Dependencia Tecnologica

12.764 visualizações

Publicada em

Aula de 29/10/2007 ICAT/UniDF

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.764
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
106
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dependencia Tecnologica

  1. 1. DEPENDÊNCIA TECNOLÓGICA: Fatores Positivos e Negativos. Grupo 06: Adauto, Alessandro, Antônio Milanez e Paulo Vieira
  2. 2. SUMÁRIO <ul><li>OBJETIVOS : </li></ul><ul><ul><li>Geral </li></ul></ul><ul><ul><li>Específicos </li></ul></ul><ul><li>CONTEÚDOS </li></ul><ul><ul><li>CONCEITUAÇÃO: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dependência </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tecnologia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Teoria da Reificação (Lukàcs) </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>FATORES CRÍTICOS DA TECNOLOGIA NO COTIDIANO </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Negativos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Positivos </li></ul></ul></ul><ul><li>AVALIAÇÃO </li></ul>
  3. 3. OBJETIVO GERAL <ul><li>Refletir sobre os riscos e oportunidades do uso da tecnologia no cotidiano. </li></ul>OBJETIVOS ESPECÍFICOS <ul><li>Conceituar dependência tecnológica. </li></ul><ul><li>Identificar os fatores críticos da tecnologia no cotidiano: </li></ul><ul><ul><li>Negativos </li></ul></ul><ul><ul><li>Positivos. </li></ul></ul><ul><li>Discutir sobre os fatores críticos do uso da tecnologia no cotidiano. </li></ul><ul><li>Apresentar uma visão crítica sobre a dependência tecnológica. </li></ul>
  4. 4. O que é DEPENDÊNCIA? <ul><li>É o impulso que leva a pessoa a usar uma droga de forma contínua (sempre) ou periódica (freqüentemente) para obter prazer. </li></ul><ul><li>Pode ser física e/ou psicológica. </li></ul><ul><li>Dependência Física: caracteriza-se pela presença de sintomas e sinais físicos que aparecem quando o indivíduo pára de tomar a droga ou diminui bruscamente o seu uso: é a síndrome de abstinência. </li></ul><ul><li>Os sinais e sintomas de abstinência dependem do tipo de substância utilizada e aparecem algumas horas ou dias depois que ela foi consumida pela última vez. No caso dos dependentes do álcool, por exemplo, a abstinência pode ocasionar desde um simples tremor nas mãos a náuseas, vômitos e até um quadro de abstinência mais grave denominado &quot;delirium tremens&quot;, com risco de morte, em alguns casos. Com os medicamentos existentes atualmente, a maioria dos casos relacionados à dependência física pode ser tratada. </li></ul><ul><li>Dependência Psicológica: corresponde a um estado de mal estar e desconforto que surge quando o dependente interrompe o uso de uma droga. </li></ul><ul><li>Os sintomas mais comuns são ansiedade, sensação de vazio, dificuldade de concentração, mas que podem variar de pessoa para pessoa. O que quase sempre faz com que uma pessoa volte a usar drogas é a dependência psicológica, de difícil tratamento </li></ul><ul><li>Fonte: http://www.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/quest_drogas/dependencia.htm </li></ul>
  5. 5. O que é TECNOLOGIA? <ul><li>“ engloba: </li></ul><ul><ul><li>as infra-estruturas, </li></ul></ul><ul><ul><li>a vertente de formação dos utilizadores e </li></ul></ul><ul><ul><li>a vertente da utilização das aplicações”. </li></ul></ul><ul><li>Fonte: Projeto Porto Digital </li></ul><ul><li>“ La tecnología </li></ul><ul><ul><li>(entendiéndola como el uso del conocimiento científico </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>en los procesos productivos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>a fin de hacer más eficientes y rentables las técnicas existentes )”. </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Fonte: Retos Tecnológicos... </li></ul>
  6. 6. DEBATE Tema: Dependência Tecnológica
  7. 7. Introdução ao debate <ul><li>O debate a seguir resgatará o objetivo geral desta aula: </li></ul><ul><li>“ Refletir sobre os fatores positivos e negativos do uso da tecnologia no cotidiano.” </li></ul>
  8. 8. Introdução ao debate <ul><li>Para tanto, passaremos à apresentação dos participantes: </li></ul><ul><ul><li>Paulo Vieira - Fatores negativos </li></ul></ul><ul><ul><li>Antônio Milanez - Fatores positivos </li></ul></ul><ul><li>O propósito é identificar os fatores críticos da tecnologia no cotidiano. </li></ul>
  9. 9. Regras para o debate <ul><li>No primeiro bloco, os dois participantes respondem à mesma pergunta do mediador. </li></ul><ul><li>O mediador terá 30 segundos para fazer a pergunta e o participante terá 1 minuto para respondê-la. </li></ul>
  10. 10. Regras para o debate <ul><li>No segundo bloco, participante pergunta para participante, com os tempos para realização da pergunta e respostas se repetindo. </li></ul><ul><li>O objetivo é permitir o confronto de idéias entre Milanez e Paulo. </li></ul>
  11. 11. Regras para o debate <ul><li>No terceiro bloco, entram as perguntas dos quatro alunos, sendo duas para cada participante. </li></ul><ul><li>O aluno fará a pergunta em 30 segundos, e o participante terá um minuto para responder. </li></ul>
  12. 12. Regras para o debate <ul><li>No quarto e último bloco, cada participante terá 3 minutos para considerações finais. </li></ul>
  13. 13. GVGO Fatores positivos e negativos
  14. 14. Teoria da Reificação (Georg Lukàcs) <ul><li>O conjunto da estrutura social, o caráter global das relações inter-humanas, tende a desaparecer da consciência dos indivíduos, </li></ul><ul><ul><li>reduzindo assim consideravelmente o âmbito em que se poderia manifestar a atividade de síntese de que é capaz o ser humano, </li></ul></ul><ul><ul><li>e criando uma visão individualista e atomizada das relações do homem com os outros homens e com o universo. </li></ul></ul><ul><li>A realidade perde a transparência e torna-se opaca , o homem fica limitado e desorientado. </li></ul><ul><li>O progresso enorme das forças produtivas, e com elas da ciência e da técnica, só se realiza ao preço de um enorme estreitamento da consciência . </li></ul><ul><li>Fonte: </li></ul><ul><li>http://centria.fct.unl.pt/~lmp/publications/online-papers/cpi80.pdf </li></ul>
  15. 15. Teoria do Pensamento Complexo (Edgar Morin) <ul><li>A aposta de Edgar Morin numa educação para a complexidade permite enunciar uma agenda de múltiplos princípios, que sintetizo assim: </li></ul><ul><li>1. Pensar a educação como uma atividade humana cercada de incertezas e indeterminações , mas também comprometida com os destinos dos homens, mulheres e crianças que habitam nossa &quot;terra-pátria“ (Teoria da Incerteza de Heisenberg ); </li></ul><ul><li>2. Praticar uma ética da competência que comporte ao mesmo tempo um pacto com o presente sem esquecer nosso compromisso com o futuro (um mundo melhor para as crianças ); </li></ul><ul><li>3. Buscar as conexões existentes entre o fenômeno que queremos compreender e o seu ambiente maior (TOTALIDADE ou hologramática) ; </li></ul><ul><li>4. Abdicar da ortodoxia, das respostas fáceis, finalistas e completas ; </li></ul><ul><li>5. Exercitar o diálogo entre os vários domínios das especialidades ( transdiciplinaridade ); </li></ul><ul><li>6. Deixar emergir a complementaridade entre arte, ciência e literatura ( transversalidade ); </li></ul><ul><li>7. Transformar nossos ensinamentos em linguagens que ampliem o número de interlocutores da ciência (dialogicidade) . </li></ul><ul><li>Obs.: Os acréscimos e grifos são nossos. </li></ul><ul><li>Fonte: </li></ul><ul><li>http://www.ufrn.br/grecom/ideias2.htm </li></ul>
  16. 16. AVALIAÇÃO : Um exercício de Vigilância Epistêmica <ul><li>Grupo 06 – Dependência Tecnológica </li></ul><ul><ul><li>Processo : Pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>Oportunidades : obter eficiência operacional e economia de escala, gerenciar a complexidade, mediar processos educativos, aliviar tensões, ansiedades, medos, sensações físicas desagradáveis. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ameaças : não conseguir controlar o consumo, agindo de forma impulsiva e repetitiva, cerceamento da capacidade de iniciativa, dificuldade de organização e de planejamento em nível nacional, a exportação de &quot; software ” e a diminuição das importações são prejudicadas, aumento de dependência em muitas outras áreas (medicina, comércio, relações internacionais, etc.) </li></ul></ul><ul><ul><li>Contradição : Evolução tecnológica (progresso) x Involução moral (inversão de valores). </li></ul></ul>
  17. 17. <ul><li>“ Dados não são o mesmo que informação; </li></ul><ul><li>Informação não é o mesmo que conhecimento; </li></ul><ul><li>e mais importante ainda, </li></ul><ul><li>conhecimento não é o mesmo que sabedoria. </li></ul><ul><li>Temos oceanos de dados, rios de informação, </li></ul><ul><li>pequenas poças de conhecimento, </li></ul><ul><li>e a gota ocasional de sabedoria .” </li></ul><ul><li>(Henry Nix, 1990) </li></ul><ul><li>“ Informação é cumulativa, conhecimento é seletivo” </li></ul><ul><li>( Apud Mário Sérgio Cortella, 2007) </li></ul><ul><li>TOP10 Empresarial Ano III </li></ul><ul><li>“ Sapere (latim)= saborear e Saber </li></ul><ul><li>Criterium (grego)= separar, distinguir” </li></ul><ul><li>( Apud Max Gehringer, 2007) </li></ul><ul><li>TOP10 Empresarial Ano III </li></ul>
  18. 18. Um caminho excelente... <ul><li>O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado . </li></ul><ul><li>Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. </li></ul><ul><li>Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido . </li></ul><ul><li>Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor. </li></ul><ul><li>(I Corintios 13:8-13) </li></ul>
  19. 19. AMAR é simples assim... http://laosergos.blogspot.com/
  20. 20. GRATOS! <ul><li>Grupo 06 </li></ul><ul><li>Adauto </li></ul><ul><li>Alessandro </li></ul><ul><li>Paulo Milanez </li></ul><ul><li>Paulo Vieira </li></ul><ul><li>Para saber mais , consulte o blog VIRTUS disponível na URL: http://didaskalous.blogspot.com </li></ul>
  21. 21. AVALIAÇÃO : Um exercício de Vigilância Epistêmica <ul><li>Grupo 01 – Âncoras pessoais </li></ul><ul><ul><li>Processo : Classificação (enquadramento em categorias). </li></ul></ul><ul><ul><li>Oportunidades : Políticas de afirmação das minorias, identidade com as tribos (expressão de diversidades), planejamento de carreira... </li></ul></ul><ul><ul><li>Ameaças : estereotipação (rotulação), discriminação ( apartheids )...Ex.: Brasília (Quem é você? Onde mora, trabalha, estuda) </li></ul></ul><ul><ul><li>Contradição : (A)moral x reificação. </li></ul></ul><ul><li>Grupo 02 – Novo olhar sobre a Amazônia </li></ul><ul><ul><li>Processo : Conscientização Ecológica </li></ul></ul><ul><ul><li>Oportunidades : Políticas públicas eco-político-sociais, de preservação ambiental... </li></ul></ul><ul><ul><li>Ameaças : Capitalismo selvagem (ideologia dominante) e predatório; internacionalização da Amazônia... </li></ul></ul><ul><ul><li>Contradição : Ideologia x Práxis. </li></ul></ul>
  22. 22. AVALIAÇÃO : Um exercício de Vigilância Epistêmica <ul><li>Grupo 03 – Sistema de Controle do Tráfego Aéreo </li></ul><ul><ul><li>Processo : Marketing </li></ul></ul><ul><ul><li>Oportunidades : Eficiência, sucesso estatístico x profissional </li></ul></ul><ul><ul><li>Ameaças : Visão unilateral, banalização (desvalor) da vida humana (reificação). </li></ul></ul><ul><ul><li>Contradição : Fatalidades x Falhas (Six Sigma) </li></ul></ul><ul><li>Grupo 04 – Slow Food, Medicine, Sex... </li></ul><ul><ul><li>Processo : Importação descontextualizada </li></ul></ul><ul><ul><li>Oportunidades : adaptação conceitual, prevenção... </li></ul></ul><ul><ul><li>Ameaças : Qualidade de vida, ideologia alternativa... </li></ul></ul><ul><ul><li>Contradição : Tempo giusto x Quebra-molas móvel </li></ul></ul>
  23. 23. AVALIAÇÃO : Um exercício de Vigilância Epistêmica <ul><li>Grupo 05 – </li></ul><ul><ul><li>Processo : </li></ul></ul><ul><ul><li>Oportunidades : </li></ul></ul><ul><ul><li>Ameaças : </li></ul></ul><ul><ul><li>Contradição : </li></ul></ul>
  24. 24. Teoria da Reificação (Georg Lukàcs) <ul><li>&quot; Reificação , substantivo feminino. - considerar algo abstrato como coisa material; - representar o ser humano como objeto físico privado de qualidades pessoais ou de individualidade; - 'de acordo com Marx, considerar o trabalho como uma mercadoria (commodity) exemplifica a reificação do indivíduo'; - transformar o homem ou algo em coisa - objeto de consumo.&quot; </li></ul><ul><li>Fonte: http://pt.wiktionary.org/wiki/Reificação </li></ul><ul><li>“ Reificação </li></ul><ul><li>Erro metodológico que leva a que se confunda uma noção com a realidade dado que a noção não passa de algo apenas concebido para a descrição da realidade. Pode assim gerar-se um nominalismo que atende mais ao nome do que à coisa.” </li></ul><ul><li>Retirado de Respublica , JAM </li></ul><ul><li>PUBLICADO POR MESTRE ZÉ RODRIGO </li></ul><ul><li>Fonte: http://farolpolitico.blogspot.com/2007/03/reificao.html </li></ul>

×