Semana gerontologia

338 visualizações

Publicada em

Da professora Beltrina Côrte

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
338
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Semana gerontologia

  1. 1. 14ª Semana de Gerontologia I Simpósio Internacional de Gerontologia Social. história e Releituraslongevidade na mídia: testemunhos digitais Beltrina Côrte PUC-SP OLHE
  2. 2. Norte-americana Besse Cooper entrou para o Guinness como a mais velha do mundo – morreu com 116 anos (2012)
  3. 3. A velhice tem O prolongamento algum da vida realmente significado? traz benefícios, seja para o indivíduo ou para a sociedade?Ou, pelo contrário, osrecentes progressos sobre aexpectativa de vida nãoforam apenas oprolongamento dadecrepitude, a invalidez euma existência semsentido?
  4. 4.  Filósofos, artistas, médicos, ci entistas estão lançando na mídia um novo olhar para as 3 últimas décadas da vida. Eles percebem que isso é, na verdade, um estágio de desenvolvimento com sua própria significância.
  5. 5. Jane Fonda chama de terceiroato e trabalha a ideia da idadecomo potencial e não perda. Obviamente, não há garantia de que ele seja um tempo de fruição e crescimento.
  6. 6. Que significância é essa que está sendo realçada na mídia?Conhecer aqueles que experimentam o prolongamento da vida é abrir janelas para a construção de saberes sobre a longevidade do ser humano
  7. 7. Independência e autonomia aos 100
  8. 8. “Fazer música é minha vida e estar em disposição decontinuar com o que mais quero é para mim um grande privilégio e uma profunda alegria”
  9. 9. “Enquanto respirar, ensinarei ioga”
  10. 10. Ele conseguiu reelaborar valores, enfrentar preconceitos e redesenhar sua trajetória de vida ao voltar para o bancoescolar e terminar seu mestrado. A mídia o apresenta comouma grande lição de vida quanto a novas maneiras de viver as múltiplas aprendizgens e educação ao longo da vida. “Nunca se é velho demais e nunca é tarde demais para estudar: enquanto viver se é um eterno aprendiz”.
  11. 11. Estudareleva aautoestima,previnedoenças emelhoradepressão?
  12. 12. No morar coletivo encontra-se companhia http://www.diariodamanha.com/noticias.asp?a=view&id=42881
  13. 13. “Se o sujeito tem boa memória e suas pernas andam, fazer 90 anos é a coisa mais natural do mundo”.
  14. 14. “Eu gosto de fazer aniversário, o que não quero é que hajamuito barulho; cada vez mais prefiro as reuniões tranquilas”
  15. 15. No cuidado, a importância da alimentação.
  16. 16. Ícone da construção da Gerontologia Social no país. “O tempo pode ser um fardo”
  17. 17. Valorização da experiência, d a cultura e conhecimento acumulados no trabalho Confessa que quando jovem não gostava develhos, principalmente no mercado de trabalho.
  18. 18. Investimento em projetos de vida:“todo ser humano precisa de um sonho"
  19. 19. Preferência pelo sossego da casa, dos filhos, netos e amigos mais amigos: valorizando as relações
  20. 20. Aprender informática: abriu muitas portas.Conquista da paz de espírito. Diverte-se com ela mesma. Gosta da sua companhia e de estar só. Curte sozinha a cultura de S.Paulo: independência
  21. 21. Tem no esporte, descoberto quando velha, motivação pararomper com seus próprios limites: mudou radicalmente sua trajetória de vida a partir do esporte.
  22. 22. Para driblar um problema na retina que a faz enxergar apenas vultos, se vale de toda tecnologia disponível.
  23. 23. Bisavó de 92 anos foi impedida de comprar uísque porque não acreditaram que ela era maior de 18 Diane Taylor – Londres – Harlow
  24. 24. Idosa britânica tatua aviso no peito para que não a ressuscitem Jay Tomkins, 81 anos Para garantir que sua mensagem será lida eque ninguém preste socorro caso ela adoeça e precise de ajuda para recuperar as funçõesvitais, ela também tatuou nas costas as iniciais "P.T.O." (Por Favor Vire)Reivindicando a dignidade da morte através do próprio corpo
  25. 25. razões "Se me encontrarem caída no chão e eu não puder dizer nada, quero que aceitem isso, tenho 81 anos e não preciso viver mais. O que eu faria com o terrível pensamento de chegar até os 100 anos? Eu odeio isso”. Não consegue se imaginar "fazendo a cama e lavando roupa por mais 20 anos". Está satisfeita com sua vida, mas afirma que também estaria "igualmente feliz" se simplesmente não acordasse de manhã. "Tive 80 anos bons e interessantes, com casamento, filhos, netos e muitos amigos”. Seus 2 filhos e 6 netos sabem de sua decisão, mas não a questionam.
  26. 26. Outros testemunhos digitais sobre essa questãoComentários da notícia: Minha sogra pensava exatamenteStela TerSakissoff: igual.So nao se tatuou.Tambem tocava piano e teve uma vida plena.Seu desejo foi respeitado atraves de um documento que ela mesma assinou , na presença do seu medico, assim que adoeceu, aqui nos Estados Unidos.Ela teve uma morte muito digna e tranquila. Essa postura diante da morte trouxe muita paz para todos e ficou uma grande lição de como viver e como morrer...
  27. 27. Thomas Perl: muitas pessoas não pensam que podem viver até 100 anos e apenas se preocupam com possíveis problemas de saúde, que nem sempre acontecem conforme previsto. Esquece-se de organizar um projeto de vida, com outras atividades para serem executadas nessenovo tempo existencial, com o desenvolvimento de novos sentidos para essa longa vida.
  28. 28. A velhice não é essa maravilha que todo mundo insiste em dizer! Fonte: Jornal Folha de S.Paulo, 02/12/2012
  29. 29. Sobre a solidão:“Essa palavra é tão “Você olha em volta e a suaforte. Eu gosto de estar memória está ligada a todosó. esse mundo que se vai. ÉNão que goste de muito forte”... “Vivemos osolidão. mesmo período da história.A minha não é vazia”. Quem substitui? Ninguém”.“Nada é mais importante do quemeus filhos e netos. Eles justificama minha vida. Algo meu vai estar lá “O mais difícil é saberno fim deste século. Se eles que você está na faseprocriarem, parte minha restará definitivamentepelos milênios afora. Penso muitonessa cadeia de seres que foram se conclusiva da vida. Ésucedendo e chegaram até mim. melhor encarar”.Não parei a corrente”.
  30. 30. Francisco Carlos Lopes: -Maravilhosa, Fernanda. Quelucidez! Por isso a parte maisconsciente deste país vive tirandoo chapéu pra ela. Além da atrizmagnífica, um ser humanocorajoso, que assume a velhicesem frescuras e semconsolos, recusando-se a entrarnessa “Melhor Idade” que só émelhor idade para médicos efarmacêuticos, nada mais que umgolpe de propaganda que deixapatéticas certas criaturas queacreditam muito nele. Fernanda éum exemplo e tanto! Ah, se todasas mulheres idosas desse paísfossem assim!
  31. 31. XXI: De ocotogenários a oitentões
  32. 32. Folha - Como está sua saúde?Jaguar - Em vez de morrer até ofim do mês, talvez eu tenha maisuns seis meses (risos). Eu estoucom cirrose e mais uns três ouquatro tumores foram extirpados.Fiz um exame na semanapassada que mostrou que euestou como o Brasil: parado. Nãomelhorou nem piorou.
  33. 33. G1 - Neste mundo ideal você achaque viveria mais quantos anos?Ziraldo - Meu corpo tem 80 anos, eminha cabeça... Sei lá, não tem idade.Eu não mudei nada. Continuo sentadona mesma prancheta, trabalhando domesmo jeito, com a mesma intensidade.Me relacionando com as pessoas, comfilhos, amigos, do mesmo jeito. Minhaturma de infância e profissionais estãotodos inteiros. Eu converso com eles enenhum está preocupado se tem 80anos. E outra coisa: a gente nãoconversa sobre velhice, não.
  34. 34. O que estes testemunhos estão nos indicando? Há homogeneidade e heterogeneidade do longeviver Há mudanças significativas nos modos de viver Há reinvenção das trajetórias pessoais Há novos processos de convivência Estão desenhando uma estética de vida Realçando estilos de vida e reinvenção das vivências
  35. 35. O que estes testemunhos estão nos indicando? Esses significados do longeviver induzem a uma representação social das formas em que se vivenciará a velhice... Os longevos estão recusando os limites que lhes são impostos, abrindo para si e para os outros os caminhos possíveis de se longeviver!Há transformação de um enfoque centrado na velhice biológica ou declinante para uma preocupação com os aspectos sociais, culturais e políticos do
  36. 36. OBRIGADA Beltrina Côrte – beltrina@pucsp.br www.portaldoenvelhecimento.org.brObservatório da Longevidade Humana e Envelhecimento - OLHE

×