Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.

1.139 visualizações

Publicada em

Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.139
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.

  1. 1. Ailton Pinheiro Moreira
  2. 2. “A linguagem é, assim, a forma propriamente humana da comunicação, da relação com o mundo e com os outros, da vida social e política, do pensamento e das artes.” (Chauí, 2006, p. 148)  O poder da linguagem.
  3. 3. Chauí (2003) aponta a filosofia como a gênese dos estudos sobre a linguagem.  Na Grécia: A linguagem é natural aos homens ou é uma convenção social?
  4. 4.  Aristóteles: Apenas o homem é um animal político, isto é, social e cívico, porque somente ele é dotado da capacidade de comunicação através da linguagem. (Chauí, 2003, p. 147).
  5. 5. Rousseau  “A palavra distingue os homens dos animais. A linguagem distingue as nações entre si. Não se sabe de onde é um homem até que ele tenha falado”.
  6. 6. Platão  Fedro: A linguagem é um pharmakon.
  7. 7. Pharmakon = Poção.  Poção = remédio, veneno e cosmético. (Chauí, 2003, p. 147)
  8. 8. Hjelmslev  “O instrumento graças ao qual o homem modela seu pensamento, seus sentimentos, suas emoções, seus esforços, sua vontade e seus atos, com o qual influencia e é influenciado, a base mais profunda da sociedade humana”. (Chauí, 2003, p. 147)
  9. 9. Séculos mais tarde  Novas concepções emergem. A linguagem passa a ser entendida como capacidade de expressão inata aos seres humanos.
  10. 10. Noam Chomsky  Linguagem: capacidade de expressão inata aos seres humanos
  11. 11. LAD  Language Acquisition Device
  12. 12. Critical Period  The hypothesis claims that there is an ideal "window" of time to acquire language in a linguistically rich environment, after which further language acquisition becomes much more difficult and effortful.
  13. 13. Caixa negra localizada no cérebro humano responsável por conter os princípios universais a todas as línguas.  Posteriormente: Universal Grammar (UG)
  14. 14. Linguagem  Verbal e não verbal
  15. 15. Linguagem não verbal 
  16. 16. A linguagem humana serve para a comunicação. Mas o que é comunicação?  Funções da linguagem
  17. 17. De acordo com Roman O. Jakobson:  (1) referential, (2) emotive (3) conative ("Come here"), (4) phatic ("Hello?"), (5) metalingual ("What do you mean by 'krill'?"), and (6) poetic ("Smurf")
  18. 18. Função Informativa ou Referencial  “Water boils at 100 degrees.” "The Earth is round.”
  19. 19. Função Emotiva  "Yuck!“ “Ouch!”
  20. 20. Função Conativa  “Go away!” “Do not leave the room!”
  21. 21. Função Fática  “Hello!” “Are you listening?”
  22. 22. Função Metalinguística  “What is ‘plurge’?” “What do you mean by ‘slouch’?”
  23. 23. Função Poética  He took my soul and bound it With cords of iron wire Seven times round He wound it With the cords of my desire. "Rejected" by Lord Alfred Douglas, Lyrics, 1935.
  24. 24. CLT – Communicative Language Teaching – Richards e Rodgers (2001)  Vê a comunicação como função primordial para o uso da língua.
  25. 25. Commuicative Language  A habilidade de interpretar e enunciar comportamentos sociais de maneira apropriada, mediante o desenvolvimento ativo do aprendiz na produção da língua alvo, é entendido como competência comunicativa. (Canale e Swain, 1980).
  26. 26. Habilidades necessárias  Vocabulário e gramática (competência linguística); Adaptação de determinadas expressões a contextos sociais específicos (competência sociolinguística); Iniciar a manter o curso de uma conversação (competência discursiva); Corrigir falhas durante diálogos (competência estratégica).
  27. 27. CLT  Doughty e Long (2003): princípios metodológicos como uma lista de características da língua alvo elaboradas para facilitar a aquisição da língua.
  28. 28. Atitudes e concepções do professor  Kato (1995) diz que o professor e suas atitudes e concepções são decisivos, no processo de aprendizagem, para se configurar o tipo de intervenção nesse processo.
  29. 29. Os benefícios de se conhecer as concepções de linguagem.  Travaglia (1997) destaca que a concepção de linguagem e a de língua altera em muito o modo de estruturar o trabalho com a língua em termos de ensino e considera essa questão tão importante quanto a postura que se tem em relação à educação.
  30. 30. A opção política no ato de ensinar línguas  Geraldi (1997a) afirma que toda e qualquer metodologia de ensino articula uma opção política com os mecanismos utilizados em sala de aula. Por sua vez, a opção política envolve uma teoria de compreensão da realidade, aí incluída uma concepção de linguagem que dá resposta ao para que ensinamos o que ensinamos.
  31. 31. Linguagens 

×