tópico complementar).
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Partindo do estudo dos seis elementos da
comunicação, o linguista Roman Jakobson elabor...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
1. Função referencial: referente é o objeto ou
situação de que a mensagem trata. A funç...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de função
referencial
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
2. Função emotiva ou expressiva: por dessa
função, o emissor imprime no texto as
marcas...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de função
emotiva
Disponível em: http://rede.unifreire.org/anapaula/blog/o-
pod...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
3. Função conativa: essa função procura organizar
o texto de forma a que se imponha sob...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de
função conativa.
Disponível em:http://www.alunosonline.com.br/portugues/func...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
4. Função fática: a palavra fático vem do grego
phátis, que significa “ruído”, “rumor”....
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de
função fática
Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnic...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
• 5 . Função metalinguística: quando a
linguagem se volta sobre si mesma,
transformando...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de função
metalinguística
Disponível em: http://inez-nerez.blogspot.com.br/2012...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
• 6. Função poética: quando a mensagem é
elaborada de forma inovadora e imprevista,
uti...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Exemplo de
função poética
http://poesiaconcretistavisual.blogspot.com.br/2010_05_01_arc...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Esquema funções
da linguagem
Disponível em: http://redacaonocafe.wordpress.com/2012/02/...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
O estudo das funções da linguagem é muito
importante para percebermos as diferenças e
s...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Obs: Muito importante: Numa mesma mensagem
escrita, é muito difícil encontrarmos uma ún...
Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
Escrever não é fácil, mas quando a
palavra atinge a rocha e faíscas são
lançadas, que d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu

1.994 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.994
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
193
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu

  1. 1. Profº Dr. José Wagner Cavalcante Muniz Profª. Msc. Thais Pompeu Teoria da comunicação
  2. 2. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Sumário 1. Noção de Linguagem,língua e fala. 2. A teoria da comunicação • Texto base: • INFANTE, Ulisses. Do texto ao texto –curso prático de leitura e redação. São Paulo: Scipione, 1998, p. 17-18 /28- 29/
  3. 3. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Antes de introduzirmos a teoria da comunicação alguns conceitos precisam ser pontuados. São eles: a Linguagem ,língua e fala.
  4. 4. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Linguagem: Linguagem é o meio pelo qual o homem comunica suas ideias e sentimentos, seja através da fala, da escrita ou de outros signos convencionais. Linguística é o nome da ciência que se dedica ao estudo da linguagem. /http://www.significados.com.br/linguagem
  5. 5. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M A língua A língua é um patrimônio social, tanto os signos como as formas de combiná-los são conhecidos e acatados pelos membros da comunidade que a emprega. Pode-se dizer, por isso, que a língua é um verdadeiro “contrato” que os indivíduos de um grupo social estabelecem. Acatados os termos desse contrato, a comunicação está garantida. (INFANTE. 1998. p.28)
  6. 6. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M • FALA: Individualmente, cada pessoa pode utilizar a língua de seu grupo social de uma maneira particular, personalizada, desenvolvendo assim a fala.
  7. 7. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Motivos do estudo de língua portuguesa. Estudar a língua portuguesa é tornar-se apto a utilizá-la com eficiência na produção e interpretação dos textos com que se organiza nossa vida social. Por meio desse estudo, amplia- se o exercício de nossa sociabilidade – e, consequentemente, de nossa cidadania, que passa a ser mais lúcida.(INFANTE, 1998, p.29)
  8. 8. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M O Ato da comunicação / teoria da comunicação Esses são os elementos presentes na comunicação: a)Emissor, destinador ou remetente: é aquele que envia a mensagem (pode ser uma única pessoa ou um grupo de pessoas - uma empresa, um sindicato, uma assembleia, uma emissora de rádio, por exemplo). b) Receptor ou destinatário: é aquele a quem a mensagem é endereçada (um indivíduo ou um grupo); c) Mensagem: é o conteúdo (assunto) das informações que ora são transmitidas. 
  9. 9. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M d) Canal da comunicação ou contato: é o meio pelo qual a mensagem é transmitida( para que haja eficiência nessa transmissão, devemos atrair e prender a atenção do destinatário); e) Código: é o conjunto de signos e de regras de combinação desses signos utilizado para elaborar a mensagem: o emissor codifica aquilo que o receptor irá decodificar (para que isso ocorra satisfatoriamente, emissor e receptor devem dominar o mesmo código); f) Referente ou contexto: é o objeto ou a situação a que a mensagem se refere.
  10. 10. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
  11. 11. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Quando você escreve um texto, exerce o papel de emissor. O receptor é a pessoa ou o grupo a que seu texto é dirigido (pode ser o professor, um colega, sua classe, o pessoal de seu trabalho, a Assembleia Legislativa, etc). A mensagem é aquilo que você está comunicando sobre um objeto ou uma situação (o seu referente). Como você está escrevendo, o canal de comunicação é a própria página sobre a qual o texto está distribuído. Além disso, sua mensagem deve provocar o interesse do receptor. O código utilizado é, muito provavelmente, a língua portuguesa.(INFANTE,1998.p.17)
  12. 12. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M
  13. 13. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M As funções da linguagem ( tópico complementar).
  14. 14. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Partindo do estudo dos seis elementos da comunicação, o linguista Roman Jakobson elabora as seis funções da linguagem.
  15. 15. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M 1. Função referencial: referente é o objeto ou situação de que a mensagem trata. A função referencial privilegia justamente o referente da mensagem, buscando transmitir informações objetivas sobre ele. Valoriza-se, assim,o objeto ou a situação de que trata a mensagem, sem que haja manifestações pessoais ou persuasivas. É a função que predomina nos textos de caráter cientifico. É também a função que muitos textos jornalísticos buscam privilegiar.(INFANTE, 1998, p.214)
  16. 16. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função referencial
  17. 17. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M 2. Função emotiva ou expressiva: por dessa função, o emissor imprime no texto as marcas de sua atitude pessoal: emoções, avaliações, opiniões. Podemos sentir no texto a presença do emissor.(que pode ser mais clara ou sutil). Nas cartas pessoais, nas resenhas críticas, na poesia confessional, nas canções sentimentais predomina essa função.(INFANTE, 1998,p.214)
  18. 18. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função emotiva Disponível em: http://rede.unifreire.org/anapaula/blog/o- poder-da-imagem
  19. 19. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M 3. Função conativa: essa função procura organizar o texto de forma a que se imponha sobre o receptor da mensagem, persuadindo-o, seduzindo-o. Nas mensagens em que predomina essa função (como, por exemplo, as publicitárias. (infante, 1998,p.215)
  20. 20. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função conativa. Disponível em:http://www.alunosonline.com.br/portugues/funcoes-de- linguagem.html
  21. 21. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M 4. Função fática: a palavra fático vem do grego phátis, que significa “ruído”, “rumor”. Foi utilizada inicialmente para designar certas formas que se usam para chamar a atenção(verdadeiros “ruídos, como psiu, ahn, ei. Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou contato, buscando verificar e fortalecer sua eficiência.Para ela contribuem, nos textos escritos, desde a disposição gráfica sobre o papel até a seleção vocabular e as estruturas de frases utilizadas.( INFANTE, 1998,p.215)
  22. 22. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função fática Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html? aula=15159
  23. 23. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M • 5 . Função metalinguística: quando a linguagem se volta sobre si mesma, transformando-se em seu próprio referente, ocorre a função metalinguística. Dessa forma, nos textos metalinguísticos a mensagem se orienta para os elementos do código, explicando-os definindo-os ou analisando-os.(INFANTE, 1998,p.216)
  24. 24. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função metalinguística Disponível em: http://inez-nerez.blogspot.com.br/2012/10
  25. 25. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M • 6. Função poética: quando a mensagem é elaborada de forma inovadora e imprevista, utilizando combinações sonoras ou rítmicas, jogos de imagem ou de ideias, temos a manifestação da função poética da linguagem. Nessa função, a linguagem é manipulada de forma pouco convencional, capaz de despertar no leitor surpresa e leitor prazer estético. A função poética predomina na poesia, mas pode também ser encontrada em textos publicitários, em determinadas formas jornalísticas e populares (linguagem dos cronistas e provérbios, por exemplo). (INFANTE, 1998,p.216)
  26. 26. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Exemplo de função poética http://poesiaconcretistavisual.blogspot.com.br/2010_05_01_archive.html
  27. 27. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Esquema funções da linguagem Disponível em: http://redacaonocafe.wordpress.com/2012/02/03/funcoes-da-linguagem- qual-a-importancia-na-redacao/
  28. 28. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M O estudo das funções da linguagem é muito importante para percebermos as diferenças e semelhanças existentes entre os vários tipos de mensagem. Analisando o modo como essas funções se organizam nos textos alheios podemos detectar as finalidades que orientaram sua elaboração.(INFANTE, 1998, p.217)
  29. 29. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Obs: Muito importante: Numa mesma mensagem escrita, é muito difícil encontrarmos uma única dessas funções isoladamente. O que ocorre, de modo geral, é a superposição de várias delas. Há no entanto, uma ou mais de uma que se sobressai(geralmente uma), permitindo identificar o elemento comunicativo a que se dá mais destaque.(INFANTE,1998.p.217 adaptado)
  30. 30. Profº Dr. José Wagner Cavalcante M Escrever não é fácil, mas quando a palavra atinge a rocha e faíscas são lançadas, que deleite! Todo esforço vale a pena. Frase de Inajá Martins de Almeida

×