Linguagens Híbridas.  Diferentes suportes.  Tendências contemporâneas. Plástica I Design Digital 2009
Matrizes da Linguagem e Pensamento: <ul><li>As matrizes se referem a modalidades de linguagem e de pensamento: </li></ul><...
Todas as linguagens são híbridas  <ul><li>Hibridação contaminação fronteiras complexidade transversalidade mestiçagem  h e...
Poesia concreta <ul><li>A visualidade, mesmo nas imagens fixas, também é tátil, além de absorver a lógica da sintaxe </li>...
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
<ul><li>Combine paintings de Rauschenberg e outros </li></ul>
 
 
 
 
 
<ul><li>Land art e  Earth works de Robert Smithson e outros  </li></ul>
 
 
<ul><li>Com a  digitalização , todas as linguagens podem ser traduzidas em código binário, e traduzidas novamente em outra...
<ul><li>Um turbilhao que envolve as matrizes </li></ul>
<ul><li>Mídias locativas  são meios de comunicação vinculados a uma localização física, que </li></ul><ul><li>desencadeiam...
<ul><li>Podem tanto fomentar discussões sobre relações entre humano e espaço, sendo um campo para  experimentação e atuaçã...
<ul><li>Nas hibridações mais complexas e plasticamente mais interessantes, Uddin enfatiza: </li></ul><ul><li>a presença de...
<ul><li>Variantes herdadas do Cubismo (início séc. XX) e do Construtivismo </li></ul>
 
 
 
<ul><li>No  live coding,  o conteúdo audiovisual é gerado através de uma programação improvisada: é um tipo de  programaçã...
<ul><li>… diríamos que é  estruturalmente aberto  e pode captar informações do movimento das pessoas, emanações de luz e c...
 
<ul><li>Hibridação, no campo sócio-cultural: </li></ul><ul><li>“ processos nos quais estruturas ou práticas que existiam d...
<ul><li>reapropriação , não apenas de sistemas e processos, mas também de cultura </li></ul>Etienne Delacroix: velhas máqu...
<ul><li>Tendência “pós-moderna” ou contemporânea: preferência pelo jogo, pela mudança, pelo complexo, pelo contraditório, ...
Intervenção – Máquina Burocrática
Algumas premissas da  pós-modernidade: <ul><li>fim da crença cega na racionalidade científica, na concepção única de progr...
<ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
<ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
<ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
<ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
<ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
 
 
<ul><li>Push Pin Studio (Milton Glazer e Seymour Chwast): </li></ul><ul><li>Reapropriaram os estilos vitoriano, Art Nouvea...
<ul><li>Push Pin Studio (Milton Glazer e Seymour Chwast): </li></ul><ul><li>Reapropriaram os estilos vitoriano, Art Nouvea...
 
<ul><li>Push Pin Studio </li></ul>
 
<ul><li>Tipos + pictogramas: Herb Lubalin </li></ul>
<ul><li>Tipos + pictogramas: Herb Lubalin </li></ul>
 
 
 
 
 
 
 
 
 
<ul><li>New wave typography: </li></ul>
 
<ul><li>P hilip Meggs, April Greiman,  Wolfgang Weingart   </li></ul>
<ul><li>P hilip Meggs, April Greiman,  Wolfgang Weingart   </li></ul>
<ul><li>C arson: bases dadaístas e anarquistas  </li></ul>
<ul><li>Pop Art: Warhol, Lichtenstein - crítica irônica do bombardeamento da sociedade pelos objetos de consumo </li></ul>
 
 
 
Hibridação de físico com digital: realidade aumentada
Hibridação de físico com digital: realidade aumentada
 
 
 
<ul><li>T4 – Hibridização: </li></ul><ul><li>Utilizar a  imagem de referência  e produzir um trabalho que envolva diferent...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lingghibridas

604 visualizações

Publicada em

Aula sobre linguagens híbridas.

Publicada em: Design
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
604
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • V isual/sonora: CG, vídeo, dança Visual/verbal: escrita, poesia concreta, quadrinhos Sonora/verbal: narrativas, música Vebal/Sonora/Visual: a dança, teatro, ópera, circo.
  • Lingghibridas

    1. 1. Linguagens Híbridas. Diferentes suportes. Tendências contemporâneas. Plástica I Design Digital 2009
    2. 2. Matrizes da Linguagem e Pensamento: <ul><li>As matrizes se referem a modalidades de linguagem e de pensamento: </li></ul><ul><li>Verbal </li></ul><ul><li>S onora </li></ul><ul><li>V isual </li></ul><ul><li>Exemplos de cruzamentos </li></ul>Ref: Santaella
    3. 3. Todas as linguagens são híbridas <ul><li>Hibridação contaminação fronteiras complexidade transversalidade mestiçagem h eterogeneidade </li></ul>Ref: Santaella
    4. 4. Poesia concreta <ul><li>A visualidade, mesmo nas imagens fixas, também é tátil, além de absorver a lógica da sintaxe </li></ul>
    5. 20. <ul><li>Combine paintings de Rauschenberg e outros </li></ul>
    6. 26. <ul><li>Land art e Earth works de Robert Smithson e outros </li></ul>
    7. 29. <ul><li>Com a digitalização , todas as linguagens podem ser traduzidas em código binário, e traduzidas novamente em outra linguagem. </li></ul><ul><li>O que se coloca entre o usuário e o conteúdo é a INTERFACE . </li></ul><ul><li>Uma hipermídia é assim denominada por articular diversas linguagens. É capaz de provocar uma mistura de sentidos, uma sensorialidade global, sinestesia . </li></ul>
    8. 30. <ul><li>Um turbilhao que envolve as matrizes </li></ul>
    9. 31. <ul><li>Mídias locativas são meios de comunicação vinculados a uma localização física, que </li></ul><ul><li>desencadeiam interações sociais. </li></ul>
    10. 32. <ul><li>Podem tanto fomentar discussões sobre relações entre humano e espaço, sendo um campo para experimentação e atuação crítica diante dos novos modos de comunicar de nosso tempo, quanto ser aplicados para a aceleração da implantação de vigilância e controle , da micro à macroescala. </li></ul>
    11. 33. <ul><li>Nas hibridações mais complexas e plasticamente mais interessantes, Uddin enfatiza: </li></ul><ul><li>a presença de um grande número de variações (ou diferenças) entre os elementos das imagens da representação, tais como na escala , na composição (mais ou menos densa); </li></ul><ul><li>na sobreposição de grafismos e outros símbolos; </li></ul><ul><li>na apresentação seguindo várias perspectivas de cenas fragmentadas , etc. </li></ul>Ref: Cauduro
    12. 34. <ul><li>Variantes herdadas do Cubismo (início séc. XX) e do Construtivismo </li></ul>
    13. 38. <ul><li>No live coding, o conteúdo audiovisual é gerado através de uma programação improvisada: é um tipo de programação “ao vivo” , que modifica substancialmente a natureza do algoritmo pois, mesmo havendo cálculos, os dados podem vir de todo o ambiente interativo… </li></ul>
    14. 39. <ul><li>… diríamos que é estruturalmente aberto e pode captar informações do movimento das pessoas, emanações de luz e calor, ou qualquer outro dado do ambiente em tempo real , e causar modificações no próprio algoritmo. </li></ul>Ref: Gil
    15. 41. <ul><li>Hibridação, no campo sócio-cultural: </li></ul><ul><li>“ processos nos quais estruturas ou práticas que existiam de forma separada, se combinam para gerar novas estruturas, objetos e práticas” (CANCLINI) </li></ul>
    16. 42. <ul><li>reapropriação , não apenas de sistemas e processos, mas também de cultura </li></ul>Etienne Delacroix: velhas máquinas, novas potências
    17. 43. <ul><li>Tendência “pós-moderna” ou contemporânea: preferência pelo jogo, pela mudança, pelo complexo, pelo contraditório, pela ambigüidade </li></ul><ul><li>Como acreditar na validade de verdades universais únicas, se há tanta diversidade cultural no mundo, no tempo e no espaço? </li></ul>
    18. 44. Intervenção – Máquina Burocrática
    19. 45. Algumas premissas da pós-modernidade: <ul><li>fim da crença cega na racionalidade científica, na concepção única de progresso; </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>abandono das teorias definitivas de representação e verdade; </li></ul><ul><li>crescente ênfase na importância do inconsciente do sujeito; </li></ul><ul><li>a intrínseca polissemia dos signos e imagens; </li></ul><ul><li>a pluralidade inevitável de pontos de vista </li></ul>Ref: Harvey, Lyotard
    20. 46. <ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
    21. 47. <ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
    22. 48. <ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
    23. 49. <ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
    24. 50. <ul><li>Movimento Psicodélico: reapropriação da Op Art </li></ul>
    25. 53. <ul><li>Push Pin Studio (Milton Glazer e Seymour Chwast): </li></ul><ul><li>Reapropriaram os estilos vitoriano, Art Nouveau, e Art Deco </li></ul>
    26. 54. <ul><li>Push Pin Studio (Milton Glazer e Seymour Chwast): </li></ul><ul><li>Reapropriaram os estilos vitoriano, Art Nouveau, e Art Deco </li></ul>
    27. 56. <ul><li>Push Pin Studio </li></ul>
    28. 58. <ul><li>Tipos + pictogramas: Herb Lubalin </li></ul>
    29. 59. <ul><li>Tipos + pictogramas: Herb Lubalin </li></ul>
    30. 69. <ul><li>New wave typography: </li></ul>
    31. 71. <ul><li>P hilip Meggs, April Greiman, Wolfgang Weingart </li></ul>
    32. 72. <ul><li>P hilip Meggs, April Greiman, Wolfgang Weingart </li></ul>
    33. 73. <ul><li>C arson: bases dadaístas e anarquistas </li></ul>
    34. 74. <ul><li>Pop Art: Warhol, Lichtenstein - crítica irônica do bombardeamento da sociedade pelos objetos de consumo </li></ul>
    35. 78. Hibridação de físico com digital: realidade aumentada
    36. 79. Hibridação de físico com digital: realidade aumentada
    37. 83. <ul><li>T4 – Hibridização: </li></ul><ul><li>Utilizar a imagem de referência e produzir um trabalho que envolva diferentes modalidades (matrizes) e/ou suportes (meios), caracterizando assim uma hibridização de linguagens. </li></ul>

    ×