O Diálogo das Artes
Plásticas com a
Literatura para crianças
Carolina Sanches
Dois museus brasileiros estão entre os 25 melhores do mundo!
Qual	
  o	
  espaço	
  da	
  arte	
  numa	
  
sociedade	
  dominada	
  por	
  uma	
  
este2zação	
  difusa,	
  que	
  tend...
Arte para descongestionar o olhar
Artes Plásticas e Literatura como propostas de
renovação da percepção do mundo achatado ...
Construção	
  do	
  conhecimento	
  sensível	
  das	
  crianças	
  
Imaginação	
  	
  
Criação	
  	
  
Percepção	
  	
  
I...
Para	
  Dewey,	
  o	
  fruidor	
  
da	
  arte	
  teria	
  uma	
  
função	
  cria2va	
  nas	
  
experiências	
  em	
  geral...
EU-AUTOR
NÓS-AUTORES
CONTEMPORANEIDADE É SE MISTURAR.
NOVAS AUTORIAS SURGEM.
Une	
  semaine	
  de	
  bontè	
  
Max	
  Ernest	
  
1933	
  
Em	
  184	
  colagens	
  –	
  a	
  par2r	
  
de	
  recortes	
...
CADAVRE EXQUIS
EXQUISIT CORPSE
1927
MAM	
  –	
  São	
  Paulo.	
  Expo	
  CadaVer	
  
Arte	
  Urbana	
  
Manguinhos	
  
Seu	
  IDH	
  era	
  de	
  0,726,	
  o	
  122º	
  
colocado	
  entre	
  126	
  regiões	
  
analisadas	
  na...
CASE: BIBLIOTECA PARQUE DE MANGUINHOS
Arte como encontro humano e afetivo.
Participação de TODOS.
Experiências estéticas e democráticas.
Nos	
  momentos	
  de	
  produção	
  
conjunta,	
  as	
  obras	
  desenham	
  a	
  
“utopia	
  da	
  proximidade”.	
  
A realização artística/estética aparece hoje como um terreno rico em experiências sociais.
O encontro entre as experiências próprias e as experiências do outro, de maneira genuínas, sensível,
atenta e empática é o...
Juntos sermos
mais humanos.
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças

394 visualizações

Publicada em

EDUX realizado em 2014, com Carolina Sanches falando sobre o encontro das Artes Plásticas com a Literatura Infantil.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O diálogo entre as Artes Plásticas e a Literatura para crianças

  1. 1. O Diálogo das Artes Plásticas com a Literatura para crianças Carolina Sanches
  2. 2. Dois museus brasileiros estão entre os 25 melhores do mundo!
  3. 3. Qual  o  espaço  da  arte  numa   sociedade  dominada  por  uma   este2zação  difusa,  que  tende  a   apagar  os  limites  entre   co2diano  e  extraco2diano?   Num  momento  em  que  todas   as  fronteiras  parecem  incertas   e  instáveis,  sendo  di>cil   determinar  o  que  separa  a   vida  da  morte,  a  cultura  da   mercadoria,  o  orgânico  do   inorgânico,  É  AINDA  POSSÍVEL   FALAR  EM  ARTE?     ?
  4. 4. Arte para descongestionar o olhar Artes Plásticas e Literatura como propostas de renovação da percepção do mundo achatado pelo hábito
  5. 5. Construção  do  conhecimento  sensível  das  crianças   Imaginação     Criação     Percepção     Intuição   Emoção  
  6. 6. Para  Dewey,  o  fruidor   da  arte  teria  uma   função  cria2va  nas   experiências  em  geral,   e  na  da  arte  em   par2cular.  A  recepção   esté2ca,  para  ele,  é   uma  ação  de  recriação   do  processo  de   produção.  O  ar2sta  cria   apenas  o  "produto   arXs2co",  diz  o  autor.  A   "obra  de  arte"  é  o  que   ele  provoca  em  quem   o  experimenta.  
  7. 7. EU-AUTOR NÓS-AUTORES CONTEMPORANEIDADE É SE MISTURAR. NOVAS AUTORIAS SURGEM.
  8. 8. Une  semaine  de  bontè   Max  Ernest   1933   Em  184  colagens  –  a  par2r   de  recortes  de  jornais  e   revistas  –  o  alemão  ironiza   o  comportamento   psicologicamente  correto   e  reprimido  dos  franceses.  
  9. 9. CADAVRE EXQUIS EXQUISIT CORPSE 1927
  10. 10. MAM  –  São  Paulo.  Expo  CadaVer  
  11. 11. Arte  Urbana  
  12. 12. Manguinhos   Seu  IDH  era  de  0,726,  o  122º   colocado  entre  126  regiões   analisadas  na  cidade  do  Rio   de  Janeiro.  
  13. 13. CASE: BIBLIOTECA PARQUE DE MANGUINHOS
  14. 14. Arte como encontro humano e afetivo. Participação de TODOS.
  15. 15. Experiências estéticas e democráticas.
  16. 16. Nos  momentos  de  produção   conjunta,  as  obras  desenham  a   “utopia  da  proximidade”.  
  17. 17. A realização artística/estética aparece hoje como um terreno rico em experiências sociais.
  18. 18. O encontro entre as experiências próprias e as experiências do outro, de maneira genuínas, sensível, atenta e empática é o que faz da arte um caminho para construir um “nós” de respeito e igualdade.
  19. 19. Juntos sermos mais humanos.

×