Check up virtual - social week

19.356 visualizações

Publicada em

Check-up Virtual http://www.checkup.med.br
Impacto da auto-avaliação online no hábito de vida

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.356
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16.974
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Check up virtual - social week

  1. 1. Check-Up Virtual Impacto da auto-avaliação online no hábito de vida Alexandre Amato Cirurgião Vascular e geek
  2. 2. Que mais? • Professor de cirurgia Vascular e Endovascular da UNISA • Autor do livro: “Procedimentos Médicos - Técnica e Tática” e "Manual do Médico Generalista na Era do conhecimento” • Doutorando em Cirurgia Cardiotorácica pela USP http://lattes.cnpq.br/4188513512058155
  3. 3. Quem mais? • Dra Marisa Amato • Cardiologista, livre-docente pela USP
  4. 4. PCBoard BBS
  5. 5. História 1994 PCBoard BBS 1998 Javascript 2000 PHP/Nuke 2008 PHP/Drupal
  6. 6. Introdução • Doenças Cardiovasculares: • Alta mortalidade • De acordo com o DATASUS foram responsáveis por 31,8% dos óbitos em 2008 • Geram um ônus que tem crescido exponencialmente nas últimas décadas
  7. 7. Introdução • Fatores de riscos para doenças cardiovasculares: • Irremovíveis • antecedentes familiares, antecedentes pessoais, idade e sexo • Removíveis • tabagismo, atividade física e hábitos alimentares • Controláveis • pressão arterial, estresse, obesidade, glicemia, colesterol
  8. 8. Introdução • O Check-Up virtual é um questionário online de auto-avaliação, criado em 2000 que retorna ao usuário um índice de risco cardiovascular e pretende com isso conscientizar a população usuária de Internet da necessidade de conhecer alguns aspectos de saúde para, através dos fatores de riscos, adotar medidas que influenciem no seu hábito de vida
  9. 9. Introdução • Hoje podemos estimar o risco de cada um dos fatores de risco da aterosclerose aumentar a chance de se ter um acidente cardiovascular. • Quem fuma tem 4,9 vezes maior risco de apresentar infarto, • quem tem diabetes tem 2,8, • quem é obeso 2,5, • quem tem história familiar de evento cardíaco tem 2,3, • colesterol elevado 2,1 • e hipertensão arterial 2,1, • lembrando que os fatores quando associados não somam, mas sim multiplicam o risco, essas ações são de extrema valia para a saúde da população.
  10. 10. 1˚ Estudo Melhora da dieta - Aprendizado sobre saúde Tabagismo Exercícios físicos
  11. 11. 1˚ Estudo • O resultado desse trabalho foi avaliado pelos próprios beneficiados, que indicaram alta relevância do mesmo, como pudemos observar nas altas taxas de influência positiva observadas • 70,7% de melhora na dieta, • 25,9% de indivíduos que passaram a fazer exercícios físicos • 6,5% que deixaram de fumar. • Essas atitudes comprovadamente melhoram a qualidade de vida, pois as doenças que mais matam atualmente são as cardiovasculares, decorrentes da aterosclerose. • Os indivíduos só melhoram seus hábitos de vida com informação de qualidade e educação. A sensibilização de se tomar uma atitude em relação a mudança de hábitos, só ocorre quando o indivíduo percebe o quanto cada um dos fatores de risco pode interferir em sua saúde, daí ele valoriza a informação.
  12. 12. 1˚ Estudo • O Check-up Virtual oferece esse serviço a seus usuários, sem necessidade de qualquer requisito a não ser o acesso a internet. • Desde sua criação, o site visa melhorar o conhecimento sobre saúde dos internautas do Brasil.
  13. 13. www.checkup.med.br
  14. 14. Objetivo • Avaliar o impacto da auto-avaliação online para conscientizar e alertar o usuário sobre os seus fatores de riscos para doenças cardiovasculares e com isso fazer que ele adote medidas preventivas que possam proporcioná-lo uma melhor qualidade de vida.
  15. 15. Material e Método • Questionário online (www.checkup.med.br) • Dividido em três seções correspondentes aos seguintes fatores de riscos: • Antecedentes Pessoais, Antecedentes Familiares, Sexo/Idade, Pressão Arterial, Obesidade, Colesterol, Glicemia, Stress, Tabagismo, Atividade Física, Hábitos Alimentares
  16. 16. Material e Método
  17. 17. Exemplo
  18. 18. Permite comparação
  19. 19. Material e Método • O período de estudo foi de 3 anos e 9 meses.
  20. 20. Material e Método • Casuística e Definição do grupo estudado: 14093
  21. 21. Material e Método • Casuística e Definição do grupo estudado: 9202 Questionários excluídos não autorizaram uso em pesquisa
  22. 22. Material e Método • Casuística e Definição do grupo estudado: 8972 Questionários excluídos não autorizaram uso em pesquisa Discrepâncias Dados improváveis
  23. 23. Material e Método • Casuística e Definição do grupo estudado: 397 Questionários excluídos não autorizaram uso em pesquisa Tempo para responder < 200s Discrepâncias Dados improváveis
  24. 24. Material e Método • Casuística e Definição do grupo estudado: 397 195 ♂ 52,8% ♀ 47,2%
  25. 25. Material e Método • Para a análise dos resultados foi aplicado: Teste Kappa Teste McNemar Concordâncias Discrepâncias
  26. 26. Resultados Distribuição da idade dos usuários Frequencia idade
  27. 27. Resultados usuários com relação ao tempo entre o primeiro e o último questionário Frequencia Diferença de dias
  28. 28. Todos fatores de risco
  29. 29. Fatores Removíveis ou Controláveis
  30. 30. Quais tiveram significância estatística?
  31. 31. Resultados • TABAGISMO • Melhorados 9,2% e os Piorados 7,7%; p=0.8737 não foram excluídos do cálculo os não-fumantes (107 usuários) • Ao reavaliar os fumantes (79 usuários), após o segundo questionário, houve melhora do hábito de 22,8% e piora de 7,6% e p=0,0227
  32. 32. Discussão • Analisamos se após responder o segundo questionário houve ou não alteração nos hábitos de vida do usuário. • Frequência ao responder os questionários foi maior na terceira e quinta década de vida. • Intervalo entre o primeiro e último menor que 100 dias.
  33. 33. Discussão • Três dos fatores de riscos tiveram melhora (p<0.05) • Atividade Física: • Sob controle das pessoas • Independe da situação econômica • Estresse: • Controle parcial • Questionário com perguntas objetivas que direcionam e conscientizam de onde poderia ser feita a mudança • Bom sono, atividades relaxantes, entre outros • Tabagismo: • Maior impacto • Questionário pode ter funcionado como um estímulo extra para largar ou diminuir o vício
  34. 34. Discussão • Piora no fator de risco Sexo/Idade e melhora nos Antecedentes Pessoais. • Os outros fatores que apresentaram melhora e não foram significativos não podem ser atribuídos ao fato de que as pessoas não melhoraram os hábitos de vida e sim que o grupo estudado foi pequeno em relação aos beneficiados pelo questionário.
  35. 35. Conclusão • Melhora estatisticamente significante nos fatores • Estresse • Atividade Física • Diminuição do tabagismo • Outros fatores requerem maiores estudos
  36. 36. Conclusão • Baixo custo • Alta abrangência populacional • Alto impacto • Mostrou resultados • Deveria ser difundido para uma maior abrangência
  37. 37. www.checkup.med.br dr.alexandre@amato.com.br www.amato.com.br www.vascular.pro

×