Apresentacao renato follador macae

1.086 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.086
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
66
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Os fundos de pensão são em todo o mundo o mais moderno instrumento de proteção social, de formaç ão de poupança e de desenvolvimento econômico.
  • O crescimento potencial do Brasil é muito baixo. Nos últimos 15 anos, o Brasil cresceu, em média, pífios 2,56% ao ano Quais são as fontes de crescimento ? Em primeiro lugar, 1. Taxa de investimento . Uma taxa de investimento mais alta aumenta o estoque de capital. A China tem todo esse crescimento porque ela tem uma taxa de investimento acima de 45% do PIB. No Brasil, a taxa de investimento em preços reais, está em 17% do PIB. Elas são taxas compatíveis com crescimento baixo. A segunda fonte de crescimento é a 2. Qualidade de capital humano . Estudos mostram que a situação da qualidade do ensino no país é terrível. Em terceiro lugar, há a 3. Produtividade total dos fatores, em que entram um conjunto enorme de coisas, que fazem a economia, com o mesmo estoque de capital e a mesma quantidade de mão-de-obra, ser mais eficiente no uso dos recursos . No Brasil, há uma série de fatores que atrapalham a produtividade, como a burocracia para abrir e fechar empresas, a carga tributária elevada, um mercado de trabalho obstruído . Além disso, nominalmente a proteção tarifária nas importações é baixa, mas há uma série de custos de importação tarifários e não tarifários extremamente altos, que elevam o custo do capital. Nada disso melhorou.
  • O desenvolvimento econômico do Brasil dependerá cada vez mais da capacidade de poupança dos Fundos Públicos.
  • 1. O corpo humano é constituído por diversas partes que são inter-relacionadas. Cada sistema, cada órgão é responsável por uma ou mais atividades. Milhares de reações químicas acontecem a todo instante, seja para captar energia para a manutenção da vida, movimentar os músculos e recuperá-lo de ferimentos e doenças. O sangue, bombeado pelo coração, é vital para a vida das células, pois, além levar alimento e oxigênio para elas, ele também retira delas as sobras das substâncias que já não lhe são úteis. O equilíbrio térmico, a pressão sanguínea e o funcionamento do cérebro e seus neurotransmissores são exemplos da inteligência intrínseca dessa incrível máquina chamada corpo humano . Ninguém, em sã consciência, pode atribuir essa maravilha ao acaso. E tem gente que não acredita em Deus. 2. As pirâmides do Egito eram túmulos dos faraós, tinha a função abrigar e proteger o corpo do faraó mumificado e seus pertences (jóias, objetos pessoais e outros bens materiais) dos saqueadores de túmulos. Logo, estas construções tinham de ser bem resistentes, protegidas e de difícil acesso . Os engenheiros, que deviam guardar os segredos de construção das pirâmides, planejavam armadilhas e acessos falsos dentro das construções. Tudo era pensado para que o corpo mumificado do faraó e seus pertences não fossem acessados. As pirâmides foram construídas numa época em que os faraós exerciam máximo poder político, social e econômico no Egito Antigo. Quanto maior a pirâmide, maior seu poder e glória. Por isso, os faraós se preocupavam com a grandeza destas construções. Com mão-de-obra escrava, milhares muitas vezes, elas eram construídas com blocos de pedras que chegavam a pesar até duas toneladas . Para serem finalizadas, demoravam, muitas vezes, mais de 20 anos. Desta forma, ainda em vida, o faraó começava a planejar e executar a construção da pirâmide. A matemática foi muito empregada na construção das pirâmides. Conhecedores desta ciência, os arquitetos planejavam as construções de forma a obter o máximo de perfeição possível. As pedras eram cortadas e encaixadas de forma perfeita. Seus quatro lados eram desenhados e construídos de forma simétrica, fatores que explicam a preservação delas até os dias atuais.   3. A chegada do homem à Lua não teria sido possível sem um minucioso planejamento. Em 20 de julho de 1969, há 42 anos, o astronauta americano Neil Armstrong transformava em realidade o sonho mais antigo das civilizações humanas ao se tornar o primeiro homem a caminhar na Lua. 4. Com a forma de um retângulo de 4,5 km por 800m, o Central Park se estende verticalmente no meio da ilha de Manhattan. O Central Park nova-iorquino foi inaugurado em 1873 , depois de treze anos de obras que consumiram cerca de 500 milhões de dólares em moeda de hoje. Diversamente de outros grandes parques urbanos como o Bois de Boulogne ou o Ibirapuera, o Central Park não teve origem na preservação de mata nativa; foi inteiramente planejado pelos arquitetos Calvert Vaux e Frederick Olmsted, seguindo um projeto que conciliava as necessidades e os gostos da época. Se os lagos e o relevo do Central Park parecem naturais, cabe a eles o mérito. Na realidade, o terreno desapropriado para a construção era em parte pantanoso e ocupado por grandes rochedos, que precisaram ser explodidos com dinamite . A tarefa de dragar os extensos pântanos ocupou mais de 30.000 operários, que trabalhavam 14 horas por dia, já que a jornada de 8h ainda não fora implantada , e centenas de animais de carga. Aproximadamente 1600 pessoas viviam em povoados pobres naquela área, muitas das quais criavam cabras e porcos. Apesar da resistência dos moradores, acabou todo mundo expulso e as aldeias foram desmanteladas. No terreno já preparado, foram plantadas cerca de 500 mil árvores, abertos caminhos e construídos lagos artificiais . 5 . ITAIPU 14.000 MW instalados . Já foi 30% e, hoje é responsável por 20% DA ENERGIA CONSUMIDA NO PAÍS , que, no auge da obra que durou mais de 15 anos, chegou a ter 40.000 trabalhadores operando dia e noite no mesmo canteiro de obras. A quantidade de concreto usado para construir a Usina de Itaipu seria suficiente para construir 210 estádios de futebol do tamanho do Estádio do Maracanã.  
  • Exemplo de Falta de Planejamento Adquirimos sabedoria mais por fracassos que pelo êxito. Com frequência achamos o que convém descobrindo o que não convém. E, provavelmente, quem nunca cometeu um erro jamais descobrirá nada. Motivos para a Situação Remédios Política Monetária Política Econômica Política Fiscal
  • Nenhum vento sopra a favor do navegante que não sabe para onde ir
  • Formar poupança previdenciária para não inviabilizar o Estado. A formação dessa poupança é a única garantia do cidadão de sonhar com mas programas sociais, melhores serviços públicos e mais obras de infra-estrutura.
  • Custo equilibrado ao longo do tempo Equilíbrio Financeiro e Atuarial Lastro Financeiro- uma aposentadoria respaldada por ativos é muito mais segura que uma respaldada por um contrato social.
  • Não se pode esquecer, também, que na previdência complementar, como é na Previ, na Petros e em outros fundos de pensão brasileiros, haveria uma contribuição patronal, na relação de 1:1, na parte do salários superior ao teto, o que teria que ser considerado também. Um país com capacidade de investimento e, principalmente, com capacidade de investir em seus cidadãos. Um Estado brasileiro capaz de investir com seus próprios recursos e não depender dos recursos de outros países; um Estado brasileiro liberto do elevadíssimo nível de endividamento externo de hoje; um Estado brasileiro verdadeiramente previdenciário e não assistencialista como o atual; um Estado brasileiro que poderia tratar o cidadão como um indivíduo responsável capaz de prover o seu próprio sustento na velhice. Em resumo, ou damos esse salto qualitativo em nosso sistema previdenciário, ou mantemos a estrutura atual, estimulando a perpetuação do modelo de “dar o peixe”, e não o de “ensinar a pescar”  
  • Tão importante quanto autonomia é ter técnica e estratégia na aplicação dos recursos.
  • O atual momento da economia mundial evidencia uma das primeiras e principais lições da teoria econômica: os movimentos ocorrem em ciclos. Assim, é natural que um período de grande expansão mundial seja acompanhado por um processo de retração. Os desdobramentos por trás da desaceleração atual caracterizaram, principalmente, uma crise de confiança. As dúvidas em relação à resposta das principais instituições financeiras globais àquela que começou conhecida como a crise do subprime aumentaram a aversão ao risco e restringiram a liquidez ao redor do globo. A atuação conjunta dos principais bancos centrais globais, por sua vez, se mostrou capaz de garantir o bom comportamento dos mercados. Gradativamente, em conjunto com os pacotes de estímulos fiscais, o processo de flexibilização monetária restabelece a confiança e viabiliza a retomada dos investimentos. A grande diferença deste movimento está em seus atores principais: cada vez mais, o mundo passa a depender do fôlego dos emergentes para crescer.
  • Diretos (IED), que são voltados para o setor produtivo e tiveram ingressos de US$ 2,96 bi. Em 12 meses, o IED acumulou saldo recorde de US$ 50,82 bi. Bom resultado dos Investimentos Estrangeiros ENTRADA DE DÓLARES SUPERA US$ 30 BI. O fluxo cambial em março, até o último dia 11, foi positivo em US$ 7,43 bi, conforme dados do Banco Central. Com isso, o saldo líquido acumulado de entrada de moeda estrangeira no Brasil neste ano já chega a US$ 30,36 bi, volume 24,7% superior ao de todo o ano passado (OESP/FSP/VE/BE/OG).
  • A economia está aquecida, pois há crédito para o varejo e enorme mercado interno; O crédito bancário cresceu de 23% do PIB em 2003 para 48% em 2010 , com os prazos de financiamento para pessoas físicas aumentando de 300 para 500 dias no período
  • Os analistas financeiros são obrigados a montar estratégias de diversificação de investimentos baseados em medidas de rentabilidade e risco relativas a cada alternativa de investimento. Na verdade o melhor investimento de 2010 foram as commodities, lideradas pelo Ouro, que subiu mais de 30%. Isso ocorre porque o dinheiro está perdendo valor e diversos investidores mundo a fora recorreu a essa classe de ativos para proteger seu poder de compra. Taxas e Rentabilidades Dezembro 2010 Benchmarks CDI 0,93% 9,76% IBOV 2,36% 1,04% IBX 3,47% 2,61% IPCM 0,92% 6,09% IGPM 0,69% 10,84% IPCA 0,63% 5,91% DÓLAR -2,91% -4,32% EURO -0,38% -11,16% Fontes: Cetip, Bovespa, FGVdados, IBGE e Banco Central
  • Acabou o maná dos títulos públicos que têm baixa volatilidade, baixo risco e pagavam enorme rentabilidade. Impossibilidade de cumprir a META ATUARIAL , aquele retorno estabelecido de forma que o Fundo possa cumprir com os compromissos com seus segurados. Assumir maiores exposições. As gestões mais ativas de renda fixa entre títulos pré e pós - fixados para aproveitar o espaço na curva de juros, hedge com papéis atrelados à inflação e investimentos no mercado de crédito privado. APLICAR EM RENDA VARIÁVEL
  • O mercado financeiro se acostumou a chamar os efeitos desta atmosfera positiva de bolhas especulativas, criadas a partir do momento em que o único fator que sustenta o aumento dos preços é a entrada de novos participantes Como a capacidade de perpetuar este crescimento de demanda é limitada, é natural que o movimento desta espiral em algum momento chegue ao fim O primeiro registro de bolhas especulativas foi observado nos Países Baixos, no século 17, quando o comércio de tulipas ganhou grandes proporções com o surgimento de um vírus que atacava o bulbo, modificando a cor e a variedade das flores. De maneira geral, as mais cobiçadas apresentavam cores vívidas e pétalas flamejantes, garantindo às tulipas a imagem de artigo de luxo e símbolo de status social. O número crescente de participantes deste mercado permitiu o desenvolvimento de um comércio baseado em padrões de qualidade, com a cor e a escassez determinando as diferenças de preços. Dessa forma, com as variedades mais raras sendo disputadas por membros das altas classes, os preços rapidamente dispararam – no auge deste período, tulipas chegaram a ser trocadas por terras e casas nas principais cidades da região. Por outro lado, nem tudo eram flores – o rápido crescimento da demanda deu origem também a negociações envolvendo bulbos recém-plantados ou que ainda viriam a ser plantados, naquele que ficou conhecido como windhandel ou negócio de vento, com os vendedores se comprometendo a entregar um bulbo de certo tipo e peso na primavera seguinte. Como não demorou para a maior parte das transações passar a ser realizada com base em bulbos de tulipa que não existiam e não poderiam ser entregues, a primeira bolha especulativa que se tem conhecimento logo veio a estourar. Como resultado, além de um grande número de demandas judiciais, o que se viu foi a ruína financeira de diversos participantes – muitos deles apenas especulando em busca de lucros fáceis. O que antes foram tulipas nos Países Baixos, já corresponderam a obras de arte no Reino Unido ou ações de empresas de tecnologia nos Estados Unidos. O que muda entre estas situações é apenas uma característica: o objeto de desejo dos especuladores. A guinada em relação aos resultados de 2008 é indiscutível. Enquanto a rentabilidade média acumulada pelas entidades pesquisadas ficou em 2,85% no ano passado, contra 12,37% de variação do CDI, a performance do primeiro trimestre deste ano aponta rentabilidade média de 4,12% frente a 2,90% do CDI. “Todos os fundos superaram suas metas atuariais no período.” Reflete também uma leitura de retomada mais rápida para as economias dos países emergentes, particularmente os BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China).
  • A Andrea, de Curitiba, me pergunta se deve optar por uma carteira carregada em ações na sua previdência privada. A resposta é: depende. Depende do tempo que falta para se aposentar. Estando distante da aposentadoria é recomendável investir o máximo que puder em ações. Rende mais que títulos públicos no longo prazo. Mas, também, porque haverá tempo, antes de atingir a idade para a aposentadoria, de recuperação de perdas que porventura ocorram. Agora, quanto mais tempo tivermos de investimento e quanto mais próximo da aposentadoria, menos riscos devemos correr. Nos PGBLs e VGBLs, podemos chegar a 49% dos recursos aplicados em ações. Devemos fazê-lo no momento em que aderimos ao plano. E, ao longo do tempo, reduzimos gradativamente esse percentual. Mesmo assim, mesmo próximos da aposentadoria, sempre é recomendável ter uns 10% aplicados em ações. Não tem jeito: maior rentabilidade exige risco maior. Mas, cá entre nós, não há muito risco em investir numa Petrobrás ou numa Vale do Rio Doce. A não ser que admitamos que o mundo não vá mais precisar de petróleo ou minérios e que elas não sejam competitivas mundialmente.  
  • Benjamin Graham, “investimento é uma aplicação que, após análise completa, garante a segurança do principal e um retorno adequado. Operações que não satisfazem esses requisitos são especulativas”. O olhar do investidor, ao se voltar para os fundamentos de cada companhia e privilegiar a compra de ativos por preços abaixo dos valores intrínsecos de cada um, garante uma acumulação de capital com margens de segurança adequadas, sem depender de ganhos gerados por alterações na direção do mercado – as quais apenas maximizam os retornos auferidos. A distinção entre investimento e especulação é essencial para compreender o atual comportamento dos agentes de mercado. Estes agentes aproveitam os exageros dos demais para comprar bons ativos por preços mais baixos e maximizar o potencial de valorização e a geração de renda através de dividendos e juros sobre capital próprio. Observa-se a grande atratividade de empresas pouco alavancadas e com boa geração de fluxo de caixa dentro do cenário atual, sendo importante perceber a principal característica em comum entre elas: a grande exposição ao mercado interno. O atual momento da economia global reserva boas perspectivas às economias emergentes e garante ao Brasil um papel importante neste processo. Déficit fiscal em constante elevação e de uma gradativa redução da poupança, em linha com o maior endividamento das famílias. Já é certo, porém, que estes dois aspectos irão mudar. A declaração de Obama deixa claro que os cidadãos americanos deverão reaprender o hábito de poupar e evidencia o inevitável esforço fiscal que deverá ser visto ao longo dos próximos anos.
  • Uma empresa recrutava um substituto para o gerente geral. A pergunta principal do exame era: noite de tempestade, você dirigindo teu carro e, ao passar num ponto de ônibus, vê três pessoas encharcadas. Percebe que são: tua mãe que, você sabe, está adoentada, o médico que salvou tua vida no ano passado e o teu grande amor, que não via há anos. No carro, só cabe mais uma pessoa. A qual você daria carona e por quê? Como teste de personalidade, cada resposta tinha sua razão de ser. Você poderia pegar tua mãe doente. Ficaria com a consciência tranqüila. Ou o médico. Afinal, salvou tua vida e seria ótima chance de demonstrar gratidão. Mas talvez não encontrasse mais o amor da tua vida, se deixasse passar aquela oportunidade. Dentre 200 candidatos, o escolhido nem precisou justificar sua resposta. Disse: "eu daria a chave do carro para o médico e pediria para ele levar minha mãe doente para o hospital. E ficaria esperando o ônibus na chuva com a mulher dos meus sonhos". É, decisões sábias exigem reflexão sobre todas as possibilidades e consideração com todos os envolvidos.  
  • Somos responsáveis pelo que fazemos, pelo que não fazemos e por aquilo que impedimos de ser feito . Albert Camus, escritor argelino. Pessimista é aquela pessoa que reclama do barulho quando a oportunidade bate à sua porta. O covarde nunca tenta, o fracassado nunca termina e o vencedor nunca desiste. Norman Vincent Peale, escritor americano. Sempre se ouvirão vozes em discordância, expressando oposição sem alternativa, descobrindo o errado e nunca o certo, encontrando escuridão em toda parte e procurando exercer influência sem aceitar responsabilidade. John F. Kennedy. O êxito foi sempre filho da ousadia. Nunca temas formar nas minorias; as maiorias erram em quase todos os casos. A prudência é o medo caminhando na ponta dos pés. O que não quer raciocinar é um fanático, o que não sabe raciocinar é um tolo e o que não se atreve a raciocinar é um covarde.
  • Mencionar o inesperado. “Se isso acontecer hoje com vc, como fica sua família?” Se tudo der certo, absolutamente certo na nossa vida, a única certeza que temos é que vamos envelhecer e morrer. Aliás, nascer é somente começar a morrer. Apesar disso, muitos vivem a vida como se fossem eternos. Julgam-se inatingíveis por qualquer fatalidade, apesar dos casos que acompanhamos diariamente no Jornal Nacional nos lembrarem acerca de nossa vulnerabilidade. Por isso, me recuso a aceitar que uma pessoa esclarecida não pense no futuro. Se não no seu, no de sua família. Daqueles que ficarão no caso de nossa partida. Previdência é para isso. Agora pergunto: você ouvinte está realmente se preparando para a velhice ou para deixar sua família amparada?
  • Apresentacao renato follador macae

    1. 1. PLANEJAMENTO A LONGO PRAZO www.renatofollador.com.br - renatof@jmalucelli.com.br / (041)3351-9963
    2. 2. Fundos de Pensão no Mundo Em bilhões de US$ – 2008/2009 1 Government Pension Investment Japão 1,315,071 2 Government Pension Fund Noruega 475,859 3 ABP Holanda 299,873 4 National Pension Coréia 234,946 5 Federal Retirement Thrift E.U.A 234,404 6 California Public Employees E.U.A 198,765 7 Local Government Officials Japão 164,510 8 California State Teachers E.U.A 130,461 9 New York State Common E.U.A 125,692 10 PFZW Holanda 123,390 ... 25 Previ Brazil 81,745
    3. 3. Fundos de Pensão - Participação Hotéis e Resorts Portos Hospitais Rodovias
    4. 4. PIB 5,1% 10,7% 9,2% 6,7% Poupança Interna 47,8% 17% 33,5% 30,3% Carga Tributária 16% 38% 31% 17% Crescimento 2007 Em trilhões de US$ 3,66 1,53 1,58 8,88 Crescimento Econômico – Países Emergentes
    5. 5. Fonte: Consolidado Estatístico ABRAPP – Dezembro/10 Patrimônio Fundos Previdenciários Brasil R$ Mil Fonte: MPS – DRAA”s incluidos até maio/2011 (*) Revista ABIPEM – março/abril 2011 PRIVADOS 1 PREVI 152.806.747 2 PETROS 55.686.014 3 FUNCEF 43.641.664 4 FUND. CESP 18.605.860 5 VALIA 13.561.035 6 ITAUBANCO 11.978.047 7 SISTEL 11.472.229 8 BANESPREV 9.752.416 9 FORLUZ 8.882.201 10 CENTRUS 8.423.055 ... ... ... Total 538.417.000 RPPS ESTADOS MUNICÍPIOS 1 PR 10.290.217 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP 1.246.891 2 MA 2.204.517 JOINVILLE-SC 1.034.979 3 TO 1.683.647 CURITIBANOS-SC 813.889 4 AP 1.182.538 INDAIATUBA-SP 731.888 5 PA 810.560 JUNDIAÍ-SP 614.132 6 RR 730.917 MANAUS-AM 492.364 7 AM 491.620 SÃO SEBASTIÃO-SP 461.083 8 RO 478.615 MACAÉ-RJ 453.491 9 ES 336.204 UBATUBA-SP 448.466 10 RN 213.922 CURITIBA-PR 429.720 ... ...   ... ...   ... Total Acima de R$ 100 bilhões (*)
    6. 6. A Importância do Planejamento
    7. 7. A Importância do Planejamento
    8. 8. RGPS/INSS
    9. 9. Fonte: Divisão de Programação Financeira do INSS e IBGE (Dez/2010) 10,1 12,8 17,0 26,0 32,7 37,4 42,0 46,0 36,2 43,6 44,0 Déficit do INSS em R$ bilhões Receita e Despesa em relação ao PIB
    10. 10. INSS- Benefícios Emitidos (jan/11) Assistenciais Rurais Urbanos : DATAPREV, SUB, SINTESE. Elaboração: SPS/MPS. Obs.: A existência de benefícios com valores inferiores ao salário mínimo deve-se ao desmembramento de pensões e ao pagamento de benefícios como o salário-família, o auxílio suplementar, o auxílio acidente e o abono de permanência. 19,3 milhões - 68,7% DOS APOSENTADOS RECEBEM ATÉ 01 SALÁRIO MÍNIMO
    11. 11. $$$ CONTA INSS $$$ <ul><li>Método do RGPS/INSS </li></ul><ul><li>Não Constitui Reserva </li></ul><ul><li>Contribuição para o Pagamento dos Benefícios no Período </li></ul><ul><li>Custo Crescente </li></ul>Financiamento por Repartição Simples
    12. 12. Estudo de caso - Repartição simples Passado Presente Futuro 3.689,66 R$ 31% 1.143,79 R$ R$ 31% R$ R$ R$ 31% R$ 258,29 R$ 3.689,66 R$ 31% 885,50 R$ 3.689,66 R$ 31% 1.143,79 R$ 3.689,66 R$ 3.689,66 R$ 31% 1.143,79 R$ 516,58 R$ 3.689,66 R$ 31% 3,23 1 3,23 1 3.689,66 3.689,66 3.689,66 1.143,79 1.143,79 database: janeiro/2.011
    13. 13. CURITIBA Evolução Relação Ativos/Inativos JAN/97 PERCENT. DEZ/04 PERCENT. DEZ/09 PERCENT. ATIVOS 22.332 83 % 25.133 79 % 33.039 78,8 % INATIVOS 3.231 12 % 5.272 17 % 6.958 16,6 % PENSIONISTAS 1.320 5 % 1.320 4 % 1.922 4,6% TOTAL 26.883 100 % 31.725 100 % 41.919 100 % RELAÇÃO ATIVO X INATIVO 4,9 3,8 3,7
    14. 14. Demografia Brasil-Relação de Dependência 1980 2010 2040 Fonte: IBGE/Diretoria de Pesquisas. Projeção da População do Brasil por Sexo e Idade para o período 1980-2050 – Revisão 2008. Projeção da evolução da população brasileira Fonte: IBGE – Diretoria de Pesquisas. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Projeção da população do Brasil por sexo e idade 1980-2050: Revisão 2004 – Metodologia e Resultados. Ano População total Menor de 16 anos % De 16 a 59 anos % Acima de 60 anos % 2000 171.279.882 31,9 60 8,1 2010 196.834.086 28,6 61,60 9,8 2020 219.077.729 25,7 61,40 12,9 2030 237.737.676 22,7 60,30 17 2040 251.418.006 20,7 58,60 20,7 2050 259.769.964 19,1 56,30 24,7
    15. 15. Fonte: IBGE Expectativa de Sobrevida Expectativa de Sobrevida no Brasil (1930/2007) 1930/40 1970/80 2002 2006 2007 IDADE Homem Mulher Homem Mulher Homem Mulher Homem Mulher Homem Mulher 50 18 20 22 24 26,1 30 26,5 30,6 26,6 30,8 55 16 17 19 21 22,4 25,9 22,8 26,4 22,9 26,6 60 13 14 16 17 19 21,9 19,3 22,4 19,4 22,6 65 11 11 13 14 15,8 18,3 16,1 18,7 16,2 18,8 70 8 9 11 11 13 15 13,2 15,3 13,3 15,4
    16. 16. Albert Einstein, físico 1931, aos 52 anos Agatha Christie, escritora 1962, aos 72 anos Jacques Cousteau, pesquisador 1976, aos 66 anos Marcelo Tas, apresentador 2009, aos 50 anos Yoná Magalhães, atriz 2009, aos 74 anos Caetano Veloso, cantor 2009, aos 67 anos A velhice mudou
    17. 17. 9,3 2,6 Fonte: Febraban 2010 Mercado de Trabalho 60 anos 20 anos 30 anos 10 anos 4,5 4,4
    18. 18. Necessário mais 8 anos para alcançar o teto Simulação Fev/09 Valor do Benefício = REDUÇÃO DE 41% Benefício = R x f x Id + Tc x 0,31 100 Tc x 0,31 f = Es 1+ Impacto do Fator Previdenciário Regime Geral de Previdência Social Tempo de contribuição Idade Fator Previdenciário Valor do benefício 35 53 0,6682 R$ 2.183,25 36 54 0,7140 R$ 2.333,14 37 55 0,7628 R$ 2.492,59 38 56 0,8148 R$ 2.662,27 39 57 0,8701 R$ 2.842,97 40 58 0,9290 R$ 3.035,56 41 59 0,9919 R$ 3.241,04 42 60 1,0590 R$ 3.460,48 43 61 1,1308 R$ 3.689,66
    19. 19. Aposentadoria em SM TETO SM 6,91 SM FEV/09 10 ANOS 175,00% 246% AO ANO 10,6% 13,2% DIF. ANUAL 2,32%
    20. 20. Para s erv idores sem direito adquirido e aos que ingressaram no serviço público após 30/12/03 Benefícios-Regras Permanentes 1. CRITÉRIO DE ELEGIBILIDADE <ul><li>a) Idade e Tempo de Contribuição </li></ul><ul><li>60 de idade e 35 de contribuição </li></ul><ul><li>55 de idade e 30 de contribuição </li></ul><ul><li>Obs: Professores têm redução de 5 anos </li></ul><ul><li>b ) Carência de Serviço Público </li></ul><ul><li>10 anos de serviço público; </li></ul><ul><li>05 anos no cargo. </li></ul>2. COMPOSIÇÃO E MANUTENÇÃO DE BENEFÍCIOS a) Proventos Integrais b) Valor Inicial do Benefício Fixado pela média de todas as remunerações do período ativo . c) Reajuste Sem i sonomia ou paridade , apenas reajuste para preservação do valor real. d) Contribuição Previdenciária Incide sobre valor dos proventos superior ao teto do RGPS 3. FUNDAMENTAÇÃO Art. 40 o , § § 1 o , III, “a”, 3o, 8o e 17 da CF com redação da da pela EC n o 41. 4. ABONO DE PERMANÊNCIA Os servidores que atendendo aos requisitos acima, permaneceram em atividade obtiveram isenção da contribuição previdenciária.
    21. 21. Regime Próprio Regime Geral Possibilidade de receber uma aposentadoria igual ao último salário, dependendo da data do concurso público. Aposentadoria limitada ao teto do INSS R$ 3.689,66 Possibilidade de Isonomia e Paridade na correção dos benefícios. Aposentadoria mantém somente seu poder aquisitivo pela correção da inflação pelo INPC. Atendimento personalizado, feito por colegas de trabalho, em um Instituto de Previdência. Conforto, eficiência, agilidade e segurança. Muitas reclamações quanto ao atendimento precário, pelo número de servidores insuficientes. Filas, greves e outros inconvenientes quando se trata de atendimento ao cliente. Financiamento feito pelo sistema de Capitalização. Há reservas. Contribuição dos atuais ativos preservada num Fundo personificado juridicamente, blindado. Garantia no recebimento da aposentadoria (capitalização = segurança). Financiamento por Repartição Simples. Não há reservas. Contribuição dos atuais ativos é gasta no mesmo mês para pagar os atuais aposentados. Incerteza no recebimento da aposentadoria (desequilíbrio = risco) Participação dos próprios segurados servidores públicos da unidade federativa na gestão (garantia legal). Informação, transparência e participação nas decisões que dizem respeito à categoria profissional. Gestão feita por terceiros (agentes públicos do INSS), não se tem poder de negociação e dificuldade de acesso a informações. Não há o Fator Previdenciário Há o Fator Previdenciário Informações disponíveis e confiáveis Desinformação Existência de Auxílio Reclusão Inexistência de Auxílio Reclusão Auxílio-Doença Integral (100%) Auxílio-Doença 91%
    22. 22. Modelagem
    23. 23. Taxa de Administração Alíquota de Contribuição Necessidade de Reservas a cada momento SISTEMA CÁLCULO ATUARIAL Regimes Próprios Capitalizados – Base Atuarial Legislação Específica EC 20, 41 e 47, Portaria 4.882 e legislação específica do Estado ou Município Elenco dos Benefícios oferecidos Aposentadorias (Tempo de Contribuição, Idade, Invalidez, Compulsória), Pensão e Auxílios (Doença, Maternidade, Reclusão e Salário Família) Hipóteses Atuariais (Financeiras e Biométricas) Natalidade, Mortalidade, Longevidade, Entrada em Invalidez, Turnover, Taxa de Juros, Crescimento Econômico e Salarial, Inflação Dados Cadastrais na data base Matrícula, Data de Nascimento, Sexo, Data de Admissão, Tempo em Outros Regimes, Salário de Contribuição e de Benefício, Dependentes.
    24. 24. <ul><li>Constitui Reserva </li></ul><ul><li>(Patrimônio) </li></ul><ul><li>Contribuição Antecipada </li></ul><ul><li>em Relação ao Pagamento </li></ul><ul><li>dos Benefícios </li></ul><ul><li>Custo Nivelado </li></ul><ul><li>Método dos Fundos de Pensão </li></ul><ul><li>Ativos Inativos </li></ul><ul><li>: 10 10/1 </li></ul><ul><li>95 : 15 6,3/1 </li></ul><ul><li>: 15 6,7/1 </li></ul><ul><li>150 : 15 10/1 </li></ul>Regimes Financeiros 5,3% 58,0% Ativos Inativos Rel. 100 10 10/1 95 15 6,3/1 100 15 6,7/1 150 15 10/1
    25. 25. Regime de Capitalização CONTRIBUIÇÃO R$ BD R$ UM BENEFÍCIO MENSAL DE R$1.000,00 POR 240 MESES (20 ANOS) TAXA DE JUROS = 0 % aa => R$ 240.000,00 TAXA DE JUROS = 6 % aa => R$ 141.384,00 TAXA DE JUROS = 9 % aa => R$ 113.991,00 TAXA DE JUROS = 13 % aa => R$ 89.209,00 ATIVO LÍQUIDO 20 anos FASE DE REALIZAR CONTRIBUIÇÕES FASE DE RECEBER BENEFÍCIOS PASSIVO ATUARIAL 85 anos Juros Juros Valor do benefício 55 anos CONTRIBUIÇÃO MENSAL EM 240 MESES (20 ANOS) PARA UM BENEFÍCIO INICIAL MENSAL DE R$1.000,00 TAXA DE JUROS = 0 % aa => R$ 709,00 TAXA DE JUROS = 6 % aa => R$ 375,00 TAXA DE JUROS = 9 % aa => R$ 267,00 TAXA DE JUROS = 13 % aa => R$ 166,00
    26. 26. <ul><li>FUNDO PREVIDENCIÁRIO ATIVOS </li></ul><ul><li>Homens até 50 anos/Mulheres até 45 </li></ul><ul><li>Admitidos após 16/12/1.998 </li></ul><ul><li>Futuros Concursados </li></ul><ul><li>CAPITALIZAÇÃO </li></ul><ul><li>FUNDO FINANCEIRO INATIVOS, PENSIONISTAS E ATIVOS </li></ul><ul><li>Homens acima de 50 anos/Mulheres acima 45 </li></ul><ul><li>Admitidos até 15/12/1.998 </li></ul><ul><li>REPARTIÇÃO </li></ul>CHINESE WALL Plano de Custeio - Modelagem <ul><li>SEGREGA Ç ÃO DA MASSA </li></ul><ul><li>INICIAR CAPITALIZAÇÃO </li></ul>
    27. 27. 0 500 1.000 1.500 2.000 2.500 2000 2003 2006 2009 2012 2015 2018 2021 2024 2027 2030 2033 2036 2039 2042 2045 2048 2051 Fundo Financeiro Fundo Previdenciário sem a Segregação RECURSOS PARA SAÚDE, SEGURANÇA E EDUCAÇÃO Segregação-Despesas Previdenciárias por Fundos
    28. 28. Os Três Pilares REGIME PRÓPRIO Tesouro Estadual 1º 3º FUNDO DE PREVIDÊNCIA REPARTIÇÃO CAPITALIZAÇÃO FUNDO DOS MILITARES FUNDO FINANCEIRO 2º
    29. 29. 2,3% 77,5% 20,2% Segregação da Massa- Exemplo
    30. 30. Gráfico XIII No gráfico XIII, comparam-se as despesas do Governo do Estado de Alagoas em relação ao financiamento do seu RPPS da situação atual e na proposta neste estudo. Engenharia Atuarial
    31. 31. BD CAP CD CAP BD REP ATUAIS NOVOS NOVA EMENDA CONSTITUCIONAL BD BD REP BD REP ATUAIS NOVOS CD CAP Serv.Ativo 11% Serv.Ativo +11% Serv.Ativo +11% REMUN. ACIMA DO TETO Estado +11% Estado +11 % ANTES EC 41 TETO (R$ 3.689,66) BD CAP ATUAIS IDEAL Ameaça quanto à Modelagem
    32. 32. <ul><li>Blindagem </li></ul><ul><li>Solidez </li></ul><ul><li>Profissionalismo </li></ul><ul><li>Representatividade </li></ul><ul><li>Responsabilidade </li></ul><ul><li>Autonomia </li></ul>
    33. 33. Civil Militar GOVERNADOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA MINISTÉRIO PÚBLICO ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Art. 29. O Conselho Deliberativo será composto por 09 (nove) membros efetivos e seus respectivos suplentes , os quais serão nomeados pelo Governador do Estado, devendo ser escolhidos dentre pessoas idôneas e com formação de nível superior , observado o seguinte: CONJUNTO DE ENTIDADES REPRESENTATIVAS DOS SERVIDORES ESTADUAIS E DOS MILITARES MANDATO ENCERRA COM O TÉRMINO DO MANDATO DA AUTORIDADE QUE LHES INDICOU MANDATO DE 4 ANOS 1º MANDATO DE 2 ANOS DEMAIS MANDATOS DE 4 ANOS Representatividade FUNDOS DE PENSÃO
    34. 34. QUADRO COMPARATIVO DE ESTRUTURAS DE GESTÃO CRITÉRIOS ÓRGÃO GESTOR DEPARTAMENTOS AUTARQUIAS AUTARQUIAS ESPECIAIS FUNDAÇÕES SERVIÇOS SOCIAIS AUTÔNOMOS Posicionamento na Estrutura Administrativa Administração Direta Administração Indireta Administração Indireta Administ. Indireta Administ. Para-estatal Forma de Criação Lei ou Decreto Lei Lei Lei Lei Autonomia de Gestão Não Possui Parcial, com controle direto pela Secretaria. Ampliada, mediante Contrato de Gestão Parcial, com controle direto pela Secretaria. Reduzida, mediante Contrato de Gestão Personalidade Jurídica Direito Público Direito Público Direito Público Direito Público* Direito Privado Estrutura de Gestão Simplificada Simplificada e Hierarquizada Simplificada e Hierarquizada Simplificada e Hierarquizada Complexa e Corporativa Relação de Trabalho Estatutária. Concurso Público Estatutária. Concurso Público Estatutária. Concurso Público Estatutária. Concurso Público Celetista. Processo Seletivo Contratação de Terceiros Não contrata Licitação Licitação Licitação Regulamento Próprio * Alguns doutrinadores reconhecem a existência de Fundações de Direito Privado.
    35. 35. Gestão Financeira de Regime Próprio de Previdência Social Conceitos e Limites
    36. 36. Retorno Renda Fixa Renda Variável Multimercado Res. 3.922/10-Limites de Aplicações Segmento Máximo Renda Fixa Renda Variável 100% 30%
    37. 37. Limites de Aplicações por Mercado Segmento Investimento 3.790 3.922 Observação Renda Fixa Títulos Públicos Federais 100% 100% Registrados no Selic Fundos com Benchmark IMA ou IDkA compostos somente por Títulos Públicos - 100% Sob a forma de condomínio aberto Fundos de Renda Fixa com Benchmark IMA ou IDkA - 80% Sob a forma de condomínio aberto Fundos Previdenciários de Renda Fixa 80% - Sob a forma de condomínio aberto Fundos de Renda Fixa 30% 30% Sob a forma de condomínio aberto Poupança 20% 20% Instituição com Baixo Risco de Crédito Operações Compromissadas 15% 15% Lastreadas em Títulos Públicos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios Abertos 15% 15% 15% no consolidado de FIDC’s e Crédito Privado Fundos de Investimento em Direitos Creditórios Fechados 5% 5% 15% no consolidado de FIDC’s e Crédito Privado Fundos de Investimento em Crédito Privado com Baixo Risco de Crédito - 5% 15% no consolidado de FIDC’s e Crédito Privado
    38. 38. Limites de Aplicações por Mercado Segmento Investimento 3.790 3.922 Observação Renda Variável Fundos Referenciados de Ações - 30% Somente Ibovespa, IBrX e IBrX-50 Fundos Previdenciários de Ações 30% - Sob a forma de condomínio aberto Fundos de Índices de Ações 20% 20% Somente Ibovespa, IBrX e IBrX-50 Fundos de Ações 15% 15% Sob a forma de condomínio aberto Fundos Multimercado 5% 5% Sem alavancagem Fundos de Investimento em Participações 5% 5% Sob a forma de condomínio fechado Fundos de Investimento Imobiliário 5% 5% Com cotas negociadas em Bolsa 2.651/2.652- 0% 3.244 - 20% 3.506 - 30%
    39. 39. Cenário Econômico e Social
    40. 40. Cenários
    41. 41. Emprego e Renda
    42. 42. Política de Investimentos
    43. 43. TAXA NOMINAL = 12,5% INFLAÇÃO = 6,0% TAXA REAL = 6,13% Ameaça quanto à Gestão Financeira <ul><li>CONCLUSÃO </li></ul><ul><li>Quanto menor a SELIC, maior o fluxo de recursos para os fundos de ações. </li></ul><ul><li>Os fundos que aplicarem 100% de seus patrimônios em títulos, com rendimentos próximos a taxa SELIC, poderão não cumprir a meta atuarial de 6% a.a. </li></ul><ul><li>Portanto, é preciso diversificar os investimentos, alocando parte do patrimônio em renda variável. </li></ul>
    44. 44. Oscilações Ibovespa Período Máxima Mínima Variação 1997/98 2008 14.005 73.920 4.575 29.438 -67,33% -60,18%
    45. 45. Investimentos Principais tipos de investimento e suas características Tipo de investimento Rentabilidade Risco Liquidez Ações de grandes empresas Média Médio Alta Ações small caps Alta Alto Média CDB/RDB Baixa Muito baixo Média Debêntures Média Baixo Média Derivativos Muito alta Muito alto Alta Dólar ou outras moedas Média Alto Muito alta Fundos de Ações Alta Médio Alta Fundos de Private Equity Alta Alto Baixa Fundos de renda fixa Baixa Baixo Média Fundos multimercados Média Médio Média Imóveis Média Baixo Muito baixa Obras de arte e antiguidades Baixa Médio Muito baixa Ouro Média Médio Alta Poupança Muito baixa Muito baixo Muito alta Previdência Privada Média Baixo Média Títulos públicos Baixa Baixo Alta
    46. 46. Fonte: Economática Elaboração: Paraná Banco Asset Management Ibovespa: Janelas de Tempo (1994 – 2009)
    47. 47. Rentabilidade dos Fundos de Pensão   2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Carteira 30,01% 21,07% 19,05% 23,45% 25,88% -1,62% 21,5%               Renda Fixa 24,55% 17,95% 15,60% 16,03% 14,73% 12,89% 11,9% Renda Variável 50,88% 30,40% 28,46% 40,74% 49,82% -27,05% 45,5% Outros 14,98% 13,74% 13,2% 15,35% 15,73% 18,46% 15,05%               INPC + 6% 17,01% 12,50% 11,35% 8,98% 11,47% 12,87% 10,36%
    48. 48. BD 70% 30% RF RV BD 72% 28% RF RV CONTRIBUIÇÕES + OPERAÇÃO 1 MÊS APÓS BD 70% 30% RF RV VALORIZAÇÃO CARTEIRAS Ações Dividendos Ações Dividendos Ações Dividendos Estratégia Ativa de Investimento
    49. 50.                                                                               31/10/2004 Total Disponível dos Investimentos                Sem CFTs                         Com CFTs      Recursos Fundo Previdenciário           868.733.095,00                3.074.651.654,26                                                                                    31/12/2009       Recursos Fundo Previdenciário         3.841.468.608,00               4.871.017.410,81 Custo de Oportunidade: R$ 913.751.942,48 Paranaprevidência Custo de Oportunidade Período Resolução Limite Selic Ibovespa Diversificado Custo de Oportunidade Período Acumulado Período Acumulado Período Acumulado Período Acumulado De 28/10/2004 a 26/10/2007 3.244 20% 55% 55% 180% 180% 80% 80% 25% 25% De 26/10/2007 a 24/9/2009 3.506 30% 23% 91% -7% 162% 14% 105% -9% 15% De 24/9/2009 a 31/12/2009 3.790 30% 2% 95% 14% 199% 6% 117% 4% 23%
    50. 51. <ul><li>Processo de Avaliação e Pontuação da Instituição Financeira </li></ul><ul><ul><li>Qualitativa (Peso 60%) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Volume administrado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Administração de patrimônio Institucional </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Risco </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Rentabilidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Custo (taxa de administração) </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Quantitativa (Peso 40%) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Qualificação Técnica (currículo dos profissionais) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Serviços agregados (comunicação) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Relatórios </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Experiência (tempo administrando bens de terceiros e previdência pública ou privada) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Política de Segregação (Chinese Wall) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Modelo de Gestão de Carteiras </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Políticas de Risco de Crédito </li></ul></ul></ul>Credenciamento de Instituições para os Regimes Próprios de Previdência
    51. 52. <ul><li>A due dilligence objetiva levantar e analisar informações que possibilitam a compreensão da situação da Instituição ou Fundo analisado. As informações recolhidas por meio do processo de credenciamento e due dilligence devem avaliar: </li></ul><ul><li>Credibilidade das Instituições Financeiras – “A empresa ou algum de seus dirigentes já foram punidos pela CVM ou pelo Banco Central? Se positivo, informar o número do processo.” (Questionário Due Dilligence para Fundos de Investimento – Anbima, Seção I, Questão 9.2) </li></ul><ul><li>Idoneidade e desempenho da equipe de gestão – “De que forma o desempenho dos gestores e dos fundos é avaliado?” (Questionário Due Dilligence para Fundos de Investimento – Anbima, Seção I, Questão 7.3.9) </li></ul><ul><li>Desempenho e características dos fundos de investimento – “Descreva o Fundo no que tange à estratégia, ao objetivo de rentabilidade e à política de investimento.” (Questionário Due Dilligence para Fundos de Investimento – Anbima, Seção II, Questão 2.1.1) </li></ul><ul><li>O Questionário Due Dilligence para Fundos de Investimento – Anbima possui perguntas direcionadas à melhor compreensão sobre a Instituição Financeira e, especificamente, os Fundos de Investimento por ela geridos e pode ser utilizado como parâmetro de questões no credenciamento das Instituições. </li></ul>Due Dilligence
    52. 53. Custos de Gestão
    53. 54. Renato Follador Fone: (41) 3351-9963 [email_address]

    ×