Etiquetagem de Edifícios - Projeto 3E (MMA) - Envoltória parte 1

818 visualizações

Publicada em

Material didático sobre Etiquetagem de Edifícios voltado para Envoltória
Iniciativa: Projeto 3E - Ministério do Meio Ambiente

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
818
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
87
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Etiquetagem de Edifícios - Projeto 3E (MMA) - Envoltória parte 1

  1. 1. CURSO 20H - envoltória etiquetagem de edifícios comerciais, de serviços e públicos (etiqueta pbe-edifica)
  2. 2. Coordenação: Ministério do Meio Ambiente (MMA), por meio da Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental (SMCQ) Supervisão: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Financiamento: Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) Apoio Operacional: Escola de Administração Fazendária (ESAF) Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética
  3. 3. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Esse produto específico é um Plano de Capacitação, com 16 treinamentos sobre etiquetagem “PBE Edifica” para os setores público e privado para aproximadamente 270 pessoas, em todas as regiões do país
  4. 4. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Em Parceria: Laboratório de Controle Ambiental da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (LACAM/FAU/UnB) Apoio: Rede de Eficiência Energética em Edifícios Execução do Plano de Capacitação: Quali-A Conforto Ambiental e Eficiência Energética LTDA
  5. 5. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Equipe executora: Profa. Cláudia Naves D. Amorim (LACAM/FAU/UnB) Profa. Júlia Teixeira Fernandes (Quali-A) Prof. Caio Frederico e Silva (LACAM/FAU/UnB) Profa. Milena Sampaio Cintra (Quali-A)
  6. 6. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética OBJETIVO: Atualizar, aperfeiçoar e gerar conhecimentos relativos a Etiquetagem de Edifícios Públicos, propiciando maior capacitação aos servidores e gestores públicos federais envolvidos com as atividades próprias do ciclo de gestão de recursos públicos
  7. 7. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética PROGRAMAÇÃO:
  8. 8. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória (peso 30%) Iluminação Artificial (peso 30%) Condicionamento de Ar (peso 40%) Bonificações (até um ponto extra) Pré-requisitos Gerais (obrigatórios) O que é avaliado na edificação para a Etiqueta PBE-Edifica?
  9. 9. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Etiquetagem da Envoltória
  10. 10. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória O que é envoltória? A envoltória (envelope ou pele) é entendida como os planos externos da edificação que realizam as trocas termo-energéticas entre os ambientes interno e externo.
  11. 11. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Qual a importância da envoltória? O homem sempre precisou adaptar-se ao meio e criar edificações que garantissem conforto. Não existia energia elétrica e por isso a arquitetura deveria ser bem pensada de acordo com o clima local! A arquitetura garantia o conforto ambiental dos espaços!
  12. 12. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Qual a importância da envoltória? A envoltória influencia na eficiência dos outros sistemas, e por isso é obrigatória sua etiquetagem, pois: Controla as variáveis do meio (temperatura, ventos, umidade, radiação, precipitações) Determina a quantidade e qualidade da Luz luz natural Determina a carga térmica para o Ar condicionamento de ar
  13. 13. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória E como deve ser a arquitetura eficiente? A arquitetura eficiente deve ser projetada de acordo com o clima local para diminuir os gastos energéticos (condicionamento de ar e iluminação artificial). Para isso são utilizadas estratégias passivas: ventilação e iluminação naturais; materiais com transmitância térmica e absortância adequadas, proteção solar, etc
  14. 14. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Estratégias bioclimáticas Fórum Verde (TJDF-T) - Brasília Arq. Siegbert Zanettini Masdar Institute – Emirados Árabes Arq. Norman Foster
  15. 15. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Estratégias bioclimáticas Klima Hotel – Bozen, Itália Arq. Matteo Thun Centro de Proteção Ambiental de Balbina Arq. Severiano Portoni
  16. 16. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Estratégias bioclimáticas Hospital Sarah Lago Norte– Brasília/DF Arq. João Filgueiras Lima ( Lelé)
  17. 17. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Estratégias bioclimáticas Sede Sebrae Nacional - Brasília-DF Arq. Alvaro Puntonini FHE – Brasília/DF Arq. Danilo Macedo, Elcio Gomes, Fabiano Sobreira, Newton Godoy, Filipe Monte Serrat e Daniel Lacerda
  18. 18. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Estratégias bioclimáticas Cenpes – Rio de Janeiro/RJ Arqs. Siegbert Zanettini & José Wagner Garcia
  19. 19. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Prática recorrente Brasília ManausSão Paulo Curitiba Rio de Janeiro
  20. 20. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Edifícios Comerciais, de Serviço e Públicos (RTQ-C) “Edifícios públicos e/ou privados usados com finalidade que não a residencial ou industrial. São considerados comerciais, de serviços e públicos: escolas; instituições ou associações de diversos tipos, incluindo prática de esportes; tratamento de saúde de animais ou humanos, tais como hospitais, postos de saúde e clínicas; vendas de mercadorias em geral; prestação de serviços; bancos; diversão; preparação e venda de alimentos; escritórios e edifícios empresariais (...); meios de hospedagem. (...)”
  21. 21. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória E o que influencia no desempenho da envoltória? Vários aspectos influenciam no desempenho da envoltória. São eles: FUNÇÃO DO EDIFÍCIO Residencial PúblicoComercial
  22. 22. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória LOCALIZAÇÃO/ Latitude e Clima Brasília -15° 46' 47'' Curitiba -25° 25' 40''
  23. 23. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ZONA CLIMÁTICA “Região geográfica homogênea quanto aos elementos climáticos que interferem nas relações entre ambiente construído e conforto humano de acordo com a NBR 15.220 – Parte 3.“ Na NBR 15.220 há uma lista com 330 cidades.
  24. 24. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ZB 1 _ Curitiba ZB 2 _ Pelotas ZB 3 _ Belo Horizonte - ZB 3 _ Porto Alegre ZB 3 _ Florianópolis ZB 3 _ São Paulo ZB 4 _ Brasília ZB 5 _ Santos ZB 5 _ Niteroi Goiânia _ ZB 6 Campo Grande_ ZB 6 Cuiabá _ ZB 7 Teresina _ ZB 7 Rio de Janeiro _ ZB 8 Manaus _ ZB 8 Salvador _ ZB 8 Fortaleza _ ZB 8 Vitória _ ZB 8 RTQ: para cada ZB existem 2 equações para cálculo da envoltória.
  25. 25. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória IMPLANTAÇÃO ENTORNO E ORIENTAÇÃO
  26. 26. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória FORMA DOS EDIFÍCIOS
  27. 27. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória DIMENSIONAMENTO E ORIENTAÇÃO DAS ABERTURAS
  28. 28. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PROTEÇÃO SOLAR NAS ABERTURAS
  29. 29. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PROTEÇÃO SOLAR NAS ABERTURAS
  30. 30. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória
  31. 31. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAS TRANSPARENTES
  32. 32. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória OPACOS CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAS Transmitância Térmica
  33. 33. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória
  34. 34. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PARA ARQUITETURA www.projeteee.ufsc.br
  35. 35. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória www.projeteee.ufsc.br
  36. 36. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória www.projeteee.ufsc.br Sombreamento das aberturas Ventilação Natural
  37. 37. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória www.projeteee.ufsc.br Inércia Térmica Aquecimento Solar Passivo Resfriamento Evaporativo
  38. 38. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PARA ARQUITETURA
  39. 39. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Como é feita a Etiquetagem da Envoltória?
  40. 40. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Aenv: “Área da envoltória (m2): soma das áreas das fachadas, empenas e cobertura, incluindo as aberturas.” Entra no cálculo do Fator de Forma (equação). Aenv = Área das 4 Fachadas (30 + 30 + 15 + 15) + Área da Cobertura (50) Aenv = 140 M²
  41. 41. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Subsolo com algumas paredes em contato com o solo. As paredes do subsolo que estão em contato com o ar são conside- radas como parte da envoltória.
  42. 42. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória FACHADA E ORIENTAÇÃO SOLAR Fachadas: “Superfícies externas verticais ou com inclinação superior a 600 em relação à horizontal. Inclui as superfícies opacas, translúcidas, transparentes e vazadas, como cobogós e vãos de entrada.” Orientações: sempre N, S, L ou O • Norte: 0 a 45° e de 315,10° a 360° • Leste: 45,10° a 135° • Sul: 135,10° a 225° • Oeste: 225,10° a 315
  43. 43. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória FACHADA E ORIENTAÇÃO SOLAR
  44. 44. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÁREA DE PROJEÇÃO DA COBERTURA Apcob: “Área da projeção horizontal da cobertura (m2), incluindo terraços cobertos ou descobertos e excluindo beirais, marquises e coberturas sobre varandas – esta última, desde que fora do alinhamento do edifício.” Entra no cálculo de Fator de Altura (equação) Apcob = Área 1 (50m2) + Área 2 (100m2) + Área 3 (100m2) ___________________ Apcob = 250m2
  45. 45. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÁREA DE PROJEÇÃO DA COBERTURA Ape: “Área de projeção média dos pavimentos (m2), excluindo subsolos.” Escolha da equação. Ape= (Soma 7 pavimentos) / 7 Ape = (2x250 + 2x150 + 3x50) / 7 Ape = 950 / 7____________________________________ Ape = 135,71 m2
  46. 46. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÁREA TOTAL CONSTRUÍDA Atot: “Soma das áreas de piso dos ambientes fechadas da construção, medidas externamente.” Entra no cálculo do Fator Altura (equação). Edicío de 2 Pavimentos (sem subsolo): Térreo : Atot(térreo) = 10 x 10 = 100m2 – Elevadores e Shafts Atot(térreo) = 100 – (4 + 4 + 1 + 1) = 90m2 Pavimento Superior : Atot(sup) = 10 x 25 = 250m2 – Elevadores e Shafts Atot(sup) = 250 – (4 + 4 + 1 + 1) = 240m2 A tot: Atot(terreo) + Atot(sup) Atot = 90 + 240 Ou seja: considera as alvenarias e fechamentos e desconsidera rasgos, vãos de elevadores, mezaninos, shafts, etc.
  47. 47. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Atot: “Soma das áreas de piso dos ambientes fechadas da construção, medidas externamente.” Escada: É considerada no cálculo de Atot : Soma de todos os pisos dos degraus!! ÁREA TOTAL CONSTRUÍDA
  48. 48. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ABERTURAS “Todas as áreas da envoltória do edifício, com fechamento translúcido ou transparente (que permite a entrada da luz), incluindo janelas, painéis plásticos, clarabóias, portas de vidro (com mais da metade da área de vidro) e paredes de blocos de vidro. Excluem-se vãos sem fechamentos, elementos vazados como cobogós e caixilhos”
  49. 49. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Aberturas consistem em:
  50. 50. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Aberturas NÃO consistem em:
  51. 51. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PAFt: “É calculado pela razão entre a soma das áreas de abertura envidraçada, ou com fecha- mento transparente ou translucido, de cada fa- chada e a área total de fachada da edificação. Refere-se exclusivamente a aberturas em pare- des verticais com inclinação superior a 60° em relação ao plano horizontal, tais como janelas tradicionais, portas de vidro ou sheds, mesmo sendo estes últimos localizados na cobertura. (...) Neste RTQ, sua inserção nas equações deve ser sob forma de fração (0 a 1).” Entra na equação ->
  52. 52. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PERCENTUAL DE ABERTURA NAS FACHADAS PAF - termo geral PAFT - de todas as fachadas (total) PAFO - da fachada oeste (pior orientação: insolação e altas temperaturas) PAFT = Área de Abertura ________________________ % Área Total da Fachada
  53. 53. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PERCENTUAL DE ABERTURA NAS FACHADAS
  54. 54. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PERCENTUAL DE ABERTURA NAS FACHADAS O cálculo do PAFt deve excluir as áreas das esquadrias (caixilhos). PAFt refere-se às partes com materiais transparentes ou translúcidos, exceto no caso de juntas entre folhas de vidro (borracha, selantes ou similares). O PAF é medido em vista ortogonal (fachadas).
  55. 55. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PERCENTUAL DE ABERTURA NAS FACHADAS PAFT = Área de Aberturas _____________________ Área de fachadas
  56. 56. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória
  57. 57. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória
  58. 58. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Escolher entre PAFt ou PAFo PAFt = 0.13 PAFo = 0,37 Verificação: Usar PAFo na equação, se for maior de PAFt em 20% Cálculo: PAFt = 0,13 Limite para PAFo = PAFt + 20% de PAFt 0,13 + (0,2 x 0,13) = 0,15 Valor Limite para usar o PAFt Como o PAFo 0,37>0,15 o PAFt adotado será 0,37 (pior situação, com muita abertura na fachada oeste) PAFt = 0,37
  59. 59. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PERCENTUAL DE ABERTURA ZENITAL - PAZ PAZ: “Percentual de área de abertura zenital na cobertura (%). Refere-se exclusivamente a aberturas em superfícies com inclinação inferior a 60º em relação ao plano horizontal. Deve-se calcular a projeção horizontal da abertura. Acima desta inclinação, ver PAFT.”
  60. 60. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória PERCENTUAL DE ABERTURA ZENITAL - PAZ Abertura A Abertura B Projeção de A e B PAZ contabilizafo através da projeção horizontal. Aberturas com dimensões diferentes podem ter a mesma projeção
  61. 61. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória
  62. 62. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Pré-requisito na etiquetagem da envoltória: APENAS PARA NÍVEIS A E B OBS: O limite máximo de 5% de PAZ pode ser ultrapassado caso o método de avaliação do nível de eficiência seja a simulação !
  63. 63. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO VERTICAL DE SOMBREAMENTO (AVS) Refere-se a proteções solares horizontais AVS: “Ângulo formado entre 2 planos que contêm a base da abertura: O primeiro é o plano vertical na base da folha de vidro (ou material translúcido); O segundo plano é formado pela extremidade mais distante da proteção solar horizontal até a base da folha de vidro (ou material translúcido).
  64. 64. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO VERTICAL DE SOMBREAMENTO (AVS) Refere-se a proteções solares horizontais
  65. 65. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória
  66. 66. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO VERTICAL DE SOMBREAMENTO (AVS) Refere-se a proteções solares horizontais
  67. 67. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO VERTICAL DE SOMBREAMENTO (AVS) E1: proteção mista (medir em corte) AVS: 22º
  68. 68. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO VERTICAL DE SOMBREAMENTO (AVS) E2: proteção horizontal (medir em corte) AVS: 45º
  69. 69. ÂNGULO VERTICAL DE SOMBREAMENTO (AVS) Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória E3: proteção horizontal (medir em corte) AVS: 0º
  70. 70. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO VERTICAL DE SOMBREAMENTO (AVS) Calcular o AVS do edifício pela ponderação em relação à Área
  71. 71. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO HORIZONTAL DE SOMBREAMENTO (AHS) Refere-se a proteções solares verticais AHS: “Ângulo formado entre dois planos verticais: • o primeiro plano é o que contem a base da folha de vidro (ou material translucido); • o segundo plano é formado pela extremidade mais distante da proteção solar vertical e a extremidade oposta da base da folha de vidro (ou material translucido).
  72. 72. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO HORIZONTAL DE SOMBREAMENTO (AHS) Refere-se a proteções solares verticais
  73. 73. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO HORIZONTAL DE SOMBREAMENTO (AHS) Refere-se a proteções solares verticais
  74. 74. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória AVS E AHS para a mesma abertura: proteção mista
  75. 75. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO HORIZONTAL DE SOMBREAMENTO (AHS)
  76. 76. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO HORIZONTAL DE SOMBREAMENTO (AHS)
  77. 77. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO HORIZONTAL DE SOMBREAMENTO (AHS)
  78. 78. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO HORIZONTAL DE SOMBREAMENTO (AHS)
  79. 79. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ÂNGULO HORIZONTAL DE SOMBREAMENTO (AHS) Calcular o AHS do edifício pela onderação em relação à Área
  80. 80. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Relembrando! Aspectos da Arquitetura Abordage no RTQ-C
  81. 81. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Fechamentos Opacos Fechamentos Transparentes e Translúcidos Principal diferença: capacidade de transmitir a radiação solar (calor) para o ambiente interno Q RTQ-C avalia: Transmitância Absortância Q RTQ-C avalia: Fator Solar
  82. 82. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória TRANSMITÂNCIA TÉRMICA (U) U: “Transmissão de calor em unidade de tempo e através de uma área unitária de um elemento ou componente construtivo, neste caso, de componentes opacos das fachadas (paredes externas) ou coberturas, incluindo as resistências superficiais interna e externa, induzida pela diferença de temperatura entre dois ambientes. A transmitância térmica deve ser calculada utilizando o método de cálculo da NBR 15220-2 (ABNT, 2005) ou determinada pelo método da caixa quente protegida da NBR 6488 (ABNT, 1980).” RTQ avalia: Transmitância da Cobertura Transmitância das Paredes Externas Cada uma das camadas de um fechamento opaco tem uma resistência térmica diferente. O inverso da resistência total do fechamento é a transmitância térmica RT = Rse + R1 + R2 + R3 + Rsi U = 1(w/m²K)_ 2
  83. 83. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória TRANSMITÂNCIA TÉRMICA (U)
  84. 84. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória TRANSMITÂNCIA TÉRMICA (U) Trecho da Tabela de Transmitâncias, capacidades térmica e atraso térmico (norma NBR 15220-3) Parede de concreto maciço Espessura total da parede: 5,0 cm Parede de concreto maciço Espessura total da parede: 10,0 cm Parede de tijolos maciços aparentes. Dimensão: 10x6x22 cm Espessura arg. de ass.: 1 cm Espessura tota da parede: 10cm: Parede de tijolos 6 furos quad., assentados na menos dimensão Dimensão: 9x14x219 cm Espessura arg. de ass.: 1 cm Espessura arg. de emboço: 1,5 cm Espessura tota da parede: 14cm: PAREDE DESCRIÇÃO U [W/(m².K)] 5,04 4,40 3,70 2,48 120 240 149 159 1,3 2,7 2,4 3,3 C2[(kJ/m².K)] ψ [HORAS]
  85. 85. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória
  86. 86. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória TRANSMITÂNCIA TÉRMICA (U): cobertura e paredes externas
  87. 87. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória Exemplo: Edifício (Ambientes do ùltimo Pavimento são Condicionados) Zona Bioclimática 4 Coberturas: Área = 476m2 - Lajes planas de concreto com isolamento térmico = 192m2 (U=1,90 W/m²K) - Telha metálica com isolamento térmico = 144m2 (U=0,70 W/m²K). TRANSMITÂNCIA TÉRMICA DA COBERTURA (Ucob)
  88. 88. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória TRANSMITÂNCIA TÉRMICA (U) Conferir pré-requisito para Ambientes Condicionados (Zona Bioclimática 4)
  89. 89. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ABSORTÂNCIA (α) α: “Absortância à radiação solar (a): Quociente da taxa de radiação solar absorvida por uma superfície pela taxa de radiação solar incidente sobre esta mesma superfície.” NBR 15220-1 (ABNT, 2005) A radiação incidente em um fechamento opaco terá uma parcela refletida (ρ) e outra absorvida (α). Está relacionado principalmente à cor do material. RTQ avalia: Absortância da Cobertura Absortância das Paredes Externas
  90. 90. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ABSORTÂNCIA (α)ABSORTÂNCIA (α) A absortância (α) é tabelada ou medida Se a absortância de um material dor 0,8, por exemplo, significa que 80% da energia sobre ele incidente será absorvida e 20% será refletida.
  91. 91. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ABSORTÂNCIA (α)
  92. 92. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ABSORTÂNCIA (α) das superfícies: cobertura e paredes externas
  93. 93. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ABSORTÂNCIA da cobertura (α) Exemplo: Edifício (Coberturas Não Aparentes) Zona Bioclimática 4 Coberturas: Área = 476m2 - Laje (cor gelo) = 126m2 (α = 0,37) - Laje (cor amarelo) = 66m2 (α = 0,49) - Telha metálica = 144m2 (α = 0,25)
  94. 94. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ABSORTÂNCIA da cobertura (α) Conferir pré-requisito para Cobertura não Aparentes (Zona Bioclimática 4)
  95. 95. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória ABSORTÂNCIA (α)das superfícies: cobertura e paredes externas Pré-requisito na etiquetagem da envoltória: ABsortância (α) = 0,22; Coberturas Não Aparente; ZB 4 Cumpre pré-requisito para ser A
  96. 96. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória
  97. 97. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória FECHAMENTOS TRANSPARENTES Transmissão Luminosa Fator Solar
  98. 98. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória FECHAMENTOS TRANSPARENTES Transmissão Luminosa: luz visível (onda curta) Fator Solar: considera todo o espectro (ondas curtas e longas) Os vidros são transparentes para as ondas curtas, ou seja permitem a passagem da radiação solar incidente do meio exterior. Mas são opacos para as ondas longas (radiações emitidas pelos corpos aquecidos: piso, paredes, forros, móveis, pessoas, etc.). Efeito Estufa
  99. 99. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória FECHAMENTOS TRANSPARENTES
  100. 100. Projeto BRA/09/G31: Projeto de Transformação do Mercado de Eficiência Energética Envoltória FATOR SOLAR (FS) FS: “Razão entre o ganho de calor que entra num ambiente através de uma abertura e a radiação solar incidente nesta mesma abertura. Inclui o calor radiante transmitido pelo vidro e a radiação solar absorvida, que é re-irradiada ou transmitida, por condução ou convecção, ao ambiente. O fator solar considerado será relativo a uma incidência de radiação solar ortogonal à abertura. (...) “ ISO 15099 e ISO 9050 (2003):procedimentos de cálculo NFRC 201(2004): método de medição

×