Emmanuel

6.153 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.153
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
177
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Emmanuel

  1. 1. • Através de quatro romances escritos por Emmanuel “ Há dois mil anos”, “Cinquenta anos depois”, “Ave Cristo” e “Renuncia” foi nos dado a conhecer seis personalidades vividas por este elevado espírito.
  2. 2. “Há dois mil anos” • Foi Públio Lentulus senador romano em duas encarnações sucessivas bisavó e bisneto. Caracterizavam-se por grande cultura e espírito de liderança.
  3. 3. • Cônsul Públio Lentulus Sura é uma personalidade que aparece claramente como a de um homem que se acreditava destinado a governar Roma, considerado um homem de poder e impiedoso. Faleceu estrangulado pelos seus inimigos, durante a Revolução de Catilina.
  4. 4. • Públio Lentulus Cornélio trazia algumas características do seu bisavó, era um homem austero e que pretendia vir um dia a governar Roma. • Era inteiramente dedicado a sua actuação como senador, mostrando apenas um enorme interesse pela politica.
  5. 5. • Era casado com uma mulher de origem romana e considerada pelo povo muito bonita e elegante. • Lívia era uma mulher que se orgulhava do padrão das antigas virtudes familiares. Já a filha deles, Flávia, sofria com a lepra, uma doença bastante comum na época e considerada sem cura.
  6. 6. • Foi para a cidade de Cafarnaum, atendendo ao pedido de sua filha, cuja saúde piorava cada vez mais, e foi ao encontro do profeta de Nazaré que lá se encontrava. O momento do encontro trouxe grande emoção ao senador romano, que chorou e sentiu-se incapaz de falar. • Com a cura de Flávia sua mãe Lívia tornou-se cristã. • Após a morte de sua mulher Públio retorna ás lides politicas, porem recusa-se a admitir que foi Jesus o autor da cura de sua filha.
  7. 7. • No entanto redigiu uma carta ao Presidente da Judeia que descrevia Jesus. • No ano de 79, Públio Lentulu Cornélio desencarnou em Pompéia vitima das cinzas do Vesúvio, cego e já se sentia nele um grande arrependimento .
  8. 8. “Cinquenta anos depois” • O senador retornou ao mundo material como o escravo Nestório, justamente o tipo de homem que ele tanto prejudicou antes de perceber a verdade das palavras de Jesus. • Nasceu em Éfeso de origem judaica, foi escravizado por romanos que o acabam por o conduzir ao país da sua antiga existência.
  9. 9. • Foi comprado por uma família rica de Roma, e passou a exercer a função de professor dos filhos dessa família. • Quando tinha 45 anos demonstrou que havia nele um orgulho silencioso e inconformado. Fora afastado de seu filho, que acabara também escravizado.
  10. 10. • Assistia as pregações evangélicas do apostolo João Evangelista. • Reencontra o seu filho após uma pregação nas catacumbas onde tinha o dever de espalhar a palavra. • Desde de sempre mostra a sua fidelidade de Cristão, foi preso por se manter fiel a Jesus, acabando sendo condenado á morte.
  11. 11. “Ave Cristo” • Neste livro, Emmanuel retorna á terra e dá sequencia aos trabalhos de difusão do Cristianismo, tendo encarnado como o Quinto Varro. Era uma pessoa apaixonada e cultor pelos ideais de liberdade.
  12. 12. • Acreditava em Jesus, sente doer-lhe na alma a ignorância e a miséria com que as classes altas de Roma mantinham a multidão. • Foi vitima de uma conspiração por parte de membros da sua família para matá-lo, durante uma viagem marítima.
  13. 13. • Para se defender da conspiração tomou a identidade de um velho pregador de Lyon de nome Corvino. • Transforma-se em Irmão Corvino, desencarna como cristão em território das Galias, hoje a actual França.
  14. 14. • Onze anos depois renasce em Roma e tem o nome de Quinto Celso, desde infância , iniciando na arte da leitura, revela-se um prodígio de memoria e discernimento. • Francamente cristão, sofreu o martírio do circo, amarrado a um poste untado com substancia resinosa ao qual é ateado fogo. • Era um adolescente de mais ou menos 14 anos.
  15. 15. • Emmanuel foi em vida Padre Manuel da Nóbrega ?
  16. 16. Padre Manuel da Nóbrega • Missionário jesuíta português, Padre Manuel Nóbrega nasceu no 18 de Outubro de 1517 em Safins do Douro em Portugal. • Foi o primeiro missionário do Cristianismo em terras brasileiras e ao mesmo tempo o primeiro jurista que o Brasil conheceu. • Formou-se nas Universidades de Salamanca e Coimbra, bacharelando-se em direito canónico e filosofia pela Universidade de Coimbra.
  17. 17. • Participou na fundação de Salvador e do Rio de Janeiro e também na luta contra os franceses, juntamente com o Mem de Sá. • Juntou-se em 1563 ao padre José de Anchieta e juntos iniciaram o trabalho na pacificação dos tamoios, que acabaram por retirar o seu apoio aos invasores franceses, sendo estes finalmente derrotados. • A 16 de Janeiro de 1560 saiu da Bahia com Mem de Sá para a conquista do Rio de Janeiro onde chegou no dia 21 de Fevereiro.
  18. 18. Obras • “ O Dialogo sobre a conversação do Gentio” de 1557; • “ O Caso de consciência sobre a liberdade dos índios”, de 1567; • “ Informação da Terra do Brasil” de 1549; • “ Informação das Coisas da terra e necessidade que há para bem proceder nela” de 1558; • “ O tratado contra a Antropofagia” de 1569; São alguns dos testemunhos da sua vida e obra.
  19. 19. A Fundação da cidade de São Paulo • A cidade de São Paulo originou-se de uma pequena aldeia indígena, fundada entre os rios Tamanduateí e Anhangabaú pelo jesuíta Manuel de Nóbrega em 1554; • A sua colonização deu-se principalmente pelo trabalho que houve entre Manuel da Nóbrega e José de Anchieta; • Juntos ergueram um barracão que recebeu o nome “Colégio De São Paulo” que servia para dar a catequese indígena; • Ao seu redor formou-se uma povoação de índios convertidos ao cristianismo;
  20. 20. Colégio de São Paulo O Barracão erguido por o Padre Manuel Nóbrega juntamente com os indígenas e o Padre José de Anchieta
  21. 21. Evolução do Colégio de São Paulo
  22. 22. Pátio do Colégio de São Paulo
  23. 23. • Morreu vitima de Tuberculose em 1570 no dia 18 de Outubro com a tristeza de não ver assegurada aos brasis o respeito pela sua cultura; • No meio da sua colonização, São Paulo recebeu um enorme numero de habitantes, já que em 1560 a população da vila de S. André da Borda do Campo, situada no caminho do mar, mudou-se para a povoação do colégio, por ordem do Mem de Sá; • Padre José de Anchieta foi destacado para ser responsável pela catequese dos Índios;
  24. 24. Renuncia • Cinquenta anos depois em 1620, renasce Emmanuel em terra espanhola onde prossegue a sua missão; • É o Padre Damiano, sacerdote esclarecido e dedicado, vigário da Igreja de S. Vicente, em Ávila, a gloriosa cidade de Santa Teresa de Jesus;
  25. 25. • Damiano luta, dentro do seu invariável padrão de nobreza e equilíbrio, contra os cruéis mercados de escravos; • Demonstrava a mesma coragem com que na personalidade de Nóbrega no Brasil defendia os direitos e a liberdade dos indígenas;
  26. 26. • Tinha uma grande dedicação ao próximo, era sereno mas energético, destemido e corajoso; • Faleceu com moléstia dos pulmões, em Paris;
  27. 27. No Evangelho Segundo o Espiritismo • Emmanuel colaborou na codificação espírita, no ano de 1861; • Transmitiu a mensagem no capitulo XI, “ Amar ao próximo como a si mesmo – Egoísmo”;
  28. 28. • Públio Lentulus Sura e Públio Lentulus Cornélio são duas personagens conhecidas pela Historia e talvez Emmanuel tenha mencionado essas suas vidas num exemplo de humildade, relacionando suas antigas deficiências, como então homem do mundo, e seu esforço para tornar-se um verdadeiro discípulo de Cristo.

×