Fonética

322 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fonética

  1. 1. 11 Em sentido mais elementar, a Fonética é o estudo dos sons ou dos fonemas, entendendo- se por fonemas os sons emitidos pela voz humana, os quais caracterizam a oposição entre os vocábulos. Ex.: em pato e bato é o som inicial das consoantes p- e b- que opõe entre si as duas palavras. Tal som recebe a denominação de FONEMA. Pelo visto, pode-se dizer que cada letra do nosso alfabeto representa um fonema, mas fica a advertência de que num estudo mais profundo a teoria mostra outra realidade, que não convém inserir nas noções elementares de que estamos tratando. LETRA – é a representação gráfica, a representação escrita, de um determinado som. 1 - CLASSIFICAÇÃO DOS FONEMAS Tradicionalmente, costuma-se classificar os fonemas em vogais, semivogais e consoantes, com algumas divergências entre os autores. VOGAIS As vogais são sons musicais produzidos pela vibração das cordas vocais. São chamados fonemas silábicos, pois constituem o fonema central de toda sílaba. As vogais são classificadas conforme: 1) Função das cavidades bucal e nasal Orais : a, e, i, o, u. Nasais: ã, e, i, õ, u. 2) Zona de articulação Média: a FONÉTICA FONÉTICA a, e, i, o, u
  2. 2. 12 Anteriores: e, i. Posteriores: o, u. 3) Timbre Abertas: á, é, ó. Fechadas: ê, ô. Reduzidas: Cida, fele, hino. 4) Intensidade Tônica: café, saci, óvulo, peru. Átonas: moço, uva, vida. SEMIVOGAIS Só há duas semivogais: i e u, quando se incorporam à vogal numa mesma sílaba da palavra, formando um ditongo ou tritongo. Exs.: cai-ça-ra, te-sou-ro, Pa-ra-guai. Características das semivogais: 1ª) Ficam sempre ao lado de outra vogal na mesma sílaba da palavra. 2ª) São átonas. CONSOANTES As consoantes são fonemas que soam com alguma vogal. Portanto, são fonemas assilábicos, isto é, sozinhos não formam sílaba. 2 - ENCONTROS VOCÁLICOS À seqüência de duas ou três vogais em uma palavra, damos o nome de encontro vocálico. Ex.: cooperativa. Três são os encontros vocálicos: ditongo tritongo hiato i, u Hiato: duas vogais em sílabas diferentes: Hi-a-to, ga-ú-cho Ditongo: duas vogais na mesma sílaba: lou-co, mui-to Tritongo: três vogais ne mesma sílaba: Para-guai, sa-guão b, c, d, f, g, h, j, l, m, n, p, q, r, s, t, v, x, z
  3. 3. 13 FunçãodasCavidades BucaleNasal MododeArticulação FunçãodasCordasVocais ZonadeArticulação QUADRODACLASSIFICAÇÃODASCONSOANTES Bilabiais Labiodentais Alveolares Palatais Velares Linguodentais OraisNasais Oclusivas Constritivas FricativasVibrantesLaterais SurdasSonorasSurdasSonorasSonorasSonorasSonoras pbm fv td ln s(sê) c(sê) c s(zê) z r rr lhnh x ch g j g(guê) c(k) q
  4. 4. 14 DITONGO É a reunião de uma vogal junto a uma semivogal, ou a reunião de uma semivogal junto a uma vogal em uma só sílaba. Exs.: va-ra-pau, rei-na-do, quar-to. Os ditongos classificam-se em: crescentes decrescentes Crescentes – a semivogal antecede a vogal. Exs.: quadro, água, glória. Decrescentes – a vogal antecede a semivogal. Exs.: boi, rói, chapéu, rei, loiro. Observações: 1ª) Sendo aberta a vogal do ditongo, diz-se que ele é oral aberto. Exs.: céu, dói, anéis. 2ª) Sendo fechada a vogal do ditongo, diz-se que ele é oral fechado. Exs.: ouro, couro, judeu. 3ª) Sendo nasal a vogal do ditongo, diz-se que ele é nasal. Exs.: pão, cão, mamão. 4ª) Após a vogal as letras e e o, que se reduzem, respectivamente, a i e u, têm valor de semivogal. Exs.: mãe, anão. TRINTONGO É o encontro, na mesma sílaba, de uma vogal tônica ladeada de duas semivogais. Exs.: Pa-ra- guai, Ja-ce-guai, sa-guão, quão. Pelos exemplos dados, conclui-se que os tritongos podem ser orais ou nasais. HIATO É o encontro de duas vogais que se pronunciam separadamente, em duas diferentes emissões de voz. Exs.: mi-ú-do, gra-ú-do, sa-ú-de, vi-ú-va, hi-a-to, bo-a-to, Sa-a-ra. 3 - SÍLABA Dá-se o nome de sílaba ao fonema ou grupo de fonemas pronunciados numa só emissão de voz. Quanto ao número de sílabas, o vocábulo classifica-se em: Monossílabo – possui uma só sílaba: pá, mel, fé, sol. Dissílabo – possui duas sílabas: ca-sa, me-sa, pom-bo. Observação:- O hiato forma um encontro vocálico disjunto, isto é, na separação da palavra em sílabas, cada vogal fica em uma sílaba diferente, como nos mostram os exemplos citados.
  5. 5. 15 Trissílabo – possui três sílabas: Cam-pi-nas, ci-da-de, a-tle-ta. Polissílabo – possui mais de três sílabas: es-co-la-ri-da-de, hos-pi-ta-li-da-de, re-ser-va-tó-rio. 4 - TONICIDADE Nas palavras com mais de uma sílaba, sempre existe uma sílaba que se pronuncia com mais força do que as outras: é a sílaba tônica. Exs.: em lá-gri-ma, a sílaba tônica é lá; em ca-der-no, der; em A-ma-pá, pá. Considerando-se a posição da sílaba tônica, classificam-se as palavras em: Oxítonas – quando a tônica é a última sílaba: Pa-ra-ná, sa-bor, do-mi-nó. Paroxítonas – quando a tônica é a penúltima sílaba: már-tir, ca-rá-ter, a-má-vel, qua-dro. Proparoxítonas – quando a tônica é a antepenúltima sílaba: ú-mi-do, cá-li-ce, sô-fre-go, pês- se-go, lá-gri-ma. OBSERVAÇÃO - A maioria das palavras da Língua Portuguesa é paroxítona. Quanto aos monossílabos, eles podem ser átonos ou tônicos. MONOSSÍLABOS ÁTONOS – são os de pronúncia branda, os que têm a vogal fraca, inacentuada. Também são chamados clíticos. Incluem-se na lista dos monossílabos átonos ou clíticos: os artigos, as preposições a, com, em, de, sem, por, sob; as conjunções: e, nem, mas, ou, se, que; o pronome relativo que, os pronomes pessoais oblíquos me, te, se, lhe, o, a, nos, vos e as combinações pronominais mo, to, lho, lhas, no, na etc. OBSERVAÇÃO - Em fim de frase, o que, pronome, não será átono. MONOSSÍLABOS TÔNICOS – são os de pronúncia forte, independentemente de sinal gráfico sobre a sílaba. Exs.: pé, gás, foz, cós, til, dor. RIZOTÔNICAS – são as palavras cujo acento tônico incide no radical. As palavras que têm acento tônico fora do radical são ditas ARRIZÔTONICAS. Consideremos as seguintes formas do verbo descrever. Sabemos que o radical é descrev. Assim, temos: formas rizotônicas eu descrevo tu descreves ele descreve formas arrizotônicas eu descreverei tu descreverás ele descreverá
  6. 6. 16 OBSERVAÇÃO - As denominações rizotônico e arrizotônico dizem respeito especialmente às formas verbais. 5 - ENCONTROS CONSONANTAIS O agrupamento de duas ou mais consoantes numa mesma palavra denomina-se encontro consonantal. Os encontros consonantais podem ser: a) Conjuntos ou inseparáveis, terminados em l ou r. Exs.: pl – plebeu fl – flamengo, flâmula bl – bloco , blusão cr – cratera, crônica NOTA - sublinhar = sub-li-nhar. b) Disjuntos ou separáveis por vogal não representada na escrita, mas que é percebida, na pronúncia, entre as duas consoantes. Exs.: rit-mo, ad-mi-rar, at-mos-fe-ra, ob-je-ti-vo, naf-ta, af-ta, ic-to, psi-có-lo-go, pac-to. 6 - DÍGRAFOS A palavra dígrafo é formada por dois termos originários do grego: di, que significa “dois”, e grafo, que evoca a idéia de “escrita”. O dígrafo é a utilização, conclui-se, de duas letras para representar um mesmo som, um único fonema. Há os seguintes dígrafos: 1) Os terminados em h, representados pelos grupos ch, lh, nh. Exs.: chave, malha, ninho. 2) Os constituídos de letras dobradas, representados pelos grupos rr e ss. Exs.: carro, pássaro. 3) Os grupos gu, qu, sc, sç, xc, xs. Exs.: guerra, quilo, nascer, cresça, exceto, exsurgir. 4) As vogais nasais em que a nasalidade é indicada por m ou n, encerrando a sílaba em uma palavra. Exs. pom-ba, cam-po, on-de, can-to, man-to. OBSERVAÇÃO - Não há como confundir encontro consonantal com dígrafo por uma razão muito simples: “Os dígrafos são consoantes que se combinam, mas não formam um encontro consonantal por constituírem um só fonema”. (Maurício Góis).

×