Folksonomias

1.646 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre folksonomias.

Publicada em: Tecnologia, Educação
1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.646
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
272
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folksonomias

  1. 1. Fonte: MATHES, A. Folksonomies – Cooperative Classification and Comunication Trough Shared Metadata. Disponível em: http://www.adammathes.com/academic/computer-mediated-communication/folksonomies.html Acesso em 13/05/2008. Folksonomies Cooperative Classification and Communication Through Shared Metadata Mestrado em Ciência da Informação – UFSC PCI3214 – Recuperação Inteligente de Informação Prof. Dr. Angel Freddy Godoy Viera Aluna: Alessandra Galdo Alessandra Galdo
  2. 2. Folksonomy: o termo <ul><li>Folks + taxonomy </li></ul><ul><ul><li>(pessoal, gente, turma + taxonomia ) </li></ul></ul><ul><ul><li>“ gentonomia” </li></ul></ul><ul><li>Collaborative tagging, social classification, social indexing, and social tagging </li></ul><ul><li>Expressão creditada ao arquiteto da informação, Thomas Vander Wal </li></ul><ul><li>Classificação coletiva e colaborativa. Ferramenta típica da denominada Web 2.0. </li></ul><ul><li>Hipoteticamente, possibilitaria a construção de taxonomias </li></ul>Alessandra Galdo
  3. 3. Folksonomia: conceito <ul><li>Trabalho colaborativo de classificação das informações web, em que os usuários indexam as informações a partir de tags (rótulo, legenda) e esse trabalho colaborativo é compartilhado com outros usuários. </li></ul><ul><li>As tags permitem que o usuário recupere as informações ou as compartilhe, bem como visualize e acesse as tags de outros usuários. </li></ul><ul><li>Uma ferramenta que use a folksonomia, em geral, permite identificar o grau de popularidade de cada tag no sistema. </li></ul>Alessandra Galdo
  4. 4. Nuvem de tags <ul><li>Uma das formas de se navegar pelas tags classificadas pelos usuários é por meio da “nuvem” de tags (tag cloud). O tamanho das letras ou a cor das palavras indica a popularidade de uma tag. </li></ul>Imagem gerada com a ferramenta TagCrowd (http://www.tagcrowd.com/). Alessandra Galdo
  5. 5. Origem das tags: Folksonomic Zeitgeist (http://forumpcs.com.br/coluna.php?b=141582) Definida como forma visual de expor a classificação dos usuários. Um quadrado com as palavras com o corpo da fonte em tamanhos variáveis, de acordo com seu número de votos. Quanto maior for a palavra, mais citada ela foi. A classificação pode ser visualizada também por cores diferentes. Alessandra Galdo
  6. 6. Folksonomias: considerações (Mathes) <ul><li>O artigo de Mathes analisa metadados gerados pelo usuário (user-generated metadata) em dois serviços web que têm como objetivo, compartilhar e organizar conteúdos digitais. O resultado esperado pelo autor está em compreender as raízes da classificação por esse meio. </li></ul><ul><li>(MATHES, A. Folksonomies – Cooperative Classification and Comunication Trough Shared Metadata. ) </li></ul>Alessandra Galdo
  7. 7. Comparação: metadados classificados por profissionais <ul><li>A criação de metadados tem sido feita por profissionais da informação. Em bibliotecas primeiramente são organizados em registros catalográficos por profissionais que trabalham com complexas e detalhadas regras e com vocabulário controlado. </li></ul><ul><li>O campo da biblioteconomia desenvolveu regras de elaboradas e esquemas para catalogação, categorização e classificação, além de vocabulários controlados e descritores de conteúdos de documentos. </li></ul><ul><li>A dificuldade está na classificação de enormes bases de informação como é o caso da Web. </li></ul>Alessandra Galdo
  8. 8. Comparação: metadados classificados por autores <ul><li>O movimento dos autores descrevendo seus próprios documentos é proclamado pela Dublin Core Metadata Iniatitive . </li></ul><ul><li>O problema é que muitas vezes os autores usam descrições inadequadas ou pouco exatas por não possuírem conhecimento específico de sistemas de catalogação. </li></ul>Alessandra Galdo
  9. 9. Comparação: metadados classificados por usuários <ul><li>Sistemas web em que o usuário descreve os metadados de documentos e mídias em geral em função de seu próprio uso e compartilha essa classificação com uma determinada comunidade. </li></ul><ul><li>O trabalho de Mathes analisa dois sistemas que utilizam “user-generated metadata”, o Del.icio.us ( http://del.icio.us ) que busca organizar e recuperar documentos em geral e o Flickr ( http://www.flickr.com ) específico para fotografias. </li></ul>Alessandra Galdo
  10. 10. Análise <ul><li>Apesar do termo “folksonomy” utilizar a espressão “taxonomy”, não há no sistema de tags, classificação e hierarquia de relações entre os termos como em uma taxonomia. </li></ul><ul><li>Uma das muitas limitações de busca a partir das tags, se dá por não comporem um vocabulário controlado, o que gera ambiguidade, não diferenciação de sinôminos, ou diferenciação entre singular ou plural. Por exemplo, flower e flowers são tags diferentes se referindo à mesma coisa. </li></ul>Alessandra Galdo
  11. 11. Análise <ul><li>Essas limitações, aliadas à necessidade de esforço do usuário na “classificação” dos documentos, levam à pergunta: Onde está o apelo e utilidade desses sistemas, tão bem aceitos? </li></ul><ul><li>A primeira resposta é a “serendibity”(ability to make valuable discoveries by accident). </li></ul><ul><li>Há que levar em conta também a diferença fundamental entre Browsing e Finding. Esses sistemas permitem a busca através de Browsing, levando à descobertas inesperadas em determinada área. </li></ul>Alessandra Galdo
  12. 12. Análise <ul><li>Uma das mais poderosas características da “folksonomy” é que ela reflete o vocabulário dos usuários, a ponto de alguns autores (Peter Merholz) defenderem o estudo da “folksonomy” na construção dos vocabulários controlados. </li></ul><ul><li>A outra grande questão está no contexto de uso desses sistemas. Mais do que permitir a categorização, ou mesmo a organização individual de informações, sua força está na comunicação, no compartilhamento, ou seja na natureza comunicativa do uso das tags. </li></ul>Alessandra Galdo
  13. 13. Conclusão <ul><li>Mathes conclui que a folksonomia representa simultaneamente o melhor e o pior da organização da informação. Sua natureza não controlável, caótica sofre de imprecisão e ambiguidade que poderiam ser melhoradas por vocabulários controlados. Por outro lado, esses sistemas permitem que o usuário organize as informações a seu modo e participe ativamente, transformando a criação de metadados em uma atividade comunicativa e colaborativa . </li></ul>Alessandra Galdo

×