Apresentação 4T04

281 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
281
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação 4T04

  1. 1. Resultados de 2004 03 de março de 2005
  2. 2. • Mercado • Performance Operacional • Performance Financeira e • Performance Financeira Operacional • Perfil da Dívida Conclusão
  3. 3. Perfil do Mercado Consumidor - Eletropaulo 2003 - GWh 2004 - GWh 10,6% 10,1% consumo 32,7% 34,5% Residencial 28,0% 28,9% Industrial Comercial Outros 28,7% 26,5% 2003 2004 7,8% 8,0% receita 40,4% 41,1% 29,9% Residencial Industrial 30,3% Comercial Outros 21,6% 20,8%
  4. 4. Comparação do Consumo em GWh 5,0% 11.258 -7,8% 2,9% -0,3% 10.727 9.401 9.435 32.774 32.668 8.670 9.174 -4,8% 3.473 3.304 Residencial Industrial Comercial Outros 2003 2004 2003 2004 Obs: Os gráficos não consideram consumo próprio
  5. 5. Comparação do Consumo em GWh Clientes Livres 4,6% 7,1% -0,3% 4,0% 35.341 32.774 32.668 33.779 11.109 10.374 9.206 9.579 -2,2% 3.473 3.395 Industrial c/ Livre Comercial c/ Livre Outros c/ Livre Total s/ Livre Total c/ Livre 2003 2004 2003 2004 Obs: Os gráficos não consideram consumo próprio
  6. 6. Retenção de Clientes Potencialmente Livres • Intensificação das visitas aos Clientes Potencialmente Livres Situação Atual • Adição de valor ao fornecimento Jan-Dez 2004 % carga total na área de concessão em 2004 cativo através de: (35.341GWh) Migração de 44 • Venda de energias interruptíveis 4,0% Clientes 40 • Pagamento de contas com 4,1% Clientes renovaram créditos de ICMS Contratos • Projetos de eficiência energética Total de 68 8,7% Clientes Livres • Plano de benefícios (Gerenciamento da Carga e Manutenção Preventiva)
  7. 7. Resultados – 2004 R$ mihões 2003 2004 Reajuste tarifário médio de 17,9% em 4/07/04, complementado em 0,7% em 21/09/04 Ativo diferido relativo ao aumento das alíquotas de Receita Líquida 6.431,9 7.394,1 15,0% PIS/Cofins - impacto de R$ 154,2 milhões no resultado operacional Acréscimo de 9,8% no custo com compra de energia elétrica e 42,4% nos encargos de Despesa Operacional (5.636,7) (6.391,3) 13,4% transmissão Aumento de 24,1% e 200,3% das despesas com CCC e CDE, respectivamente: quotas estipuladas início da amortização do ativo regulatório EBITDA * 1.059,8 1.271.5 20,0% Crescimento da receita líquida, atenuado pelo aumento de custos e despesas operacionais Redução de R$ 546,8 milhões na receita Receita (Despesa) 23,8 (453,1) N.A. proveniente de Variação Monetária em Moeda Financeira** Estrangeira devido à menor apreciação do real frente ao Dólar em 2004 Em dez/03, 7,5% das dívidas estavam “hedgeadas”, contra 100% em dez/04 Em dez/03, 38% da dívida era denomidada em Itens Extraordinários (345.9) (341,0) -1,4% US$, contra 17% em 2004 Líquidos dos Efeitos dos Ajuste negativo de R$ 207,7 milhões em contratos de hedge Tributos Lucro (Prejuízo) Líquido 86.3 5,6 -93,5% Aumento da despesa operacional Despesa financeira (*) Sem ajustes (**) Valores do Resultado Consolidado
  8. 8. Resultados – 4º Tri 04 x 3º tri 04 R$ mihões 3º Tri 04 4º Tri 04 Aumento de 2,3% do mercado faturado Aumento de 14,6% nas deduções à Receita Operacional em função do maior impacto positivo do Receita Líquida 2.050,3 2.050,3 0,0% diferimento do PIS/Cofins no 3T04, de R$ 117,7 milhões, frente ao impacto de R$ 36,5 milhões no 4T04 Aumentos das despesas com energia comprada Despesas Operacionais (1.735,3) (1.788,4) 3,1% (2,4%), despesas de pessoal (31,2%) e materiais e serviços de terceiros (47,9%), EBITDA * 382,2 329,6 -13,8% Aumento das despesas operacionais Receita (Despesa)** (186,9) (23,2) -87,6% Aumento de 198,6% das receitas financeiras, em Financeira função de impactos negativos ocorridos no 3T04: assinatura de acordo com a prefeitura de SP, gerando uma reversão de R$ 62,3 milhões na Itens Extraordinários (85,0) (85,1) 0,1% receita de correção monetária Reversão de provisões de multas Líquidos dos Efeitos dos Tributos Lucro (Prejuízo) Líquido (6,4) 17,5 N.A. Redução da despesa financeira (*) Sem ajustes (**) Valores do Resultado Consolidado
  9. 9. Ajuste do EBITDA - R$ milhões 2003 2004 R$ 1.059,8 EBITDA sem ajustes R$ 1.271,5 EBITDA sem ajustes R$ 284,2 RTE R$ 312,1 RTE R$ 81,7 Confissão de Dívida IIa R$ 88,2 Confissão de Dívida IIa R$ 46,4 Provisão Cetemeq R$ 0,0 Provisão Cetemeq R$ 1.472,1 EBITDA Ajustado R$ 1.671,9 EBITDA Ajustado Acréscimo de 13,6%
  10. 10. Ajuste do EBITDA - R$ milhões 3º trimestre 2004 4º trimestre 2004 R$ 382,2 EBITDA sem ajustes R$ 329,6 EBITDA sem ajustes R$ 82,9 RTE R$ 86,2 RTE R$ 23,9 Confissão de Dívida IIa R$ 21,5 Confissão de Dívida IIa R$ 489,0 EBITDA AJUSTADO R$ 437,3 EBITDA AJUSTADO Decréscimo de 10,6%
  11. 11. Investimentos em 2004 - R$ milhões 400 - 450 Investimentos em 2004 Serviço ao Consumidor e 125 Expansão do Sistema 33 Manutenção 33 Recuperação de Perdas 8 32 Pessoal 78 297 Outros 54 Total 297 186 Auto Financiados 33 Total Contabilizado 330 2003 2004 2005 (e) Capex Auto Financiados
  12. 12. Perdas - 4% • Fortalecimento do plano de 12,84 12,34 recuperação de perdas: • Regularização de 18 mil ligações clandestinas • 320 equipes de inspeções para fiscalização 7,2 6,7 • Campanha publicitária de conscientização da sociedade para o problema da fraude: • furto de energia é crime, parceria com a policia • sonegação de impostos, parceria 5,6 5,6 com a secretaria da fazenda • Onera a própria sociedade, através da tarifa, parte dos 2003 2004 investimentos acabam não tendo contrapartida. Perdas Técnicas(1) Perdas Comerciais (2) (1) Perdas resultantes da operação da empresa nos sistemas de transmissão e distribuição. Ocorrem devido a pontos de sobrecarga nas linhas de transmissão e distribuição. (2) Perdas que resultam de conexões clandestinas, fraude nos medidores, imprecisões na leitura do consumo.
  13. 13. Dívida CP vs. LP milhões R$ 4.490 R$ 5.902 R$ 5.278 R$ 5.284 100% 32% 29% 47% 77% 50% 68% 71% 53% 23% 0% 2001 2002 2003 2004 CP LP
  14. 14. Estratégia de Hedge milhões R$3.473 R$4.490 R$5.902 R$5.278 R$5.284 100% 18% 14% 35% 17% 90% 80% 42% 70% 60% 41% 3% 61% 4% Atualmente 100% 50% das dívidas em moeda estrangeira 40% está “hedgeada” 30% 20% 10% 41% 25% 54% 62% 83% 0% 2000 2001 2002 2003 2004 Moeda Local Hedged Moeda Estrangeira
  15. 15. Cronograma de Amortização R$ milhões 149 41 78 24 40 79 101 83 45 52 611 144 24 45 149 18 34 126 24 78 83 18 121 51 40 33 112 116 42 107 299 80 225 227 230 246 222 224 226 251 225 227 231 16 16 196 143 166 167 130 107 82 80 77 Capitalização Downpayment 1º Tri05 2º Tri05 3º Tri05 4º Tri05 1º Tri06 2º Tri06 3º Tri06 4º Tri06 1º Tri07 2º Tri07 3º Tri07 4º Tri07 1º Tri08 2º Tri08 3º Tri08 4º Tri08 1º Tri09 2º Tri09 3º Tri09 4º Tri09 Programa de R$ BNDES US$ * Amortização realizada em 12/01/05 com os recursos da 3ª tranche do empréstimo do racionamento * Taxa de conversão de 31/12/2004 US$/R$=2,6544 ** Programa de Apoio à Capitalização de Empresas de Distribuição de Energia Elétrica, pelo qual a Eletropaulo está apta a receber até R$ 771 milhões
  16. 16. Governança Corporativa • Em 13 de dezembro de 2004 a Eletropaulo aderiu ao Nível II de Governança Corporativa da Bovespa, assumindo o compromisso de estreitar o relacionamento com acionistas e o mercado de capitais • Quando a empresa adere ao Nível II da Bovespa, é certificada com um selo de Governança Corporativa, promovendo: • Maior compromisso da Empresa com seus acionistas (minoritários e controladores) • Maior transparência nas informações fornecidas ao Mercado de Capitais • Free Float de 25% do total das ações • Manutenção de Conselho Fiscal permanente • Mais direitos aos detentores de ações preferenciais
  17. 17. 18
  18. 18. Reajuste de Tarifas As tarifas dos contratos iniciais são reajustadas anualmente seguindo a fórmula de cálculo pré-estabelecida: Índice de Reajuste Tarifário = VPA + VPB x IGP-M Receita A tarifa do contrato bilateral com a Eletropaulo é reajustada anualmente, em julho, pela variação do IGP-M Reajustes realizados em 2004: Tarifa pós-reajuste Empresa Mês de reajuste % reajuste (R$ / MWh) Contratos Iniciais Bragantina Fevereiro 7,17% 58,10 Nacional Fevereiro 7,17% 61,76 CPFL Abril 6,30% 66,69 Tarifa Média (4T04): AES Eletropaulo Julho 7,14% 69,62 R$ 76,8 / MWh Elektro Agosto 7,95% 58,59 Bandeirante Energia Outubro 8,36% 71,75 Piratininga Outubro 8,36% 71,75 Contrato Bilateral AES Eletropaulo Julho 9,61% 117,59 19
  19. 19. Balanço Energético - 2004 Caconde 282.182* CPFL Euclides Geração Bruta x Energia Faturada 1.134.791 565.161 em MWh Bandeirante Limoeiro 548.306 164.082 Eletropaulo - CI Água Vermelha 1.985.427 6.525.785 Barra Bonita Elektro TOTAL FATURADA 920.384 566.091 Bariri 11.942.972 11.162.711 Bragantina 646.416 239.566 Ibitinga 718.722 Promissão = Nacional 155.728 1.056.810 Piratininga Nova Avanhandava MRE 559.739 1.385.178 Eletropaulo - Bilateral Mogi Guaçu A AES Tietê gerou 6,7% acima da sua 5.618.771 32.545 energia assegurada *A Usina de Caconde esteve em manutenção programada durante o 3o trimestre. **Após descontados consumo próprio e perdas de transmissão, a diferença é direcionada ao Mercado de Realocação de Energia - MRE 20
  20. 20. Energia Armazenada Reservatórios do Sudeste 90 % da Ener. Arm. Máx. 70 50 30 10 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez 2000 2001 2002 2003 2004 Fonte: Operador Nacional do Sistema – ONS; Dezembro/04 21
  21. 21. Demonstração de Resultado – 4T04 Reajustes tarifários e descontratação em R$ milhões 4T03 4T04 de 25% do volume dos contratos iniciais que passaram para o contrato bilateral Receita Líquida 217,3 239,8 10% Parcialmente reduzido pela elevação da PIS e Cofins Crescimento das despesas Custo Operacional (64,3) (66,2) 3% operacionais inferior à inflação e ao crescimento da receita líquida Incremento do EBITDA decorrente do Ebitda 169,0 189,5 12% melhor desempenho operacional Aumento do IGP-M de 1,5% no 4T03 Receita (Despesa) (50,2) (72,2) 44% para 2,0% no 4T04 Financeira Despesas de R$ 15 milhões referentes a baixa de parte dos investimentos no Banco Santos Resultado antes da 78,9 101,5 Tributação Elevação do lucro líquido decorrente dos resultados operacionais e da contabilização de despesas não Lucro Líquido 67,9 81,6 20% operacionais no montante de R$ 23 milhões no 4T03 22
  22. 22. Demonstração de Resultado – 4T04 em R$ milhões 2002 2003 2004 Reajustes tarifários e descontratação de 25% do volume dos contratos iniciais que passaram para o contrato Receita Líquida 570,1 779,0 980,8 26% bilateral Elevação dos encargos de transmissão, energia comprada, provisionamento do custo da energia de Itaipu e provisões Custos e Despesas (194,3) (231,4) (267,9) 16% operacionais (detalhes no próximo Operacionais slide) A menor elevação das despesas, Ebitda 439,1 611,8 766,5 27% quando comparada com a evolução da receita, proporcionaram o crescimento do EBITDA Receita (Despesa) (379,9) (251,2) (293,2) 17% O aumento do IGP-M de 8,7% em 2003 Financeira para 12,4% em 2004 Despesas de R$ 15 milhões referentes a baixa de investimentos mantidos junto ao Banco Santos Resultado antes da (3,8) 272,7 419,7 Tributação Reflete a melhora dos resultados Lucro Líquido (2,5) 195,4 291,5 49% operacionais, parcialmente compensado pelo aumento das despesas financeiras 23
  23. 23. Custo e Despesas Operacionais em R$ milhões 2003 2004 Pessoal 25,4 25,7 Manutenção bianual das eclusas Serviços de Terceiros 17,5 24,0 Consultoria de Meio-Ambiente Manutenção de equipamentos de geração Compensação Financeira 32,4 35,5 Encargos de conexão estabelecidos pela Aneel Transmissão – aumento devido ao maior volume de energia Encargos de Conexão 34,2 41,7 vendida de contrato bilateral e Transmissão Provisão de perdas financeiras sobre a compra de energia de Itaipu – até out/04 Energia Comprada 23,8 36,1 Excedente financeiro – fev/04 Compra de energia para suprir a falta da energia que seria comprada de Itaipu Depreciação e Amortização 64,2 63,6 Taxa de Fiscalização Seguros Outras 34,0 41,3 Hidrovias Taxa de Uso do Bem Público – UBP Total 231,4 267,9 P&D Provisões Operacionais 24
  24. 24. Fatos Ocorridos no 4T04 PIS e Cofins Banco Santos • Elevação das alíquotas de PIS e Cofins de 0,65% • A AES Tietê tinha R$35,5 milhões no Banco Santos, para 1,65% e de 3,0% para 7,6%, respectivamente dos quais R$ 15,0 milhões referentes a investimentos em CDB, via fundo exclusivo, que foram completamente provisionados, e R$ 20,5 • A lei previa que as novas alíquotas não se milhões em CDB diretamente aplicados no Banco aplicariam a contratos firmados antes de 31 de que foram reclassificados para créditos de longo outubro de 2003, com duração superior a um ano e prazo. Desse último investimento, R$ 4,1 milhões preço pré-determinado e por isso a Companhia, foram provisionados assim como os demais agentes do setor, entendeu que as novas alíquotas não se aplicariam nos seus contratos • A AES Tietê aderiu ao grupo de credores liderados pela KPMG, que busca soluções que minimizem as perdas infligidas aos credores • Em novembro a Receita Federal divulgou Instrução Normativa esclarecendo que as novas alíquotas deveriam ser aplicadas desde que os CDB preços dos contratos sofressem reajustes R$ 16,4 milhões Títulos privados monetários (provisionado) R$ 15,0 milhões • No 4T04, a AES Tietê contabilizou as diferenças de CDB - tributação retroativas (provisionado) R$ 4,1 milhões 25
  25. 25. Portfólio de Investimentos • As aplicações financeiras estão alocados como mostra o gráfico abaixo: Títulos Estrangeiros - Títulos Privados (A3) - US$ (Aa1) 1% 9% Títulos Estrangeiros - US$ (Aa3) 11% Banco Santos (B1*) 3% Títulos Públicos Federais (Ba3) 76% * Rating antes da intervenção do Banco Central Risco de Crédito: Moody´s Rating Moeda Local LP 26
  26. 26. Investimentos • Os investimentos somaram R$21,9 milhões*, sendo que a maior parte foi para modernização de equipamentos 2003 – R$12,4 milhões 2004 – R$21,9 milhões 19% 11% 28% 20% 41% 20% 6% 27% 18% 10% Equipamentos Sistemas de Telemetria Hidrovia Meio Ambiente Outros * Consolidado 27
  27. 27. Mercado Acionário 350 305 300 250 218 • Em 2004, as ações ordinárias tiveram 200 valorização de 118% e as preferenciais 205%, enquanto o Ibovespa apresentou 150 118 elevação de 18% 100 100 50 - • As ações da AES Tietê foram negociadas dez jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez em 98% dos pregões da Bovespa GETI3 GETI4 Ibovespa Proventos – R$ Milhões • Do lucro de 2004, R$ 199 milhões já foram distribuídos na forma de dividendos e juros 292 277 sobre capital próprio. O remanescente, 95% R$ 77,5 milhões, será distribuído após 95% 186 195 deliberação em AGO 2003 2004 Proventos Lucro Líquido Pay-Out 28
  28. 28. Conclusão • A Eletropaulo encerrou o ano com lucro • A AES Tietê encerrou 2004 com lucro de R$ líquido de R$ 5,6 milhões, revertendo o 291,5 milhões, representando uma margem prejuízo de R$ 11,9 milhões acumulado nos líquida de 29,7% 9 primeiros meses do ano • O aumento de 15% em sua receita líquida e • O lucro líquido, mesmo impactado pelas 20% de seu EBITDA não ajustado, refletem a despesas financeiras que cresceram em forte capacidade de geração de caixa da decorrência do IGP-M, apresentou um aumento empresa de 49% em relação à 2003 • A redução de 0,3% no mercado faturado da Eletropaulo em função da perda de clientes livres e a conseqüente redução de receita é • Em breve a AES Tietê fará mais uma amenizada pelo recebimento da TUSD e pela distribuição de dividendos a seus acionistas no redução proporcional na compra de energia montante de R$ 77,5 milhões, reforçando seu compromisso com seus investidores e • A empresa vem constantemente buscando a acionistas excelência operacional e comercial, a fim de oferecer crescente qualidade no serviço prestado aos clientes
  29. 29. Declarações contidas neste comunicado relativas à perspectiva dos negócios da Empresa, projeções de resultados operacionais e financeiras e relativas ao potencial de crescimento da Empresa constituem-se em meras provisões e foram baseadas nas expectativas da Administração em relação ao futuro da Empresa. Essas expectativas são altamente dependentes de mudanças no mercado, no desempenho econômico geral do Brasil, no Setor, nos Mercados Internacionais, estando portanto, sujeitas à mudança. Resultados de 2004 03 de março de 2005

×