Neoclassicismo em portugal

14.051 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
15 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.051
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
15
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Neoclassicismo em portugal

  1. 1. O Neoclassismo em Portugal
  2. 2. O Neoclassismo em Portugal1750 1850Situações adversas ao desenvolvimento da cultura e das artes em Portugal -Invasões francesas- Absolutismo régio - fuga da família real para o- difícil penetração das ideias Brasililuministas - Dominação inglesa- Terramoto de 1755 - Revolução Liberal - Independência do Brasil - Guerra Civil Prolongamento do gosto pelo Barroco e Rococó
  3. 3. A arquitetura neoclássica em Portugal - italiana: predominante na região lisboeta (bolseiros e artistas italianos)Duas influências - inglesa (neopalladiana): predominante no Porto (colónia britânica) 1º centro da arquitetura neoclássica
  4. 4. Arquitetura no Porto John Carr, Hospital de Santo António, iniciado em 1770, Porto
  5. 5. Arquitetura no PortoNeopalladismo severo e elegante - aparelho rusticado na bela arcaria do rés do chão - zona central e cantos ressaltados, parecendo-se com pequenos torreões Fachada principal
  6. 6. Arquitetura no Porto Sede comercial dos ingleses no Porto Neopalladismo +Pedra rusticada no rés do chão + Pórtico de arcadas, profundo John Whitehead, Feitoria Inglesa, c. 1785, Porto
  7. 7. Arquitetura no Porto Edifício pequeno e harmonioso + Fachada distribuída por dois pisos: -1º - colunas dóricas - 2º - colunas jónicas + Espaços para estátuas (virtudes cristãs) António Pinto de Miranda, Igreja da Ordem Terceira de S. Francisco, c. 1792, Porto
  8. 8. Arquitetura no Porto Joaquim da Costa Lima,Palácio das Carrancas, 1795-1806, hoje Museu Nacional de Soares dos Reis
  9. 9. Arquitetura no PortoCarlos Amarante, Igreja da Ordem da Trindade, 1803, PortoCarlos Amarante, Academia Real daMarinha e Comércio, hoje Faculdadede Ciências do Porto
  10. 10. Arquitetura em Lisboa Neoclassicismo mais tardio Dois arquitetos José da Costa e Silva Francisco Xavier Fabri,(português, com formação em italiano Roma)
  11. 11. Arquitetura em Lisboa José da Costa e Silva, Teatro de S. Carlos, c. 1792, Lisboa- inspirado no La Scala -Volumes bem definidos- encomendado por uma -Aspecto compacto e maciçoassociação de ricos burgueses de - pórtico romanoLisboa - aparelho rusticado do rés do chão
  12. 12. Arquitetura em LisboaCosta e Silva e Francisco Xavier Fabri, Palácio da Ajuda, 1795-1860, Lisboa
  13. 13. Arquitetura em LisboaCosta e Silva e Francisco Xavier Fabri, Palácio da Ajuda, 1795-1860, Lisboa
  14. 14. Arquitetura em LisboaFortunato Lodi, Teatro Nacional de D. Maria II, 1842-46
  15. 15. Arquitetura em LisboaVentura Terra e outros, Assembleia da República, início do século XX
  16. 16. Projetos urbanísticos no Porto- John Whitehead, Praça da Ribeira(1775-80): Praça da Ribeira(incompleto)- João Almada e Melo e FranciscoAlmada e Melo: novas artérias decirculação, pavimentação e construçãode novas praças
  17. 17. Escultura neoclássica Oficinas de formaçãoMosteiro de Mafra Palácio da AjudaMachado de Castro Machado de Castro João José de Aguiar Faustino José Rodrigues Joaquim José de Barros Laborão Influência romana
  18. 18. Escultura neoclássica Machado de Castro, D. José I, 1775 - formado nas oficinas de Mafra (ainda ao gosto barroco/rococó) e depois na Ajuda
  19. 19. Escultura neoclássica- influência clássica- grupos alegóricos do Triunfo e daVitória- solenidade, leveza e movimento Machado de Castro, estátua equestre de D. José I, 1775
  20. 20. Escultura neoclássica João José de AguiarFormação no atelier de Canova, em Roma 9 esculturas no Palácio da Ajuda - figuras hirtas - rostos intemporais, serenos - vestes de pregueados finos - ausência de nús
  21. 21. Escultura neoclássica
  22. 22. Escultura neoclássicaJoão José de Aguiar, D. João José de Aguiar, João VI, 1823 D. Maria I, 1797
  23. 23. Pintura neoclássica Princípios do Neoclassicismo: - importância dada ao desenho em desfavor da cor - contorno nítido - fim do tratamento claro / escuro Dois períodos: 1º período 2º período Artistas nacionais e estrangeiros Génio de dois pintores: - Vieira PortuenseObras ao gosto classicizante - Domingos SequeiraPalácios de Mafra e da Ajuda
  24. 24. Pintura neoclássica Vieira PortuenseFrancisco Vieira, o Portuense (1765-1805): -influência da pintura italiana (composição e execução do desenho, tonalidades claras e pouco contrastantes) - influência da pintura inglesa (visão colorista da paisagem) - retratista - representação de figuras religiosas
  25. 25. Pintura neoclássica VieiraPortuense-Inspiração emDavid (?)- tonalidade clara- boa modelaçãodos corpos- Composiçãoequilibrada Vieira Portuense, D. Filipa de Vilhena armando seus filhos cavaleiros, 1801
  26. 26. Pintura neoclássica VieiraPortuense- Síntese das influências- paleta clara- arvoredo denso- nu voluptuoso Vieira Portuense, Júpiter e Leda, 1798
  27. 27. Pintura neoclássica VieiraPortuense - envolvimento luminosos e místico - sem nitidez dos contornos nem corporeidade Vieira Portuense, Morte de Santa Margarida de Cortona, 1797-99
  28. 28. Pintura neoclássicaDomingosSequeiraDomingos Sequeira (1768-1837):- vários percursos, terminando como impressionista- obras religiosas- temas alegóricos- retratista
  29. 29. Pintura neoclássicaDomingos Sequeira Domingos Sequeira, São Bruno em oração, 1799-1800
  30. 30. Pintura neoclássica Domingos Sequeira- retrato psicológico (ternuratransbordante)- formas bem contornadas epormenorizadas- cor subtil Domingos Sequeira, Retrato de Maria Benedita Vitória Verde, 1822, 1799-1800
  31. 31. Pintura neoclássicaDomingosSequeira - formas diluídas - luz idealizada, focalizada nos pontos mais importantes - sem detalhes - transparece apenas o sentimentoDomingos Sequeira, Descida da Cruz, c.1826, 1799-1800
  32. 32. Pintura neoclássicaDomingosSequeira - atenção sobre a pose e o rosto -inovador - espírito liberto e otimista Domingos Sequeira, Retrato do Conde de Farrobo, 1813
  33. 33. FIM

×