Apresentação 1 t06

555 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
555
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação 1 t06

  1. 1. Reunião com Analistas São Paulo, 11 de maio de 2006 Rio de Janeiro, 12 de maio de 2006
  2. 2. Estrutura Acionária AES BNDES 50,01% ON 49,99% ON 46,15% Total 100,00% PN 53,84% Total Brasiliana 7,38% PN 4,44% Total 100,00% Total 98,26% Total Minoritários Gov. Minoritários BNDES 1,74% Federal Total AES Transgás AES Elpa 2,16% ON 29,05% PN 0,73% PN 62,85% PN 77,81% ON 20,03% ON 18,34% Total 37,84% Total 30,97% Total 7,97% Total 0,44% Total 3
  3. 3. A Empresa e a Área de Concessão Área de Concessão A Empresa Oeste • 1 Barueri São Paulo Sul 2 Cajamar Centro Maior distribuidora de energia elétrica 3 Carapicuíba Leste 4 Cotia Anhembi da América Latina em faturamento 6 Embu Embu-Guaçu São Paulo • 7 22 8 Itapecerica da Serra Grande ABC 24 municípios da região metropolitana 9 Itapevi de São Paulo, incluindo a capital 5 Diadema 10 Jandira 12 Mauá 11 Juquitiba 15 Ribeirão Pires 13 Osasco 14 17 Pirapora do Bom Jesus Santana de Parnaíba 16 18 Rio Grande da Serra Santo André • 5,3 milhões de consumidores 19 São Bernardo do Campo 20 São Caetano do Sul • 41.885 km de rede de distribuição • Brasil Eletropaulo % 146 subestações e 1.1 milhões de Km² (mil) 8.547,4 4,5 0,05% postes instalados População (milhão) 182,8 16,3 8,89% • Capacidade instalada de distribuição – Consumo (TWh/ano) 335,4 31,6 9,42% 12.662 MVA • Área de Concessão mais atrativa do Brasil • 4.370 empregos diretos – Sólida base econômica e alto poder aquisitivo da população • Densidade de consumo: 8.065 MWh/Km² 4
  4. 4. Consumo no Brasil Evolução do Consumo e Market Share Evolução do Consumo Mensal (Cativo + Livres) - GWh Evoluç Participação - Receita Líquida (2005) Participaç Lí 3.500 Bandeirante Piratininga Aes Eletropaulo 3.300 ELEKTRO 4% 4% 19% 5% 3.100 COELBA 6% 2.900 CELESC 6% 2.700 2.500 CEMIG - COPEL Distribuidora 2.300 11% 18% 2.100 LIGHT CPFL Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez 11% 16% 2000 2001 2005 2006 Consumo - TWh Participação – Consumo (mercado faturado: 2005) Participaç CEMIG - 40 35,4 36,5 Distribuidora 33,8 20% Aes Eletropaulo 35 2,7 4,9 Bandeirante 18% 1,0 5% 30 25 COELBA 6% 20 37,4 32,5 32,5 32,8 32,7 31,6 15 CPFL Piratininga 11% 10 6% 5 ELEKTRO LIGHT 6% CELESC COPEL 10% 0 8% 10% 2000 2001 2002 2003 2004 2005 Consumo Cativo Consumo Livres 5
  5. 5. Consumo em GWh +5,5% 9.317 -0,7% 8.834 7.871 7.818 +6,3% +5,8% -14,5% 2.835 3.012 +55,6% 2.420 2.560 1.926 -13,1% 1.647 1.500 964 689 599 Residencial Industrial Comercial P. Públicos e Clientes Mercado Mercado Outros Livres Cativo Total 1T05 1T06 Obs: Não considera consumo próprio 6
  6. 6. Perfil do Mercado Consumidor Distribuição do Consumo - GWh 1T05: 8.834 1T06: 9.317 8% 11% 32% 16% 32% 6% 27% Tarifa média R$/MWh mé 22% 28% 18% 1Tri05 1Tri06 Variação % RESIDENCIAL 313,2 308,6 - 1,5% Residencial Industrial Comercial P.Públicos e Outros Livres INDUSTRIAL 211,2 238,4 + 12,9% COMERCIAL 269,7 276,4 + 2,5% Distribuição da Receita – R$ milhões DEMAIS 219,1 227,7 + 3,9% TOTAL 266,6 277,1 + 3,9% 1T05: 2.152 1T06: 2.266 7% 3% 6% 5% 41% 41% 30% 31% 19% 17% Residencial Industrial Comercial P.Públicos e Outros Livres 7
  7. 7. Retenção de Clientes Potencialmente Livres Receita Líquida com TUSD X Consumo Clientes Cativos X Livres Clientes Livres % Mercado total – últimos 12 meses 95 99 84 78 Clientes 1.500 Potencialmente 1.407 54 1.312 48 1.182 Livres 38 Consumo Cativo 2,0% 30 964 19 750 806 81,2% 641 479 Clientes Livres 16,8% 1T04 2T04 3T04 4T04 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 Clientes Livres (GWh) TUSD (R$ milhões) Evolução do Mercado Cativo* (GWh) Crescimento de 4,3% (2005 x 2004) 7.714 7.715 7.541 7.591 7.344 7.244 7.284 7.253 6.968 * expurgando os Clientes Livres atuais de todos os períodos anteriores 1T04 2T04 3T04 4T04 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 8
  8. 8. Suprimento de Energia • Encerramento dos Contratos Iniciais em 2006 2% 1% GWh 100% 15% 27% Proinfa 36% 80% 2% Leilões 2% 51% 21% 60% Outros contratos bilaterais 29% 19% 40% Contrato bilateral com Tietê Contratos iniciais 20% 32% 31% 32% Itaipu 0% 2004 2005 2006 (e) 9
  9. 9. Redução das Perdas de Energia Ações Ligações Clandestinas Antes Nº de Clientes Regularizados 77.154 35.816 15.000 2004 2005 Meta 2006 • Regularização de Ligações Clandestinas – O maior programa do país, iniciado em 2005 • Conta de Luz: comprovante de endereço, passaporte para a cidadania • Doação de 37 mil padrões de entrada (Out.05 a Abr06) com investimento aprox. de R$ 4 milhões • Reforma de aparelhos elétricos em mau estado de conservação • Doação de lâmpadas econômicas às famílias mais carentes • Educação para o consumo seguro e consciente de energia • Segurança: iluminação pública em vielas de núcleos regularizados • 37 mil clientes cadastrados na Tarifa Social de Baixa Renda, em média 35% mais barata que a normal 10
  10. 10. Redução das Perdas de Energia Resultados 2005 • 487 mil inspeções e 62.500 fraudes regularizadas • Recuperação de 321 GWh de energia retroativa negociada • Custos de R$ 46,9 milhões • Arrecadação de R$ 99,6 milhões Evolução das Perdas (%) Distribuição de Perdas -3% 13.2 13.5 13.2 12.9 12.9 12.8 Ligações 7,3 7,6 7,9 7,3 7,6 7,2 Clandestinas Perdas 32% Técnicas 43% 5,6 5,6 5,6 5,6 5,6 5,6 Fraudes e Anomalias 25% 2002 2003 2004 2005 1T05 1T06 Perdas Técnicas Perdas Comerciais 11
  11. 11. Indicadores de Qualidade 16,01 15,76 15,40 14,77 13,62 12,57 12,79 12,38 10,29 10,26 10,22 DEC / FEC 9,92 9,42 8,95 8,68 8,66 18,21 10,19 19,43 10,90 11,44 11,09 8,99 7,51 8,68 8,21 6,91 8,94 6,41 9,08 6,83 8,76 6,42 9,2 1998 1999 2000 2001 2002 s/ efeito 2003 2004 2005 1T06 do Blecaute DEC (horas) FEC (vezes) DEC Padrão Aneel FEC Padrão Aneel 166 166 166 166 147 130 TMA 156 133 114 100 94 98 98 101 86 1998 1999 2000 2001 2002 s/ efeito 2003 2004 2005 1T06 do Blecaute TMA (minutos) TMA Padrão Aneel A partir de 2004 a Aneel passou a avaliar separadamente cada conjunto do sistema da Eletropaulo, não existindo mais um padrão único para os indicadores de qualidade. O padrão apresentado a partir de 2004 é a média Aneel do conjunto calculada pela Eletropaulo Fonte: ANEEL e Eletropaulo. 12
  12. 12. Gerenciamento dos Recebíveis Taxa de Arrecadação • Ações e Resultados: Total - % sobre receita bruta 97,5 99,0 98,7 96,4 – Programa Primeiro Contato – Priorização na suspensão do fornecimento de energia +2,4% – Antecipação de cortes em 18 dias – Aumento no volume de cortes – de 60 mil/mês para 100 mil/mês 2004 2005 1T05 1T06 Setor Privado - % sobre receita bruta Setor Público - % sobre receita bruta Pú • Negociação Expressa com 102,6 101,6 • Liquidação de créditos 98,8 98,5 98,5 o objetivo de agilizar a 97,6 97,0 por meio de encontro quitação de valores em de contas atraso: • Suspensão do – Implantada nas Lojas fornecimento de +48% energia – Call Center (em implantação) 68,3 • Projetos de eficiência energética 2004 2005 1T05 1T06 2004 2005 1T05 1T06 13
  13. 13. Investimentos Investimentos 1T06 (R$ milhões) Distribuição dos Investimentos 404 Total – R$ 81,1 milhões 361 Outros 330 13% 289 Autofinanciados 10% Serviço ao Consumidor e Expansão do 217 Tecnologia da Sistema Informação 32% 180 12% 81 Manutenção 9% Pessoal 20% Recuperação de 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1T06 Perdas 10% Desde a privatização (1998) já foram investidos R$ 2,4 bilhões 14
  14. 14. Resultados R$ milhões Receita Bruta Despesas Operacionais EBITDA 11.153,7 29,4% 7.476,4 25,7% 25,7% 9.981,1 2.128,9 6.358,3 21,5% 2.856,9 2.039,0 1.899,7 2.587,0 1.364,8 724,9 577,4 1.012,1 554,6 +1,9% +37% -7,7% 8.296,8 7.394,1 2.660,9 2.711,3 4.438,9 4.712,5 1.769,9 1.322,3 582,4 1.633,3 1.116,8 372,2 425,3 158,6 681,3 730,7 408,0 179,1 188,9 142,6 1.979,6 1.980,6 1.218,6 1.036,4 282,7 423,8 2004 2005 1T05 1T06 2004 2005 1T05 1T06 2004 2005 1T05 1T06 Eletricidade + Transporte Encargos do Setor EBITDA Ajuste Receita Líquida Deduções à Receita Operacional Despesas Operacionais Margem EBITDA ajustada • Aumento em relação ao 1T05 • Redução de 16,5% nos gastos • EBITDA ajustado 1T06 deve-se ao Reajuste Tarifário com Energia Elétrica Comprada – Despesas com passivo do Médio em 04 de julho de 2005 de em razão da diminuição de R$ Fundo de Pensão: R$ 60,5 2,12% 163,1 milhões nos custos com milhões CVA de compra de energia (constituição de CVA positiva a – RTE: R$ 81,3 milhões partir de julho de 2005) – Provisão de recuperação da RTE: R$ 16,8 milhões 15
  15. 15. Resultados R$ milhões Resultado Financeiro Lucro / Prejuízo Prejuí 25,1 5,6 -105 -121,7 -16,7 +16% -368,2 -504 -184,4 2004 2005 1T05 1T06 2004 2005 1T05 1T06 • A variação negativa deve-se ao menor volume de • Apuração de Lucro no trimestre: receitas financeiras no período: – Incremento de 1,9% na Receita Bruta – Redução da taxa Selic de 19,25% no 1T05 para – Redução de 7,7% nas Despesas Operacionais 16,50% no 1T06, que diminuiu a remuneração dos ativos regulatórios em R$ 19,1 milhões 16
  16. 16. Dívida Consolidada R$ milhões Curto Prazo X Longo Prazo Credores X Indexadores – 1T06 5.284 5.092 5.075 5.281 -12% 5.004 4.774 Dívida Bruta – R$ 4.774 milhões 4.562 4.411 77% 73% 73% 76% IGP-DI 44,42% Taxa Fixa 10,92% 23% 27% 27% 24% 2004 2005 1T05 1T06 Libor LP CP Dívida Líquida CDI/Selic 4,70% 39,80% Outros/R$ Destaques do Endividamento – últimos 12 meses 0,17% • Dívida Bruta: redução em 10% (R$ 507 milhões) • Dívida Líquida: redução em 12% (R$ 593 milhões) • Fundo de Pensão - R$ 2.120 milhões • Moeda estrangeira: redução de 15% para 5% do • Credores Privados - R$ 2.029 milhões total • BNDES - R$ 625 milhões • Hedge: 80% da dívida em moeda estrangeira 17
  17. 17. Dívida Consolidada R$ milhões Cronograma de Amortização - Atual Amortizaç Custo Médio e Prazo Médio Mé Mé 38 3,69 3,81 105,6% 159 35 2,88 100,7% 100,8% 771 809 52 91 558 178 27 6 27 502 90 90 83 303 10 141 128 128 180 180 180 127 39 Pré- Pagtos 2T06 3T06 4T06 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014- pagtos 1T06 22 1T06 R$ BNDES US$ Dez 04 Dez 05 1T06 * Taxa de dólar – 31/03/2006 US$/R$ = 2,1724 Custo Médio - %CDI Prazo Médio - anos Evolução da taxa de juros Rating Evoluç S&P e Fitch Ratings CDI + 6,84% Escala Nacional -17,4% BBB -1,6% ‘05 CDI + -1,4% BB CDI + B+ 2,90% CDI + ‘04 2,50% 1,82% DDD B- ‘03 D Escala Internacional Bonds 8ª Debenture 9ª Debenture CCB 18
  18. 18. CCB Eletropaulo • Montante Total: R$300 milhões Dívida Total - Pós CCB 100,84% 3,92 • Recursos – Amortizar o saldo remanescente da dívida renegociada (R$ 235 milhões) e liquidar os swaps relacionados com 100,31% 3,81 esta dívida Custo médio Prazo médio % CDI Anos • Termos e condições: Tranche A Tranche B – Principal: R$ 160 milhões – Principal: R$ 140 milhões – Prazo: 5 anos – Prazo: 7 anos – Taxa de juros semestral: CDI + 1,65% a.a. – Taxa de juros semestral: CDI + 2,00% a.a. – Amortizações: parcelas semestrais, iguais e – Amortizações: parcelas semestrais, iguais e sucessivas a partir do 24º mês, inclusive sucessivas sendo: • R$ 4,4 milhões entre o 24º e o 60º mês • R$ 27,3 milhões entre o 66º e o 84º mês 19
  19. 19. Fluxo de Caixa – 1T06 Total 1T06 Eletropaulo - Fluxo de Caixa Consolidado R$ milhões Saldo de caixa inicial 492 Geração de caixa operacional 652 Investimentos (66) Despesa Financeira Líquida (196) Amortizações Líquidas (245) Fundo de Pensão (134) Imposto de Renda (147) Caixa Livre (136) Saldo de caixa final 356 • Principais pagamentos do 1º trimestre de 2006: – Juros semestrais da 8ª emissão de debêntures (R$ 83,6 milhões) e do bond (R$ 48,3 milhões) – IR e CS no valor de R$ 147 milhões – Pré-pagamento de parcelas do contrato de financiamento da CVA (R$ 67 milhões) e dívidas com bancos credores (R$ 50 milhões) 20
  20. 20. Governança Corporativa • Alterações no Regulamento do Nível 2 - Implementadas – O aumento do “tag along” mínimo de 70% para 80% para detentores de ações preferenciais – O Conselho de Administração deve ter no mínimo 20% de membros independentes • Desempenho das ações preferenciais da Eletropaulo (ELPL4) na Bovespa: 180 Base 100 = 31/03/05 +70,0% 160 +46,6% 140 +42,6% 120 100 80 mar-05 abr-05 mai-05 jun-05 jul-05 ago-05 set-05 out-05 nov-05 dez-05 jan-06 fev-06 mar-06 ELPL4 Ibovespa IEE Fonte: Economática 21
  21. 21. Gestão e Excelência Operacional • Upgrade da versão atual do SAP: – Sistema Comercial SAP IU-CCS/CRM – Sistema de Gestão Empresarial mySAP IU-R/3 – Business Inteligence – Objetivo: Rapidez, agilidade e confiabilidade das informações • Excelência operacional: – Asset Management – elevação no desempenho dos ativos – Revenue Management – incremento na receita – Work Management – aumento no índice de produtividade 22
  22. 22. Gestão Segurança Sempre Resultado: Taxa de Freqüência e Gravidade Freqü • Política Integrada de Saúde, Segurança do Trabalho e Meio 5,65 Ambiente 4,71 4,21 801 • Campanha permanente de prevenção 3,03 de acidentes junto ao público interno, 2,80 externo e terceirizados 217 • Sistema de Gestão de Segurança e 44 76 69 Saúde (OHSAS – 18001) em implantação 2003 2004 2005 1T05 1T06 Taxa de Gravidade Taxa de Frequência • Comitês de Segurança 23
  23. 23. Gestão Meio Ambiente • Ampliação do Sistema de Gestão Ambiental (SGA) e da Certificação ISO 14.001 • Continuidade do Projeto de Eliminação de equipamentos com PCB (Bifenila Policlorada – Ascarel) • Projeto Pomar: Parceria com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente • Poda de Árvores – Convênio com a Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP) para remoção e poda de árvores condenadas pelo IPT • Acordo com World Wide Fund for Nature (WWF) – Divulgação e arrecadação de recursos para proteção da Amazônia 24
  24. 24. Gestão Programas Sociais • Projeto Eletropaulo na Comunidade (2ª edição em 2005) – 38 eventos em escolas públicas – total de 155,8 mil visitantes • Museu da Língua Portuguesa – Projeto Estação da Luz da Nossa Língua ( Museu da Língua Portuguesa) Prédio da Estação da Luz - centro de São Paulo • Creches do Projeto Luz e Lápis – Duas unidades que atendem 248 crianças • Circo das Artes – Desenvolvimento sócio-cultural de 451 crianças e adolescentes • O Consumidor é Show* • Comodato – Hortas Comunitárias – Viabiliza o cultivo e a produção de alimentos para subsistência e/ou geração de renda (*) Com recursos da Lei Rouanet nº 8.313/91 25
  25. 25. Conclusão Lucro líquido de R$ 25 milhões no 1T06 EBITDA ajustado 37% superior ao do período equivalente de 2005 Redução de 11,8% na dívida líquida consolidada Redução de 0,8% no custo médio da dívida total Alongamento do prazo médio de vencimento – De 3,11 anos para 3,81 anos Diminuição de 68,7% da dívida denominada em dólares Destaques operacionais nos últimos 12 meses – Redução das perdas em 3,0% – Melhoria na taxa de arrecadação em 2,4% Compromisso de sustentabilidade – Responsabilidade Social e Ambiental – Excelência Técnica, Operacional e Comercial – Padrões diferenciados de Governança Corporativa 26
  26. 26. Organograma Societário Societário AES BNDES 49,99% ON 50,01% ON 100,00% PN 46,15% Total 53,84% Total Brasiliana 100% Total AES Tietê Holdings 100% Total AES Tietê Holdings II 100% Total 100% Total T: 100% AES Tietê AES Tietê Energia Acionistas Empreendimentos Participações Paulista Minoritários 61,73% ON 28,65% ON 9,62% ON 18,02% PN 14,32% PN 67,66% PN 4,98% Total 8,69% Total 100% Total 38,87% Total 47,46% Total IHB Ltd 100% Total Minas PCH Empresas em Cayman 28
  27. 27. Concessão • Período de 30 anos (2029) • O contrato de concessão dá o direito de operar os ativos mas não a propriedade • Ativos: 10 usinas hidrelétricas • Localização: Rios Tietê, Grande, Pardo e Mogi Oceano Atlântico Guaçu, localizados no Estado de São Paulo • Capacidade Instalada: 2.651 MW • As usinas começaram a operar entre 1958 e 1994 • 100% da energia assegurada vendida sob contratos PR de longo prazo SP 29
  28. 28. Geradoras • Uma das principais empresas geradoras de energia do Brasil – 2ª maior geradora privada – 9ª maior geradora brasileira Participação no Potencial Instalado Brasileiro CESP Tractebel 7,9% 6,9% Cemig 6,8% Eletronorte 8,2% Itaipu 6,7% Copel Furnas 4,8% 10,3% AES Tietê 2,8% Duke Energy 2,4% CHESF 11,3% Outros Fonte: Aneel 31,7% 30
  29. 29. Balanço Energético – 1T06 Caconde 2,8% 98,3 Euclides 4,2% Geração Bruta x Energia Faturada 150,4 em GWh Limoeiro 1,2% 43,9 56,0% 77,4% Eletropaulo - Bilateral Água Vermelha 2.754,6 1.990,9 Barra Bonita 4,6% TOTAL FATURADA 163,0 Bariri 4,5% 3.556,8 3.556,8 161,7 22,6% MRE / CCEE Ibitinga 5,9% 802,2* 211,1 Promissão 8,6% 307,1 Nova Avanhandava 11,8% 420,9 Mogi Guaçu 0,3% No 1T06 a AES Tietê gerou 29% 9,7 acima da sua energia assegurada *Após descontados consumo próprio e perdas de transmissão, a diferença é direcionada primeiramente ao Mecanismo de Realocação de Energia – MRE e, então, à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE. 31
  30. 30. Energia Assegurada • A energia assegurada da AES Tietê é de 1.275 MW Médio • Nos últimos 20 anos, a AES Tietê gerou aproximadamente 18% acima de sua energia assegurada • A energia assegurada deveria ser revista em 2004, mas a revisão foi adiada para 2014 Energia Gerada – MW Médio 123% 120% 123% 129% 117% 115% 109% 107% 98% 1.617 1.619 1.581 1.647 1.502 1.467 1.275 81% 1.392 1.363 1.258 1.040 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1T06 Geração - MW Médio Geração / Energia Assegurada 32
  31. 31. Confiabilidade • Taxa de Falha (TF) e Disponibilidade • As usinas da companhia apresentam da Unidade Geradora (DUG) uma média de 6,5 anos de operação apresentaram performances sem acidentes com afastamento superiores à estabelecida pela ANEEL – 2,9% para TF e 92,8% para DUG Taxa de Falha x Disponibilidade Período Sem Acidente Perídodo Sem Usina 97,2% 96,8% 97,6% Acidentes - Anos 96,1% 94,2% 92,6% 90,9% Ibitinga 17,7 MogiGuaçu 11,1 3,0% Nova Avanhandava 8,2 2,8% 2,5% Água Vermelha 7,6 2,2% 2,3% Limoeiro 5,6 1,6% Barra Bonita 5,5 Promissão 4,0 0,8% Caconde 2,9 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1T06* Euclides da Cunha 2,6 Bariri 0,2 Taxa de Falha - TF Disponibilidade da Unidade Geradora - DUG * Anualizado 33
  32. 32. Contrato Bilateral • Os contratos iniciais encerraram-se em 31/12/05 • A partir de jan/06, toda energia assegurada passou a ser vendida para a Eletropaulo: – Preço = R$ 132,73 MWh, corrigido pelo IGP-M – Mês de Reajuste: Julho Tarifa Média – R$/ MWh – Válido até dez/15 132,7 – Garantia: recebíveis 119,6 94,4 73,6 54,0 2002 2003 2004 2005 1T06 34
  33. 33. Resultados R$ milhões Receita Bruta Custos Operacionais 1.345 345 1.050 268 82 98 77 +15% +29% 4 52 61 384 46 82 94 298 36 31 20 78 79 16 13 13 20 5 13 19 24 2004 2005 1T05 1T06 2004 2005 1T05 1T06 Energia Faturada Outras Receitas Compra de Energia Royalties Despesas Operacionais* Provisão Outros • Aumento no volume de vendas através do • Compra de Energia – aumento de R$ 6,8 milhões contrato bilateral - 100% da energia assegurada nas despesas com transmissão decorrente do aumento das vendas através do bilateral • Elevação da tarifa do contrato bilateral de R$ 117,59/MWh no 1T05 para R$ 132,73/MWh no • Provisão – provisão de R$ 5,2 milhões no 1T06 1T06 referente à correção monetária da RTE *Pessoal, Materiais e Serviços de Terceiros 35
  34. 34. Resultados R$ milhões EBITDA Resultado Financeiro Lucro Líquido 45,6% 43,8% 939 79,2% 78,4% -23 36,0% 75,7% -64 -41 556 +44% 29,7% 777 77,0% +57% +34% 274 204 292 153 97 -293 2004 2005 1T05 1T06 2004 2005 1T05 1T06 2004 2005 1T05 1T06 EBITDA Margem EBITDA Ajustado Lucro Líquido Margem Líquida • Crescimento de 34% no • Redução das despesas • Crescimento dos resultados EBITDA financeiras em virtude da queda operacionais em virtude da da IGP-M, que passou de 1,7% elevação das vendas através no 1T05 para 0,2% 1T06 do contrato bilateral • A Margem EBITDA apresentou crescimento de 2,7 pontos • Aumento das receitas • Redução das despesas percentuais financeiras em virtude do maior financeiras líquidas montante dos investimentos 36
  35. 35. Endividamento Montante - Credor Vencimento Custo Garantia R$ milhões Eletrobras 1.450,3 mai/13 IGP-M + 10% a.a. Recebíveis FunCesp III 20,5 nov/17 IGP-DI + 6% a.a. Recebíveis Dívida Líquida – R$ bilhões 3,0x 3,3x 3,2x 2,0x 1,4 1,4x 1,2x 1,3 0,7x 0,6x 1,1 1,1 1,1 1,0 0,7 0,6 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1T05* 1T06* Dívida Líquida Dívida Líquida / EBITDA *EBITDA – últimos 12 meses 37
  36. 36. Portfólio de Investimentos • Saldo de caixa em mar/06 – R$ 849,5 milhões, alocados como mostra o gráfico: Títulos Estrangeiros US$ Aa3 6,3% Títulos Públicos Títulos Estrangeiros Federais - Ba3 US$ Aa1 87,8% 5,3% Títulos Privados A3 0,6% 38
  37. 37. CAPEX • Capex – 1T06: R$ 4,8 milhões: – Usina de Bariri - re-capacitação e modernização da Unid. Geradora 2 – Investimentos em reflorestamento Capex – R$ milhões Capex – 1T06 50,5 37,5 Meio Ambiente 21,3% 30,5 27,5 Outros 21,9 Equipamentos 8,0% 17,7 70,6% 12,4 4,8 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1T06 2006 E 39
  38. 38. Mercado Acionário • Nos últimos 12 meses, as ações ordinárias apresentaram valorização de 54,0% e as preferenciais de 53,0%, enquanto o Ibovespa valorizou-se em 42,6% • O volume médio diário das negociações sofreu grande alteração após a oferta secundária ocorrida em junho de 2005 R$ mil 1T05 1T06 Var. % GETI3 1.813 1.306 -28% GETI4 914 3.607 295% Total 2.727 4.913 80% AES Tietê x Bovespa Proventos Pagos x Dividend Yield* Base 100 - 31/03/05 Oferta secundária secundá 180 +70% 14,1% +54% R$ 539,0 2005 PN 160 milhões 13,6% +53% 140 +43% 13,4% ON R$ 276,9 2004 120 milhões 12,3% 100 11,4% R$ 185,6 2003 milhões 6,6% 80 mar-05 jun-05 set-05 dez-05 mar-06 23,6% R$ 225,0 2002 milhões 17,4% GETI3 GETI4 Ibovespa IEE * Cotação média do período 40
  39. 39. AES Tietê na Comunidade • Projeto Geração Cidadania – Seleção e apoio a projetos culturais, educativos e/ou de desenvolvimento humano que beneficiam comunidades do interior do estado de São Paulo • Projeto Acorde para o Meio Ambiente – Concertos gratuitos ao ar livre realizados em Bauru, Ouroeste, Ribeirão Grande, Boracéia e Mococa. • Programa de Flora – Produção de 1 milhão de mudas no viveiro da Usina Promissão - Doação de mudas à sociedade, produtores rurais, prefeituras e ONGs • Programa de Manejo Pesqueiro – Produção e soltura de 2,5 milhões de alevinos nos 10 reservatórios 41
  40. 40. Conclusão Geração 29% acima de sua energia assegurada Excelência Operacional: TF e DUG acima das metas da ANEEL Energia Assegurada totalmente vendida no longo-prazo EBITDA de R$ 273,7 milhões – crescimento de 34% em relação ao mesmo período de 2005 Lucro líquido de R$ 152,9 milhões no 1T06, 57% maior que no 1T05 42
  41. 41. Declarações contidas neste comunicado relativas à perspectiva dos negócios da Empresa, projeções de resultados operacionais e financeiras e relativas ao potencial de crescimento da Empresa constituem-se em meras projeções e foram baseadas nas expectativas da Administração em relação ao futuro da Empresa. Essas expectativas são altamente dependentes de mudanças no mercado, no desempenho econômico geral do Brasil, no Setor, nos Mercados Internacionais, estando portanto, sujeitas à mudança. Reunião com Analistas São Paulo, 11 de maio de 2006 Rio de Janeiro, 12 de maio de 2006
  42. 42. ELETROPAULO METROPOLITANA AES TIETÊ S/A ELETRICIDADE DE SÃO PAULO S/A

×