DBS : planejamento de implantes

508 visualizações

Publicada em

Principios do planejamento estereotaxico de eletrodos DBS.
Fundamentals of stereotactic DBS planning.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
508
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DBS : planejamento de implantes

  1. 1. Armando L. Alaminos Bouza, Físico – Médico. Mevis Informática Médica LTDA
  2. 2. Recursos técnicos no planejamento : -Aparato de Estereotaxia. -Imagens estereotáxicas (usualmente CT e RM). -Imagens não estereotáxicas (usualmente RM ). -Fusão multimodal de imagens . -Fusão com atlas de neuroanatomia funcional. -Software de Planejamento.
  3. 3. Como localizar/atingir um ponto do cérebro com máxima precisão ? Alvores da Estereotaxia. Horsley & Clark 1906 - London Munssen 1918 - Montreal UCLA Museum of Medical Apparatus
  4. 4. Spiegel e Wycis 1947 Leksell - 1949. Primeiro sistema isocêntrico Primeira cirurgia estereotáxica em humanos.
  5. 5. Aparatos estereotáxicos : -Sistema de eixos Cartesianos rígidos. -Imobilizador ( ±0.3 mm). -Localizador ( ±0.5 mm). -Posicionador ( ±0.5 mm).
  6. 6. Sistemas de marcadores estereotáxicos (“fiducials”) Marcadores de CT Marcadores de RM Problemas com a Estéreo-RM: -Homogeneidade do campo magnético. -Fiducials na borda do campo !! -Próteses e partes do estereotáxico metálicas.
  7. 7. CT - não deforma a topografia do sistema encéfalo + estereotáxico. RM - deforma a topografia do sistema encéfalo + estereotáxico. melhores detalhes anatômicos.
  8. 8. Como integrar a informação fornecida pelas diversas modalidades de imagens ? Fusão multimodal de imagens
  9. 9. Conectividade CT PET SPECT MR - DICOM - Formatos de imagens proprietários do fabricante. - Ethernet , CDROM, etc.
  10. 10. Alinhamento Geométrico de imagens: “image registration”
  11. 11. Basicamente, a fusão é tratada como um problema de transformação de coordenadas de um sistema de referência a outro. Pode se apresentar como transformação homogênea, entre dois sistemas de referência S1 na modalidade M1 e S2 na modalidade M2: x = t11 u + t12 v + t13 w + t14 y = t21 u + t22 v + t23 w + t24 z = t31 u + t32 v + t33 w + t34 1 = t41 u + t42 v + t43 w + t44 onde (x,y,z) representam as coordenadas de um ponto do espaço no sistema de referência S1 e (u,v,w) as coordenadas do mesmo ponto do espaço medidas no sistema de referência S2. Os elementos da transformação (t11, t12, t13, t14, t21, t22,...,t44), serão tratados daqui em diante como elementos de uma matriz T na forma t[i,j] . equação 1
  12. 12. Resultados da Fusão multimodal de imagens
  13. 13. Resultados da Fusão multimodal de imagens
  14. 14. Atlas de neuro anatomia funcional, para estereotaxia. -Schaltenbrand-Wahren (1977) -Talairach (1988, 1993) - Morel (2007)
  15. 15. Cirurgia Funcional - Fusão com mapas
  16. 16. Fusão da CT , RM e mapas. Mapas representados vetorialmente
  17. 17. Aparato Estereotáxico : Eletrodo em posição. Controle radiológico.
  18. 18. Controle da Qualidade : Fontes de erro Pré-operatório Intra-operatório mostrando desvio
  19. 19. Conclusões Importância do bom planejamento na cirurgia funcional : •Mínimo tempo de exploração eletrofisiológica. •Ângulo ótimo para atingir vários núcleos com 1 DBS e evitar estruturas de alto risco. •Mínima invasividade Armando Alaminos Bouza - 2007

×