Aldeia da lomba

3.033 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Parabéns pelo trabalho.
    Eu 'vivi' nesta aldeia durante alguns dias, nos tempos em que não havia luz e só havia um telefone na aldeia.
    A tele-escola era numa casa particular, onde por baixo era uma curral de vacas, por forma a tornar a sala de aula menos fria.
    Tenho saudades de ir pastorar as ovelhas de manhã cedo!
    De uma coisa tenho a certeza: Um dia destes irei visitar este local!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.033
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.310
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aldeia da lomba

  1. 1. Agrupamento de Escolas de Búzio Escola EB 2,3/S de Vale de Cambra Ano Letivo de 2012/2013Curso de Educação e Formação de Adultos – Nível Secundário
  2. 2. Neste nosso trabalho sobre a Aldeia daLomba pretendemos, na primeira pessoa,colher testemunhos, plenos desinceridade, das pessoas que, resistindoao êxodo rural, sempre ali viveram,abdicando de uma melhor qualidade devida, privados de algumas condições,pelo amor à sua aldeia.
  3. 3. Pretendemos, ainda, inteirar-nos dosmodos de vida da população local e dasua forma de acesso aos centrosurbanos, assim como das condições dehabitabilidade existentes nesta aldeiarural.
  4. 4. LOMBA FIM DO MUNDOSitua-se no extremo sudeste do concelhode Vale de Cambra, a cerca de 25 Km dasede do concelho, nas encostas da serra daGralheira, a cerca de 10 km da freguesiade Arões, na direção dos lugares deSalgueira, Mouta Velha e Cabrum. Ocupa uma área de 3978 ha, fazendo fronteira com os concelhos de Arouca, Sever do Vouga, S. Pedro do Sul e Oliveira de Frades.
  5. 5. 8º 15`56 “W40º49`57”N
  6. 6. Aldeia de população, que se resume acerca de 40 habitantes, bastanteenvelhecida, na qual os mais jovens têmenveredado pelos trilhos da emigração.Foi-nos afirmado, por parte dehabitantes da aldeia, que esseenvelhecimento se deve à forteemigração, no decorrer dos anos 70, paravários países da europa, principalmentepara França.
  7. 7. Destes fenómenos são consequênciasnotórias:O vasto abandono das casas, já com ostelhados caídos e as paredes em ruínas.
  8. 8. Aliada à emigração, a migração paraos centros urbanos, em especial ossituados no Litoral é uma causaimportante do despovoamento local.
  9. 9. O envelhecimento da PopulaçãoAs gerações jovens abandonaram estaaldeia e ficaram quase só idosos. Existemapenas duas crianças e duas adolescentes.A idade média dos habitantes da aldeia ésuperior a 65 anos.
  10. 10. As crianças são diariamente transportadas detáxi (serviço suportado pelo estado), paraArões onde frequentam as respectivasescolas, juntamente com outros alunos deoutras aldeias da freguesia.
  11. 11. n – é número de crianças nascidas no ano p – é a média populacional do período em questão.Degradação da escola primáriaApesar de existir o edifício escolar no cimoda aldeia desde 1958, o reduzido número decrianças não permite que a escola funcionehá cerca de vinte anos. O edifício encontra-se, por isso, muito degradado. Em tempos,funcionou a telescola, numa casa particularno centro da aldeia.
  12. 12. Abandono da agriculturaO abandono da agricultura é também umaconsequência da emigração.Esse abandono não só causa a escassez deprodutos alimentares, como tambémaumenta o risco de incêndios florestais edestrói esta bela paisagem.
  13. 13. Tantos como os dedosde uma mão, são osquilómetros que oshabitantes desta aldeiatêm que percorrer atéà povoação deCabrum, para aliencontrarem transpor-te público para sedeslocarem à sede doconcelho.
  14. 14. Um percurso sinuoso, constituído por umaestrada em asfalto, de largura reduzida,situada entre ravinas. Um pequenodescuido do condutor poderá ser fatal. Esta dificuldade de .acesso leva a que a população se veja obrigada a pagar o serviço de táxi para se deslocar a consultas médicas ou a qualquer outro local, a fim de tratar de assuntos burocráticos básicos.
  15. 15. Por terem poucos recursos e estaremrelativamente distantes de outraaldeia, os habitantes veem-seobrigados a aguardar a chegada de umcomerciante que se faz transportarnuma carrinha, num único trajectosemanal, e lhes faz chegar alguns bensalimentares de primeira necessidade.
  16. 16. Nesta aldeia predominam as casas comorigens celtas, construídas em xisto ecom telhados de lousa. No entanto,algumas dessas casas sofreramalterações, tendo os proprietáriosrecorrido à telha para reparar asantigas coberturas que se degradaramao longo dos tempos.
  17. 17. Por entre as construções comcaracterísticas celtas, é notório oromanismo na construção dascalçadas, tipicamente construídascom pedras grandes.
  18. 18. Apesar de distante, também esta aldeiatem acompanhado a modernidade,recorrendo a novas e acolhedorasconstruções.Sinal visível dessa modernidade é aexistência de inovadores sistemas derenovação de energia, para uso doméstico.
  19. 19. Capela de Nossa Sra. dos Milagres
  20. 20. À padroeira, Nossa Senhora dosMilagres, a população pede, emoração, que os proteja e ossocorra em horas de desespero eaflição.
  21. 21. A festa em honra da padroeira éanualmente festejada no Domingo daSantíssima Trindade.No corrente ano celebrar-se-á no dia26 de maio.
  22. 22. A população dedica-se à agricultura,principalmente ao cultivo de milho, centeio,frutos (como azeitonas e uvas), vinho e produtoshortícolas. Também praticam a pastorícia e apecuária.
  23. 23. Nesta aldeia, após a colheita da azeitona,algumas pessoas curtem-na paraconsumo próprio, enquanto outrastransportam-na ao "Lagar de Azeite”situado na aldeia vizinha, onde através deinovadores mecanismos se procede àprodução do azeite. O que sobra doconsumo próprio é vendido.
  24. 24. AlcinoCarlos Turma Sec 1/12

×