Visual Studio ALM
Artigos sobre
Test Manager
1
Sumário
- Introdução
- Quem são os Wiki Ninjas
- Sobre o e-Book: Artigos sobre o Test Manager
- Um pouco sobre ALM (Appl...
2
Introdução
O que é o Portal do TechNet Wiki?
Por Ed Price e Alan Carlos
O que começou há alguns anos atrás como uma idéi...
3
Sobre o e-Book: Artigos do Test Manager
Esse e-Book tem como objetivo trazer artigos do Portal do TechNet Wiki,
selecion...
4
direitos autorais. O propósito dos ativos é servir de ferramentas para que as
empresas possam produzir os seus produtos ...
5
da concorrência e o ritmo de desenvolvimento de aplicações corporativas.
Rastreabilidade e colaboração organizacional me...
6
Por quê Testar Software?
O teste do software é a investigação do software a fim de fornecer informações
sobre sua qualid...
7
Sobre o conteúdo do e-Book
Esse e-Book aborda o tema “Testes de Software” utilizando as soluções de
Application Lifecycl...
8
ALM – Testes – Abordagens de Testes de Software
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Introdução
Atualmente em desenvolviment...
9
Técnicas de Testes
- Testes de Caixa Branca;
- Testes estruturais;
- Testes de cobertura de código.
Testes Convencionais...
10
Testes Baseados em Quality Assurance
Características
- Disciplinado;
- Testes determina se o processo de desenvolviment...
11
- Teste é multidisciplinar;
- O valor de qualquer prática depende de seu contexto;
- . Existem boas práticas em determi...
12
- Pesquisas de testes requerem estudos empíricos e psicológicos
- Foco na habilidade ao invés da prática/método;
Testes...
13
com um pressionamento de tecla. E graças à funcionalidade de escala do Azure, é possível fornecer
capacidade adicional ...
14
Planejando e Configurando
Depois de definida a abordagem, o momento é de se planejar e configurar. Na
definição do Requ...
15
ALM – Coletores de informações de Test Manager
Autor: Alan do Nascimento Carlos
No Microsoft Visual Studio Test Profess...
16
ALM - Test Manager - Criando um Caso de Teste
Funcional
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Introdução
Um caso de teste é ...
17
Depois de concluído a confecção dos seus Casos de Testes, os mesmos estarão prontos para execução
assim que o Requisito...
18
ALM – Test Manager – Criando Caso de Teste
Exploratório
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Introdução
O caso de teste exp...
19
- Crie Casos de Testes a partir desse cenário;
-Crie um BUG dentro do próprio Test Manager;
- Um Caso de Testes Explora...
20
ALM – Test Manager – Criando um Caso de Teste
Regressivo
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Introdução
O Caso de Teste Re...
21
Faça um Clone desse Plano para uma nova iteração, selecionando as Suites que deseja que sejam
executadas novamente (lem...
22
Altere seu Status.
Renomeie as suítes.
Observe que seu Caso de Testes mudou de identificação no Clone, pois é um novo, ...
23
Apenas fica a referência com o Caso de Teste Origem, para conhecimento de onde veio esse novo Test
Case.
Pode-se clonar...
24
Será criado um novo ID, porém ele levará todos os itens associados, nesse caso você deverá identificar se
há ou não nec...
25
ALM – Test Manager – Criando um Caso de Teste
Não Funcional
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Introdução
Um Caso de Test...
26
Criando um Caso de Teste Não Funcional
Nesse exemplo, vamos criar um Teste Não Funcional de Stress (Estresse)
Abra seu ...
27
ALM - Usando o Microsoft Test Manager –
Atualizando Casos de Testes
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Introdução
Imagine...
28
No caso, mudei o status para “Removed”
E pronto!
Excel
Há outra forma fácil também, você deve abrir o Excel, selecionar...
29
Depois que a célula aparecer, filtre apenas os Test Cases, em seguida altere o Status de um Test Case, no
caso aqui foi...
30
ALM – Gerenciando Casos de Testes com Passos
Compartilhados
Passos compartilhados é uma das melhores ferramentas do Mic...
31
ALM – Configurando o Lab Management para o
Microsoft Test Manager
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Veja também esses li...
32
Permissão de Administração para as contas do TFS no SCVMM Console
- Permissão de Administração para as contas do TFS no...
33
CONFIGURAÇÃO DA INTEGRAÇÃO DO TFS COM O SCVMM
2012 SP1
Depois de instalado o SCVMM Console no servidor TFS, entre na Co...
34
http://technet.microsoft.com/en-us/library/gg610598.aspx
Configure Hosts Groups: Para configurar o Grupo de Hosts (que ...
35
- Configuração do Test Controller
Depois de instalado, execute a configuração do Test Controller, colocando os dados da...
36
Pronto, está já configurado a pronto para uso.
Abra o Test Manager e vá em Lab Center, crie um novo ambiente e veja que...
37
ALM – Atribuir um Caso de Teste a um Testador
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Depois de planejar seus Casos de Testes ...
38
ALM - Test Manager - Executando um Caso de
Testes
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Para executar um Caso de Teste no Te...
39
-Depois de aberto o BUG, assine o mesmo ao responsável, salve e feche seu teste que falhou.
- Relatório e Acompanhament...
40
-No momento há um BUG ativo para o Requisito
Essa rastreabilidade acontece pois:
- Há um Requisito Funcional
- Há Taref...
41
Depois de concluído o caso de teste, finalize a Tarefa de Teste (vinculada ao requisito).
Importante:
O Caso de Teste d...
42
Acompanhamento dos Relatórios
Observe que o Relatório de Overview de Requisitos, se atualizou, demonstrando que o requi...
43
ALM – Alterando seu caso de testes para um novo
Build
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Imagine o seguinte cenário, você...
44
ALM - Test Manager - Clonar ou Copiar Work
Items?
Autor: Alan do Nascimento Carlos
Introdução
A ferramenta Test Manager...
45
Se você alterar o Work Item de qualquer uma das suites, irá refletir no outro Work Item. Veja como
exemplo a alteração ...
46
Criar uma suíte, pesquisar os Work Items e Adicionar os Casos de Testes.
Usar os Dados (inclusive links) de um Casos de...
47
Veja, foi removido o link Requirement do novo Caso de Teste.
E no original ainda mantém.
Usar apenas os Dados (Passos e...
48
Ou seja, você pode usar qualquer técnica, porém precisa se atendar aos detalhes nas alterações e
rastreabilidade.
49
ALM – DevOps – Dashboard do seu Lab do
Microsoft Test Manager
INTRODUÇÃO
O Microsoft Visual Studio ALM possui uma poder...
50
Artigos adicionais explicando como instalar ou integrar as soluções:
System Center – Dicas – Integrando o SCVMM com o O...
51
ACOMPANHAMENTO DOS DASHBOARDS E GERENCIAMENTO DO LABORATÓRIO
Depois de instalado aguarde alguns minutos para coleta das...
52
E muito mais.
- Execução remota de comandos:
Você pode gerenciar suas virtualizações, coletar informações de logs, anál...
53
GERENCIAMENTO DE SUA CLOUD HIBRIDA DE TESTES
Usando o VMM Fabric Dashboard você gerencia sua nuvem local (privada) e pu...
54
Conclusão
O Portal do TechNet Wiki é repleto de materiais de apoio com artigos excelentes
sobre as tecnologias e soluçõ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

TechNet - e-Book- Artigos sobre Test Manager

740 visualizações

Publicada em

E-Book em português com coleções de artigos do Portal TechNet Wiki sobre Test Manager.

Sobre o e-Book: Artigos do Test Manager

Esse e-Book tem como objetivo trazer artigos do Portal do TechNet Wiki, selecionados por assuntos e ordem, ajudando a comunidade com informações relevantes sobre determinado assunto, soluções, ferramentas, tecnologia ou conjunto de processos.

Sobre o conteúdo do e-Book

Esse e-Book aborda o tema “Testes de Software” utilizando as soluções de Application Lifecycle Management da Microsoft. A solução da Microsoft em Testes de Software é independente de qual a linguagem de programação que o software foi escrito ou ambiente a ser testado. O e-Book divide-se em três seções com coleções de artigos em seu formato original extraídos do Portal do TechNet Wiki Brasil.

Iniciando

Artigos que abordam de forma geral, o que é testes de software e como definir o escopo de projeto de seu teste de software.

Planejando e Executando

Artigos relacionados a como configurar, planejar e executar seus testes de software, ambientes e gestão de configuração.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
740
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TechNet - e-Book- Artigos sobre Test Manager

  1. 1. Visual Studio ALM Artigos sobre Test Manager
  2. 2. 1 Sumário - Introdução - Quem são os Wiki Ninjas - Sobre o e-Book: Artigos sobre o Test Manager - Um pouco sobre ALM (Application Lifecycle Management) - O que é DevOps? - Por quê Testar Software? - Microsoft Test Manager - Iniciando ALM – Testes – Abordagens de Testes de Software - Planejando e Executando ALM – Coletores de informações de Test Manager ALM - Test Manager - Criando um Caso de Teste Funcional ALM – Test Manager – Criando Caso de Teste Exploratório ALM – Test Manager – Criando um Caso de Teste Regressivo ALM – Test Manager – Criando um Caso de Teste Não Funcional ALM - Usando o Microsoft Test Manager – Atualizando Casos de Testes ALM – Gerenciando Casos de Testes com Passos Compartilhados ALM – Configurando o Lab Management para o Microsoft Test Manager ALM – Atribuir um Caso de Teste a um Testador ALM - Test Manager - Executando um Caso de Testes ALM – Alterando seu caso de testes para um novo Build ALM - Test Manager - Clonar ou Copiar Work Items? ALM – Coletando informações de Bugs com o Test Manager ALM – Test Manager – Criando um Plano de Testes (End-to-End) ALM – DevOps – Dashboard do seu Lab do Microsoft Test Manager Conclusão
  3. 3. 2 Introdução O que é o Portal do TechNet Wiki? Por Ed Price e Alan Carlos O que começou há alguns anos atrás como uma idéia agora está na sua frente. Através dos esforços de base e de trabalho de muitos, o TechNet Wiki desembarcou e a nossa forma de ver o conteúdo nunca mais será a mesma. É um experimento desenhado para aumentar a largura, profundidade e imediatismo de conteúdo técnico e evoluir a nossa forma de trabalhar com o conteúdo. Este é um esforço de base liderado por você e nós: nós da comunidade. Nós não temos todas as respostas. Haverá torções no sistema, lições a aprender com a comunidade, recursos para explorar e processos para evoluir. E haverá conteúdo. Lotes de grande conteúdo escrito por todos nós. Esse portal é focado em tecnologias Microsoft, onde podemos abordar assuntos como: - Instalações; - Dicas; - Integrações com outras soluções; - Novidades; De vários assuntos como Windows Server, Windows Cliente, SQL Server, Sharepoint Server, Project Server, System Center, Visual Studio, Application Lifecycle Management, Windows Phone, Microsoft Azure, Office 365, e muitos outros. É um portal mantido pela comunidade técnica que conta com colaboradores de peso que ajudam a manter ele organizado e funcional. Quem são os Wiki Ninjas? Os Wiki Ninjas são membros da comunidade apaixonados por tecnologia e sempre prontos para ajudar a todos. São formados por profissionais altamente qualificados e apaixonados por tecnologia e dispostos a ajudar a comunidade, como MVP, MCT, MTAC, MCSE, MCSA, Funcionários da Microsoft e muitos outros, que estão espalhados ao redor do mundo mantendo esse incrível portal em diversas línguas para as comunidades.
  4. 4. 3 Sobre o e-Book: Artigos do Test Manager Esse e-Book tem como objetivo trazer artigos do Portal do TechNet Wiki, selecionados por assuntos e ordem, ajudando a comunidade com informações relevantes sobre determinado assunto, soluções, ferramentas, tecnologia ou conjunto de processos. Um pouco sobre ALM (Application Lifecycle Management) Por Luciano Condé A atividade de construção de aplicações é executada através do emprego intenso do trabalho humano, consequentemente exige das empresas somas de investimento financeiro. Parte deste investimento é consumido por atrasos de cronograma, retrabalho, testes inadequados e outros. Estima-se que em 2002, gastaram cerca 20 bilhões de dólares só com testes inadequados de software feito por desenvolvedores de software. Em paralelo, desde a década de 90, a tecnologia da informação está cada vez mais presente dentro das empresas e na vida das pessoas. A Tecnologia da informação (TI) surgiu inicialmente dentro dos mainframes, passou pela revolução da microcomputação para as massas, até chegar na computação na nuvem. Hoje podemos ver bolsas de valores automatizadas, empresas de telecomunicações administrando milhares de chamadas simultâneas, cadeias de suprimentos totalmente integradas e tanto outros segmentos usando massivamente TI. Com isto temos um paradoxo: de um lado há o uso contínuo e massivo de aplicações no dia-a-dia das empresas e usuários e do outro lado a dificuldade em produzir as mesmas aplicações de forma sofisticada e com a qualidade desejada. Esse desafio vem motivando o surgimento de métodos e ferramentas de trabalho para a organização dos processos de produção de aplicações e engenharia de software. O objetivo deste artigo é apresentar uma introdução sobre o gerenciamento do ciclo de vida de uma aplicação, desde sua concepção até o processo de manutenção evolutiva, também conhecido como Application Lifecycle Management (ALM). Em contabilidade, um ativo é todo o bem ou direito que uma empresa possui resultante de alguma transação econômica. Um ativo pode ser tangível ou intangível; o primeiro representa um bem ou direito que possui um corpo físico, por exemplo, terrenos, máquinas ou equipamentos. Já os ativos intangíveis são aqueles que não possuem um corpo físico, por exemplo, patentes, marcas ou
  5. 5. 4 direitos autorais. O propósito dos ativos é servir de ferramentas para que as empresas possam produzir os seus produtos ou gerar os seus serviços. Com a incorporação de TI no dia-a-dia das empresas, as aplicações tornaram-se ferramentas para auxiliar o processo de produção de produtos ou serviços. Vemos bancos, bolsas de valores, empresas de telecomunicações, empresas de logísticas e outras, todas dependentes de aplicações especializadas para cuidar dos seus processos de negócios. Por causa desta situação, podemos considerar que as aplicações são ativos intangíveis das empresas. E como qualquer ativo, elas necessitam de cuidados na aquisição/construção, na utilização e por final na manutenção. Podemos definir ALM como todo o processo que guia a vida útil de uma aplicação desde a sua concepção, passando pela construção, operação e evolução. O ALM não apenas observa qual é o método de construção, mas preocupa também em como a empresa está gastando o seu dinheiro no gerenciamento daquele ativo corporativo. Um destaque importante é a diferença entre ALM e Software Development Lifecycle (SDLC). O SDLC pode ser definido em uma tradução livre, de acordo com Jayaswal & Patton [J&P1], como “como um processo focado no desenho, criação e manutenção de aplicações”. O ALM é um guia que acompanha toda vida da aplicação, tendo o SDLC como uma das fases do ciclo de vida. O que é DevOps? Por Microsoft Corporation Em 2009, um grupo de engenheiros começou a conversa sobre como forjar uma melhor colaboração entre as equipes de desenvolvimento de software que constroem e as equipes de operações que implantam e executam o software. Essa conversa rapidamente assumiu a alcunha de "DevOps". DevOps estende perspectivas da indústria ao redor Application Lifecycle Management (ALM) e metodologias ágeis para resolver dois fatores adicionais: - A importância crítica de transparência, comunicação e colaboração entre as equipes de desenvolvimento e de operações; - A inclusão do empresário do projeto na discussão. Praticar DevOps com soluções da Microsoft podem ajudar as equipes de desenvolvimento e operações de responder em conjunto às pressões da indústria,
  6. 6. 5 da concorrência e o ritmo de desenvolvimento de aplicações corporativas. Rastreabilidade e colaboração organizacional melhorar por meio da automação previsível e repetitivo que elimina o erro processos manuais propensas. As organizações também podem gerenciar ambientes de forma mais eficiente e criar economias de custo com uma combinação de no local e recursos de nuvem. As soluções da Microsoft suportam ambiente self-service com provisionamento e uso dos recursos gerenciados, minimizando os riscos de segurança em ambientes híbridos. Melhoria das práticas de qualidade ajuda a identificar defeitos precoces no ciclo de desenvolvimento, o que reduz o custo de fixação. Praticar DevOps Você pode praticar DevOps com as soluções da Microsoft para encontrar a causa raiz de problemas na produção e acelerar o tempo da implantação. Dados ricos obtidos por meio de soluções Microsoft DevOps pode dar dicas sobre problemas de desempenho e comportamento do usuário para conduzir as prioridades e investimentos futuros. DevOps deve ser considerada uma jornada, não um destino. Deverá ser aplicada de forma incremental por meio de projetos de forma adequada com escopo, a partir do qual a demonstrar o sucesso, aprender e evoluir.
  7. 7. 6 Por quê Testar Software? O teste do software é a investigação do software a fim de fornecer informações sobre sua qualidade em relação ao contexto em que ele deve operar. Isso inclui o processo de utilizar o produto para encontrar seus defeitos. O teste é um processo realizado pelo testador de software, que permeia outros processos da engenharia de software, e que envolve ações que vão do levantamento de requisitos até a execução do teste propriamente dito. Não se pode garantir que todo software funcione corretamente, sem a presença de erros, visto que os mesmos muitas vezes possuem um grande número de estados com fórmulas, atividades e algoritmos complexos. O tamanho do projeto a ser desenvolvido e a quantidade de pessoas envolvidas no processo aumentam ainda mais a complexidade. Idealmente, toda permutação possível do software deveria ser testada. Entretanto, isso se torna impossível para a ampla maioria dos casos devido à quantidade impraticável de possibilidades. A qualidade do teste acaba se relacionando à qualidade dos profissionais envolvidos em filtrar as permutações relevantes. Falhas podem ser originadas por diversos motivos. Por exemplo, a especificação pode estar errada ou incompleta, ou pode conter requisitos impossíveis de serem implementados, devido a limitações de hardware ou software. A implementação também pode estar errada ou incompleta, como um erro de um algoritmo. Portanto, uma falha é o resultado de um ou mais defeitos em algum aspecto do sistema. O teste de software pode ser visto como uma parcela do processo de qualidade de software. A qualidade da aplicação pode e, normalmente, varia significativamente de sistema para sistema. Microsoft Test Manager O Microsoft Test Manager ajuda a definir e gerenciar seus planos de teste para testes de sistema manuais e automáticos. Esses planos de teste estão armazenados em Team Foundation Server e são integrados às suas ferramentas de gerenciamento de ciclo de vida do aplicativo e à sua compilação. O Microsoft Test Manager é instalado junto ao Visual Studio Ultimate, Visual Studio Premium e Test Professional.
  8. 8. 7 Sobre o conteúdo do e-Book Esse e-Book aborda o tema “Testes de Software” utilizando as soluções de Application Lifecycle Management da Microsoft. A solução da Microsoft em Testes de Software é independente de qual a linguagem de programação que o software foi escrito ou ambiente a ser testado. O e-Book divide-se em duas seções com coleções de artigos em seu formato original extraídos do Portal do TechNet Wiki Brasil. Iniciando Artigos que abordam de forma geral, o que é testes de software e como definir o escopo de projeto de seu teste de software. Planejando e Executando Artigos relacionados a como configurar, planejar e executar seus testes de software, ambientes e gestão de configuração. Artigos do Portal do TechNet Wiki Iniciando Antes de iniciar seu processo de testes de software, é necessário que seu processo de desenvolvimento de software esteja bem definido, para que as abordagens de testes de software, fluxos e processos, estejam de acordo o planejado. Acompanhe os próximos artigos que poderão lhe auxiliar a entender a abordagem de teste de software mais adequada, bem como preparar seus testes.
  9. 9. 8 ALM – Testes – Abordagens de Testes de Software Autor: Alan do Nascimento Carlos Introdução Atualmente em desenvolvimento de software, possuímos diversas abordagens de processos, conforme a realidade da empresa, funcionários e necessidades. Sendo que cada modelo se adequa ao negócio, ficando a cargo dos envolvidos entenderem se há necessidade de mudanças ou não, conforme seus projetos, planejamentos e cenários. Nesse artigo são destacados algumas das diversas abordagens, na parte de Testes de Software, para conhecermos e entendermos um pouco mais de cada uma. Cada abordagem aqui possui seu valor e objetivo, conforme a realidade da empresa que a utiliza. Abordagens de Testes Testes Analíticos Características - Testes são uma atividade técnica e rigorosa; - Testes são um Branch da ciência da computação e matemática; - Software é um artefato lógico; - Teste é uma ciência baseada em Computação e Matemática: Objetivo, rigoroso e compreensivo; - Técnicas de testes devem ser objetivas: apenas uma resposta certa; - Teste é uma atividade técnica; Empresas que utilizam - Indústrias de Telecom; - Sistemas Críticos (Aviões, Navios, Medicina); Instituições Divulgadoras - Academias
  10. 10. 9 Técnicas de Testes - Testes de Caixa Branca; - Testes estruturais; - Testes de cobertura de código. Testes Convencionais Características - Testes gerenciados: Previsível, repetível, planejado; - Testes valida o produto; - Testes medem o progresso do desenvolvimento; Empresas que utilizam - Enterprise IT; - Desenvolvimento para Governo. Instituições Divulgadoras - IEEE Standards Boards; - Instituições certificadoras de Teste: ISTQB, ALATS, entre outras. Técnicas de Testes - Matriz de Rastreabilidade (Identifica se todos os requisitos foram testados); - V-Model
  11. 11. 10 Testes Baseados em Quality Assurance Características - Disciplinado; - Testes determina se o processo de desenvolvimento está sendo seguido; - Cada bug é um problema de processo; - Testadores devem proteger os usuários dos softwares ruins; - O software não está pronto até que o QA (Controle de Qualidade de Software) concorde; - Testes é o ponto de partida para a Melhoria do Processo; Empresas que utilizam - Organizações sob leis e obrigatoriedades Instituições Divulgadoras - American Society for Quality (ASQ); - Software Engineering Institute (CMM); - International Standards Organization (ISO); Técnicas de Testes - Testes baseados em processos; - Suítes de Testes definidas conforme as normas instituídas; - Validação por um time de QA que identifica se os processos foram finalizados; Testes Dirigidos ao Contexto Características - Teste deve encontrar bugs; - Teste provê informações para o projeto; - Teste é uma atividade mental que requer habilidade;
  12. 12. 11 - Teste é multidisciplinar; - O valor de qualquer prática depende de seu contexto; - . Existem boas práticas em determinado contexto, mas não existem melhores práticas; - As pessoas, trabalhando em conjunto, são a parte mais importante do contexto de qualquer projeto; - Projetos se desdobram ao longo do tempo de maneiras normalmente imprevisíveis; - O produto é uma solução. Se o problema não foi resolvido, então o produto não funciona; - O bom teste de software é um processo intelectual desafiador; - Somente por meio de julgamento e habilidade, realizados cooperativamente ao longo de todo projeto, somos capazes de fazer as coisas certas nos momentos certos para testar nossos produtos de forma efetiva. Empresas que utilizam - Softwares Comerciais; - Market-driven Software (Software dirigido ao Mercado) Instituições Divulgadoras - LAWST Workshops; - Los Altos Workshop on Software Testing; - StarEast/StarWest Técnicas de Testes - Testes Exploratórios (Exploratory Testing); - Execução e Design feitos de forma concorrente; - Aprendizado Rápido (Rapid learning); - Execução baseada em Missão e Estratégias; - Difícil Gerenciamento; - Preparado para mudanças. Adapta o planejamento dos testes baseado nos resultados; - Efetividade das estratégias são verificadas colocando-as em prática;
  13. 13. 12 - Pesquisas de testes requerem estudos empíricos e psicológicos - Foco na habilidade ao invés da prática/método; Testes Ágeis Características - Testes mostram que uma história está completa; - Testes devem ser automatizados; - Desenvolvedores devem fornecer frameworks para automação dos testes Empresas que utilizam - Consultorias Instituições Divulgadoras - Agile Workshops Técnicas de Testes - Testes Unitários; - Test-Driven Development (TDD); Ferramentas para Testes de Software A Microsoft disponibiliza atualmente uma solução completa para auxiliar os times de testes das empresas, independente da abordagem utilizada. O Visual Studio ALM, permite que suas soluções se adequem a necessidade do cliente, não sendo necessário o cliente se adaptar a ferramenta. Desde Templates de Processos prontos como SCRUM, CMMI, até a possibilidade de customizações fáceis nos processos para atender o fluxo de trabalho do cliente. Destaque para as ferramentas de Testes de Software como: Microsoft Test Manager: Solução de gerenciamento de Testes de Software, com gestão de Casos de Testes, Record & Play, coleta automática de informação de ambiente, entre outras características. Microsoft Azure: O Azure integra-se com as tecnologias locais da Microsoft, de modo que você pode tirar vantagem completa do seu conhecimento, habilidades e investimentos existentes da Microsoft, e usar um desenvolvimento comum e uma estrutura de teste que abrange desde o datacenter até a nuvem. Tudo no Azure pode ser totalmente automatizado, então você pode realizar spin up e desmontar ambientes virtuais
  14. 14. 13 com um pressionamento de tecla. E graças à funcionalidade de escala do Azure, é possível fornecer capacidade adicional sob demanda e com custo reduzido, para projetos de curto prazo e iniciativas com prazo maior App Insights: É uma ferramenta de análise de aplicações Web e Móveis que tem como objetivo ajudar o desenvolvedor a monitorar suas aplicações, independentemente de onde estejam instaladas, como celulares, tablets, televisores, servidores, em qualquer parte do mundo. Com essa poderosa ferramenta, você poderá avaliar como seu aplicativo está se comportando nos tablets espalhados pelo mundo, quais as funcionalidades mais usadas, quais as funcionalidades menos usadas, quais os navegadores mais utilizados para acessarem sua aplicação, entre outros recursos.
  15. 15. 14 Planejando e Configurando Depois de definida a abordagem, o momento é de se planejar e configurar. Na definição do Requisito, participe da reunião com o Arquiteto de Solução, Desenvolvimento, Analista de Produto, para entender quais os objetivos a serem atingidos, necessidades do cliente, funcionamento do requisito, expectativas, regras de negócio, impactos, inclusive opinar e anotar informações para repassar ao time ou demais envolvidos que podem não estar presente na reunião Valide se você e o time possui conhecimento suficiente de regra de negócio a qual o requisito pretende atingir, e colha materiais inerentes a esse requisito como telas, protótipos, documentações legais, documentos gerados pelo time de produtos e passe ao seu time para juntos explorarem o requisito e iniciar a confecção dos Casos de Testes. Lembre-se que normalmente o Requisito ainda não foi finalizado e você precisa estar já confeccionando seus Casos de Testes, preparando seu Laboratório de Testes e Realizando sua Gestão de Configuração. Valide se o Requisito é Funcional ou Não Funcional, para ter uma abordagem direta e correta do que será testado (por exemplo: - Vamos validar Desempenho?) Verifique se é uma alteração que afetará em um requisito já existente diretamente ou indiretamente e se será necessário, Casos de Testes Regressivos. Importante que você use sua experiência nesse momento, pois você precisará ser assertivo na escolha dos regressivos, pois o custo é alto nesse momento (pense que sempre será necessário estar reduzindo o tempo gasto em testes regressivos). Identifique como serão as entregas (requisitos e ordem), sprints, builds da versão: - Semanais - Mensais - Ciclos Como será abordado a entrega do requisito conforme o andamento do projeto e principalmente a definição de pronto. E classificação de prioridade de BUGS pelos times de desenvolvimento. Não podemos perder tempo do time com demoras nas entregas, desorganização, espera exagerada em análise de bugs, troca de prioridades constantes, etc.
  16. 16. 15 ALM – Coletores de informações de Test Manager Autor: Alan do Nascimento Carlos No Microsoft Visual Studio Test Professional, temos o MTM onde podemos utilizar para realizarmos nossos testes. O Microsoft Test Manager é uma ferramenta poderosa e muito útil, com diversos utilitário e dentre eles destaco os coletores. Esses coletores servem para nos apoiar a identificar um BUG, reproduzir passos, automatizar testes. Veja abaixo como ativar e para que serve cada um: Action Log – Log de Ações – Captura todos os passos e cliques que você executar no computador, gerando depois um código C# que pode ser reaproveitado em fazendo o teste de forma “automática” reproduzindo o que você fez, ou você pode garimpar esse código e transformá-lo de fato em um teste automatizado. Essa captura só funciona no modo cliente (execução local). ASP.NET Client Proxy for IntelliTrace and Test Impact – Proxy para apoio na coleta de aplicativos Web de Servidores quando você ativa o IntelliTrace. Use sempre que seu cliente for um Web Server. Code Coverage – Cobertura de Código – Coletar para capturar dados de códigos de aplicações ASP.NET que rodam no Internet Information Services. Event Log – Log de Eventos – Captura os eventos do Windows conforme a execução do teste. Muito úitl, pois caso dê uma exceção no momento do teste, a mesma estará possivelmente registrada no evento. Serve local como remoto (cliente e servidor). IntelliTrace – Fornece a visão detalhada do comportamento de um aplicativo. (cliente e servidor) Screen and Voice Recorder – Gravação em vídeo e áudio do seu desktop no momento do teste. Muito útil em situações como System Information – Informações completas do sistema. (cliente e servidor). Test Impact – Ajuda a decidir quais testes precisam ser executados novamente quando for liberada uma próxima build. (cliente e servidor).
  17. 17. 16 ALM - Test Manager - Criando um Caso de Teste Funcional Autor: Alan do Nascimento Carlos Introdução Um caso de teste é como um requisito, não possui tempo e deve sofrer melhorias ao longo do tempo, diminuindo ou aumentando o tempo de execução na prática. Deve possuir uma gestão efetiva, inclusive de manutenção para a melhoria contínua. Sua manutenção é como a de um requisito, por isso devem estar associados entre si, inclusive ele é a prova real de como um requisito se comporta, ou seja, a melhor documentação junto com o código fonte e é através dele (Caso de Teste) que devemos no basear o estado atual e funcional de tal requisito. - Um Caso de Testes Funcional só poderá existir se houver um requisito associado, caso contrário seu Caso de Teste é Exploratório, Regressivo (sem rastreabilidade) ou Não Funcional (sem rastreabilidade), pois mesmo um Regressivo ou Não Funcional deve deveriam estar associados à Requisitos; - Um ou mais Casos de Testes podem validar um requisito; - Um Caso de Teste deve estar associado a um requisito; Criando um Caso de Teste Funcional Selecione sua Suíte de Testes Funcionais –> New Test Case e descreva os passos, e outras informações e depois crie um vínculo com o Requisito que será validado.
  18. 18. 17 Depois de concluído a confecção dos seus Casos de Testes, os mesmos estarão prontos para execução assim que o Requisito estiver pronto para os testes. Então inicie criando a Tarefa (Task) de execução, informe o tempo previsto de execução (bem alinhado com seu time) e associe ao Requisito em questão. Depois assine o Caso de Teste ao Testador para que o mesmo seja executado. Importante: Tarefa: Associação de trabalho, medição de tempo, vinculação de bugs, comentários sobre a atividade. Caso de Teste: Conteúdo, passos da execução, gravação, massa de dados, uso futuro, reaproveitamento. Pronto, apenas execute o Caso de Teste e depois sinalize na Tarefa que estará informando o tempo e andamento para conclusão do Requisito.
  19. 19. 18 ALM – Test Manager – Criando Caso de Teste Exploratório Autor: Alan do Nascimento Carlos Introdução O caso de teste exploratório é muito importante para você utilizar afim de explorar uma funcionalidade sem definição formal e com o objetivo de se tirar os seguintes resultados: - Criar Casos de Testes; - Ganhos na velocidade dos testes com o time (início do projeto/iteração); - Criar BUGS não formais (desvinculados a requisitos); - Não substitui Casos de Testes Funcionais. Devem ser usados nos casos: Preparação de Casos de Testes (Inicio de Projeto); Conhecimento de uma funcionalidade (baseado no requisito); Projetos com abordagens ágeis em que a rastreabilidade de relatórios de requisitos não será abordada. Diferentemente do Caso de Testes Funcional ou Não Funcional, não é reaproveitado, pois não se gera passos (Shared Steps). Criando um Caso de Teste Exploratório - Crie uma Suíte de Teste Exploratório; - Adicione a sua Suíte um Requisito; - Crie uma Task para a Execução estipulando o tempo de execução dessa suíte ou teste; - Execute os testes usando a gravação;
  20. 20. 19 - Crie Casos de Testes a partir desse cenário; -Crie um BUG dentro do próprio Test Manager; - Um Caso de Testes Exploratório é no contexto de Planejamento, então cada um deve fazer o seu próprio. Dúvidas de como planejar um Caso de Teste Exploratório? Clique aqui!
  21. 21. 20 ALM – Test Manager – Criando um Caso de Teste Regressivo Autor: Alan do Nascimento Carlos Introdução O Caso de Teste Regressivo nada mais é do que um Caso de Teste que já foi executado alguma vez baseando-se em algum requisito, sendo que pode ser funcional ou não funcional. Então um Caso de Teste Regressivo não se cria em um planejamento, apenas observa-se se será executado novamente, ele é um Caso de Teste Funcional bem sucedido já existente de uma versão ou Sprint anterior. Devido ao custo de um caso de teste regressivo, o mesmo só deve ser executado nas seguintes opções: - Quando o requisito em questão que atinge o caso de teste foi alterado; - Quando há dúvidas sobre a atuação do código fonte alterado em cima de determinados requisitos; - Quando algum requisito em hierarquia é alterado; Importante: Se ocorrer com frequência esses itens, o time de Testes deve alinhar possíveis automações e trabalhar com o rastreamento de Requisitos x Casos de Testes. Criando um Caso de Teste Regressivo Importante: Escolha uma Suíte de Caso de Teste importante ou um Conjunto de Casos de Testes (que já foram executados antes), que necessite sempre ser executado e que não se pode abrir mão da execução desses Casos de Testes. Ex.: - Teste de Processo Reto; - Testes das Principais Funções (Veja mais em AppInsights); Passos: Selecione o Plano de Teste da Versão Anterior; Observe que nesse Plano o Caso de Teste está definido na Suite Funcional.
  22. 22. 21 Faça um Clone desse Plano para uma nova iteração, selecionando as Suites que deseja que sejam executadas novamente (lembrando que todas que já foram executadas, se tornarão Regressivo). Acompanhe o progresso do clone. Depois, abra o novo Plano de Testes.
  23. 23. 22 Altere seu Status. Renomeie as suítes. Observe que seu Caso de Testes mudou de identificação no Clone, pois é um novo, e as referências com o Requisito anterior não existem mais.
  24. 24. 23 Apenas fica a referência com o Caso de Teste Origem, para conhecimento de onde veio esse novo Test Case. Pode-se clonar Planos de Testes, Suítes, etc. Plano de Testes – Entre Versões – Função Clonar Suítes e Caso de Testes – Entre Suítes – Função Pode-se também realizar uma cópia direta, realizando os seguintes passos: No novo Plano de Testes, na Suite de Regressivo, vá em Add Test Case. Execute a query e selecione o Caso de Teste que você deseja: Em seguida, clique para criar uma Cópia:
  25. 25. 24 Será criado um novo ID, porém ele levará todos os itens associados, nesse caso você deverá identificar se há ou não necessidade de uso desses itens e referências. Depois de concluído a confecção dos seus Casos de Testes, os mesmos estarão prontos para execução assim que o Requisito estiver pronto para os testes. Então inicie criando a Tarefa (Task) de execução, informe o tempo previsto de execução (bem alinhado com seu time) e associe ao Requisito em questão. Depois assine o Caso de Teste ao Testador para que o mesmo seja executado. Importante: Tarefa: Associação de trabalho, medição de tempo, vinculação de bugs, comentários sobre a atividade. Caso de Teste: Conteúdo, passos da execução, gravação, massa de dados, uso futuro, reaproveitamento.
  26. 26. 25 ALM – Test Manager – Criando um Caso de Teste Não Funcional Autor: Alan do Nascimento Carlos Introdução Um Caso de Teste não funcional são testes que validam os requisitos não funcionais relacionados ao uso da aplicação em termos de desempenho, usabilidade, confiabilidade, segurança, disponibilidade, manutenibilidade e tecnologias envolvidas. Não é preciso o cliente dizer sobre eles, pois eles são características mínimas de um software de qualidade, ficando a cargo do desenvolvedor ou gerente de produto optar por atender esses requisitos ou não, desde que não sejam obrigatórios por legislação. Normalmente esses testes são associados a técnicas adicionais e ferramentas próprias para auxiliar na execução desses casos de testes, ex.: Load Test: Visual Studio Test Professional Security Test: Fiddler com Plugins do CodePlex como XSS Você pode associar itens relacionados a testes não funcionais com testes funcionais, dando velocidade a seu teste e atingindo objetivos de forma rápida. Ex.: - Todos seus testes Web devem estar sendo executados em HTTPS; - Em testes de interface (Windows Forms) validar o uso de usuários do grupo Power Users ou Users, com restrições, inclusive ACL, NTFS e SMB; - Todos seus testes de banco de dados, devem usar usuários DB_OWNER com direitos apenas nas bases de dados em questão; - Usar os softwares de forma restritiva, por exemplo, o uso de um SQL Express e uma edição do Windows Server mais básica como a Standard, em testes, ajuda a entender e delimitar o funcionamento do produto e já de quebra garantir que funcionará em ambientes mais completos (SQL Enterprise, Windows Enterprise ou Datacenter); - Associar testes de processo reto com quantidade considerável de massa de dados, auxilia na validação de um teste não funcional de desempenho.
  27. 27. 26 Criando um Caso de Teste Não Funcional Nesse exemplo, vamos criar um Teste Não Funcional de Stress (Estresse) Abra seu Test Manager –> Selecione a Suite de Testes Não Funcionais –> Crie seu Caso de Teste Não Funcional Importante salientar que um Caso de Testes Não Funcional, deve estar associado a um Requisito Não Funcional de preferência, ou muito bem alinhado na determinação do teste junto ao time de desenvolvimento. Por exemplo: Fixou-se um limite de 50.000 Requisições por minuto que um Web Service de transação suporta. Sendo assim, seu Caso de Teste irá validar esse limite em ciclos constantes e acompanhando se com o passar dos ciclos, o software apresenta degradação de desempenho, congelamento, ou consegue operar normalmente. Depois de concluído a confecção dos seus Casos de Testes, os mesmos estarão prontos para execução assim que o Requisito estiver pronto para os testes. Então inicie criando a Tarefa (Task) de execução, informe o tempo previsto de execução (bem alinhado com seu time) e associe ao Requisito em questão. Depois assine o Caso de Teste ao Testador para que o mesmo seja executado. Importante: Tarefa: Associação de trabalho, medição de tempo, vinculação de bugs, comentários sobre a atividade. Caso de Teste: Conteúdo, passos da execução, gravação, massa de dados, uso futuro, reaproveitamento. Para executar esse teste, você poderá usar o Visual Studio Online, alocando seus Servidores Web e usando a feature de Load Test do Visual Studio. Maiores informações, clique aqui. Também pode se usar seu ambiente local e o Fiddler. Maiores informações, clique aqui.
  28. 28. 27 ALM - Usando o Microsoft Test Manager – Atualizando Casos de Testes Autor: Alan do Nascimento Carlos Introdução Imagine o seguinte cenário: Um requisito foi removido do projeto e você precisa atualizar o status de cem casos de teste correspondentes a esse requisito. Fazer isso manualmente um por um é possível mas, você teria muito trabalho, porém há um jeito muito mais fácil de fazer isso. Web Access Do seu Visual Studio acesse o portal Web Access: Em seguida faça uma consulta correspondente ao requisito: Selecione os casos de testes em conjunto: Em seguida clique com o botão direito e altere o item.
  29. 29. 28 No caso, mudei o status para “Removed” E pronto! Excel Há outra forma fácil também, você deve abrir o Excel, selecionar a aba Team e clicar em New List, em seguida selecionar o projeto:
  30. 30. 29 Depois que a célula aparecer, filtre apenas os Test Cases, em seguida altere o Status de um Test Case, no caso aqui foi para Closed, depois copie, selecione todos os casos de testes que deseja mudar e cole. Depois apenas clique no botão Publish e pronto! Você pode usar essa técnica para atualizar e modificar diversos parâmetros, como State, Assign to, entre outros. Introdução Imagine o seguinte cenário: Um requisito foi removido do projeto e você precisa atualizar o status de cem casos de teste correspondentes a esse requisito. Fazer isso manualmente um por um é possível mas, você teria muito trabalho, porém há um jeito muito mais fácil de fazer isso. Web Access Do seu Visual Studio acesse o portal Web Access:
  31. 31. 30 ALM – Gerenciando Casos de Testes com Passos Compartilhados Passos compartilhados é uma das melhores ferramentas do Microsoft Test Manager, pois com ele, você pode escrever passos padrão como por exemplo abrir uma aplicação Web, desde clicar no Internet Explorer, até realizar o logon e deixar como passo compartilhado e sempre usar em todos os casos de testes que você necessita usar esse passo, sendo assim, você não precisa mais reescrever tais passos. Isso economiza um tempo enorme. Segue link abaixo da Microsoft falando mais sobre os passos compartilhados (shared steps). http://msdn.microsoft.com/pt-br/library/dd286655(v=vs.100).aspx Mas esse post tem como objetivo, mostrar como gerenciar Casos de Testes que possuem Passos Compartilhados. Os passos para identificar esses casos é simples, siga abaixo: Abra o Web Access do TFS e vá em View Work Items, em seguida clique em Editor e selecione Work Items and Direct Links e faça o filtro conforme abaixo: E pronto, sua pesquisa está pronta, onde você consegue identificar quais Casos de Testes estão usando o mesmo passo compartilhado e assim editar, mudar, etc. Você pode inverter os filtros ou fazer de outra forma, ficando a seu critério.
  32. 32. 31 ALM – Configurando o Lab Management para o Microsoft Test Manager Autor: Alan do Nascimento Carlos Veja também esses links: System Center – Instalando o System Center Virtual Machine Manager – Pré Requisitos System Center – Instalando o System Center Virtual Machine Manager – Instalando Management Server, VMM Console Esse artigo tem como objetivo explanar a configuração e integração do Team Foundation Server (TFS) com o System Center Virtual Machne Manager (SCVMM) SP1 e poder usar o ambiente de virtualização da solução da Microsoft para criação de ambientes de Testes com o Lab Management. Obs.: Esse post parte do pressuposto que já há um ambiente configurado com o SCVMM 2012 SP1 e Hosts com Hyper-V configurados e um servidor TFS 2013 com suas coleções de projetos já criadas. REQUISITOS - Visual Studio Agents 2013 Necessário para a instalação do Test Controller http://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=40750 - Servidor do Virtual Machine Manager Console 2012 (System Center Virtual Machine Manager) SP1 e o Hyper-V Instalação do Hyper-V no Windows 2012: http://technet.microsoft.com/pt-br/library/hh846766.aspx Instalador do SCVMM 2012: http://technet.microsoft.com/pt-br/evalcenter/hh505660.aspx Nesse link segue os passos de instalação do SCVMM 2012 http://technet.microsoft.com/pt-br/library/gg610617.aspx Obs.: No SCVMM 2012 SP1 não há mais o portal de autoatendimento, então ignore o passo de instalação do guia da Microsoft. – Permissões
  33. 33. 32 Permissão de Administração para as contas do TFS no SCVMM Console - Permissão de Administração para as contas do TFS no Servidor do SCVMM - Permissão de Administração no computador local (Test Manager) para a conta de serviço do Test Controller INSTALAÇÃO DO SCVMM 2012 SP1 CONSOLE ADMINISTRATOR NO TFS Será necessário realizar a instalação do SCVMM 2012 SP1 CONSOLE no Servidor do TFS, para conexão e gerenciamento. Depois da instalação, realize um teste de conexão a partir da Console para verificar se o Servidor TFS acessa o servidor com o SCVMM 2012 SP1 e o Hyper-V.
  34. 34. 33 CONFIGURAÇÃO DA INTEGRAÇÃO DO TFS COM O SCVMM 2012 SP1 Depois de instalado o SCVMM Console no servidor TFS, entre na Console de Administração do TFS e vá em Lab Management, clique em Configure e digite o nome FQDN do servidor com o SCVMM 2012 SP1, depois clique emTest. Depois, escolha a Coleção de Projetos (Collection) que você deseja que use o Lab Management (pode ser uma ou todas) em Team Project Collections, vá na aba Lab Management e clique em: Configure Library Shares: Para configurar a Biblioteca Compartilhada (que possui templates de hardware, VHD, ISO, etc.) de que o SCVMM 2012 SP1 possui.
  35. 35. 34 http://technet.microsoft.com/en-us/library/gg610598.aspx Configure Hosts Groups: Para configurar o Grupo de Hosts (que irão hospedar suas virtualizações) que o SCVMM 2012 SP1 possui. http://technet.microsoft.com/en-us/library/gg610645.aspx INSTALAÇÃO DO TEST CONTROLLER A partir do computador que possui o Microsoft Test Manager, realize a instalação do Test Controller que está disponivel no Visual Studio Agents 2013.
  36. 36. 35 - Configuração do Test Controller Depois de instalado, execute a configuração do Test Controller, colocando os dados da Coleção de Projetos, Logon e Senha da conta que irá executar o serviço do Test Controller (conta com direitos de administração nas virtualizações, acesso no compartilhamento da biblioteca do SCVMM), e valide as configurações. Depois clique em Apply e valide se foi configurado corretamente.
  37. 37. 36 Pronto, está já configurado a pronto para uso. Abra o Test Manager e vá em Lab Center, crie um novo ambiente e veja que a integração está funcional. ALM – Configurando o Lab Management para o
  38. 38. 37 ALM – Atribuir um Caso de Teste a um Testador Autor: Alan do Nascimento Carlos Depois de planejar seus Casos de Testes no Microsoft Test Manager, você pode distribuir esses casos para diversos testadores membros do time. Para fazer isso é simples: Em Plan, clique com o botão direito do mouse em cima do Caso de Teste que deseja atribuir e selecione no menu “Assign testers for selected tests” Em seguida selecione o testador. Depois de salvo, quando for executar, selecione em Test – Filter e selecione o Testador. Pronto, perceba que o Caso de Teste está marcado para aquele testador que você atribuiu e ele poderá executar o mesmo. ALM – Atribuir um Caso de Teste a um Testador Autor: Alan do Nascimento Carlos Depois de planejar seus Casos de Testes no Microsoft Test Manager, você pode distribuir esses casos para diversos testadores membros do time. Para fazer isso é simples: Em Plan, clique com o botão direito do mouse em cima do Caso de Teste que deseja atribuir e selecione no menu “Assign testers for selected tests”
  39. 39. 38 ALM - Test Manager - Executando um Caso de Testes Autor: Alan do Nascimento Carlos Para executar um Caso de Teste no Test Manager, siga os passos: - Execução do Caso de Testes Feche todos os programas de sua Workstation que não fazem parte do escopo do Teste –> -Vá no contexto de Test –> Selecione o Caso de Teste –> Execute - Passos para abrir um BUG No decorrer dos passos ao encontrar um BUG, tire um Print Screen com o Test Runner Descreva o BUG de forma bem sucinta, pois o Test Runner coletará os dados como: - Passos da execução - Dados do computador e logs - Telas capturadas - Aplicações que estavam em execução
  40. 40. 39 -Depois de aberto o BUG, assine o mesmo ao responsável, salve e feche seu teste que falhou. - Relatório e Acompanhamento Acompanhe a evolução do Requisito associado ao Caso de Teste que você executou e abriu um BUG, observe que no Relatório de Overview de Requisitos, o Requisito teve mudanças, com tarefas já concluídas e BUGS ativos no momento. -Test Points – Três, devido as configurações de ambientes para um único caso de teste -Horas completadas – das 27 Horas (Task de Desenvolvimento e Testes), 08 foram concluídas -Test Results – dos 03 Test Points, 01 foi executado com falha
  41. 41. 40 -No momento há um BUG ativo para o Requisito Essa rastreabilidade acontece pois: - Há um Requisito Funcional - Há Tarefas (Tasks) com Horas de Desenvolvimento e Testes associadas como Child a esse Requisito; - Há Casos de Testes associados como Tests a esse requisito; Então, conforme você abre um BUG no Caso de Teste associado, automaticamente o BUG é relacionado ao Requisito e informado no relatório (conforme o ciclo de atualização do Reports do SQL Server do TFS). E conforme você apontar as horas (diminuição ou aumento) em sua Tarefa de Teste (Não Caso de Teste) será demonstrada a evolução no Requisito, até o estágio ser completado. - Realizando novamente o Caso de Teste Depois do BUG corrigido, resete o Teste para Ativo e execute novamente.
  42. 42. 41 Depois de concluído o caso de teste, finalize a Tarefa de Teste (vinculada ao requisito). Importante: O Caso de Teste deve ficar sempre com status de Ready, pois seus estados são: -Ready: Pronto para ser usado quando desejar -Design: Está sendo preparado (configurado) -Closed: Não será usado mais
  43. 43. 42 Acompanhamento dos Relatórios Observe que o Relatório de Overview de Requisitos, se atualizou, demonstrando que o requisito está completo. Depois de concluído todos os testes, e finalizado o Plano de Testes, mude seu Status de In Progress para Completed. Pronto, seu Plano e Casos foram executados com sucesso. ALM - Test Manager - Executando um Caso de Testes Autor: Alan do Nascimento Carlos
  44. 44. 43 ALM – Alterando seu caso de testes para um novo Build Autor: Alan do Nascimento Carlos Imagine o seguinte cenário, você está em executando um Caso de Teste no Microsoft Test Manager e conforme foi encontrando bugs foi reportando a equipe de desenvolvimento onde depois de algumas horas um novo Build foi liberado para ser testado. Como proceder para que seu Caso de Teste seja executado em cima desse novo Build? Simples! Veja abaixo: Ao executar seu Caso de Testes no Test Manager, selecione a opção Run with options. Selecione a Build liberada e pronto, mão na massa! ALM – Alterando seu caso de testes para um novo Build Autor: Alan do Nascimento Carlos Imagine o seguinte cenário, você está em executando um Caso de Teste no Microsoft Test Manager e conforme foi encontrando bugs foi reportando a equipe de desenvolvimento onde depois de algumas horas um novo Build foi liberado para ser testado. Como proceder para que seu Caso de Teste seja executado em cima desse novo Build? Simples! Veja abaixo: Ao executar seu Caso de Testes no Test Manager, selecione a opção Run with options.
  45. 45. 44 ALM - Test Manager - Clonar ou Copiar Work Items? Autor: Alan do Nascimento Carlos Introdução A ferramenta Test Manager traz um excelente recurso para facilitar o gerenciamento do seu Plano de Testes, a possibilidade de Clonar ou Copiar seu Caso de Testes, Suíte de Testes, e Plano de Testes, dando velocidade na criação de Casos de Testes. Importante - Se você trabalha dentro de uma mesma versão, com iterações ou sprints diferentes, tem todo o sentido você copiar ou adicionar um caso de teste com todos os seus itens atuais (Requisitos, Tasks de Tempo), pois faz parte da mesma versão, assim poupa-se trabalho de reescrever e realizar os links em cima de um requisito, e até criar tarefa, caso o seu processo permita “zerar” uma Tarefa de medição de tempo e reutilizar a mesma na próxima sprint ou Iteração dentro da mesma versão de produto. - Se você trabalha em um nova versão, e deseja manter links com work items anteriores, inclusive requisitos, mas que não serão alterados, tem todo o sentido você criar uma suite dentro de um plano de testes, realizar um add de caso de teste e copiar esse caso de teste, pois irá gerar um caso de testes com os work items relacionados do antigo, mas que você poderá manter ou remover, sem afetar o origem. - Se você trabalha em uma nova versão, e deseja apenas manter os passos e descrição do work item, sem o relacionamento com outros work items, tem todo o sentido você clonar o plano de testes diretamente, pois os casos e suites serão clonados, mas não terá link com requisitos anteriores, dando a você a possibilidade de realizar um link que um requisito novo versionado. Cenários Abaixo segue exemplo de cenários e qual a melhor forma de utilização: Usar os mesmos Casos de Testes dentro do mesmo Plano em Suites de Testes Diferentes Esse cenário você ganha velocidade, pois os Work Items, Links com Requisitos e Tarefas irão se manter, não sendo necessário escrever ou inserir novos dados. Obs.: Se você alterar o Caso de Testes copiado, sendo na descrição ou links, irá refletir no Caso de Teste origem.
  46. 46. 45 Se você alterar o Work Item de qualquer uma das suites, irá refletir no outro Work Item. Veja como exemplo a alteração da prioridade do Work Item da cópia, e refletiu no original, ou seja, perde o histórico. Usar os mesmos Casos de Testes de outras Iterações ou Plano de Testes em um Novo Plano ou Iteração Esse cenário você ganha velocidade, pois os Work Items, Links com Requisitos e Tarefas irão se manter, não sendo necessário escrever ou inserir novos dados. Obs.: Se você alterar o Caso de Testes copiado, sendo na descrição ou links, irá refletir no Caso de Teste origem. Você mantém a relação com o Requisito Primário.
  47. 47. 46 Criar uma suíte, pesquisar os Work Items e Adicionar os Casos de Testes. Usar os Dados (inclusive links) de um Casos de Testes de outras Iterações ou Plano de Testes em um Novo Plano ou Iteração mas como um Novo Caso de Teste Esse cenário você ganha velocidade, pois os Work Items, Descrição e Links irão se manter, não sendo necessário escrever ou inserir novos dados. Obs.: Se você alterar o Caso de Testes copiado, sendo na descrição ou links, não irá refletir no Caso de Teste origem. Você mantém ou não a relação com o Requisito Primário. Criar uma Suite, pesquisar os Work Items e Copiar o Caso de Teste Nesse cenário, você irá Criar um Novo Caso de Teste e ele levará os Work Items do Caso de Testes Original. Nesse caso você poderá alterar o Caso de Testes e remover os Links que não irá alterar o Caso de Teste origem.
  48. 48. 47 Veja, foi removido o link Requirement do novo Caso de Teste. E no original ainda mantém. Usar apenas os Dados (Passos e Descrição do Caso de Teste) de um Casos de Testes de outras Iterações ou Plano de Testes em um Novo Plano ou Iteração mas como um Novo Caso de Teste Esse cenário você ganha velocidade, pois a Descrição e Passos do Teste irá se manter, sendo necessário realizar o link novamente com Tarefas e Requisitos, por exemplo. Obs.: Se você alterar o Caso de Testes copiado, sendo na descrição ou links, não irá refletir no Caso de Teste origem. Você deve criar uma nova relação com o novo Requisito (nova versão).
  49. 49. 48 Ou seja, você pode usar qualquer técnica, porém precisa se atendar aos detalhes nas alterações e rastreabilidade.
  50. 50. 49 ALM – DevOps – Dashboard do seu Lab do Microsoft Test Manager INTRODUÇÃO O Microsoft Visual Studio ALM possui uma poderosa ferramenta de gerenciamento de laboratório de testes de software chamado Lab Management. Essa ferramenta permite a integração com servidores que executem o Microsoft System Center Virtual Machine Manager dando assim uma gestão completa do seu ambiente de virtualização de testes. Para deixar mais completo seu ambiente, ainda contamos com o a Integração do Microsoft System Center Operation Manager, que faz a gestão desse ambiente, monitorando as virtualizações em Hosts e deixando o Gestor de Configuração por dentro do que se passa em seu ambiente. Com ele podemos gerenciar memória, disco, processador, etc. e assim acompanharmos a evolução de nossa aplicação na questão de uso de recursos de servidores e ajustarmos conforme a necessidade e até já determinando consumos mínimos e máximos de hardware, testes de desempenho, performance, etc. Dica: Você pode usar um ambiente misto com nuvem privada e publica em seu ambiente Lab Center. Esse tipo de ambiente tem um custo benefício muito atraente, pois você pode alocar virtualizações na Azure da Microsoft para testes específicos de Web Server por exemplo, onde haverá uma simulação real de ambiente e link externo e depois de usado poderá desalocar o recurso para outros testes. E tudo isso sendo gerenciado pelo System Center. Para usar essa feature de gerenciamento de Dashboard é muito fácil. Requisitos: - System Center Operation Manager 2012 R2 - System Center Virtual Machine Manager 2012 R2 - Team Foundation Server 2013 - Microsoft Test Manager 2013 - Para monitorar os Hosts de Virtualização, instale também o agente do Operation Manager nos Hosts - Management Packs do Virtual Machine Manager 2012 R2 System Center Management Pack for VMM Fabric Dashboard 2012 R2: http://www.microsoft.com/en- us/download/details.aspx?id=39635 Obs.: Caso você use o VMM 2012 SP1 e não o R2, siga esses procedimento do Technet para poder instalar o Pack for VMM Fabric Dashboard, para gerenciamento de ambientes mistos (nuvem publica e privada). http://technet.microsoft.com/en-us/library/hh882396.aspx System Center Management Pack for Operation Manager Dashboard VMM: http://www.systemcentercentral.com/wp- content/uploads/2012/07/Virtual_Machine_Manager_Dashboards1.zip Artigos de Apoio:
  51. 51. 50 Artigos adicionais explicando como instalar ou integrar as soluções: System Center – Dicas – Integrando o SCVMM com o Operation Manager System Center – Instalando o Reporting Services do SQL Server 2012 System Center – Instalação do Operation Manager 2012 R2 System Center – Configurando o Operation Manager com o Virtual Machine Manager ALM – Configurando o Lab Management para o Microsoft Test Manager System Center – Instalando o System Center Virtual Machine Manager – Instalando Management Server, VMM Console System Center – Dicas – Performance and Resource Optimization – PRO System Center – Configurando um Laboratório de Virtualização com o SCVMM INSTALAÇÃO DO MANAGEMENT PACK Na console de gerenciamento do Operation Manager, instale todos os Management Packs, conforme as telas abaixo.
  52. 52. 51 ACOMPANHAMENTO DOS DASHBOARDS E GERENCIAMENTO DO LABORATÓRIO Depois de instalado aguarde alguns minutos para coleta das informações. - Dashboards Com essas informações você pode acompanhar o desempenho de sua aplicação dentro do seu ambiente virtual, como consumo de memória, disco, processador; Pode gerenciar liberando ou diminuindo os recursos para seu ambiente para simular ambientes hostis de clientes; Acompanhar o desempenho do seu Lab de Testes com o Pool de Servidores Hyper-V e determinar a necessidade de alocar mais ou menos recursos para o ambiente; Gerir de forma automática através de scripts e packs a gestão do ambiente para liberar ou remover recursos em builds e execuções automáticas de testes; Receber alertas e informações de forma automática por e-mail, mensagem, SMS, de execução de testes, queda de serviços, aumento de memória, processamento, etc.
  53. 53. 52 E muito mais. - Execução remota de comandos: Você pode gerenciar suas virtualizações, coletar informações de logs, análise tudo de forma fácil e integrada.
  54. 54. 53 GERENCIAMENTO DE SUA CLOUD HIBRIDA DE TESTES Usando o VMM Fabric Dashboard você gerencia sua nuvem local (privada) e publica avaliando o ambiente e qualidade de seu laboratório e testes de software. Tudo isso de forma muito simples, apenas instalando os packs gratuitos disponíveis nos sites da Microsoft.
  55. 55. 54 Conclusão O Portal do TechNet Wiki é repleto de materiais de apoio com artigos excelentes sobre as tecnologias e soluções da Microsoft, diversificado com muitos autores da comunidade que dispõem do seu tempo para estarem escrevendo artigos para o Portal.

×