Chaucer

3.711 visualizações

Publicada em

Biografia - Chaucer

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Esta é uma linda flor!
  • Chaucer

    1. 1. 1340 / 1344 – 1400
    2. 2. 10.000 - 6.000 a.C. – Evidências arqueológicas demonstram a presença do homem nas terras que encontravam-se ainda unidas ao continente.      1.200 - 600 a.C. – Os povos Celtas (Galeses, Gauleses, Galegos, Lusitanos, Belgas e Batavos) se estabelecem na Europa e ilhas britânicas, marcando sua presença na Europa por cerca de oito séculos, antes de sua quase completa assimilação pelo Império Romano.       55 e 54 a.C. - Primeiras incursões romanas de reconhecimento, sob o comando de Júlio César.       44 d.C. - Legiões romanas, na época do Imperador Claudius, invadem e anexam a principal ilha britânica.       50 d.C. - Os romanos fundam Londinium às margens do Tâmisa.       410 d.C. - Legiões romanas se retiram das ilhas britânicas para defender Roma de ataques dos Bárbaros. Linha do Tempo Stonehenge no planalto de Salisbury circunferência de 115m de diâmetro
    3. 3.       450 - 550 d.C. - Tribos germânicas (anglos, saxões, jutos e frísios) se estabelecem na Bretanha após a saída das legiões romanas. 465 d.C. - Suposta data de nascimento do lendário Rei Artur.       597 d.C - Chegada de Santo Agostinho e seus missionários para converter os anglo-saxões ao cristianismo. Inicia o primeiro período de influência do latim na língua anglo-saxônica.       787 - 1000 d.C - Ataques escandinavos (Vikings).       871 d.C. - Coroação do rei Alfred, rei dos saxões do oeste, reconhecido como rei da Inglaterra após ter expulsado os Vikings.      1066 d.C. - Batalha de Hastings, em que os franco-normandos, liderados por Guilherme, conquistam a Inglaterra dando início a um período de 350 anos de forte influência francesa.   1204 d.C. - Rei John, entra em conflito com o Rei Philipe da França, e perde o Ducado da Normandia e o Condado de Anjou .   Guilherme
    4. 4. . 1215 d.C. Os ingleses impõem a Magna Carta ao Rei John, limitando seus poderes e cria-se um parlamento. 1312 Nasce Boccaccio e o pai de Chaucer. 1327 Eduardo III assume o trono aos 14 anos e um ano após casa com Philippa de Hainault. 1337 Inicia-se invasão fracassada da França (guerra dos Cem Anos) que levará, no futuro, a uma disputa interna pelo poder entre as famílias York e Lancaster, chamada guerra das rosas. 1340 -1344 Nasce Chaucer e Eustache Deschamps (1340). 1348 – Peste Negra chega à Inglaterra. 1359d.C. Ingleses invadem a França, Chaucer é escudeiro de Lionel. 1485 d.C. Henrique VII restabelece a paz e inicia a dinastia Tudor. Durovernum Cantiacorum - Romana (300 d.C) Durwhern (em Celta) latinizado para Durovernum (rio rápido), é o rio Stour. Cantiacorum, isto é, dos povos de Cantiaci ou de Kent.
    5. 5. Até a invasão normanda de 1066 o franco-normando não fazia parte da língua na Bretanha saxônica, mas os ingleses sempre assimilaram as palavras estrangeiras, adaptando-as e tornando sua para expressarem-se corretamente na falta de um vocábulo adequado. Até a época de Chaucer ainda co-existiam três idiomas escritos e falados Nobreza – utilizava o franco-normando. Clero – utilizava o latim. Povo – utilizava o saxão. Cantwaraburg - Saxã (750 d.C)
    6. 6. Eduardo III subiu ao trono com catorze anos, depois da abdicação forçada do seu pai Eduardo II. Pela linhagem da mãe declarava- se sucessor do rei da França, mas a Lei Sálica foi utilizada pelos franceses para evitar essa possibilidade, criando as condições para a Guerra dos Cem Anos. Os conflitos entre os diversos ramos da sua descendência deram origem à Guerra da Rosas, onde os seus netos das casas de York e Lancaster disputaram a coroa numa sangrenta guerra civil. Eduardo III e seus filhos lutaram na França e Espanha e na primeira incursão, o pai de Chaucer participou ao lado de Eduardo III. John de Gaunt, quarto filho de Eduardo III, nunca obteve vitórias que o tornasse festejado como herói pelo povo Inglês e mais tarde isso tornou-se um problema político. Em 1359 o terceiro filho de Eduardo III, Lionel de Antuérpia, durante o assédio à cidade de Reims teve o escudeiro capturado pelo inimigo que foi libertado após o pagamento de um resgate pelo rei Eduardo III. Esse escudeiro era Geoffrey Chaucer. Canterbury - Normanda (1170 d.C)
    7. 7. Richard de Bordeux (Ricardo II), neto de Eduardo III assumiu o trono (1377) com a morte de Eduardo III, pois seu pai, Eduardo Plantageneta (Príncipe Negro), Príncipe de Gales, Duque da Cornualha e Aquitânia havia falecido no ano anterior (1376). John de Gaunt além de ter uma fortuna equivalente à do monarca, com 30 castelos e terras na França, torna-se o homem mais influente da corte controlando o governo pois Ricardo II está com 10 anos. Henrique, filho de John de Gaunt com sua prima Blanche, Duquesa de Lancaster, nasceu no castelo de Bolingbroke no Lincolnshire e, de acordo com o costume da época, passou a ser conhecido como Henrique Bolingbroke. No relacionamento extra conjugal com Catarina Swynford, gerou os filhos chamados Beaufort legitimados na viuvez mas sem direito sucessório ao trono. Apesar de apoiar o primo, Ricardo II, no início do reinado, não tinha a habilidade de John de Gaunt e acaba banido do país em 1398. Seu pai foi despachado para o continente como Duque da Aquitânia, onde morre. Ricardo II confisca todos os seus bens mas, Ricardo II era impopular e considerado incompetente e o primo valeu-se disso para iniciar uma revolta aberta em 30 de Setembro de 1399, retornando à Inglaterra com um exercito tomando o poder como Henrique IV. Henrique III
    8. 8. Geoffrey Chaucer nasceu em Londres, possivelmente entre 1340 /44, filho de Jonh Chaucer, próspero mercador de vinhos (mordomo da família real), e Agnes Copton. De origem francesa, Chaucer significa sapateiro. As evidências históricas indicam que a sua família era muito ligada ou da nobreza. Seu pai foi muito bem relacionado na corte o que favoreceu a entrada de Chaucer, como pajem, na casa de Elizabeth de Burgh, condessa de Ulser (Irlanda do Norte) esposa de Lionel de Antuérpia, terceiro filho de Eduardo III, e duque de Clarence. Nos livros contábeis da condessa estão os documentos mais antigos sobre Chaucer que relatam despesas na aquisição de calças, jaquetas e sapatos para seu uso em 1357. Philippa de Hainault
    9. 9. Em 1359 John de Gaunt casa com a prima Blache, Duquesa de Lancaster. Em 1361- 1367 O cronista e poeta francês, Jean Froissart, freqüenta a corte de Philipa Hainault, pois a rainha era de Flandres (atual França) e tinha muitos estrangeiros na sua corte. Jean Froissart escreveu crônicas sobre as batalhas entre Inglaterra e França lideradas pelos filhos da rainha. Em 1362, pelo Estatuto de Pleading (pleitear), o inglês passou a ser a única língua oficial nos tribunais e no parlamento londrino. Em 1366 Chaucer casa com Philippa de Roet, dama de companhia da rainha Philippa de Hainault e filha do senhor de Paon ou do rei de Payne de Roet (Guienne), neste ano morre o pai de Chaucer. Em 1367 Chaucer torna-se um dos funcionários da casa real, cargo destinado aos representantes das 40 regiões administrativas do reino no cargo de escudeiro do Tribunal Real. Em 1368 Morte de Lionel de Antuérpia (filho de Edward III e Philippa de Hainault). Em 1369 Morte de Philippa de Hainault (esposa de Edward III ) e Blache de Lancaster (1º esposa de John de Gaunt - 1º duque de Lancaster). Ricardo II
    10. 10. Em 1374 È o encarregado da escolha diária do vinho do rei. Como inspetor na alfândega de Londres é acusado de rapto seguido de violação contra Cecile Champaigne, mas nada ficou provado, entretanto paga uma indenização em 1380 terminando o litígio. Em 1385 aposenta-se como Aduaneiro e perde o direito a moradia e torna-se Juiz de Paz , em Kent, até 1389, onde inicia sua fase mais criativa (Tróilus e Criseyda). Chaucer teve três ou quatro filhos, não há consenso (Thomas, Lewis,... ). Historiadores falam de possíveis filhos fora do casamento, mas sua vida pessoal era discreta havendo documentação apenas de sua vida pública na corte. Em 1396 Catherine de Roet, viúva do senhor Hugh Swynford e cunhada de Chaucer, casa com John de Gaunt, após a morte da segunda esposa, Constança, filha de Pedro I de quem é herdeiro ao trono de Castela e Ricardo II casa com a princesa Isabel, filha de Philipe VI, rei da França, Mapa Normando de 1300
    11. 11. Durante a sua formação como pajem possivelmente freqüentou a escola para nobres, na casa de campo de Chancery e cursou a Universidade de Oxford (1360) como preparação adicional para a carreira administrativa. Consagrou-se como renomado tradutor do francês e Latim o que facilitou incorporar em sua obra prima, “Contos da Cantuária” (1386), passagens inteiras de “Roman de la Rose” e “De Consolatie Philosophie”. A língua culta na Europa foi o latim por muito tempo sendo usada na renascença inglesa por Thomas Morus (Utopia), por Francis Bacon (Novun Organun), além da Bíblia de São Jerônimo ou Vulgata que circulava na idade média. Geoffrey Chaucer fundiu o franco-normando, latim e saxão em prosa e verso na época pré-renascentista contribuindo significativamente para o surgimento do inglês moderno e antecipou o Renascimento na Inglaterra, como os florentinos na Itália . Geoffrey Chaucer
    12. 12. Chaucer foi humanista, poeta, tradutor, romancista, burocrata (cortesão), homem de negócios e diplomata. Traduziu livros filosóficos, históricos e religiosos, entre eles, “A Vida de Santa Cecília”, tragédias medievais, obras sobre homens famosos que viveram adversidades perdendo sua fortuna, “Miséria da Condição Humana” do papa Inocente II, obra perdida que sobrevive apenas nos “Contos da Cantuária” em “Conto do Homem”. Traduziu obras jurídicas medievais como “De Consolatie Philosophie” de Anicius Boethius, obra que proclama a fé na Justiça e Providência Divina. Nesta obra, Boethius conversa com a Filosofia, e lamenta a sua sorte, mostrando-lhe durante boa parte do diálogo, a malévola e enganosa Fortuna, que trata cruelmente os homens, sem se importar com as acusações a um inocente. Por causa dela, os homens erram em seus julgamentos, pois, ao invés de analisar os méritos das ações passadas, só vêem os caprichos da Fortuna e acreditam que esse é o desejo natural dos acontecimentos. Geoffrey Chaucer
    13. 13. Escreveu em versos rimados no Inglês Médio Novo e possivelmente leu seus trabalhos em audiência seleta de cortesãos da mesma categoria, funcionários e membros da família real. Sua obra tem um alcance e sutileza superada apenas por Dante, sendo considerado o melhor poeta inglês antes de Shakespeare. Por causa do caráter psicológico da obra “Tróilus e Criseyda” Chaucer é considerado um dos primeiros romancistas modernos. Como diplomata foi enviado a Flandres, Navarra, França e Itália (1378 ) onde visita Gênova em missão diplomática para abertura de portos aos navios ingleses. Em Florença negocia um empréstimo à coroa inglesa e conhece as obras pré-renascentistas de Dante, Boccaccio (falecido) e conhece pessoalmente Petrarca em Pádua. Catedral de Canterbury
    14. 14. Circulando na corte, salões de embaixadas, antecâmaras do poder, acampamentos militares, como juiz de paz e representante no Parlamento pelo condado de Kent, como fiscal de alfândega no cais do porto de Londres e membro do clero secular em Windsor, obteve a vivência para traçar o grande painel social da Inglaterra medieval e o material necessário para sedimentar em definitivo a fusão da língua germano-românica. Contribuiu para impulsionar ainda mais a sedimentação da fusão da língua germano-românica a perda da guerra dos cem anos e, por conseqüência, a redução do prestigio da cultura francesa no meio aristocrático, a partir de 1337. Catedral de Canterbury
    15. 15. Fases da Formação do Inglês. 1. Anglo-saxão Antigo até 900 - Inglês do Rei Arthur Novo 900- 1100 Transição 1100-1200 2. Inglês Médio Antigo 1200-1300 Novo 1300 - 1400 - Inglês de Chaucer Transição 1400-1500 3. Inglês moderno Tudor 1500 - 1650 - Inglês de Shakespeare Novo 1650 Presente a partir do século XVIII Cenas de Coração de Cavaleiro, baseado no “Conto do Cavaleiro.
    16. 16. Evolução das obras de Chaucer em três fases: Francesa: (1369-80), traduz o “Roman de la Rose” com 1705 linhas, escreve “Book of the Douses”, “Parliament of Fowls” e “House of Fame”. Italiana: (1381-86), recebe a influência de Dante, Boccaccio e Petrarca. Escreve o poema “Troilo e Criseyda” e “Legend of Good Women”.  Inglesa: (1387-1400), escreve “Canterbury Tales”. Personagens de Contos da Cantuária
    17. 17. Período francês (1369-1382) A fase francesa de Chaucer origina-se da formação cultural da classe dominante, predominantemente francesa. Influenciaram Chaucer as obras de poetas franceses como Guillaum Machaut e Jean Froissart, Guillaum Lorris (Romance da Rosa) e Jean de Meun, com suas poesias de amor. Traduz o “Roman de la Rosa” quando refém dos franceses (1359-60) até assinatura de tratado de Bretigny . Escreve o “Livro da Duquesa, uma elegia para a primeira esposa de Jonh de Gaunt, chamada Blache (Duquesa de Lancaster), que morreu em 1369 e protagonista indireta do poema, pois ela e o poeta se encontram com um Cavaleiro Negro (Gaunt), que faz um relato comovedor de seu amor e sua tristeza pela perda de sua ”fada madrinha" (Blanche). Neste poema nota-se a influência do poeta latino Ovídio e da poesia francesa . Em 1380 Chaucer é amplamente reconhecido como poeta e sua fama chega à França. O poeta Eustache Deschamps o chama de “Ovídio Inglês”. Sua mãe morre um ano depois. Ilustração de Contos da Cantuária ( A peregrinação)
    18. 18. “Período italiano (1383 – 1396) “Casa da Fama”, obra humorística inacabada que demonstra a influencia de Dante Boccaccio, com mais de 2000 versos. Sobre uma viajem do poeta no lombo de uma águia dourada (idéia que proveniente de Dante) rumo ao palácio da deusa da Fama. “Parlamento das Aves” testemunha o debate inconclusivo sobre o amor entre as diferentes classes de aves, contendo uma mistura de comédia e especulação séria sobre a natureza enigmática do amor. “Tróilus e Criseyda” são a história de um amor trágico do príncipe troiano que conquista Criseyda com a ajuda de Pandarus, seu amigo e tio de Criseyda, mas a perde para o grego Diomedes, baseada em uma história do amor por Boccaccio. Em 1386 escreve “Lenda das Mulheres de Bem” onde o deus do amor acusa o poeta de heresia por escrever sobre a infiel Cryseida, e impõe o castigo de escrever sobre as mártires de Cupido, isto é, as mulheres fiéis que morreram por amor. Em 1391 Escreve “Tratado do Astrolábio” para seu filho Lewis, que faleceu ainda criança. "The Equatorie of the Planetis", um suplemento do seu "Treatise on the Astrolabe", incluíu seis passagens criptografadas. O sistema de cifrado consiste num alfabeto de símbolos em substituição as letras. Ilustração de Contos da Cantuária ( A peregrinação)
    19. 19. Período Inglês (1396-1400) Escreve “Contos da Cantuária”  Canterbury Tales foi a obra prima de Chaucer, uma coleção de vinte e quatro contos numa série de fábulas, relatos piedosos, novelas breves, sátiras e elogios, emoldurados pela peregrinação à Catedral da Cantuária, especificamente ao túmulo de São Thomas Becket, sob comando do pároco que transforma a viagem primaveril numa viagem espiritual à Jerusalém. A Inspiração da peregrinação vem de Dante, que na “Divina Comédia” faz uma peregrinação até a esfera espiritual, entretanto Chaucer utiliza elementos mundanos, inspirado de Boccaccio o que torna a peregrinação à Canterbury relatar passagens picantes sobre a vida humana. Obs: Thomas Becket é um bispo mártir assassinado pelos partidários do rei Henrique II, cujo túmulo encontra-se na Catedral da Cantuária, no Condado de Kent. Ilustração de Contos da Cantuária
    20. 20. A peregrinação inicia-se na Pousada de Tabard Inn, no bairro de Sotwark, nos arredores de Londres, com 29 personagens representantes da variedade social da Inglaterra medieval do século XIV, ou seja, classe militar, clero, classe alta, classe média baixa, oficiais da igreja e o próprio Geoffrey Chaucer. A classe da nobreza não é representada no conto por motivos óbvios, não se aventurariam em uma peregrinação misturados com um grupo tão variado e, também os camponeses por não terem a chance de viajar livremente pois deviam serviços a nobreza. A proposta inicial, sugerida pelo albergueiro, era de que cada integrante contasse quatro contos no total durante a ida e a volta para passar o tempo. Ilustração de Contos da Cantuária( O Cavaleiro)
    21. 21. Chaucer iniciou “Contos de Canterbury” aos 40 anos e produziu apenas um quarto da proposta inicial, com 22 contos em verso (dois inacabados) e dois contos longos (em prosa).No total foram 18.000 linhas de poesia, sendo cada conto vinculado ao anterior. “Contos de Canterbury” ficou inacabado mas no final de sua vida ainda acrescentou um ato de contrição., Após o “Conto do Cavaleiro”, com seu linguajar rebuscado, sucede-se o conto do homem do povo, o “Conto do Moleiro” com uma linguagem obscena fortemente inspirada em Boccaccio, com passagens picantes de amor, sexo e morte. Chaucer satiriza os abusos da igreja e também inclui vários contos didáticos como o “Sermão de Penitência” de Parson. Ilustração de Contos da Cantuária( O Cavaleiro)
    22. 22. Os personagens são pessoas das classes sociais da idade média e não são construções abstratas, mas seres humanos comuns que representam suas classes, situação social e profissões. Um cavaleiro e seu escudeiro, alguns monges, um frade mendicante, uma prioresa, um pároco, um vendedor de indulgências, um mercador, um estudante, alguns profissionais liberais (médico, advogado, jurista) e gente do povo (moleiro, feitor, cozinheiro, carpinteiro, tintureiro, tapeceiro, marujo, lavrador, etc...). Obteve assim, sucesso na prosa em dar vida a cada um de seus personagens, individualizando-os de maneira inconfundível, dotando cada um com sua forma própria de linguagem e traços psicológicos. Os contos tem elementos italianos, franceses e medievais aparentemente dispares, unidos pela personalidade de Chaucer, sempre presente como defensor dos valores da vida. Ilustração do livro da Duquesa
    23. 23. Inicia-se a obra com o prólogo abaixo, inspirado no Romance da Rosa. “Quando abril, com suas doces chuvas cortou pela raiz a aridez de março... então sentem as pessoas vontade de peregrinar... o desejo de buscar plagas estranhas, com santuário distantes, famosos em vários paises. E ruma principalmente, de todos os condados da Inglaterra, para a cidade de cantuária, à procura do bendito e santo mártir.”
    24. 24. As vacas magras A pedido do parlamento muitos colaboradores de Ricardo II foram removidos de suas funções ou executados. Intrigas dos partidários de Thomas de Woodstock, duque de Gloucester, tio do rei e inimigo político de Jonh de Gaunt, levou Chaucer a ruína parcial. Em 1388 Chaucer vende suas anuidades (benefícios reais). Em 1389 Chaucer é reintegrado por Ricardo II e designado como “administrador das obras” das torres, Westminster e outras propriedades reais. Encarregado da compra e estocagem de matérias e inspetor dos serviços de reparo nos diques do Tâmisa. Em 1391 Chaucer é roubado pela terceira vez, em situações suspeitas. Nesta época era encarregado do Parques e Florestas, função que necessitava habilidade com dinheiro e homens. A Floresta Real de Petherton Norte era uma grande fonte de renda. Em 1398 muda-se para uma casa na área da Capela de Westminster, arrendado por 53 anos. Ilustração de Contos da Cantuária( A peregrinação)
    25. 25. Apesar de Ricardo II e Eduardo IV, ambos futuros personagens de Shakespeare, restaurarem anuidades retiradas pelo parlamento, Chaucer não se recuperou financeiramente. Chaucer desapareceu do registro histórico, acredita-se ter morrido pobre, de causas desconhecidas em 25 de outubro de 1400. Especula-se ter sido assassinado por inimigos de Ricardo II que havia sido deposto justamente por causa do aumento dos impostos decorrente das guerras contra França e Espanha e devido ao relacionamento próximo de Jonh Gaunt, seu amigo e protetor. Escreveu próximo da morte um ato de contrição sobre suas obras seculares que foi inserida nos “Contos de Canterbury” como “Sermão de Penitência” de Parson. “Por amor de Deus, os suplico que rogueis por mim, para que Cristo me trate com misericórdia e perdoe minhas culpas”. Henrique IV
    26. 26. Foi o primeiro escritor sepultado na Abadia de Westminster, local que abriga os túmulos reais. Seus restos mortais foram transladados em 1556 para uma área chamada “Canto dos Poetas” sendo o primeiro a ocupa-la. Citações de Chaucer: “Esta vida é muito curta e uma arte lenta e muito difícil de aprender.” “È mais sábio aquele que pode conhecer a si mesmo.” “O amor é cego.” “Quem nada empreende, nada conclui.” Geoffrey Chaucer e Lionel
    27. 27. FINIS www.apollo.org - Centro de Porto Alegre - 2005 Anexo: - De “Contos de Canterbury”, o “Conto do Cavaleiro”. - Notas Explicativas do “Conto do Cavaleiro”. - Datas relevantes no tempo de Chaucer. - Bibliografia. 1340 / 1344 – 1400
    28. 28. Conto do Cavaleiro "Havia um Cavaleiro, um homem distintíssimo, Que desde o dia em que partira Para correr o mundo, sempre seguira o cavalheirismo, A verdade e a honra, a generosidade e a cortesia, Nobremente lutara ao serviço do seu soberano, Avançando para a batalha como nenhum outro, Tanto em terras cristãs como pagãs, E fora sempre respeitado pelos seus nobres feitos. Quando tomamos Alexandria* ele estava lá. À mesa costumava sentar-se no lugar de honra, Sobre todas as nações, quando na Prússia**. Combatera na Lituânia e na Rússia Como nenhum outro cristão da sua linhagem. Em Granada estivera, quando do cerco A Algecira, e assaltara Belmarie**.
    29. 29. E embora tão distinto, era sensato E tão modesto nas maneiras como uma donzela. Nunca uma palavra rude pronunciara Em toda a sua vida, fosse pelo que fosse. Era na verdade um perfeito gentil-homem. No que se refere à sua equipagem, possuía Um bom cavalo, mas não trajava alegremente, Usava um justilho de fustão, manchado e escuro, Com marcas nos pontos onde roçava a armadura. Recém-chegado da guerra, logo se juntou a nós, Para peregrinação fazer e ao santo agradecer.
    30. 30. Em Leyes esteve também e em Satalie, Quando foram conquistados, e pelo Grande Mar Com muitas nobres armadas tinha embarcado. Em quinze batalhas mortais tinha participado, E pela nossa fé em Tramissene lutara; Em três torneios, três homens abatera. Este mesmo distinto cavaleiro, Uma vez ao rei de Palatie servira Na luta contra um pagão da Turquia; Em toda a parte era grandemente estimado.
    31. 31. Notas Explicativas *Alexandria, no Egito, tomada e imediatamente abandonada por Pierre Lusignan, Rei de Chipre, em 1365. Treze anos antes, o mesmo Príncipe tinha tomado Satalie, a antiga Atalia, na Anatólia, e em 1367 tinha conquistado Layas, na Armênia, ambas citadas mais abaixo. **O cavaleiro tinha sido colocado à cabeceira da mesa, sobre cavaleiros de todas as nações, na Prússia, para onde guerreiros de todos os países estavam acostumados a ir a fim de se restabelecerem, e ajudarem as Ordens Teotônicas nos seus conflitos contínuos com os vizinhos pagãos na Lituânia, Rússia, etc. ***Algecira foi tomada ao Rei mouro de Granada em 1244: os Condes de Derby e Salisbury tomaram parte no cerco. Supõe-se que Belmarie tenha sido um estado mouro em África: mas «Palmyrie» tem sido sugerida como a carreta leitura. O grande Mar ou o Mar Grego é o Mediterrâneo Oriental. Tramissene, ou Temessem, é referida por Froissart como um dos reinos mouros de África. Palatie, ou Palathia, na Anatólia era um feudo tomado pelos cavaleiros cristãos após as conquistas Turcas - os possuidores pagando tributos aos infiéis. Este Cavaleiro tinha lutado ao lado de um destes senhores contra um vizinho pagão."
    32. 32. Datas relevantes no tempo de Chaucer 24/01/1328 Casamento de Edward III (rei da Inglaterra 1327- 1377) com Philippa de Hainault 15/06/1330 Nascimento de Edward Plantageneta (filho de Edward III e Philippa de Hainault), o Príncipe Negro. 16/06/1332 Nascimento de Isabel Plantageneta (filha de Edward III e Philippa de Hainault) 29/11/1338 Nascimento de Lionel de Antwerp (filho de Edward III e Philippa de Hainault) 24/06/1340 Nascimento de John de Gaunt (quarto filho de Edward III – e 1º duque de Lancaster pelo casamento com a prima)
    33. 33. 05/06/1341 Nascimento de Edmund de Langley-1º duque de York (filho de Edward III e Philippa de Hainault) 10/10/1344 Nascimento de Mary Plantageneta (filha de Edward III e Philippa de Hainault) 20/07/1346 Nascimento de Margaret Plantageneta (filha de Edward III e Philippa de Hainault) 24/06/1348 Rei Edward III funda a “Ordem of the Garter” 02/09/1348 Morte de Joan Plantageneta (filha de Edward III e Philippa de Hainault) 07/01/1355 Nascimento de Thomas of Woodstock (filho de Edward III e Philippa de Hainault)
    34. 34. 19/05/1359 Casamento de John de Gaunt, com Blache Duquesa de Lancaster. 20/06/1367 O poeta inglês Geoffrey Chaucer torna-se membro da ‘ Royal Household ‘ 17/10/1368 Morte de Lionel de Antuérpia (filho de Edward III e Philippa de Hainault) 15/08/1369 Morte de Philippa de Hainault (esposa de Edward III - rei da Inglaterra 1327-1377) 12/09/1369 Morte de Blache de Lancaster (1º esposa de John de Gaunt - 1º duque de Lancaster)
    35. 35. 08/06/1376 Morte de Edward Plantageneta (filho de Edward III e Philippa de Hainault) 21/06/1377 Morte de Edward III (aos 50 anos) 14/05/1381 Ricardo II confirma aliança entre Portugal e Inglaterra 28/12/1384 Morte do teólogo inglês John Wycliffe 12/07/1389 Geoffrey Chaucer torna-se clérigo leigo de Westminster 21/04/1393 Morte do teólogo e cronista inglês John Capgrave 24/03/1394 Morte de Constança de Castela (2º esposa de John de Gaunt - 1º duque de Lancaster) 13/01/1397 Casamento de John Gaunt, 1º duque de Lancaster, com Katherine de Roet. 08/09/1397 Morte de Thomas of Woodstock (filho de Edward III e Philippa of Hainault)
    36. 36. Bibliografia: http://www.luminarium.org/medlit/chaucer.htm http://www.infoplease.com/ce6/people/A0857259.html http://www.thycotic.com/guide/general/history.html http://www.poetseers.org/the_great_poets/british_poets/geoffrey_chaucer/ http://www.ponteiro.com.br/mostrad8.php?w=9&pg=3 http://pt.wikipedia.org/wiki/Francos http://www.ricardocosta.com/textos/rosa.htm www.apollo.org - Centro de Porto Alegre - 2005

    ×