Os Homens por trás da Reforma

3.654 visualizações

Publicada em

Trabalho da Ana Sofia Grilo com a biografia de Lutero, Calvino e Henrique VIII

Publicada em: Educação, Espiritual
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.654
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
123
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
190
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os Homens por trás da Reforma

  1. 1. BIOGRAFIAS HENRIQUE VIII HENRIQUE VIII MARTINHO LUTERO JOÃO CALVINO JOÃO CALVINO <ul><ul><li>Escola Secundária IBN Mucana </li></ul></ul><ul><ul><li>Ano Lectivo 2009/10 </li></ul></ul><ul><ul><li>Ana Sofia Grilo 8ºC Nº2 </li></ul></ul><ul><ul><li>Disciplina de: História </li></ul></ul><ul><ul><li>Professora: Ana Barreiros </li></ul></ul>MARTINHO LUTERO
  2. 2. HENRIQUE VIII <ul><li>Em 1491, nascia em Greenwich, o segundo filho de Henrique VII e seu sucessor como rei da Inglaterra. </li></ul><ul><li>Subindo ao trono em 1509, Henrique VIII desposou Catarina de Aragão, filha do Rei da Espanha. Henrique VIII preocupava-se com a estabilidade dinástica dos Tudor, pois, de seus cinco filhos com Catarina, apenas uma, Maria, sobrevivera. </li></ul><ul><li>Já desde muito tempo desejava romper o casamento com Catarina de Aragão, mas somente o Papa poderia dissolvê-lo. </li></ul><ul><li>O Rei hesitava, porque era profundamente religioso, mas, quando se apaixonou por Ana Bolena, não teve mais escrúpulos. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Já enamorado de Ana Bolena (dama de honra da rainha), ele optou pelo divórcio, mas o papa Clemente VII recusou seu pedido. </li></ul><ul><li>Em 1533, Henrique conseguiu que seu casamento anterior fosse invalidado e Ana Bolena foi coroada rainha. Excomungado pelo papa, Henrique VIII constituiu dois actos pelo Parlamento: o primeiro negava a autoridade papal na Inglaterra; o segundo declarava a Igreja da Inglaterra uma instituição separada, tendo no rei seu chefe supremo. </li></ul><ul><li>Ana Bolena teve apenas uma filha, Elizabeth I. Sob acusação de adultério, Ana foi executada em 1536. Dias após a morte de Ana Bolena, casou-se com Jane Seymor. </li></ul>
  4. 4. A nova rainha conseguiu que Henrique VIII aceitasse na Corte as duas filhas, nascidas de casamentos anteriores. Ela morreu após haver dado ao marido o tão suspirado herdeiro, que, porém, viveu somente 17 anos. Em 1540, desposou Ana Cléves, filha de um duque de Flandres. Mas a quarta rainha era pouco atraente, pouco culta, não podia satisfazer a um homem requintado como era Henrique VIII e esse matrimónio foi declarado nulo. O Rei pusera os olhos sobre uma jovem de dezassete anos, dama de honra, sobrinha do poderoso duque de Norfolk, Catarina Howard.
  5. 5. <ul><li>A Quinta esposa de Henrique, procurou amenizar o carácter do marido, amansar-lhe a crueldade, mas quando a sua conduta leviana foi revelada ao rei, este ficou profundamente ferido no seu amor e no orgulho e Catarina subiu ao patíbulo. </li></ul><ul><li>Henrique VIII aos 50 anos, parecia envelhecido, mas Henrique não fora feito para viver só e a dama da corte Catarina Parr atraiu-lhe a atenção. Era uma jovem viúva, graciosa, meiga, digna, afeiçoada aos filhos do rei. Os últimos anos do reinado de Henrique VIII transcorreram adoçados pela influência da boa e sábia Catarina. Mas uma infecção, que há muitos anos o fazia sofrer, acabou por vitimar Henrique VIII em 1547 com 56 anos. </li></ul>
  6. 6. MARTINHO LUTERO Martinho Lutero nasceu a 10 de Novembro de 1483 no centro da Alemanha, em Eisleben, Turíngia/Alemanha. Os seus pais, João e Margarida, eram pobres - João era mineiro e lenhador - porém não iletrado, de modo que puderam dar-lhe boa orientação educacional. Visando melhorar a vida económica, fixaram residência, em 1484, em Mansfeld, onde Martinho iniciou os seus estudos. Terminando o curso da escola daquela localidade, então com 14 anos, deixou a casa paterna e ingressou na escola superior de Magdeburgo. Depois de um ano ali, teve que retornar à casa paterna acometido de grave enfermidade, indo por esta razão, no ano seguinte, estudar em Eisenach.
  7. 7. <ul><li>Durante três anos cursou no colégio de Eisenach. Em 1501 ingressava na Universidade de Erfurt, cidade conhecida como &quot;Roma Alemã&quot; pelo número de suas igrejas e mosteiros. Obteve ali os graus de Bacharel (1502) e Mestre em Arte (1505). No mesmo ano ingressou no curso de Direito. Este, porém, foi interrompido visto que, a 02 de Julho de 1505, regressando da casa paterna, teve a sua vida seriamente ameaçada por uma tempestade que, por pouco, lhe tirara a vida. </li></ul><ul><li>Fez, nesta oportunidade, um voto a Sant’ana que, se lhe fosse dado viver, ingressaria no mosteiro para tornar-se monge. No dia 17 de Julho de 1505 as portas do convento da Ordem dos Agostinhos fechavam-se atrás dele. Foi Sacerdote, Professor e Doutor em Teologia. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>As primeiras obras de Lutero </li></ul><ul><li>Em 1520 escreveu três livros fundamentais mostrando o antagonismo do sistema de salvação papal e o ensino bíblico: &quot;À Sua Majestade Imperial e à Nobreza Cristã sobre a Renovação da Vida Cristã&quot;,- &quot;Sobre a Escravidão Babilônica da Igreja&quot; e &quot;Da Liberdade Cristã“. </li></ul><ul><li>Alguns de seus pensamentos-chave aí registados são estes: &quot;0 cristão é um livre senhor sobre todas as coisas e não submisso a ninguém - pela fé&quot;; &quot;o cristão é servidor de todas as coisas e submisso a todos - pelo amor&quot;. &quot;Não fazem as boas obras um bom cristão, mas um bom cristão faz boas obras&quot;. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Os símbolos são figuras que expressam verdades e convicções. Uma Cruz, um Coração, uma Rosa Messiânica, um Fundo Azul e um Anel Dourado formam o BRASÃO DE LUTERO. O coração apega-se a Cristo, centro da fé e da vida cristã. A fé reflecte-se na alegria, consolação, paz e esperança, aguardando a realização das promessas de felicidade sem fim, que ainda serão cumpridas. A ROSA DE LUTERO tornou-se um símbolo visual da REFORMA e do LUTERANISMO.   </li></ul>Rosa de Lutero
  10. 10. João Calvino <ul><li>João Calvino (que é o aportuguesamento de Jean Cauvin, dito Calvin) (10 de Julho de 1509 - 27 de Maio de 1564) fundou o Calvinismo, uma forma de Protestantismo cristão, durante a Reforma Protestante. </li></ul><ul><li>Esta variante do Protestantismo seria bem sucedida em países como a Suíça (país de origem), Países Baixos, África do Sul (entre os Afrikaners), Inglaterra, Escócia e EUA. Nasceu em Noyon, Picardia, França, com o nome de Jean Cauvin. A transposição do nome &quot;Cauvin&quot; para o Latim (Calvinus) deu a origem ao nome &quot;Calvin&quot; pelo qual ele é conhecido. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Calvino foi inicialmente um humanista. Nunca foi ordenado sacerdote. Depois do seu afastamento da Igreja católica, este intelectual começou a ser visto, gradualmente, como a voz do movimento protestante, orando em igrejas e acabando por ser reconhecido por muitos como &quot;padre&quot;. </li></ul><ul><li>Vítima das perseguições aos protestantes na França, fugiu para Genebra em 1536, onde faleceu em 1564. Genebra tornou-se definitivamente num centro do protestantismo Europeu e João Calvino permanece até hoje uma figura central da história da cidade e da Suíça. Martinho Lutero escreveu as suas 95 teses em 1517, quando Calvino tinha 8 anos de idade. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Para muitos, Calvino terá sido para a língua francesa aquilo que Lutero foi para a língua alemã - uma figura quase paternal. Lutero era dotado de uma retórica mais directa, por vezes grosseira, enquanto que Calvino tinha um estilo de pensamento mais refinado e geométrico, quase de filigrana. Citando Bernard Cottret, biógrafo (francês) de Calvino: &quot;Quando se observa estes dois homens podia-se dizer que cada um deles se insere já num imaginário nacional: Lutero o defensor das liberdades germânicas, o qual se dirige com palavras arrojadas aos senhores feudais da nação alemã; Calvino, o filósofo pré-cartesiano, percursor da língua francesa, de uma severidade clássica, que se identifica pela clareza do estilo&quot;. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Charles, o mais velho, foi padre. Faleceu em 1536, João Calvino. Antoine - Iria mais tarde viver em Genebra, junto do irmão. </li></ul><ul><li>François - Morreu ainda em tenra idade. Haveria ainda duas irmãs, que nasceram do segundo casamento de Girard. Uma chamou-se Maria e iria também viver em Genebra. Da outra irmã sabe-se pouco. </li></ul><ul><li>João Calvino nasce a 10 de Julho de 1509, nos últimos anos do reinado de Luís XII. Frequentou inicialmente o &quot;Collège des Capettes&quot; em Nyon, onde adquiriu conhecimentos básicos de latim. </li></ul><ul><li>Em 1 de Janeiro de 1515 o rei Francisco I de França (François, roi des françois), sucedeu a Luís XII. Inicialmente moderado em matéria de religião, a postura deste rei foi endurecendo ao longo do seu reinado, terminando na perseguição declarada dos protestantes. Pela Concordata de Bolonha, assinada no início do seu reinado, o papa Leão X concedia ao rei da França o direito a nomear os titulares dos rendimentos da igreja. Em contrapartida, o Papa via reforçados os seus direitos sobre a Igreja em França. </li></ul>Girard e Jeanne (pais de João Calvino) tiveram quatro filhos:
  14. 14. Falecimento <ul><li>Nos seus últimos anos de vida, a saúde de Calvino começou a vacilar. Sofrendo de enxaquecas, hemorragia pulmonar, gota e pedras nos rins podem ter sido a causa da morte. </li></ul><ul><li>Calvino continuava a ter detractores declarados que lhe dirigiam ameaças constantes. </li></ul><ul><li>Entretanto, apreciava passar os seus tempos livres no lago de Genebra, lendo as escrituras e bebendo vinho tinto. No final de sua vida disse a seus amigos que estavam preocupados com o seu regime diário de trabalho: &quot;Qual quê? Querem que o senhor me encontre ocioso quando ele chegar?&quot;. </li></ul><ul><li>João Calvino faleceu em Genebra a 27 de Maio de 1564. Foi enterrado numa sepultura simples e não marcada, conforme o seu próprio pedido. </li></ul>
  15. 15. Obras Publicadas de João Calvino <ul><li>De Clementia - Obra anotada de Séneca (1532) Psychopannychia (1534) Institutos da Religião Cristã publicado em Latim: 1536 publicado em Francês: 1541 Catéchisme de l'Église de Genève (1542) </li></ul><ul><li>Calvino também publicou vários volumes de comentários sobre a Bíblia As suas publicações espalharam as suas ideias de uma igreja correctamente reformada, para muitas partes da Europa. </li></ul><ul><li>O calvinismo tornou-se a religião maioritária na Escócia, nos Países Baixos e em partes daAlemanha, tendo sido influente na Hungria e na Polónia. </li></ul><ul><li>A maioria dos colonos de certas zonas do novo mundo, como Nova Inglaterra, eram igualmente calvinistas, incluindo os puritanos e os colonos neerlandeses que se estabeleceram em Nova Amsterdam (Nova Iorque). </li></ul><ul><li>A África do Sul foi fundada em grande parte por colonos neerlandeses (também com franceses e portugueses) calvinistas do início de século XVII, que ficaram conhecidos como Afrikaners. </li></ul>
  16. 16. FIM Autoria: Ana Sofia Grilo 8ºC nº2

×