Niilismo de Nietzsche
O que significa Niilismo?
 Niilismo é um termo que deriva do latim “nihil”, que significa
“nada”. É a negação de todo e q...
Friedrich Wilhelm Nietzsche
 Foi um filólogo, filósofo, crítico
cultural, poeta e compositor alemão
do século XIX. Nasceu...
Niilismo
 Nietzsche, no momento em que o cristianismo deixou de ser a ‘’única
verdade’’ para se tornar uma das interpreta...
Niilismo
 Nietzsche defendeu valores afirmativo da vida
capazes de expandir as energias latentes em nós. “
Ouse conquista...
Escrita Aforismática
• Nietzsche escreveu a maior parte de suas obras sob a forma de aforismo, ou
seja, uma sentença curta...
Influência de Schopenhauer
o Atraído pelo livro O Mundo Como Vontade Representação, de
Arthur Shopenhauer fez com que torn...
Apolíneo e Dionisíaco
 Nietzsche estabelece a distinção entre dois princípios: o
apolíneo e o dionisíaco, a partir dos de...
Genealogia da Moral
 É o estudo da formação histórica dos valores morais. Segundo Nietzsche o bem e o mal
não constituem ...
Componentes do Grupo:
 Andrieli Orbac
 Giane Zalamena
 Maria Teresa
 Natiele Santos
 Raíssa Ocampos
 Sarah Milani
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Niilismo de nietzsche

1.081 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.081
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
257
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Niilismo de nietzsche

  1. 1. Niilismo de Nietzsche
  2. 2. O que significa Niilismo?  Niilismo é um termo que deriva do latim “nihil”, que significa “nada”. É a negação de todo e qualquer princípio religioso, social e político. Uma posição filosófica que nega os dogmas. Sustenta que a existência humana não tem, objetivamente, qualquer significado nem propósito essencial. As primeiras ocorrências do termo niilismo remontam à Revolução Francesa quando foram definidos como “niilistas” os grupos que não eram nem a favor nem contra a Revolução
  3. 3. Friedrich Wilhelm Nietzsche  Foi um filólogo, filósofo, crítico cultural, poeta e compositor alemão do século XIX. Nasceu em 15 de outubro de 1844 e faleceu em 25 de agosto de 1900.
  4. 4. Niilismo  Nietzsche, no momento em que o cristianismo deixou de ser a ‘’única verdade’’ para se tornar uma das interpretações do mundo, toda a civilização ocidental e seus valores absolutos também foram postos em xeque, em grande parte na ideia da morte de Deus. Em sua obra Gaia ciência o filosofo decreta:‘’ Deus está morto” , mas esclarece que quem matou foi nós mesmos, ou seja, trata-se de um acontecimento histórico cultural, no qual destruímos os fundamentos transcendentais.
  5. 5. Niilismo  Nietzsche defendeu valores afirmativo da vida capazes de expandir as energias latentes em nós. “ Ouse conquistar a si mesmo” talvez seja a grande indicação Nietzschiana aqueles que buscam viver de forma afirmativa sem conformismo ou submissão.
  6. 6. Escrita Aforismática • Nietzsche escreveu a maior parte de suas obras sob a forma de aforismo, ou seja, uma sentença curta que exprime um conceito, conselho ou um ensinamento. • Tratavam de diversos temas como: religião, moral, artes, ciências, etc. • Em uma dessas críticas surgiu também a questão do valor da existência humana.
  7. 7. Influência de Schopenhauer o Atraído pelo livro O Mundo Como Vontade Representação, de Arthur Shopenhauer fez com que torna-se para Nietzsche uma das influências mais importantes em sua filosofia. o Para Shopenhauer, a história não é racionalidade e progresso, mas sim um acaso cego e enganoso. Este filósofo também defendeu que tudo que o mundo inclui ou pode incluir é inevitavelmente dependente do sujeito e não existe senão para o sujeito. o O mundo é, portanto, representação. E a representação do mundo seria para Shopennhauer, como uma ilusão, a existência do mundo seria a vontade de viver.
  8. 8. Apolíneo e Dionisíaco  Nietzsche estabelece a distinção entre dois princípios: o apolíneo e o dionisíaco, a partir dos deuses gregos Apolo e Dionísio, para ele o mundo seria o reino das misturas, das turbulências, da complexidade, razão pela qual se opôs às cisões separadoras entre alto e baixo, superior e inferior, ideal e real, sensível e inteligível, como ocorreu a partir do período clássico do pensamento grego antigo.
  9. 9. Genealogia da Moral  É o estudo da formação histórica dos valores morais. Segundo Nietzsche o bem e o mal não constituem noções absolutas, no entendimento de que as concepções morais são elaboradas pelos seres humanos a partir dos seres humanos.  As concepções impostas pelas religiões dizem que as respostas de tudo é a “vontade de Deus” e, portanto, valores absolutos. Esses valores carregaram as pessoas com as noções e o sentimento de dever, culpa, dívida e o pecado, resultando em indivíduos medíocres, tímidos, não criativos e submissos.  Se cada pessoa compreender se os valores presentes em sua vida são construções humanas, estará no dever de refletir sobre suas concepções morais e questionar o valor de seus valores.
  10. 10. Componentes do Grupo:  Andrieli Orbac  Giane Zalamena  Maria Teresa  Natiele Santos  Raíssa Ocampos  Sarah Milani

×