Psicologia Liderança

507 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
507
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia Liderança

  1. 1. LIDERANÇA
  2. 2. CONCEITO DE LIDERANÇALiderança é a capacidade de exercer a influência sobre aspessoas. Sem liderança não á organização.
  3. 3. PODER E LIDERANÇAA capacidade de exercer uma liderança, uma forma de poderinerente ao individuo, constitui um atributo da pessoa, exercido porela de acordo com a circunstâncias.
  4. 4. INsTALAÇãO DA LIDERANÇAProfissionais com diferentes níveis de formas e experiência,escolhidos ao acaso, mencionaram os seguintes atributos de pessoasreconhecidas, por eles, como lideres:Lembrar nomes das pessoas, mesmo sem há ver por um longoperíodo.Estar sempre sorrindo e isso anima as pessoas. Quando alguémfaz serviço bem feito, ele acha tempo de elogiar.
  5. 5. HABILIDADEs INTERPEssOAL Autoconhecimento Convicção Autoconfiança Comportamentos de líder Expansividade Inteligência Estabilidade emocional Entusiasmo Sensibilidade Confiança Imaginação Espírito critico Senso de justiça Disciplina
  6. 6. HABILIDADEsHabilidades não se confundem com conhecimentos.Uma habilidade é um conhecimento posto em prática. Tipos de Habilidades: Observar Escutar Falar Envolvimento Compreensão Congruência Dar e receber feedback Expressão corporal Orientar
  7. 7. HABILIDADE PARA OBSERVAR Observar compreende: Perceber as mensagens não verbais contidas nos comportamentosda(s) pessoa(s); Identificar os comportamentos favoráveis e não favoráveis aosobjetivos pretendidos, a forma como eles acontecem e os fenômenos queos desencadeiam, para reforçar os favoráveis e neutralizar os nãofavoráveis; Discriminar detalhes dos comportamentos que passam despercebidospelas pessoas, desde aspectos relacionados à postura física, até inflexõesde voz; Identificar características comportamentais das pessoas, manifestadasde forma crônica ou impulsiva, merecedoras de atenção por parte deespecialistas em comportamento, visando reorientação ou adequação.
  8. 8. HABILIDADE PARA OBSERVAR O bom observador: É paciente; É detalhista; É discreto; É privado; É neutro.
  9. 9. HABILIDADES PARA ESCUTARA observação usa todos sentidos e a escuta faz parte dela. A grandedificuldade de escutar encontra-se na falta de modelos efetivos de“escutadores”, segundo Miranda e Miranda. Fatores recomendados para o líder se aperfeiçoar na arte de escutar: Falar tem efeito terapêutico; A função terapêutica de falar não depende da proximidade ouviabilidade da solução pretendida pelo profissional; Quando fala, o profissional também ordena suas ideias; a oportunidadede se expressar oralmente leva a pessoa a reflexões que, sem esseestímulo, ela não faria. No falar, com frequência, o indivíduo acabamodificando esquemas de pensamentos, porque se vê forçado a outrotipo de ordenação de ideias, para ajustar-se ao que escuta.
  10. 10. HABILIDADES PARA ESCUTAR Regras que auxiliam a melhora da escuta:a.“Estruturar” os conteúdos das mensagens no esquema dos “5W +1H”;b.Clarificar os conteúdos para assegurar que o entendimento aconteceude forma correta;c.Atendar para elementos especiais da expressão corporal queacompanha a fala;d.Atentar para dois sinais fundamentais, úteis para separar aquilo quetem maior relevância.
  11. 11. A.“ESTRUTURAR” OS COnTEúDOS DASmEnSAgEnS nO ESqUEmA DOS “5W + 1H”:O que (what) o indivíduo falaFixar-se nas palavras em si, sem procurarsegundas intensões ou significados ocultosPor que (why) ele o fazCertificar-se de que a pessoa expressa o realsentimento que a leva a fala e da forma comofala.Quando ( when) a fala ocorreAssociar o relato com o timing: logo após umevento traumático; antes de uma experiênciacapaz de produzir ansiedade, etc.Onde (where) ele escolhe falarAssociar o local escolhido para estabelecer acomunicação, com o tema tratado: a oficina, oescritório, em particular, no restaurante, etc.Quem (who) falaVerificar se a pessoa assume o que fala ou suasafirmações a colocam na condição de umrepresentante de um grupo, por exemplo.Como (how) ele falaConcentrar-se nos aspectos perceptuais da fala:linguagem, entonação, repetição, etc.
  12. 12. B. CLARIfICAR OS COnTEúDOSPARA ASSEgURAR qUE OEnTEnDImEnTO ACOnTECEU DEfORmA CORRETA:Não se deve hesitar em pedir para a pessoa repetir. Umaforma elegante de fazer isso consistem em dizer:“Vou repetir com as minhas palavras, para ter certeza deque entendi corretamente”.
  13. 13. C. AtendAr pArA elementosespeCiAis dA expressão CorporAlque ACompAnhA A fAlA: Gaguejo; Rubor repentino; Tremor das mãos, dos lábios, da face; Desvio do olhar; Variação no ritmo da respiração; Agitação geral; Suor excessivo, etc.
  14. 14. d. AtentAr pArA dois sinAisfundAmentAis, úteis pArAsepArAr Aquilo que tem mAiorrelevânCiA:1. O que se repete na fala: as pessoas, inconscientemente, insistemnaquilo que tem real importância para elas.2. A intensidade com que se fala, medida pelo tom de voz e por outroselementos (olhar, entonação, rubor, tremor, escolha de palavras demaior impacto, etc.).
  15. 15. hABilidAde pArA fAlArA qualidade de escuta, muitas vezes, manifesta-se quando apessoa responde a uma pergunta explícita ou implícita ou,simplesmente, opina.A fala da pessoa que escuta pode sinalizar o grau decompreensão.A fala pode ser o veículo de transporte de mecanismo de defesadaquele que escuta:a. Deslocamento para outro assunto;b. Identificação com o que fala;c. Distração;d. Fantasia;e. Negação da realidade;f. Racionalização.
  16. 16. envolvimentoVer e escutar em profundidade requerem envolvimento, isto é, acapacidade de, em um momento, fazer parte da situação que cerca o problemaque o outro apresenta.Líderes desenvolvem extraordinária habilidade para demonstrarenvolvimento, dando á outra pessoa a percepção de compartilharem osmesmos valores. Algumas técnicas contribuem para solidificar ou aumentaressa percepção de envolvimento: Opinar sobre conteúdo dos trabalhos que as pessoas realizam; Utilizar o jargão técnico dos liderados; Compartilhar programas de desenvolvimento; Avaliar; Visitar; Trocar e-mails; Vestir-se de maneira apropriada à intenção, ao momento e ao local; Demonstrar visibilidade.
  17. 17. CompreensãoObservar, escutar e envolver-se com as questões dos lideradoscontribui para o desenvolvimento da compreensão. Ela requergenuína disposição ao interior de aceitar as informações, sempreconceito e juízos de valor.Compreender não significa “concordar com”.O líder compreende as forças que movem os liderados;adquirem sensibilidade para perceber as fraquezas e os pontos fortes –sem isso, não saberá neutralizar aquelas e obter resultados com estes.Ao compreender, o líder discrimina a “figura” e o “fundo” nasmensagens, o essencial e o acessório; identifica esquemas depensamentos e, até, mecanismos de defesa dos liderados.O líder demostra a compreensão de uma ideia, colocação oureclamação de várias formas.
  18. 18. ConGruÊnCiAO líder desempenha, querendo ou não, o papel de modelo para oliderado.Por esse motivo, manter e demonstrar absoluta congruência entrefala e ação, tem muita importância do ponto de vista emocional.Comportamentos paradoxais do líder destroem sua imagem depessoa significativa. O autoconhecimento permite-lhe manter-se atentoa possíveis incongruências.Exemplo:O supervisor de uma equipe apregoava que a confiançaconstituía a base do relacionamento em sua seção; por outro lado.Controlava rigorosamente o tempo de execução de casa atividade paracertificar-se de que não havia “acomodação”.
  19. 19. DAR E RECEBER FEEDBACKSegundo Fela Moscovici,“Feedback é um processo de ajuda para mudanças decomportamento; é comunicação a uma pessoa, ou grupo, no sentido defornecer-lhe informações sobre como sua atuação está afeitando outraspessoas”.Faz parte do exercício da liderança a disposição para aceitar edar feedback, com o objetivo de assegurar a boa qualidade dacomunicação com os liderados.O líder deve manter-se atento à presença de mecanismos dedefesa, capazes de prejudicar ou viabilizar a comunicação, algunsdeles são: Isolamento; Negação da realidade; Racionalização; Deslocamento; Distração.
  20. 20. EXPRESSÃO CORPORALMuitos líderes desenvolveram notável habilidade para interpretarexpressões corporais.Eles reconhecem que o corpo não mente e discriminamimperceptíveis sinais que passariam totalmente despercebidos pelaspessoas em geral.Identificação de elementos das expressões corporais:Compatibilidade entre expressão verbal e corporal;Comportamento fora do usual;Silêncio excessivo;Fala descoordenada ou exagerada;Mudança de hábitos.
  21. 21. HABILIDADE PARA ORIENTAR Orientar compreende:a. Identificar o que deve ser comunicado ao liderado;b. Utilizar a forma adequada de promover a comunicação. O comopossui tanta importância quanto ao conteúdo;c. Comunicar o momento adequado. Quando associa-se ao “como”;d. Diagnosticar o motivo;e. A escolha apropriada do local.
  22. 22. ERROS COMPORTAMENTAISErros grosseiros de comportamento comprometem os esforçospara estabelecer uma relação de genuína liderança. Os que se encontramdescritos a seguir não esgotam as possibilidades.a.Realizar atividades paralelas enquanto escuta;b.Permitir interrupções por terceiros;c.Escolher locais inadequados ao relacionamento interpessoal;d.Interromper em momentos inadequados;e.Atender em momentos ou situações inadequadas para quem escuta;f.Preocupar-se mais em julgar do que em escutar.

×