Apresentação 1 t04

230 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação 1 t04

  1. 1. Eletropaulo e Tietê Resultados do 1º trimestre 2004 7 de Maio de 2004
  2. 2. Agenda INTRODUÇÃO – Mercado – Performance Financeira e Operacional – Perfil da Dívida – Performance Operacional – Performance Financeira CONCLUSÃO
  3. 3. Agenda INTRODUÇÃO – Mercado – Performance Financeira e Operacional – Perfil da Dívida – Performance Operacional – Performance Financeira CONCLUSÃO
  4. 4. Destaques do 1o Trimestre No 1o trimestre de 2004 a Brasiliana iniciou a consolidação da nova estrutura societária e a implementação do acordo de acionistas assinado entre a AES e o BNDES As principais acontecimentos do trimestre foram: – Conclusão do processo de readequação do perfil da dívida da Eletropaulo – Implementação da nova estrutura organizacional das empresas da Brasiliana – Instalação do Comitê de Gestão formado conjuntamente pelo BNDES e AES
  5. 5. Estrutura Acionária !" !" !" # !" !" * Participação via Holdings
  6. 6. Agenda INTRODUÇÃO – Mercado – Performance Financeira e Operacional – Perfil da Dívida – Performance Operacional – Performance Financeira CONCLUSÃO
  7. 7. Mercado - GWh 1,0% 2,4% 33,866 -3,9% 8,371 8,285 8,209 -1,7% 33,081 7,892 33,006 32,457 s/ livre c/ livre s/ livre c/ livre 1º Tri 03 1º Tri 04 12 meses/Março03 12 meses/Março04 Obs: os gráficos não consideram o consumo próprio
  8. 8. Comparação do Consumo em GWh -3,9% 8,209 7,892 2,2% -14,3% -1,4% 2,619 2,564 2,411 2,386 2,351 0,8% 2,065 849 855 Residencial Industrial Comercial Outros Total 1º Tri 03 1º Tri 04
  9. 9. Agenda INTRODUÇÃO – Mercado – Performance Financeira e Operacional – Perfil da Dívida – Performance Operacional – Performance Financeira CONCLUSÃO
  10. 10. Resultados – 1º trimestre 2004 (R$ MM) Queda de 4,5% no consumo faturado devido à 4º tri 03 1º tri 04 saída de clientes para o mercado livre, e às baixas temperaturas no verão de 2004 Efeito não recorrente no 4º tri 03 da retificação dos valores de energia livre – ajuste contábil de Receita Líquida 1.845,5 1.578.8 -14,4% R$ 50,9mm Efeito não recorrente no 4º tri 03 da retificação dos valores de energia livre – ajuste contábil de R$ 48,6mm liq. de impostos Descontratação de 25% dos Contratos Iniciais Despesa Operacional (1.651,2) (1.392,7) -15,7% Decréscimo nos custos de transmissão e conexão devido a regulamentação sobre a energia contratada bilateralmente em que esta despesa é divida igualmente entre Geração e Distribuição EBITDA * 260,6 253,1 -2,9% Redução da receita operacional líquida Receita (Despesa) (62,4) (86,2) 38,0% Amortização de R$ 42mm do diferimento da variação cambial de 2001 (Deliberações CVM 404 Financeira** e 409) Depreciação de 0,7% do Real frente ao Dólar no período Ajuste positivo e não recorrente do valor do Itens Extraordinários (114,9) (85,1) -25,9% contas a receber da Prefeitura Municipal de São Paulo no montante de R$ 18 mm no 4º tri 03 Líquidos dos Efeitos dos Tributos (13.6) Queda de 4,5% no consumo faturado Lucro (Prejuízo) Líquido (45,0) -69,8% Aumento da Despesa Financeira (*) Sem ajustes (**) Valores do Resultado Consolidado
  11. 11. Ajuste do EBITDA 4º trimestre 2003 1º trimestre 2004 EBITDA EBITDA R$ 260,6 MM (com efeito das Provisões) R$ 253,1 MM (com efeito de Provisões e Confissão de Dívida IIa) RTE R$ 98,5 MM R$ 92,7 MM RTE Confissão de Dívida IIa (R$ 7,1 MM) R$ 19,3 MM Confissão de Dívida IIa Provisões ou Despesas R$ 153,0 MM Operacionais não Caixa R$ 505,0 MM EBITDA AJUSTADO R$ 365,1 MM EBITDA AJUSTADO Decréscimo de 28%
  12. 12. Investimentos em 2004 R$ Mil 360,568 320,991 286,654 289,041 303,000 217,307 180,376 39,090 1998 1999 2000 2001 2002 2003 1º tri04 2004 (e) Investimentos Projetados para 2004 – R$ milhões Atendimento de Clientes 55 Crescimento do Mercado Expansão do Sistema 59 Modernização do Sistema 7 Manutenção Segurança (melhoria da rede) 21 Perdas Recuperação de Perdas Comerciais 14 Obrigações Regulatórias P&D, Eficiência Energética e ERAC 19 (Veículos, Informática, móveis e Despesas Específicas equipamentos) 22 Pessoal 89 TOTAL 303
  13. 13. Evolução dos indicadores de Performance DEC (horas) Tendência Pré-Privatização Tendência Pós-Privatização 18.66 18.76 18.06 17.42 18.21 16.37 16.32 15.94 14.04 11.44 11.09 8.99 8.21 7.67 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 1º Tri 04 FEC (vezes) Tendência Pré-Privatização Tendência Pós-Privatização 10.70 10.88 10.70 10.74 10.76 10.21 10.19 9.55 9.52 9.20 8.68 7.51 6.91 6.60 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 1º Tri 04 TMA (minutos) Tendência Pré-Privatização Tendência Pós-Privatização 215 187 145 148 161 158 159 139 134 100 114 94 97 87 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 1º Tri 04
  14. 14. Agenda INTRODUÇÃO – Mercado – Performance Financeira e Operacional – Perfil da Dívida – Performance Operacional – Performance Financeira CONCLUSÃO
  15. 15. Readequação da Dívida 30 de Setembro de 2003 – Eletropaulo apresentou aos bancos credores uma proposta para a adequação do perfil de suas dívidas a sua geração de caixa Montante Renegociado 12 de Março de 2004 – Conclusão do processo de readequação do R$ 2,287,388,347.79 endividamento junto a bancos credores Unificação das dívidas incluídas no Processo em uma única documentação, que trata todos os credores de forma uniforme e isonômica, com uniformização de taxas, prazos e covenants Sindicatos Bank Boston, Deutsche Bank, JPMorgan Empréstimos Bladex, Import Finance Banco ABC Brasil, Banco BBA Creditanstalt, Itaú BBA, Bank Capital de Giro Boston, Banco do Brasil, HSBC, Banco Itaú, JPMorgan As dívidas garantidas ou aquelas com condições favoráveis para a empresa não foram incluídas neste processo e serão amortizadas conforme seus contratos originais:* – Empréstimo do Racionamento com BNDES – R$ 762 milhões – Debêntures – R$ 143 milhões – Dívida com o Fundo de Pensão – R$ 1.4 bilhão (*) Valores referentes a Dezembro/2003
  16. 16. Características Início da Vencimento Juros após Valor Série Juros Iniciais Downpayment Amortização Final Downpayment (milhões) A 31.03.2005 31.12.2006 CDI + 2,50% 12.5% CDI + 2,25% 147.0 B 31.03.2005 31.12.2007 CDI + 3,00% 15.0% CDI + 2,75% 153.6 C 30.09.2005 31.12.2008 CDI + 4,25% 17.5% CDI + 4,00% 599.9 D 30.06.2006 31.12.2008 CDI + 4,75% 20.0% CDI + 4,50% 696.9 Subtotal R$ 1.597,4 A 31.03.2005 31.12.2006 LIBOR + 2,50% 12.5% LIBOR + 2,25% 96.9 B 31.03.2005 31.12.2007 LIBOR + 3,00% 15.0% LIBOR + 2,75% 35.3 C 30.09.2005 31.12.2008 LIBOR + 4,25% 17.5% LIBOR + 4,00% 67.0 D 30.06.2006 31.12.2008 LIBOR + 4,75% 20.0% LIBOR + 4,50% 37.8 Subtotal US$ 237,0 Os pagamentos de juros e amortização de cada série serão realizados trimestralmente Penhor de recebíveis de consumidores do grupo tarifário A, no valor de até 30% da receita bruta diária, limitado a R$ 200 milhões
  17. 17. Endividamento CP X LP , $ - .. , $ - # .. , $# .. - #% $ & %% $ & ## # # $ #& $ % $# $ % # #% $# # # # ''# ( ) ! + ( * * )
  18. 18. Endividamento 1º trimestre 2004 Dívida Consolidada – 31/12/2003 Dívida Consolidada - 31/03/2004 (R$ 5,3 bi, dos quais R$ 2,0 bi (R$ 5,2 bi, dos quais R$ 1,2 bi denominados em US$) * denominados em US$)* 39% 76% R$ R$ US$ 24% US$ 61% Exposição Exposição 7,5% c/ hedge 16,3% c/ hedge cambial de 35% cambial de 20% Abril 2004 – Acesso ao Mercado Financeiro – Aumento do nº de contratos de Hedge – Hedge = 44,7% da dívida consolidada de 31/03/2004 (*) Os valores foram convertidos pela Ptax do final de cada mês: Dez/ 2003 – 2,8892 Mar/ 2004 – 2,9086
  19. 19. Cronograma de Amortização da Dívida Renegociada - Em milhões de R$ 107 R$ US$ (*) 286 58 58 58 27 27 27 27 20 20 20 19 50 50 50 113 113 113 97 97 97 97 38 38 86 86 86 88 62 62 62 27 27 down Mar-05 Jun-05 Sep-05 Dec-05 Mar-06 Jun-06 Sep-06 Dec-06 Mar-07 Jun-07 Sep-07 Dec-07 Mar-08 Jun-08 Sep-08 Dec-08 payment 2004 (*) Os valores foram convertidos pela taxa 2,911755 R$/US$
  20. 20. Cronograma de Amortização 2004 Em milhões de R$ R$ BNDES US$ * Vencimento de Commercial Papers– 151 US$ 42,9 milhões 30 5 13 12 12 12 12 12 43 13 13 13 34 30 30 30 30 15 15 15 abril maio junho julho agosto setembro outubro novembro dezembro Em 2004, a Eletropaulo fará pré-pagamento de R$ 286 milhões e US$ 37milhões, respectivamente, para os credores da dívida renegociada (*) Valores convertidos utilizando-se a PTAX de 2,9086
  21. 21. Commercial Paper Oferta de Permuta Como parte do Processo de Readequação das dívidas, foram feitas duas Ofertas de Permuta para detentores de Commercial Papers: Data Volume Down Juros Prazo Permuta (US$ milhões) Payment Semestrais Serie “A” para Série “E” 12/9/2003 47 10% 12,5% a.a. 1 ano Serie “D” para Série “F” 2/28/2004 13 10% 9,0% a.a. 1 ano 96% Média de adesão de ambas as ofertas de permuta:
  22. 22. Conseqüências Readequação da geração de caixa ao cronograma de amortizações Redução de exposição ao câmbio Conversão de 47% da dívida renegociada em US$ para R$ Solução para as situações de defaults técnicos e de pagamento Eliminação de riscos de refinanciamento nos próximos 36 meses Desalavancagem significativa nos próximos 3-5 anos Melhora significativa na situação de liquidez e nos indicadores de crédito
  23. 23. 24
  24. 24. Agenda INTRODUÇÃO – Mercado – Performance Financeira e Operacional – Perfil da Dívida – Performance Operacional – Performance Financeira CONCLUSÃO
  25. 25. Concessão Concessão: 30 anos. O contrato de concessão dá o direito de operar as ativos mas não propriedade Ativos: 10 usinas hidrelétricas Localização: Rios Tietê, Grande, Pardo e Mogi Guaçu, localizados no no Estado de São Paulo Capacidade Instalada: 2.651 MW Histórico Operacional: As usinas começaram a operar entre 1958 e 1997 Capacidade vendida sob 100% da capacidade produtiva da Tietê (“energia Contratos Iniciais (PPAs): assegurada”) Aumento da Capacidade: 15% - 400MW – até 2008 segundo exigência do Edital de Privatização
  26. 26. Reajuste de Tarifas As tarifas dos contratos iniciais são reajustadas anualmente seguindo a fórmula de cálculo pré-estabelecida no Contrato de Concessão: Índice de Reajuste Tarifário = VPA + VPB x IGPM 1200 Receita Em fevereiro os contratos da Empresa de Eletricidade Bragantina S.A. (“EEB”) e Companhia Nacional de Energia Elétrica (“CNEE”) foram reajustados em média 8,20%. O reajuste foi acima do IGP-M anualizado (7,17%). Os demais contratos iniciais serão reajustados em abril, julho, agosto e outubro O contrato bilateral (novo contrato da Eletropaulo) é corrigido pelo IGP-M e será reajustado em julho
  27. 27. Balanço Energético – 1o Tri 2004 Geração Bruta x Energia Faturada Caconde 104.234 em MWh CPFL 281.854 Euclides 162.336 Bandeirante 149.735 Limoeiro 46.747 Eletropaulo - CI Água Vermelha 451.198 1.207.840 Elektro Barra Bonita TOTAL FATURADA 245.391 186.939 2.913.990 2.748.227 Bariri Bragantina 53.854 203.018 Ibitinga Nacional 227.590 35.270 Promissão MRE Piratininga 326.618 158.051 Nova Avanhandava 439.685 Eletropaulo - Bilateral 1.372.874 Mogi Guaçu 8.983 * Após descontados consumo próprio e perdas de transmissão, a diferença é direcionada ao Mercado de Realocação de Energia - MRE
  28. 28. Energia Armazenada – Reservatórios do Sudeste 90 70 GW - mês 50 30 10 Nov Out Fev Jul Jan Jun Ago Dez Abr Mai Set Mar 2000 2001 2002 2003 2004 Fonte: Operador Nacional do Sistema – ONS; Março/04
  29. 29. Agenda INTRODUÇÃO – Mercado – Performance Financeira e Operacional – Perfil da Dívida – Performance Operacional – Performance Financeira CONCLUSÃO
  30. 30. Demonstrações do Resultado 1o Trimestre em R$ milhões 4o Tri 03 1o Tri 04 Aumento devido à substituição de 25% da energia contratada por contratos iniciais pela contratação RECEITA LÍQUIDA 217,4 238,0 9,5% por contrato bilateral e revisão tarifária de dois contratos iniciais. DESPESA OPERACIONAL (49,1) / %&0 19,4% “Excedente Financeiro”: em fev/04 houve grande diferença de preço do MWh entre o submercado EBITDA 168,3 179,4 6,6% NE e os demais submercados fazendo com que os contratos iniciais ou equivalentes entre os submercados tivessem altamente expostos a tais preços. Tal RECEITA (DESPESA) (50,2) (67,5) 34,5% exposição foi coberta pelas FINANCEIRA geradoras pertecentes ao MRE. O aumento das despesas operacionais não absorveu todo o RESULTADO ANTES aumento da receita líquida 78,9 95,9 DA TRIBUTAÇÃO Aumento de despesas financeiras devido à variação do IGP-M (83% de um trimestre para o outro mas mitigado pelo aumento da receita LUCRO (PREJUÍZO) LÍQUIDO 67,8 & financeira devido ao aumento do caixa).
  31. 31. Agenda INTRODUÇÃO – Mercado – Performance Financeira e Operacional – Perfil da Dívida – Performance Operacional – Performance Financeira CONCLUSÃO
  32. 32. Conclusão O resultado líquido da Eletropaulo no 1o trimestre de 2004 teve uma significativa melhora quando comparado ao último trimestre de 2003, em linha com a retomada da estabilidade financeira O lucro de R$ 63 milhões apresentado pela Tietê, por sua vez, se manteve estável em relação ao último trimestre, comprovando que a empresa é forte geradora de caixa e saudável financeiramente A readequação da dívida com bancos credores da Eletropaulo solucionou de forma permanente o problema de liquidez da empresa, que hoje possui um nível de endividamento sustentável e compatível com sua geração de caixa A consolidação da nova estrutura acionária e a implementação do acordo de acionistas da Brasiliana colocam a Tietê e a Eletropaulo em um cenário de estabilidade, compatível com suas expectativas de crescimento no longo prazo
  33. 33. Eletropaulo e Tietê Resultados do 1º trimestre 2004 7 de Maio de 2004

×