Desequilibrios hidroeletroliticos

2.822 visualizações

Publicada em

a aula aborda alguns cuidados com os distúrbios hidreletrolíticos mais comuns, com ênfase nos cuidados de enfermagem

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.822
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
274
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desequilibrios hidroeletroliticos

  1. 1. DESEQUILIBRIO HIDROELETROLÍTICO PROF. ME. ENF. AROLDO GAVIOLI água pH
  2. 2. SÓDIO (Na+) Principal cátion extracelular Os íons de sódio participam da manutenção do EH, da transmissão dos impulsos nervosos e da contração muscular A expansão ou retração do volume extracelular está intimamente ligada ao sódio - “Onde o sódio vai, a água vai atrás”
  3. 3. HIPONATREMIA CAUSAS: Deficiência corpórea do sódio Uma diluição por excesso de água, Combinação dos dois fatores Definida como: Na+ < 130 mEq/l
  4. 4. Perdas de fluidos que contêm Na+ com continuada ingestão de água: Perdas gastrintestinais (diarréia, vômito); Perdas pela pele (lesões exudativas da pele, queimaduras, sudorese); Seqüestros no corpo (obstrução intestinal); Perda renal (primária ou secundária a estados de depleção, incluindo as perdas por diuréticos e na doença de Addison) Depleção de sódio (hiponatremia):
  5. 5. O que é doença de Addison? Insuficiência adrenal crônica ou Hipocortisolismo é uma doença caracterizada por baixa produção de glicocorticoides como o cortisol pelas glândulas adrenais e, algumas vezes, também de mineralocorticódes como a aldosterona. atinja aproximadamente entre 1 em cada 25,000 habitantes. 1
  6. 6. Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC), cirrose, doença renal com oligúria, síndrome de secreção inadequada do Hormônio Anti-Diurético (HAD), doença de Addison. Outras causas: síndrome de hiponatremia familiar (assintomática, vista em muitos tipos de doenças de depleção); sódio sérico artificial baixo,como nas hiperlipidemias, hiperglicemias e hiperproteinemia do mieloma múltiplo. Hiponatremia dilucional pode ocorrer na:
  7. 7. Dificuldade na concentração mental, Alterações da personalidade, Confusão, delírio, coma, Oligúria SINAIS E SINTOMAS
  8. 8. Tratar a doença de base Pesar o paciente, determinar se a hiponatremia é secundária à perda de sal ou à sobrecarga de água. Nos casos de Hiponatremia por depleção salina repor o sódio O Aumento não deve exceder 10mEq/l nas 24 hs NaCl 20% - 3,4 mEq/ ml TRATAMENTO
  9. 9. HIPERNATREMIA Definida como: Na+ > 150 mEq/l •Perda de água superior à de sódio: diarreia e vômitos, insuficiência renal, diabetes insípidus, diabetes mellitus, febre, insolação, hiperventilação; •Reposição insuficiente das perdas hídricas: diminuição da ingestão hídrica por náuseas, vômitos ou incapacidade física; •Administração de sobrecarga de soluto: suplementação de proteínas e sal na alimentação por sonda, envenenamento acidental por sal de cozinha, diuréticos osmóticos, diálise; •Excesso de esteroides. CAUSAS:
  10. 10. As mucosas e a boca estão secas. A sede está presente, náusea e vômitos. A fraqueza muscular e as cãibras são comuns. Pode ocorrer febre (maior que 40ºC graus em alguns casos). Sinais e sintomas neurológicos: incluindo tremor, hiperreflexia profunda, memória alterada, confusão e alucinações podem estar presentes. SINAIS E SINTOMAS
  11. 11. Pesar o paciente e tratar a doença primária. Estimar a porcentagem de perdas em termos de peso corpóreo, planejar a reposição de líquidos aproximadamente metade do volume nas primeiras oito a doze horas. O edema cerebral pode complicar a reposição muito rápida. TRATAMENTO
  12. 12. POTÁSSIO (K+) Principal cátion intracelular Altera o potencial de repouso da célula nervosa Regula a excitabilidade neuromuscular e a contratilidade muscular Importante no EAB, pois na acidose ocorre retenção de k+ para eliminação de H+, na alcalose o contrário
  13. 13. Alteração comum em pacientes de UTI Distúrbio agudo = risco de morte Rim é responsável por 95% do balanço (aumento da aldosterona → maior eliminação de K+ na urina // permuta com Na+ nos túbulos renais: retenção de Na+ → eliminação de K+) Características clinicas
  14. 14. ↓ K+ • Insulina • Aldosterona • Estimulação - adrenérgica (bomba de Na+ e K+) • Alcalose ↑ K+ • Deficiência de insulina • Deficiência de aldosterona • Bloqueio -adrenérgico • Acidose • Lise celular •  osmolaridade sérica • Drogas Fatores relacionados
  15. 15. HIPOPOTASSEMIA Definida como potássio sérico < 3,5 mEq/L •Relacionada com fatores que influenciam: •Distribuição transcelular do K+ •Depleção de K+ corporal total •Ambos
  16. 16. Desvio iônico: alcalose Perdas gastrintestinais: diarréia, vômitos, fistula gastrintestinal Perdas geniturinárias: acidose tubular renal, doenças (Cushing e Crohn), uso de diuréticos Ingestão insuficiente: perdas (nas fezes) CAUSAS:
  17. 17. Oque é doença de Cushing? A síndrome de Cushing ou hipercortisolis mo ou hiperadrenocorticis mo é uma desordem endócrina causada por níveis elevados de glicocorticódes, especialmente cortisol, no sangue.
  18. 18. O que é doença de Chron A doença de Crohn é uma doença crônica inflamatória intestinal, que atinge geralmente o íleo e o cólon (mas pode afetar qualquer parte do trato intestinal). Apresenta-se sob três formas principais: inflamatória, fistulosa e fibroestenosante. Muitos danos são causados por células imunológicas que atacam uma ou mais partes dos tecidos do tubo digestivo, mas não há certeza de etiologia autoimune.
  19. 19. Neuromuscular: fraqueza, parestesia, paralisia muscular Renais: concentração prejudicada com poliúria, mioglobinúria, aumento da amônia Gastrintestinais: náuseas, ílio adinâmico SINAIS E SINTOMAS
  20. 20. SNC: irritabilidade, letargia e coma Cardíacos: alterações na condução. Alterações no ECG (Achatamento da onda T, presença de ondas U). Predispõe a arritmias atriais e ventriculares (bigeminismo e trigeminismo). Aumenta a sensibilidade aos digitálicos. SINAIS E SINTOMAS
  21. 21. AO ECG
  22. 22. TRATAMENTO TRATAR A CAUSA ESPECÍFICA REPOSIÇÃO ORAL REPOSIÇÃO VENOSA: KCl 19,1% = 2,5 mEq/ml // 01 amp = 10ml (25 mEq) Se em veia periférica concentração deve ser de 40 a 60 mEq/l e reposto em 6 horas Casos graves: até 100 mEq/h No PO: K+ < 4,0 (01 amp KCl 19,1% + 100 ml SF 0,9% EV em 1h) /// Se K+ < 3,0 (02 amp de KCl)
  23. 23. HIPERPOTASSEMIA •Descartar pseudo-hiperpotassemia: •Leucocitose > 100.000 •Plaquetose > 1.000.000 •Hemólise Definida como K+ > 5,0 (5,5) mEq/L
  24. 24. Fraqueza muscular, paralisia flácida, parestesias (face, língua, pés e mãos), irritabilidade muscular, arritmias cardíacas e PARADA CARDÍACA  Alterações eletrocardiográficas MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
  25. 25. Antagonismo dos efeitos do K+ na membrana celular: • Gluconato de cálcio 10% ou cloreto de cálcio Redistribuição do K+: •Bicarbonato de sódio 8,4% : acidose •Formula de Ash = P x BE x 0,3 / 2 se não há acidose 50 mEq a cada 5 min (dura 1h) •Solução polarizante: glicose 50% (100ml) + 10 UI de insulina (EV em 5 a 10 min/ dura 4 a 6 hs) •Agentes Beta 2 -adrenérgicos TRATAMENTO
  26. 26. Eliminação do K+ Resinas de troca (Sorcal®): inicio de ação em 1-2hs e dura até 6hs Diuréticos de alça: Furosemida (40-60 mg EV) ou Bumetamina (1-2 mg EV) Mineralocorticóides: Fludrocortisona (0,1 mg/ dia) Diálise: normaliza o K+ em 15 a 30 min. TRATAMENTO
  27. 27. CÁLCIO (Ca++) Necessário no organismo: Integridade da estrutura da membrana celular Condução adequada dos estímulos cardíacos Coagulação sanguínea Formação e crescimento ósseo
  28. 28. CÁLCIO (Ca++) Regulado basicamente pelos hormônios da paratireoide (paratormônio) e da tireoide (calcitonina). Paratireoide: regula o equilíbrio do Ca++ nos ossos, absorção pelo TGI e eliminação do Ca++ pelos rins Tireóide: inibe a reabsorção do Ca++ nos ossos.
  29. 29. HIPOCALCEMIA Definida como: Ca++ < 8,5 mg/dl ou ionizado < 1,0 mmol/L CAUSAS: •Perda de tecido da paratireoide após tireoidectomia •Hipoparatireoidismo idiopático •Insuficiência Renal (raramente sintomática) •Hipoalbuminemia, Hipomagnesemia – resistência ao PTH; Hiperfosfatemia ; Multifatorial – sepse, pancreatite, neoplasias, insuficiência hepática; Medicamentos – fenobarbital, fenitoína, álcool, Síndrome do intestino curto
  30. 30. Parestesias: perorais, mãos e pés Irritabilidade, labilidade emocional Miastenia e Cãibras Tremores Tetania latente (Chvostek-Trosseau), opistótomo Laringoespasmo Convulsões ECG – alongamento do intervalo QT SINAIS E SINTOMAS
  31. 31. O que é tetânia (Chvostek- Trosseau)  Sinal de Chvostek: Sinal que consiste na presença de espasmos dos músculos faciais em resposta à percussão do nervo facial na região zigomática. É um dos sinais de tetania observados na hipocalcemia.  Sinal de Trosseau: sinal que consiste em espasmos carpais provocador por compressão da artéria braquial com manguito de esfigmomanômetro.
  32. 32. O que é tetânia (Chvostek- Trosseau)
  33. 33. Suporte (O2, monitorização, exames periódicos) Reposição impírica 100 a 300 mg ( 1 a 3 amp de gluconato IV em 5- 10 min) Em infusão contínua 0,5 mg/Kg/h até 2mg/Kg/h. Hipoparatireodismo: extrato de paratireóide, 100 a 200 UI USP EV Gluconato de Ca++ 10% = 10 ml = 90 mg de Ca++ TRATAMENTO
  34. 34. HIPERCALCEMIA Definida como: Ca++ > 11 mg/dl ou > 1,5 mmol/L CAUSAS: • Hiperparatireoidismo • Insuficiência adrenal • Imobilização • Neoplasias • Hipervitaminose D • Tiazídicos • Tireotoxicose
  35. 35. Debilidade , náusea e vômito Constipação e anorexia Poliúria e polidipsia Fadiga, fraqueza, letargia Dor abdominal Arritmias, alterações ao ECG: Supra-ST Litíase renal SINAIS E SINTOMAS
  36. 36. Hidratação adequada com SF Diuréticos de alça Sais de fosfato IV = Pamidronato (90 mg) ou K2HPO4 1,5 g EV em 7hs Glicocorticóides Calcitonina Tratamento da causa de base TRATAMENTO
  37. 37. MAGNÉSIO (Mg++) Ativação nas membranas e bombas de membranas Age como estabilizador de membranas Indispensável para: atividades enzimáticas e neuroquímicas e para a excitabilidade dos músculos
  38. 38. HIPOMAGNESEMIA Definida como: Mg++ < 0,7 mmol/L CAUSAS: • Excreção renal • Aporte - diminuição da absorção • Alcoolismo, cirrose, pancreatite, hiperaldosteronismo e hiperparatireoidismo
  39. 39. Associada a hipoK+ e hipoCa++ e alcalose metabólica hiperirritabilidade neuromuscular e do SNC com movimentos atetóticos, tremores amplos (“flapping”), sinal de Babinski e nistagmo Arritmia cardíaca (torsade-de-points) Confusão mental, desorientação, convulsões generalizadas SINAIS E SINTOMAS
  40. 40. Moderada: 8- 16 mEq/24 h Severa: 32 – 64 mEq (32 mEq 5 min) Sulfato de Magnésio a 10% =10 ml = 8 mEq TRATAMENTO
  41. 41. HIPERMAGNESEMIA Definida como: Mg++ > 1,5 mmol/L CAUSAS: •Insuficiência renal e inabilidade de excretar o Mg++ •Rabdomiólise •Uso crônico de laxantes contendo sais de magnésio
  42. 42. Fraqueza, letargia  ou abolição dos reflexos tendinosos Depressão do SNC Paralisia respiratória Hipotensão, bradicardia, PCR ECG: aumento do PR, alargamento de QRS, elevação de onda T SINAIS E SINTOMAS
  43. 43. Tratamento é dirigido no sentido de melhorar a insuficiência renal. Cálcio: antagonista do magnésio Pode estar indicado na diálise peritoneal ou extracorpórea TRATAMENTO
  44. 44. "O grande obstáculo ao conhecimento não é a ignorância. mas a ilusão do conhecimento".
  45. 45. Referências Bibliográficas ÉVORA, P. R. B. et al. Distúrbios do equilíbrio hidroeletrolítico e do equilíbrio acidobásico - uma revisão prática. Medicina Ribeirão Preto, v. 32, n. 4, p. 451-469, 1999. VIEIRA NETO, O. M.; MOYSÉS NETO, M. Distúrbios do equilíbrio hidroeletrolítico. Medicina Ribeirão Preto, v. 36, n. 2, p. 325-337, 2003.

×